quarta-feira, 9 de junho de 2010

Experiência de Obama

Imaginem se o Brasil debatesse e exigisse que seus políticos, ministros e presidentes tivessem experiência em algum cargo executivo, de preferência no setor privado, antes de assumirem suas funções. Quem sobraria? É assim nos Estados Unidos. E eles estão corretos nisso.

Obama, antes de assumir o cargo, tinha apenas gerenciado uma revista sobre temas jurídicos (Harvard Law Review). Por isso, sempre tinha de responder sobre a sua falta de experiência executiva. Em todos os momentos, ele ressaltava que gerenciava a sua campanha, que contava com mais de 2.500 empregados. Chegou a comparar sua campanha com a cidade da Sarah Palin (Wasilla) que tinha apenas 50 servidores, desconsiderando que Palin governava o estado do Alaska que tinha muito mais que 2.500 servidores. A sua campanha era a resposta para a sua falta de experiência.

Mas, no atual momento de sua presidência, novamente a falta de experiência veio à tona. Obama está lidando muito mal com o vazamento de óleo no Golfo do México. Nem mesmo conversou com o chefe da British Petroleum (empresa responsável) pelo vazamento e o seu governo foi lento e desastroso, inclusive, atrapalhando as decisões de governadores dos estados mais afetados pelo vazamento. Além do que Obama se mostrou desinformado quando a chefe do Serviço de Mineração (Elizabeth Birnbaum ) pediu demissão. Diante do maior desastre ambiental da história americana, os Estados Unidos têm um péssimo gerente.

Um fato muito revelador do efeito da falta de experiência do Obama é a própria constituição de seu gabinete. Mais de 90% dos nomeados não têm nenhum experiência no setor privado. Em forte contraste, mesmo com outros governos liderados pelo Partido Democrata, que geralmente convoca menos pessoas que têm experência no setor privado. Por volta de 19% da população americana trabalha no setor público. Se retirássemos os que trabalham nos estados e municípios, fica uma parte bem menor, e é dessa pequena parte que Obama formou seu gabinete. O pessoal deve se conhecer.

Vejam o gráfico abaixo de um relatório do JP Morgan, que foi divulgado nos Estados Unidos. Ele mostra a porcentagem de oficiais que têm experiência prévia no setor privado nas administrações norte-americanas desde 1900. Administração do Obama, nesse aspecto, é um desastre.

Experiência no Setor Privado de Nomeados para o Gabinete Presidencial - 1900 -2009


2 comentários:

Marcelo Ribas disse...

Pelo gráfico, parece ser uma tendência dos governos democratas, exacerbada com Obama;

Pedro Erik disse...

É verdade, grande Marcelo.
O recorde tinha sido com o Kennedy, batido, por larga margem, por Obama. Obama mostra que acha que esse negócio de experiência no setor privado não vale nada. Mas as primárias de ontem para governadores e senadores mostraram que os americanos não acham isso.