segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Kadhafi Sodomizado e o Futuro

-


Exceto Chavez, todos odeiam Kadhafi hoje. No ano passado, era possível ver Lula, muitos líderes europeus (especialmente Itália e Reino Unido) e Obama apertando as mãos do ditador morto na semana passada. Para quem tem princípios Kadhafi, sempre foi um "cachorro louco" (nas palavras de Reagan) terrorista.


Mas a morte dele foi muito bárbara. As imagens me deixaram chocado. Hoje, li uma notícia que mostra o horror que foi a morte de Kadhafi. Um vídeo mostra que ele foi sodomizado antes de morrer. Alguém enfiou um pedaço de madeira nele, quando ele ainda estava vivo.

Brincadeira é alguém esperar que a comunidade internacional puna quem o matou e o sodomizou. Foi o próprio povo em seu ódio extremo.

Ele teve a morte que mereceu? É certo que ele matou muita gente inocente, mas um cristão não tem a resposta para esta pergunta em relação a ninguém. Isto é deixado com Deus. Além disso, um cristão não deve matar ninguém indefeso, nem sodomizar ninguém. Nem mesmo Kadhafi. Quem o fez se igualou ao próprio ditador. O "dar a outra face" significa isso, não repita o ato do seu agressor. Haverá condenação dos muçulmanos pela método da morte de Kadhafi? Não esperem por isso, não há base para que se condene o assassino no Corão. Nem mesmo quando se mata inocentes, se eles são considerados infiéis, basta lembrar do silêncio que seguiu o ataque às torres gêmeas em 2001, que matou quase 3 mil pessoas.

E agora, o que será da Líbia?

As expectativas são péssimas. O atual líder (que ninguém sabe o quanto manda), Mustafa Abdul Jalil,  disse que as futuras leis do país serão baseadas na Lei Sharia.E ele já começou revogando um lei de Kaddafi que proibia a poligamia. Agora, será possível casar-se com mais pessoas (o Corão permite o casamento com até quatro mulheres, fora as escravas).

Para aqueles economistas que só olham o mercado financeiro, vai a notícia que a Lei Sharia proíbe juros. Jalil anunciou que os juros serão banidos.

O país vizinho da Líbia, Tunísia, que também perdeu o ditador, mas de forma bem mais pacífica, o ditador Ben Ali fugiu para a Europa, também promete que seguirá os caminhos da Lei Sharia. O partido islâmico Ennahda deve ganhar as eleições que ocorreram no último final de semana. 


(Agradeço os links aos sites Weasel Zippers and Drudge Report)

4 comentários:

Anônimo disse...

Pois é meu caro,
Mas me pergunto:Só quero entender!
a-A lei islâmica não obriga o sepultamento no máximo 24 hrs após o óbito?
b-Os USA deram um fim ao Osama dentro do prazo e foram execrados.
c-Os captores do Kadhafi mataram, vilipendiaram o cadaver, expuseram os restos mortais à visitação pública, sujo e ensanguentado, muito alem das prescrições religiosas, até o limite da putrefação;
Dependendo de quem pode?
Já foi tarde mas assim tambem não, se igualaram com cita seu texto, não são melhores.
abs

Pedro Erik disse...

Caro,

Kadhafi foi declarado infiel por líderes muçulmanos, então nada vale para ele, ele pode ter o corpo exposto, ser morto, sodomizado, etc, como qualquer cristão ou judeu ou apóstata.

Abraço,
Pedro Erik

Vânia Cavalcanti disse...

Olá, Pedro Erik!
Saudades de comentar no seu blog, tenho feito silenciosas visitas pelos espaços deste pequeno mundão virtual. Hoje resolvi deixar este comentário que fiz parcialmente em outros blogs. Desculpe-me se ele resultar muito extenso. O linchamento a que Kadafi foi submetido simplesmente chancela os métodos do torpe ditador, a execução e o espetáculo em que ela se transformou estão gritando que ele estava certo. Isso é nada menos do que a aplicação brutal da brutal lex Talionis. Para que serve? O processo confuso, complexo e incerto que o país terá de cumprir precisa disso? Levá-lo a julgamento lhe mostraria aspectos que ele desprezava da civilização e que a própria Líbia parece desconhecer, além de sinalizar para a população que os ciclos de violência terminaram. Isso nada tem a ver com ser bonzinho ou ingênuo, ou poupar ditadores de sua próprias lições, mas de subir degraus na escala civilizatória. Rebeldes? Rebeldes foram Martin Luther King, Os Mutantes, Muhammad Ali, os zelotes de Massada e até Ulisses Guimarães foi um rebelde. Esta turba é apenas a replicação de kadafis Líbia afora. Sangue inútil e selvagemente derramado e a mentira do cínico Mahmoud Jibril, premiê do governo de transição, segundo a qual o ditador fora morto em combate, não autorizam interpretações otimistas. Fui a favor da execução de Osama bin Laden, um terrorista cuja pátria eram as trevas, seu eventual julgamento seria de operacionalização impossível. Mas Kadafi estava em seu país, com um judiciário instituído e funcionando; poderia mesmo ser julgado numa corte internacional. Não vi nem quero ver os vídeos da brutalização do ditador, mas sei de seu teor. Minha torcida pelo povo líbio, minha repulsa ao sórdido Kadafi e minha ojeriza a ditaduras não são suficientes para condescender com linchamentos. O espetáculo da choldra representou uma macabra e viciosa dança de cadeiras: amanhã quem estará sendo linchado? Um forte abraço

Pedro Erik disse...

É isso, Vânia. Concordo plenamente. Ótimo comentário. Obrigado. A gente precisa definor melhor o que é rebelde. Quem é mais incompreendido do que Cristo e seu amor pelo próximo?

Abraço,
Pedro Erik