terça-feira, 14 de outubro de 2014

Parece que Não Existe Pecado nem do lado de Baixo, nem do lado de Cima do Equador


Parece que Ney Matogrosso e Chico Buarque (autor da música) convenceram a Igreja Católica. A Igreja não quer falar mais de pecado.  Foi a sensação que tive ao ler o documento prévio do sínodo da família, divulgado ontem.

Até católicos que se autodenominam conservadores, como este aqui, acham que Ney Matogrosso tem razão.

Não estou brincando, durante o sínodo os membros do clero trataram de afastar qualquer menção que homossexualismo e adultério seria pecado. Diz o texto do site Life News (traduzo azul)

Falando na conferência de imprensa do Vaticano desta tarde no Sínodo o porta-voz, Dom Thomas Rosica, observou que tem havido muita discussão sobre a linguagem em deliberações do Sínodo. 

Padre Rosica explicou o que ele acredita ser "uma das intervenções mais marcantes" do dia, lembrando que de acordo com o apresentador linguagens, como" viver em pecado ","intrinsecamente desordenados ", ou "mentalidade contraceptiva " não são necessariamente as palavras que convidam as pessoas a se aproximar de Cristo e da Igreja. "

"Há um grande desejo de que a nossa língua tem de mudar, a fim de atender às situações concretas", acrescentou. 

A linguagem do Catecismo da Igreja Católica relativa à homossexualidade tem sido um ponto de críticas inflamadas por parte de certas facções na Igreja. 

O Catecismo afirma: "Apoiando-se na Sagrada Escritura, que apresenta os atos homossexuais como atos de depravações graves, a tradição sempre declarou que "os atos homossexuais são intrinsecamente desordenados ". 

O Catecismo também declara que contracepção artificial é "intrinsecamente mau" e critica fortemente a coabitação antes do casamento.

---
O próprio Papa Francisco declarou que "toda lei que não leve a Cristo é obsoleta".

No passado, esse tipo de afirmação era entendida como uma crítica às leis seculares, mas com o Papa Francisco isto é entendido como uma crítica à lei canônica da Igreja. Tristemente.

E o que diz o documento, celebrado na imprensa brasileira como "uma aproximação da Igreja aos gays"?

Muita gente, graças a Deus, entendeu como eu que o documento é terrível, péssimo. Como:

1) Voice of the Family, defensores da família e vida, que chamaram o documento de uma traição. O diretor do Voice of Family disse (traduzo em azul):

"Aqueles que estão controlando o Sínodo traíram os pais católicos em todo o mundo. Acreditamos que o relatório "meio caminho" do Sínodo é um dos piores documentos oficiais elaborados na história da Igreja.

"Felizmente, o relatório é um relatório preliminar para discussão, em vez de uma proposta definitiva. É essencial que as vozes dos fiéis leigos que sinceramente viver os ensinamentos católicos também são levados em conta. Famílias católicas estão aderindo ao ensinamento de Cristo sobre o matrimônio e da castidade por suas pontas dos dedos ".

2) Como o presidente da Conferência dos Bispos da Polônia, que chamou o documento de inaceitável, que se distancia dos ensinamentos de João Paulo II.

3) Como tantos blogs católicos, como o Creative Minority Report, que disse que o documento lembra alguém segurando um para-raio em campo aberto pedindo para Deus jogar um raio.

4) Ou o site The American Catholic e muitos outros que dizem que a Igreja Católica agora virou a Igreja Episcopal, que aceita gays como padres, etc.

E o que diz o documento?

Muita gente fez análise dele e viu os deslizes teológicos e doutrinários.

Um site que analisou parágrafo a parágrafo foi o Blog dos Católicos de Dallas.

Ele mostra coisas como, com o documento em preto e a crítica em vermelho:

Homosexuals have gifts and qualities to offer to the Christian community: are we capable of welcoming these people, guaranteeing to them a fraternal space in our communities? Often they wish to encounter a Church that offers them a welcoming home. Are our communities capable of providing that, accepting and valuing their sexual orientation, without compromising Catholic doctrine on the family and matrimony?  [This is so utterly contrary to the Gospel and ALL the Fathers that it is simply staggering]

The question of homosexuality leads to a serious reflection on how to elaborate realistic paths of affective growth and human and evangelical maturity integrating the sexual dimension: it appears therefore as an important educative challenge.  [Yes, but the Church has utterly failed at catechesis at ALL levels going back decades.  Now it's suddenly going to get better?]  

