segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Muita Gente Torce e Reza pelo Fim dos Estados Unidos


Hoje, leio na mídia americana que Louis Farrakhan (foto), líder do grupo islâmico Nação do Islã, disse que as revoltas no Egito, na Tunísia, e na Líbia chegarão aos Estados Unidos. Ele é mais um que torce pela destruição da cultura americana.

Nação do Islã é um grupo que mistura islamismo com crenças em discos voadores. O fundador da seita teria conduzido Farrakhan em um disco voador, chamado A Roda (The Wheel), e dito previsões sobre a humanidade. O grupo tem  base em Chicago, terra de Obama e muita gente diagnostica a proximidade do grupo com Obama. Durante a campanha, Obama recebeu apoio de Farrakhan, que chegou a chamar Obama de Messias, mas Obama rejeitou o apoio e se distanciou do discurso dele, porque isso prejudicaria sua campanha. Farrakhan costuma condenar os Estados Unidos pelas guerras no mundo e dizer que o governo americano quer o genocídio dos negros.

Interessante é que o discurso de Farrakhan receberia aplausos de muitos líderes mundiais, como Castro, Chavéz, Ahmadinejad, Kaddafi, e muita gente da ONU, para citar os mais belicosos. Mas há muitas pessoas no Brasil que apoiariam o discurso da Nação do Islã. O ótimo jornalista Augusto Nunces escreveu no seu blog ontem sobre a relação do Brasil com os Estados Unidos e como o governo Lula fez com que "o País do Carnaval não só entra sempre com o problema como, entre um socorro e outro, debita na conta de quem o socorreu (Estados Unidos) todos os males e pecados do mundo".

Os Estados Unidos são o inimigo da imaginação de muitos ditadores  e esquerdistas e justificativa para todos os males. Basta ler qualquer discurso de Castro para ver isso.

Acabei de ler um livro sobre Inquisição de Edward Peters. O livro é muito técnico, o que torna sua leitura um pouco difícil, mas é muito completo na descrição do mito e da história da Inquisição. Recomendo-o fortemente. Neste livro, o autor chama atenção de como foi importante a visão do imperialismo espanhol para estabelecer o mito da Inquisição. No século XV e XVI, a Espanha era a maior potência do mundo, e sua devoção religiosa era odiada. A Inquisição ou as inquisições (como gosta Peters) que lá foi estabelecida foi usada como ferramenta para odiar ainda mais a Espanha e estabelecer que a religião católica era inimiga da ciência. Esquecendo-se de toda a ciência criada na Idade Média.

O uso do país mais poderoso como culpa de todos os males, então, não é novidade nenhuma na história da humanidade.

Além disso, como a Espanha sofreu anteriormente, hoje, todos adoram falar que os Estados Unidos são muito apegados a religião quando tratam de política. Eles levam os debates morais para a política, que supostamente não seria adequado. Na campanha política brasileira, vi muitos jornalistas querendo afastar o debate sobre aborto da campanha presidencial, muitos dizendo que isso era coisa dos americanos. Isso ocorre não só no Brasil, na Europa, toda vez que há eleição, os jornais e os políticos sempre evitam questões morais. Nas eleições passadas no Reino Unido, vi como os candidatos fugiam de questões morais como o diabo foge da cruz. Todos com receio de tercer qualquer opinião religiosa ou moral.

Neste particular, eu dou graças a Deus pelos americanos, eles sabem que as questões morais são tão ou mais importantes que as questões do dia a dia.

2 comentários:

Anônimo disse...

Caro Erik,parabéns pelo seu blog!

Sobre livros esclarecedores sobre a Santa Inquisição,indico-lhe,caso não tenha lido ainda,o excelente trabalho de pesquisa historiográfica empreendidada por João Bernardino Gonsaga,o qual resultou num livro " A Inquisição em seu mundo",a qual está disponível,via PDF,aqui:
http://search.4shared.com/q/1/Jo%C3%A3o%20Bernardino%20Gonzaga

Quanto a vídeos-documentários,sugiro "Inquisição - a história não contada ",disponível aqui:

http://www.youtube.com/watch?v=KPE1xwggBp8&feature=related


Um abraço!


Almirante Kirk

Pedro Erik disse...

Muito obrigado, Almirante Kirk, pelo seu comentário e suas congratulações.

Considero o assunto inquisição bem complexo, acho que envolve todas as variáveis humanas (política, economia, religião, etc.). Por isso, tendo a achar que quem se aventura no tema, se não for picareta, deve se dedicar muito, como acho que o Peters entregou toda a sua carreira para identificar o mito e a história da inquisição.

Vou ver suas indicações, muito obrigado.

Abraço,
Pedro Erik