quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Fonte do Terrorismo: Dependência de Petróleo. A Resposta: Brasil


Eu já escrevi aqui sobre o documentário  Iranium, no qual se discute a ameaça nuclear vinda do Irã, dos diretores Micah Smith e Alex Traiman. Neste documentário, eles entrevistam diversos especialistas sobre o assunto. Ao que parece sobrou muito material, e os produtores do filme estão liberando alguns. Ontem, eles soltaram um importante depoimento de  Anne Korin, co-diretora do Institute for The Analysis of Global Security, sobre a relação entre dependência de petróleo mundial e terrorismo.

Vejam o vídeo abaixo que eles divulgaram (está em inglês), resumo o que ela disse depois.


video

Korin argumenta que:
1) Há uma ameaça comum ao mundo: dependência de petróleo;

2) Os recursos provenientes da venda de petróleo no Oriente Médio é a fonte de poder do terrorismo;

3) Com esses recursos, a Arábia Saudita alimenta o terrorismo sunita (al-Qaeda, Hamas e Irmandade Muçulmana)  e o Irã, o terrorismo xiita (Hezbollah);

4) Também com esses recursos,  o Irã consegue comprar o apoio da Índia e da China no Conselho de Segurança da ONU;

5) 78% da oferta de petróleo do mundo são prevenientes de membros da OPEP (bandeira acima), do qual fazem parte Arábia Saudita, Irã, Líbia e Venezuela;

6) Os países do cartel OPEP controlam a oferta de petróleo para que o preço do bem nunca baixe de um certo patamar;

7) Hoje o cartel produz menos do que há 37 anos atrás;

8) Não adianta a política conservadora do "drill, baby, drill" (produzir petróleo no próprio ocidente, para sair da dependência de países que financiam o terrorismo), nem a política de redução do consumo de energia dos esquerdistas, pois os países da OPEP respondem com redução da oferta de petróleo. Eles possuem a maior quantidade de reservas do produto;

9) A solução seria fazer com que o transporte mundial use mais de um combustível como faz o Brasil, com o etanol de cana-de-açúcar;

10) Mas não é apenas o etanol, é qualquer combustível que forneça ao usuário de veículos alternativas de energia.

Não há dúvida quanto a relação entre terrorismo e petróleo. Isso é mais do que óbvio. A Korin tem toda razão, deve-se atacar essa fonte de financiamento. A solução apresentada por ela é adequada, mas pode ser conjugada com o "drill, baby, drill" e também com a redução do consumo (por meio de melhor infraestrutura de transporte e melhores tecnologias).

Nenhum comentário: