quarta-feira, 18 de junho de 2014

Prêmio Ratzinger (Nobel de Teologia) de 2014


O Prêmio Ratzinger de teologia, que ocorre desde 2011, é garantia de qualidade e por isso todo ano eu presto muita atenção em quem são os premiados. Agradeço muito ao prêmio por exemplo por ter me apresentado o teólogo Rémi Brague, vencedor do prêmio em 2012. Já li dois livros de Brague desde então.

Ontem foram anunciados os vencedores do Prêmio em 2014. Os vencedores foram a teóloga francesa Anne-Marie Pelletier (primeira mulher a vencer o Prêmio) e o padre polonês Waldemar Chorotowski.

Pelletier é especialista em exegese bíblica com livros sobre a feminilidade no cristianismo. O padre Waldemar tem foco na relação judaico cristã e também tem livros sobre o Papa João Paulo II.

Não encontrei nada em inglês deles no Amazon. Espero que traduzam com o advento do Prêmio.

Aqui vão dois livros, um de cada:

1) Le Christianisme et les Femmes (O Cristianismo e as Mulheres) de Pelletier.


2) Jan Pawel II Rozwaza: Apokalipsa Sw. Jana (João Paulo II sobre o Apocalipse de São João)



Abaixo vai o vídeo da Rome Reports informando sobre o Prêmio Ratzinger de 2014. Interessante é que o vídeo menciona que o Papa Emérito deixa a escolha livre para os especialistas, mas o cardeal Camilo Ruini revela que Bento XVI ainda é consultado quando se escolhe os vencedores.





Tenho muita saudade do Papa Bento XVI. Como disse o secretário dele, a fé do Papa Emérito primeiro chega aos nossos cérebros depois atinge o coração. Eu gosto muito deste caminho da fé. Acho o caminho inverso bem menos seguro.



4 comentários:

Duddu Pontes disse...

Pedro, boa noite!

Tenho profundo amor à Francisco! Acho que ele chegou num momento importante, mas também sinto muita saudade de Bento XVI!

Queria ter aproveitado mais seu Pontificado, mas ainda era muito novo e as coisas do Alto ainda não tinham me atingido o coração!

Bento XVI tem que ser um doutor da Igreja!

Abraço

Pedro Erik disse...

Bento XVI é realmente brilhante, Duddu. Um defensor de Cristo em qualquer momento

Abraço
Pedro Erik

Alceu disse...

Pedro, existe uma versão traduzida dessa crônica no livro Tremendas Trivialidades, o primeiro livro de crônicas de Chesterton traduzido para o português. Se possível, dê uma olhada; quem o traduziu foi o irmão de um amigo meu.

Pedro Erik disse...

Obrigado, Alceu. Com certeza, a traducao esta melhor que aminha que fiz muito corrido.
Abraco,
Pedro Erik