In the same way the situation of the divorced who have remarried demands a careful discernment and an accompaniment full of respect, avoiding any language or behavior that might make them feel discriminated against.  [Many sinners feel discriminated against. It is a fundamental aspect of our fallen natures to seek justification for our sin, and it appears these men mean to provide adulterer's with manifold justifications]  
For the Christian community looking after them is not a weakening of its faith and its testimony to the indissolubility of marriage, but rather it expresses precisely its charity in its caring.  [Nothing but a naked assertion, completely unsupported by Scripture, Tradition, or even reason.  In other words, whoever wrote this is saying "it is so because I say it is so," and nothing else.]
As regards the possibility of partaking of the sacraments of Penance  [THIS IS BULL!  There is nothing, at all, that stops anyone at anytime from partaking of the Sacrament of Penance.  That doesn't mean absolution is guaranteed, you have to show contrition and amendment, but the Sacrament is always available to anyone at anytime - provided they can find a parish that offers it more than one half hour a week.] 

---
Eu não preciso acrescentar nada ao que disse o autor do Blog de Dallas ou ao que disse o Voice of the Family ou ao que falou o presidente da conferência dos bispos da Polônia. Leiam todos. São excelentes.

Por fim, uma nota de otimismo que vem do especialista em lei canônica, Edward Peters, no texto Keep Calm and Canon On.

Confiemos na Lei Divina, apesar do Papa Francisco.



(Agradeço o texto da Life News ao site The American Catholic e o texto do Blog de Dallas, do Voice of the Family e do Presidente dos Bispos da Polônia ao site PewSitter)

11 comentários:

Anônimo disse...

Bom dia!
Ontem foi um dia terrivel. Nunca esperaria ver bispos defendendo o que Sao Paulo claramente condenou. Esta chegando a hora de seguir estritamente o que o Apostolo ensinou - eh preciso obedecer antes a Deus que aos homens.
Que Nossa Senhora nos de força nesse momento de obscurecimento da verdadeira Fe.
Gustavo.
(desculpe os erros de digitaçao - teclado desconfigurado)

Pedro Erik disse...

É verdade, Gustavo. O pior é ver até católicos ditos conservadores caindo. Acho que nesta semana vou falar de um livro que esta prestes a sair de um filósofo católico que falou de como os católicos aderiram ao nazismo.

Rezemos pela Igreja.

Abraço,
Pedro Erik

Eduardo Araújo disse...

Caríssimo Pedro,

Enquanto isso, a imprensa nojenta, safada, impregnada de ódio anticristão se aproveita tal como um bando de hienas diante de uma carcaça.

Aqui em Fortaleza, onde resido, um jornal de grande circulação estampou na primeira página, exatamente com essas letras, que "A Igreja Católica vê com benevolência as uniões homossexuais". Considere, então, que muita gente só lê a manchete ...

Abraço
Eduardo

Pedro Erik disse...

Realmente, Eduardo, o jornal de Fortaleza foi mais longe do que o documento. Mas como disse Paulo VI, o diabo so precisa de uma fresta e a Igreja estah abrindo.

Rezemos.

Abraco,
Pedro Erik

Nik disse...

Muitos vão se virar para emendar os farrapos em louca correria. Não vão sanar as contradições entre Igreja, Revelação, Tradição, Magistério e esta carta, na verdade vão pavimentar o caminho aberto para os que virão depois. Assim age, penso eu, Mark Shea no artigo abaixo, elogiado pelo jovem Brandon Vogt. Confuso!
Ocorre que isso sequer deveria estar sendo discutido, escrito, pensado. Esse é o caminho das Igrejas Anglicanas, dêem um Google e vejam os problemas advindo da nova doutrina.
O que nos choca, agride e ofende até são as palavras chocantes, enviesadas, não só o tema que todos sabem muito bem qual é e onde vai terminar.

