quinta-feira, 10 de maio de 2012

Obama, Gays e Deus como um Monstro Moral

-

Ontem, Obama mudou de idéia e disse que apóia o casamento gay, daí pediu dinheiro por isso e ainda tentou uma justificativa teológica. Na justificativa, eu me lembrei de um livro que estou lendo (foto acima). O título do livro é "Is God a Moral Monster?" (Será Deus um Monstro Moral?), do professor de filosofia Paul Copan.

Vou começar pela parte de Obama pedir dinheiro aos gays e aos que apóiam o casamento gay, depois que ele anunciou que apoiava casamento entre homossexuais.

Nos Estados Unidos, é muito comum se receber emails dos candidatos pedindo doações para campanha e Obama não perdeu tempo, ontem mesmo enviou email pedindo dinheito pela causa dos gays. Aqui vai o email que ele enviou. (traduzo em azul)

From: Barack Obama
Subject: Marriage
Date: May 9, 2012 8:04:43 PM EDT
Drew —
Today, I was asked a direct question and gave a direct answer:
I believe that same-sex couples should be allowed to marry.
I hope you’ll take a moment to watch the conversation, consider it, and weigh in yourself on behalf of marriage equality:
http://my.barackobama.com/Marriage
I’ve always believed that gay and lesbian Americans should be treated fairly and equally. I was reluctant to use the term marriage because of the very powerful traditions it evokes. And I thought civil union laws that conferred legal rights upon gay and lesbian couples were a solution.
But over the course of several years I’ve talked to friends and family about this. I’ve thought about members of my staff in long-term, committed, same-sex relationships who are raising kids together. Through our efforts to end the “Don’t Ask, Don’t Tell” policy, I’ve gotten to know some of the gay and lesbian troops who are serving our country with honor and distinction.
What I’ve come to realize is that for loving, same-sex couples, the denial of marriage equality means that, in their eyes and the eyes of their children, they are still considered less than full citizens.
Even at my own dinner table, when I look at Sasha and Malia, who have friends whose parents are same-sex couples, I know it wouldn’t dawn on them that their friends’ parents should be treated differently.
So I decided it was time to affirm my personal belief that same-sex couples should be allowed to marry.
I respect the beliefs of others, and the right of religious institutions to act in accordance with their own doctrines. But I believe that in the eyes of the law, all Americans should be treated equally. And where states enact same-sex marriage, no federal act should invalidate them.
If you agree, you can stand up with me here. [goes to campaign fundraising page]
Thank you,
Barack
(De: Barack Obama
    Assunto: Casamento
    Data: 09 de maio de 2012 20:04:43 EDT
    Drew -
    Hoje, me pediram uma pergunta direta e deu uma resposta direta:
    Eu acredito que casais do mesmo sexo devem ser autorizados a casar.
    Espero que você tome um momento para assistir a conversa, considerá-la, e pesam em si mesmo em nome da igualdade no casamento:
    http://my.barackobama.com/Marriage
    Eu sempre acreditei que os americanos gays e lésbicas devem ser tratados de forma justa e igual. Eu estava relutante em usar o termo casamento por causa das tradições muito fortes que ela evoca. E eu pensei que as leis de união civil que confere direitos legais sobre os casais de gays e lésbicas eram uma solução.
    Mas ao longo de vários anos eu falei com amigos e família sobre isso. Eu tenho pensado sobre os membros da minha equipe em longo prazo, comprometidos, pessoas do mesmo sexo que estão criando filhos juntos. Através de nossos esforços para acabar com o "Não Pergunte, Não Diga" política, eu comecei a conhecer alguns dos soldados gays e lésbicas que estão servindo nosso país com honra e distinção.
    O que eu tenho vindo a perceber é que para amar, casais do mesmo sexo, a negação da igualdade no casamento significa que, em seus olhos e os olhos de seus filhos, eles ainda não são considerados cidadãos plenos.
    Mesmo na minha mesa de jantar própria, quando eu olhar para Sasha e Malia, que têm amigos cujos pais são casais do mesmo sexo, eu sei que não iria amanhecer com eles que os pais de seus amigos devem ser tratados de forma diferente.
    Então eu decidi que era hora de afirmar a minha crença pessoal que casais do mesmo sexo devem ser autorizados a casar.
    Eu respeito as crenças dos outros, eo direito das instituições religiosas para agir de acordo com suas próprias doutrinas. Mas acredito que, aos olhos da lei, todos os americanos devem ser tratados igualmente. E onde os estados promulgar o casamento homossexual, nenhum ato federal deveria invalidá-los.
    Se você concordar, você ficar do meu lado clicando aqui. [Vai para a página de angariação de fundos da campanha]
    Obrigado,
    
Barack)


Os gays sempre estiveram na base de apoio do partido do Obama (Partido Democrata), mas o partido nunca defendeu em bloco o casamento gay, muito menos um presidente da república do partido. Obama sempre disse que era contra o casamento gay, como mostra o vídeo abaixo da CNN.



Apesar de sempre se dizer contra, na verdade todo mundo sabia que ele era a favor do casamento gay pelas posições que tomava, ele apenas "saiu do armário" ontem. Obama tinha retirado o apoio do governo ao casamento tradicional, eliminou uma legislação elaborada pelo governo de outro democrata (Bill Clinton) chamada "Don't ask, don't tell" que inibia a presença de manifestações gays nas forças armadas, e sempre atacou decisões populares contra o casamento gay. Obama resolveu mudar de idéia, porque foi pressionado por uma declaração do vice-presidente, aí todos os jornalistas começaram a tentar saber qual era real posição do Obama (isto só já mostra que os jornalistas não confiavam nas declarações anteriores do Obama).

Além disso, tem gente provando que Obama era a favor do casamento gay, antes de ser contra e ser a favor de novo

Com relação a justificativa, Obama uosu a idéia da "Regra de Ouro": "faça aos outros apenas aquilo que gostaria que fizessem com você". Para Obama, a Regra de Ouro supera qualquer preceito religioso.

O que é uma estupidez tremenda, e foi por isso que me lembrei do livro de Paul Copan.

No livro, Copan está tratando do Deus do Velho Testamento que supostamente seria cruel e violento. Ele não está tratando de homossexualismo ou da "Regra de Ouro". É um livro muito interessante e recomendo a leitura, mas o assunto é muito complexo e exige muito conhecimento bíblico (eu próprio, por vezes me sinto incapaz de entender toda a argumentação).

Eu lembrei do livro de Copan, porque Copan mostra que as leis que Moisés recebeu de Deus não eram as leis ideais, nem eram para ficar para sempre, na verdade Deus e os profetas, na Bíblia, dizem várias vezes que estas leis teriam que ser avançadas para atingir a lei máxima, o que para os Cristãos, é a vinda do Deus incarnado, Jesus Cristo.

No entanto, Copan lembra que as leis de Moisés eram muito superiores as leis do seu tempo e isto por si só demonstra a presença de Deus. Além disso, na Bíblia, as leis vão avançando especialmente na direção de proteger cada vez mais os escravos e as mulheres. Há apenas um tipo de pessoa que a lei judia-cristã não avança para proteger, os homossexuais. A Bíblia consistentemente condena os atos homossexuais, do Velho ao Novo Testamento.

Então, será Deus um monstro moral ao condenar os homosseuxais? Será melhor usar a Regra de Ouro, como faz Obama?

A resposta para as duas perguntas é um sonoro NÃO. Com relação à segunda pergunta, basta usar a lógica. Se a Regra de Ouro é válida sempre, ao contrário dos mandamentos divinos, não poderíamos condenar ninguém, nem um assassino, pedófilo, ou genocida, pois eu não quero ser preso, passar minha vida inteira na prisão ou morto, então eu não condeno ele. É o fim da justiça.

Além disso, voltando a Cristo, Ele ressaltou seus mandamentos: "Se Me amais, obedecereis aos meus mandamentos." (João 14:15)



(Tive como fontes para o email de Obama, o vídeo da CNN, as políticas contra o casamento de Obama e as diversas posições de Obama os sites Weasel Zippers, Vivificat e American Catholic)

2 comentários:

FireHead disse...

Acho é piada aos gays que dizem ser católicos e também àquelas organizações "cristãs" de homossexuais...

Pedro Erik disse...

É verdade, Firehead.

Esqueci de mencionar no texto, mas o vice-presidente dos Estados Unidos, que falou a favor do casamento gay e assim pressionou o Obama, se diz Católico. Mas como os americanos dizem é apenas um "CINO" (Catholic in Name only - Católico só no nome).

abraço,
Pedro Erik