sábado, 21 de março de 2020

Linha do Tempo, a Situação Atual do Vírus na China e a Corrupção da OMS.


Finalmente hoje eu vi uma linha tempo sobre a pandemia do vírus chinês desde os primeiros sinais que ocorreram em 17 de novembro de 2019,  sendo que a China avisou ao mundo no dia 31 de dezembro e o próprio país só agiu mais seriamente para conter a doença no dia 23 de janeiro. A linha do tempo também mostra as tentativas das autoridades chinesas de esconder a doença, além do habitual controle da internet.

Tem também a corrupção da Organização Mundial de Saúde (OMS) com a China. A OMS ficou do lado da ditadura chinesa e assim colaborou para que o vírus chinês se espalhasse pelo mundo (mostro um vídeo sobre o assunto).

Muitos dizem que a epidemia já acabou na China, informações obtidas fora da rede oficial mostram que isso não é verdade.

Vamos primeiro para a linha do tempo que foi divulgada pelo Daily Wire:

17 de novembro de 2019: O primeiro caso de alguém que sofre de COVID-19 ocorre em Wuhan, segundo o South China Morning Post.

10 de dezembro: Wei Guixian, vendeu mercadorias no mercado úmido de Wuhan, supostamente começou a se sentir doente neste dia. Felizmente, ela foi liberada do hospital em janeiro, informou o Wall Street Journal.

27 de dezembro: Zhang Jixian, médico do Hospital Provincial de Hubei de Medicina Chinesa e Ocidental, soa o alarme sobre uma nova doença que já afetou 180 pacientes, informou o Morning Post.

26-30 de dezembro: A primeira evidência do novo vírus é revelada através de dados de pacientes de Wuhan, que foram enviados a várias empresas de genoma chinesas, informou a Caixin Global.

A comissão de saúde de Hubei ordena que uma empresa de genoma pare de testar o novo vírus e destrua todas as amostras, de acordo com uma fonte anônima da Caixin Global.

31 de dezembro: Mais de um mês após o primeiro incidente do COVID-19, autoridades chinesas alertam a Representação da China na Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre pneumonia com causa desconhecida que afeta pessoas em Wuhan, informou a Caixin Global.

As autoridades chinesas da Internet começaram a censurar termos relacionados ao vírus nas mídias sociais, incluindo "Wuhan Unknown Pneumonia", "SARS Variation", "Wuhan Seafood Market" e qualquer coisa crítica à resposta do governo à doença, informou o Citizen Lab.

1º de janeiro: Oito médicos, incluindo o Dr. Li Wenliang, são detidos e interrogados pelo governo chinês, que os condena por "fazer declarações falsas na Internet", informou a CNN. Li é forçado a escrever uma carta dizendo que seus avisos "tiveram um impacto negativo", informou o Journal.

A Caixin Global informou que a comissão de saúde de Hubei ordenou que as empresas de genoma parassem de testar o vírus e destruíssem amostras, confirmando seu relatório anterior.

O mercado de frutos do mar de Wuhan, onde o vírus supostamente estourou pela primeira vez foi finalmente fechado, embora seja então "desinfetado" sem esfregar as gaiolas de animais individuais ou tirar sangue dos trabalhadores, o que significa que a evidência do que pode ter sido a fonte do vírus foi destruído, informou o Times.

3 de janeiro: a Comissão Nacional de Saúde da China emitiu uma ordem de mordaça e ordenou que amostras de pneumonia fossem transferidas para instalações de teste designadas ou destruídas. A Comissão também ordena às instituições que não publiquem nenhuma informação sobre a doença ainda desconhecida, informou a Caixin Global.

5 de janeiro: o professor Zhang Yongzhen, do Centro Clínico de Saúde Pública de Xangai, forneceu a sequência genômica do vírus às autoridades chinesas. No mesmo dia, a Comissão Municipal de Saúde de Wuhan parou de lançar atualizações diárias sobre novos casos, informou o Journal.

9 de janeiro: A OMS divulgou uma declaração sobre o conjunto de casos de pneumonia em Wuhan, sugerindo que os casos apontam o coronavírus como o possível patógeno causador dos problemas. O comunicado também disse que a China descartou SARS, MERS, influenza, gripe aviária e outros patógenos comuns.

10 de janeiro: Wang Guangfa, um importante especialista do governo da República Popular da China, disse à emissora estatal China Central Television que o surto de pneumonia estava "sob controle" e subestimou o vírus como uma "condição leve", informou o Times.

11 de janeiro: Como o governo chinês não tomou nenhuma providência quanto à sequência genômica de Yongzhen, ele publicou os dados on-line para ajudar o mundo a trabalhar nos métodos de teste, informou o Morning Post.

