quarta-feira, 11 de junho de 2014

O novo Bin Laden já domina grande parte do Iraque e da Síria.


O cara da foto acima se denomina Abu Bakr al-Baghdadi, ele é lider do grupo terrorista que assombra o Iraque e a Síria, chamado ISIS (Islamic State of Iraq and Syria), que é um ramo do grupo al Qaeda. O Le Monde chamou Abu Bakr de "novo Bin Laden". Os Estados Unidos pagam 10 milhões de dólares pela cabeça dele. Dizem que ele é mais violento e mais anti-americano que todos os terroristas do momento.

O texto do Washington Post diz que o nome dele verdadeiro é Awwad Ibrahim Ali al-Badri al-Samarrai. O jornal diz também que Abu Bakr afirma que é descendente direto de Maomé. E que ele tem titulo de doutor da Universidade Islâmica de Bagdá.

A ideia de Abu Bakr é criar um estado islâmico para daí lançar uma jihad global.

Abu Bakr tem capturado diversas cidades da Síria e do Iraque e hoje domina boa parte dos dois países. Vejam os mapas abaixo que supostamente mostra a região dominada pelo ISIS que tem expulso milhões de suas casas.





Abu Bakr já controla a terceira maior cidade do Iraque: Mosul.

O Bin Laden não conseguiu nem perto do que Abu Bakr tem conseguido. Ele está superando em prestígio entre os terroristas islâmicos o líder atual da al-Qaeda, Ayman al-Zawahiri.

E o que o mundo vai fazer?

Será que vamos continuar apenas rezando pelos povos da região atingida?


(Agradeço as informações ao site Weasel Zippers e Zero Hedge)

2 comentários:

Anônimo disse...

Amigo, tudo bem?
Por que esse pessoal é doido desse jeito? Eles não tem noção de bem comum, senso de justiça, lei natural ou algum tipo de piedade?
Em algum lugar li que o fanatismo é um amor irracional por algo. Mas isso ultrapassa de longe a irracionalidade.
E os islâmicos comuns? O que pensam sobre esses terroristas? Os que estão na Europa, Brasil, EUA só são "bonzinhos" por serem minorias? O que você acha?
Um abraço,

Gustavo.

Pedro Erik disse...

Caro Gustavo,

Os "islâmicos comuns" estão em silêncio, como sempre estiveram, pelo simples fato de que o livro sagrado do Islã dá apoio a atos de terroristas.

Se eles falarem contra os terroristas estariam falando contra o Islã. Pesquisas mostram que estes grupos têm grande apoio popular, apesar da maioria ser contra. Mas a maioria fica calada com medo de represálias e de serem considerados apóstatas (o que pode significar a morte).

Os que estão na Europa etc., são "bonzinhos" por diversos motivos, como gostarem do estilo de vida ocidental. Mas um deles é por serem minoria, com certeza.

Abraço,
Pedro Erik