sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Papa Francisco versus Papa Bento XVI e os Missionários


Ceta vez, o Papa Francisco disse uma frase que me deixou tão chateado que eu não quis nem comentar. Ele disse que a "pior coisa que se faz é fazer proselitismo religioso, pois isto paralisa".

Não era a primeira vez que o Papa Francisco atacava o proselitismo religioso, e por consequência atacava os missionários cristãos (tão importantes para o Brasil, vide Padre Anchieta e Padre Antonio Vieira, dois jesuítas, como o Papa Francisco).

O pior é que ele por vezes usa o Papa Bento XVI para atacar o proselitismo Ele costuma dizer que o Papa Bento XVI disse que a "Igreja não cresce fazendo proselitismo e sim atraindo as outras pessoas".

O site Catholic Answers não sabe de onde o Papa Francisco tirou esta frase do Papa Bento XVI.  Mas defende o Papa Francisco argumentando que talvez a definição de proselitismo tenha mudado, tenha tomado uma conatação negativa, e não mais evangelizadora.

Bom, em todo caso, o Papa Bento XVI recentemente, no dia 21 de outubro deste mês, parou um pouco sua aposentadoria para falar sobre o assunto. No texto, que foi publicado no site do Catholic Register, o Papa Bento XVI critica também o ecumenismo e o relativismo religioso, e a vontade de "diálogo" com outras religiões. E também fala que a Igreja não deve focar em aumentar o número de fiéis e sim em levar Cristo a todos.

Será uma resposta ao Papa Francisco? Acho que não, mas o Papa Francisco devderia ler o discurso, e mudar seu extremismo com "diálogo".

Bento XVI enviou um documento para ser lido durante uma cerimônia da Universidade Urbaniana Pontifícia de Roma. O documento foi lido pelo seu secretário, arcebispo Georg Ganswein.

E é brilhante, como costuma ser o que fala e escreve o Papa emérito Bento XVI.

Não vou nem traduzir para não prejudicar o texto. Vou colocar aqui no original. Leiam, se não entenderem usem o Google Translate.

Retired pope says interreligious dialogue no substitute for mission

BY  FRANCIS X. ROCCA, CATHOLIC NEWS SERVICE
VATICAN CITY - Retired Pope Benedict XVI said dialogue with other religions is no substitute for spreading the Gospel to non-Christian cultures, and warned against relativistic ideas of religious truth as "lethal to faith." He also said the true motivation for missionary work is not to increase the church's size but to share the joy of knowing Christ.
The retired pope's words appeared in written remarks to faculty members and students at Rome's Pontifical Urbanian University, which belongs to the Congregation for the Evangelization of Peoples. Archbishop Georg Ganswein, prefect of the papal household and personal secretary to retired Pope Benedict, read the 1,800-word message aloud Oct. 21, at a ceremony dedicating the university's renovated main lecture hall to the retired pope.
The speech is one of a handful of public statements, including an interview and a published letter to a journalist, that Pope Benedict has made since he retired in February 2013.
"The risen Lord instructed his apostles, and through them his disciples in all ages, to take his word to the ends of the earth and to make disciples of all people," retired Pope Benedict wrote. "'But does that still apply?' many inside and outside the church ask themselves today. 'Is mission still something for today? Would it not be more appropriate to meet in dialogue among religions and serve together the cause of world peace?' The counter-question is: 'Can dialogue substitute for mission?'
"In fact, many today think religions should respect each other and, in their dialogue, become a common force for peace. According to this way of thinking, it is usually taken for granted that different religions are variants of one and the same reality," the retired pope wrote. "The question of truth, that which originally motivated Christians more than any other, is here put inside parentheses. It is assumed that the authentic truth about God is in the last analysis unreachable and that at best one can represent the ineffable with a variety of symbols. This renunciation of truth seems realistic and useful for peace among religions in the world.
"It is nevertheless lethal to faith. In fact, faith loses its binding character and its seriousness, everything is reduced to interchangeable symbols, capable of referring only distantly to the inaccessible mystery of the divine," he wrote.
Pope Benedict wrote that some religions, particularly "tribal religions," are "waiting for the encounter with Jesus Christ," but that this "encounter is always reciprocal. Christ is waiting for their history, their wisdom, their vision of the things." This encounter can also give new life to Christianity, which has grown tired in its historical heartlands, he wrote.
"We proclaim Jesus Christ not to procure as many members as possible for our community, and still less in order to gain power," the retired pope wrote. "We speak of him because we feel the duty to transmit that joy which has been given to us."

---

Essa frase de que o encontro com Cristo é recíproco é simplesmente sensacional. Cristo quer que conheçamos sua história, sua sabedoria.

Como qualquer discurso do Papa Bento XVI, este também me dá muito orgulho de ser católico, pois honra nossos santos, tantos que morreram e continuam morrendo sendo missionários da fé.


(Agradeço o texto do Papa Bento XVI ao site Pewsitter)

4 comentários:

Anônimo disse...

Caro Pedro Erik!

Obrigado!

A leitura dos teus blogs muito tem aumentado o meu conhecimento e, mais importante, a minha fé.

Que o Senhor permaneça contigo na sequencia destes dois belos trabalhos.

Obrigado novamente.

Jonas

Pedro Erik disse...

Amém, meu amigo Jonas.
Que Nossa Senhora abençoe você e sua família.
Muito obrigado.
Abraço
Pedro Erik

Duddu Pontes disse...

Jesus amado! Incrível como tudo que sai da cabeça de Bento XVI é de uma sabedoria inigualável, ainda mais quando se trata de assuntos relacionados à doutrina da Igreja!

Sensacional, Pedro! Obrigado por compartilhar! Seu blog é uma ferramenta evangelizadora maravilhosa!

Abraço.

PS - No último sábado, dia 18, aconteceu o 7º Evangelizar é Preciso - Fortaleza, no aterro da Praia de Iracema. 1 milhão e 800 mil pessoas reunidas para uma celebração eucarística presidida pelo Arcebispo Dom José Antônio e concelebrada por vários sacerdotes, seguida de benção com o Santíssimo e show de animação com o Padre Reginaldo Manzotti! SENSACIONAL! Desde o 4º evento que vou com minha mãe(que já ia antes). O Pe. Manzotti mudou minha experiência com Deus num momento muito delicado de minha vida, em 2011. Desde então acompanho o ministério dele. É uma benção. Abraço, amigo.

Pedro Erik disse...

Obrigado, caríssimo Duddu.
Ótimo saber que Fortaleza reza e valoriza a evangelização.
Grandes padres.
Espero que meu blog continue honrando leitores tão especiais e adoradores da verdade em Cristo.
Abraço,
Pedro Erik