terça-feira, 2 de abril de 2013

"Se a Criança Nascer Viva, Mate-a"


O que fazer quando uma criança no feto da mãe sofre um tentativa de aborto, mas mesmo assim nasce viva? O que os médicos devem fazer com a criança "respirando em cima da mesa", lutando pela vida? Resposta óbvia: salvar a vida da criança.

Eu já falei deste assunto aqui no blog algumas vezes, para mostrar a opinião do Presidente Obama. Segundo ele, deve-se deixar a criança morrer. Isto é os médicos não devem fazer nada para salvar a  vida da criança. Além de defender o aborto em qualquer caso, Obama defende que os médicos deixem a criança morrer de inanição fora do útero (e os brasileiros pensam que Obama é legal).

Para ler sobre esta opinião terrível de Obama, clique aqui e/ou aqui

Se este é o caso, qual é a diferença de se matar uma criança (ou qualquer pessoa) quando ela não é mais desejada?

Na semana passada, a mulher da foto acima, chamada Alisa Snow, representante da maior clínica de aborto dos Estados Unidos, foi questionada justamente sobre isso. O que a clínica chamada Planned Parenthood  faz quando a criança vítima de aborto nasce viva? Snow tentou não responder, ficou enrolando, mas na verdade, ela acabou mostrando que a Planned Parenthood segue o modelo perverso defendido por Obama, deixa a criança morrer. Isto é, os médicos e a mãe fazem a segunda ação para matar a criança, além de tentar matar no feto, eles deixam morrer fora dele.

Alisa Snow estava respondendo a perguntas de deputados da Flórida que estão planejando uma lei para obrigar os médicos a salvara vida da criança que nasce viva de uma tentativa de aborto, e incrédulos e assustados viram a posição da Planned Parenthood.

O vídeo da revista Weekly Standard abaixo mostra os deputados perguntando a Snow. As respostas de Snow foram assunto em muitos sites jornalísticos dos Estados Unidos. Vou traduzir o texto da Weekly Standard  que contém as respostas de Snow em azul.



Legisladores da Flórida, considerando um projeto de lei para exigir que abortistas ofereçam  atendimento médico a uma criança que sobrevive a um aborto ficaram chocados durante uma audiência do Comitê esta semana, quando uma funcionária da Planned Parenthood defendeu o "direito" de fazer aborto após o nascimento.

Alisa LaPolt Neve, a lobista que representa a Aliança da Flórida de Afiliados a Planned Parenthood, declarou que sua organização acredita que a decisão de matar uma criança que sobrevive a um aborto deve ser deixada para a mulher que procura um aborto e o abortista, eles podem decidir deixar a criança morrer.
 


Pergunta do deputado Jim Boyd: "Então, olha é realmente muito difícil para mim fazer esta pergunta, porque eu não consigo acreditar. Se um bebê nasce e está em cima da mesa como resultado de um aborto clandestino, o que a Planned Parenthood quer que aconteça com a criança que está lutando pela vida?" 

Snow responde: "Nós acreditamos que qualquer decisão  deve ser deixada para a mulher, a família e o médico". 

Deputado Daniel Davis pergunta: "O que acontece em uma situação onde um bebê está vivo, respirando em cima da mesa, em movimento. Que seus médicos fazem nesse momento?" 

Snow responde: "Eu não tenho essa informação. Eu não sou um médico, não sou um provedor de aborto.

Então, eu não tenho essa informação."Deputado Jose Oliva pergunta: "Você disse que um bebê nascido vivo em cima da mesa como resultado de um aborto clandestino que essa decisão deve ser deixada para o médico e da família. Isso é o que você é dizendo? " 

Snow responde: "Essa decisão deve ser entre o paciente e o médico"
 

Deputado Oliva retruca: "Eu acho que nesse ponto o paciente estaria lutando pela vida na mesa, você não concorda?". 

Snow responde: "Essa é uma pergunta muito boa. Eu realmente não sei como responder a isso. Eu ficaria feliz em conversar mais sobre isso com você." 

Outro deputado pergunta: "Que objeção você poderia ter para obrigar um médico de transportar uma criança nascida viva para um hospital, onde me parece que seria mais provável que seja capaz de sobreviver?"


Snow disse que a Planned Parenthood estava preocupada com "as situações em que ele está em um ambiente rural de cuidados de saúde, o hospital é de 45 minutos ou uma hora de distância, que é o centro mais próximo trauma ou sala de emergência. Você sabe que há apenas algumas questões logísticas envolvidas que temos algumas preocupações sobre. "


---

Todo comportamento e respostas de Snow me dão nojo, é ultrajante, e tenho dificuldade de ver esta mulher falando enquanto imagino uma criança morrendo em cima de um mesa de uma clínica de aborto, próxima de duas pessoas aptas a matá-la: a mãe e o médico.

As respostas dela valeriam para deixar morrer qualquer pessoa, sendo criança ou adulto, bastando para isso que ela dependesse de outra pessoa (como uma mãe ou qualquer responsável) e tivesse um médico disposto a deixá-la morrer.

Eu costumo dizer que a gente imagina que o demônio vem com uma aparência horrível, mas, pelo contrário, ele parece inofensivo e tem uma ótima aparência, como mostra o comportamento de Snow. 

Quando eu fiz este post, eu pensei em colocar fotos de crianças abortadas. mas estas fotos me dão tanta raiva da nossa sociedade e são tão horríveis que decidi não colocá-las. Agora, imaginem uma foto de uma criança que morreu sendo deixada morrer em cima de uma mesa de uma clínica.



4 comentários:

Klauber Pires disse...

Pedro, posso publicar este artigo no LIBERTATUM? (Não precisa publicar este comentário)

Pedro Erik disse...

Claro que pode Klauber. Sera uma honra. Abraco.

Estanislau Tallon Bozi disse...

Santa Gianna Beretta Molla, rogai por nós!!!

Pedro Erik disse...

Rogai.