Da mesma forma que a declaração "quem sou eu para julgar" produziu SIM consequências imediatas, graves, esta simples carta então, estampada em todos os jornais do mundo que cliquei ontem, terá graves consequências a partir de hoje.

Muito triste isso, muito triste.

http://www.patheos.com/blogs/markshea/2014/10/mercy-for-heterosexuals-everybody-is-fine.html

Recomendo o artigo a seguir, dicas ao Santo Padre sobre o sínodo, de um simples Pároco, antes da publicação desta famigerada carta.

http://www.crisismagazine.com/2014/advice-for-the-pope

Pedro Erik disse...

Caríssimo Nik,

Deixei de ser leitor de Mark Shea há algum tempo. Certa vez debati com ele sobre tortura e guerra justa, e ele foi muito agressivo comigo. Ele é conhecido por ser agressivo com leitores. Até já pediu desculpas disso. Durante o pontificado do Papa Francisco, ele tem tentado esconder todo e qualquer problema do papa. Então, resolvi deixar de seguir o blog dele.

Sobre Vogt, é um ótimo defensor da fé católica para quem é leigo, mas ele não costuma frequentar debates de alto nível e é próximo de Shea. Mas continuo acompanhando o blog dele. Sempre tem boas dicas de leitura.

Vou ler o texto da Crisis Magazine que você enviou.

Muito obrigado.

E rezemos pela Igreja.

Abraço,
Pedro Erik

Nik disse...

Não poderia concordar mais contigo, Pedro.

Sobre o Brandon, acho que foi por você que soube do e-book dele com os livros favoritos de alguns santos. Descobri um maravilhoso, segundo ele, o predileto de Madre Teresa, que é Vida de Cristo do Fulton Sheen, que hoje só existe no prelo em Portugal. Como ávido leitor de Sheen, achei aqui no Brasil mesmo, preço justo, recomendo a todos, obra belíssima.

Pedro Erik disse...

Eu falei sim aqui, Nik, do e-book sobre os livros favoritos dos santos. Muito bom saber que o blog tem elevado espiritualmente você e levado a se aproximar mais de nossa amada (e sofredora) Igreja.

Brandon realmente tem sempre ótimas dicas. Eu por exemplo comprei a coleção Catholicism do padre Robert Barron, depois dele recomendar. Eu falei desta coleção no blog. Recomendo fortemente esta linda coleção, para quem consegue ler inglês (pode usar a legenda).

Padre Barron também anda meio silencioso sobre o Papa Francisco. Ele defendeu o cardeal Dolan para Papa no último conclave. Atualmente, no entanto, Dolan tem cometido graves erros, e está em baixa. Barron não toca no assunto.

Eu costumo achar que Shea, Vogt e Barron são um grupo, sendo que Shea é impossível de ler, por ser muito irritante e confuso. Acho que Vogt e Barron entendem o momento que passamos mas silenciam. Vogt e Barron são ótimos defensores da fé católica e sempre recomendam ótimos livros e filmes.

Abraço,
Pedro Erik

Anônimo disse...

Penso que Francisco sabe que não pode alterar a doutrina e por isso fica empurrando medidas pastorais contrárias à doutrina. Quanto a isso ele tem liberdade, pois isso já vem sendo feito desde muitas décadas. Na verdade ele, como Papa, faz o que muitos padres e bispos já faziam. O problema maior é que quando é o Papa que faz a doutrina está sendo descartada.

André

José Santiago Lima disse...

Amigo Pedro, não sei se já leu a entrevista do Cardeal Burke que acaba de ser publicada no Fratres? Segue o link:

http://fratresinunum.com/2014/10/15/a-fe-nao-se-decide-por-votos/

Creio não ser pecado pedir a Deus que o Cardeal Burke um dia seja Papa.

Pedro Erik disse...

Já li sim, caríssimo José.

Burke é simplesmente fantástico. Rezo por ele, pela saúde dele. Rezei que ele fosse papa, mas ele se mantendo ativo na defesa da Igreja, inspirado pelo Espírito Santo, já é muito importante.

Ele me dá orgulho de ser católico.

Grande abraço,
Pedro Erik