12 de janeiro: A Comissão Nacional de Saúde compartilhou as informações genômicas do vírus com a OMS pela primeira vez, informou a Caixin Global. Nesse mesmo dia, o laboratório de Youngzhen em Xangai está fechado para "retificação", informou o Morning Post.

14 de janeiro: A OMS disse que pode ter havido transmissão humano-a-humano do vírus, informou a Reuters. Também neste dia, a polícia chinesa à paisana começa a deter jornalistas que tentam denunciar o surto no Hospital Jinyintan de Wuhan. Os jornalistas são forçados a excluir todas as imagens capturadas e entregar seus telefones e câmeras para inspeção, reportaram o Business Insider e o Times.

15 de janeiro: Li Qun, chefe do centro de emergência dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças da China (CDC), afirma que o risco de transmissão de humano para humano é "baixo", informou o Journal.

17 de janeiro: Após 12 dias, a Comissão Municipal de Saúde de Wuhan começou a dar atualizações diárias sobre novos casos de coronavírus.

18 de janeiro: Apesar da presença do coronavírus, Wuhan realiza um banquete "potluck" para 40.000 famílias tentarem quebrar um recorde mundial, informou o New York Times.

20 de janeiro: O Dr. Zhong Nanshan, que ajudou a combater a SARS, diz em uma entrevista na TV que o coronavírus está se espalhando de pessoa para pessoa. Nanshan também disse mais tarde que se o governo chinês tivesse agido em dezembro ou no início de janeiro para conter o vírus, “o número de doentes teria sido bastante reduzido, informou o Journal.

No mesmo dia, o prefeito de Wuhan, Zhou Xianwang, disse que as regras de Pequim o impediram de divulgar informações sobre a ameaça do coronavírus, informou o Journal.

23 de janeiro: Wuhan está finalmente trancado, apesar de cerca de 5 milhões de pessoas já terem deixado a cidade sem serem rastreadas até aquele momento.

6 de fevereiro: O presidente da China, Xi Jinping, ordena que o órgão de vigilância da Internet do país controle ainda mais as plataformas de mídia social, informou o Morning Post. Nesse mesmo dia, o jornalista cidadão Chen Qiushi, que também era ex-advogado de direitos humanos, desapareceu em Wuhan depois de publicar imagens de hospitais superlotados e famílias em pânico, informou o Times.

7 de fevereiro: o Dr. Li Wenliang morre devido ao coronavírus, que contraiu de um paciente. Wenliang foi detido por acionar o alarme do vírus, informou o Journal.

9 de fevereiro: Outro jornalista chinês, Fang Bin, que também era empresário local, desapareceu depois de postar vídeos de Wuhan nas mídias sociais chinesas, informou o Times.

15 de fevereiro: O presidente Xi reforçou ainda mais o controle das discussões na Internet, informou a Agence Free-Presse. Nesse mesmo dia, o ativista Xu Zhiyong foi preso por um ensaio de 4 de fevereiro pedindo que Xi se demitisse por suprimir informações sobre o coronavírus. Xu está fugitivo há dois meses, informou a NPR.

16 de fevereiro: o professor Xu Zhangrun foi preso em casa e banido das mídias sociais e da Internet por publicar um ensaio afirmando que "a epidemia de coronavírus revelou o núcleo podre da governança chinesa", informou o The Guardian.

19 de fevereiro: Os repórteres do Journal tiveram suas credenciais de imprensa revogadas por Pequim devido à cobertura do surto de coronavírus, informou o Journal.

14 de março: Outro ativista, Ren Zhiqiang, desapareceu em Pequim depois de criticar a maneira como Xi reagiu ao coronavírus, informou o Times.

----

 A OMS ajudou à corrupção e assim colaborou para que o vírus chinês se espalhasse pelo mundo. Demorou muito a agir, sempre esperando apoio chinês.



---

E aí já acabou o problema do coronavírus na China?

Não.

Com o controle total das informações na China e a prisão de jornalistas que procuraram ser independentes, a coleta de informações é muito difícil. Temos que levar em conta também que muitos populares chineses procuram proteger a própria ditadura.

Mas aqui e acolá aparecem dados, leiam por exemplo:

1) Chineses dizem que a ditadura do país mente sobre recuperação da doença.;

2) Várias informações de como o COVID-19 continua se espalhando na China




6 comentários:

Anônimo disse...

O que o sr. acha desse artigo?

https://www.zerohedge.com/geopolitical/quarantine-tyranny-rebellion-where-line-sand

Pedro Erik disse...

Achei confuso e sem fundamento lógico, meu caro Anônimo(a). Cheio de falácia do espantalho.

Abraço,
Pedro Erik

Anônimo disse...

Obrigado pelo post.
Abraço!
Gustavo.

Unknown disse...

A China tem total controle das informações mas o NY Times e a CNN juram que tiveram acesso às informações da culpa chinesa no que tange ao Corona. Se já no dia 9/01/2020 a OMS falava de possível contaminação por uma nova cepa do Corona é que a China já lhe havia informado. Agora é natural que, numa ditadura,o governo controle informações. O que me parece é que havia desconfiança dum novo vírus mas não certeza. Como seria possível tê-la se estavam ante um novo tipo de Corona cuja evolução exponencial ainda não era clara? É admissível que se fale em erros quanto a aspectos sanitários e ao banquete para 40 mil em Wuhan. É admissível que se fale em erros na demora em fechar a cidade certamente por conta de interesses em quebrar a dinâmica econômica ante algo que ainda não tinham absoluta certeza do que se tratava - o que aconteceu no mundo ocidental também. Mas quanto ao resto tudo não passa de especulação e propaganda da mídia americana. Não dá para ter muita certeza na altura dos acontecimentos.

Pedro Erik disse...

Meu caro Anônimo,

No texto não se fala de New York Times ou CNN. São citados jornais chineses na maioria dos casos.

A China só fez lockdown em Wuhan depois de dois dias da primeira morte nos EUA, aí já estava totalmente fora de controle.

De anunciar um novo vírus até fazer lockdown tem uma enorme distância.

A OMS só anunciou pandemia depois que o mundo já estava em total crise. A OMS esperou o apoiou da ditadura chinesa.

As mortes na Itália começaram quando encontraram o vírus em dois chineses.

São fatos, não são especulações.

Abraço,
Pedro Erik

Isac disse...

SEM OS SACRAMENTOS? OPÇÕES: CONTRIÇÃO PERFEITA, PREPARAÇÃO COMO SE FOSSE A REAL EUCARISTIA,COMUNHÃO ESPIRITUAL, AÇÕES DE GRAÇAS E MUITA DEVOÇÃO À SS VIRGEM MARIA E A SEU FILHO CRISTO JESUS!UMA DAS CAUSAS, SENÃO A PIOR, MUITO COADJUVANTE DESSE PROVÁVEL CASTIGO VIRÓTICO COVID É OUTRO, O COVID DA ALMA - INFINITAMENTE PIOR E PERDURÁVEL PARA SEMPRE, INCENSANDO OS ARAUTOS DO ANTI CRISTO!
POR ONDE ANDA O PAPA FRANCISCO PARA AS ADVERTENCIAS E VINDOUROS CASTIGOS PARA OS REFRATARIOS?
.... Livros maus serão abundantes na terra e os espíritos das trevas espalharão por toda parte um relaxamento universal em tudo que concerne ao serviço de Deus. Os chefes, os líderes do povo de Deus negligenciaram a oração e a penitência, e o demônio obscureceu sua inteligência. Eles tornaram-se estrelas errantes que o velho demônio arrastará com sua cauda para fazê-los perecer.
Sim, os sacerdotes estão pedindo por vingança, e a vingança paira sobre suas cabeças. Ai dos sacerdotes e pessoas consagradas a Deus, que por sua infidelidade e suas vidas perversas estão crucificando o meu Filho de novo!” (Virgem de La Salette, 19/09/1846.
Pe Malachi Martin que teria tido acesso aos escritos de N Senhora de Fátima, disse que sacerdotes estão caindo no inferno iguais a abundantes flocos de neve; comportavelmente desses maus exemplos sacerdotais, muitos não se distinguem de leigos relapsos no cumprimento de deveres de bons católicos, responsaveis para com o desempenho e aceitação da fé católica, e isso possui respaldo, pelo que se nota à vista, o que se vê, os que deveriam serem os pioneiros do anti mundanismo e a Jesus Cristo como único nosso Mestre, além de jamais advertirem o povo nomeando principais erros graves em que incorre e os propagandistas nomeados, como a pestífera Rede Globo e afins, desde vestes erotizantes de certas artistas levianas ao anti mundanismo geral e preferirem a Jesus Cristo como único nosso Mestre,
Estamos vivendo em um mundo que precisa da radicalidade do Evangelho. É para agora, daí, urge que sejamos mais um desses contrarevolucionarios!
"Rogo-vos, pois, irmão, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus. Porque pela graça que me é dada, digo a cada um dentre vós que não pense de si mesmo além do que convém; antes, pense com moderação, conforme a medida da fé que Deus repartiu a cada um” