sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Hollywood (artistas da Globo) e a Realidade

-



Os artistas da Globo estão nas ruas contra a Usina de Belo Monte (foto acima), artistas de Hollywood estão nas ruas do lado dos Ocupantes de Wall Street (foto acima de Anne Hathaway). Já falei aqui destes ocupantes várias vezes (aqui, aqui e aqui).

Com isso me lembrei de um vídeo muito bom de Andrew Klavan no qual ele mostra que o que os artistas de cinema e televisão sabem geralmente é uma completa fantasia, pois eles aprendem na própria televisão e cinema e não nos livros.

Abaixo, vai o vídeo de Klavan com tradução em azul.


Aqui é Andrew Klavan no Cultura. Conservadores me perguntam o que é cultura. Cultura é onde fatos da vida são transformados em um encantada fantasia, nos filmes, shows de tv, romances e mesmo programas de comédia. Vou mostra alguns exemplos.

Na realidade, o presidente John Kennedy administrou cortando impostos, aumentou o contingente militar no Vietnã em três vezes, e se levantou contra a União Soviética quando ela quis instalar armas nucleares em Cuba. Ele foi assassinado por Lee Harvey Oswald que era um extremista da esquerda, que tinha desertado para a União Soviética.

Mas no filme JFK de Oliver Stone, Kennedy foi um pacífico presidente que pensou em sair do Vietnã e foi assassinado por um extremista de direita.

Outro exemplo, na realidade Terri Schiavo foi uma mulher com acidente vascular cerebral mantida por aparelhos. O marido pediu a morte a dela, enquanto os pais,  grupos a favor da vida e evangélicos lutaram para mantê-la viva.  Mas no episódio do programa de tv Law and Order, uma personagem tinha o mesmo problema e o marido pediu que fosse desligado os aparelhos que a mantinham viva, até que evangélicos mataram o marido. 

Na realidade, evangélicos lutam pela vida, na cultura, eles matam.

Mais um exemplo, estudos comprovam que sociedades primitivas são muito mais agressivas que as sociedades civilizadas. Eles não tinham nenhum apreço pela mulher ou pelas crianças, e qualquer doença simples podia ser devastadora. Mas em filmes como Dançando com Lobos, Pocahontas e Avatar, as sociedaes primitivas são pacíficas, as mulheres são tratadas com respeito, e as formas de cura são mais eficazes que as medicinas modernas. As sociedades civilizadas são apresentadas como muito mais agressivas.

Na realidade, são civilização, capitalismo, democracia e tecnologia que nos dão maior igualdade, felicidade, saúde.

Nos filmes o exército americano são sempre o mal, as donas de casa estão sempre desesperadas contra os maridos, as empresas são sempre corruptas e a pobreza é sempre culpa da ganância dos ricos.

O Pior é que não são apenas os artistas que aprendem história pela TV e cinema. Até juízes de Suprema Corte tem como uma concepção Avatar da vida, basta ver a decisão no Brasil do caso dos índios da Reserva Raposa Serra do Sol.


(Agradeço o vídeo do Klavan ao blog American Catholic)

4 comentários:

Eduardo R. V. disse...

Qual seria a realidade sobre Belo Monte? Há erro nas informações do período de seca?

Hoje estou por fora dos blogs que tratavam desse assunto.

--
E, real ou não, Dança com Lobos é um bom filme. ^^!

Pedro Erik disse...

Caro Eduardo,

Ambientalistas do tipo de artistas tendem a achar que o paraíso é vida de índio, mesmo eles morando em São Paulo e não na selva. Tem estudiosos que chamam isso de "lamenting eden" (saudades do paraíso).

Estes ambientalistas esquecem que é o homem em paz, com vida saudável e suprindo suas necessidades básicas que melhora o meio ambioente (veja o que diz a Kuznets curve). O homem na selva não é bom nem para o homem, nem para o meio ambiente. A história de índio ambientalista é uma fantasia que serve para oprimir mais os próprios índios. Mantê-los sujos, mal educados, matando crianças e com fome e frio.

Quanto a Dança com Lobos, eu não gostei pelas mesmas razões do Klavan, mas acho que se pode gostar sim deste filme sem nenhum problema, se a pessoa sabe que aquela idéia idílica dos índios é uma bobagem.

Mas não se pode gostar de Avatar. Há mortes de soldados americanos, enquanto aquelas coisas da selva são mostradas como a única coisa que presta.

Abraço,
Pedro Erik

Eduardo R. V. disse...

Li parte do Guia Politicamente Incorreto da História do Brasil e ele falava que os índios queimavam indiscriminadamente as matas. Não li todo o livro. Apesar de viver numa cidade fundada por índios, conheço muito pouco esses povos.

Bem, se Belo Monte não pode, aponte outra alternativa. Certo? Um amigo meu reclamou disso. Que se os brasileiros ficassem uma semana no escuro, sem energia, Internet, banho quente, eles mudariam de opinião.

Eu, particularmente não gosto da energia nuclear.

--
Dança com Lobos é uma estória bacana. Não vi Avatar.

Pedro Erik disse...

Concordo com sue amigo.

Energia nuclear eh bem segura, Eduardo, apesar do desastre que ocorreu no Japao, alem disso os efeitos nos seres humanos dos poucos vazamentos que ocorreram sao muito exagerados pela imprensa. Mesmo em Chernobyl os efeitos do desastre foram bem modestos. Uma boa pesquisa farah vc ver isso.

Abraco,
Pedro Erik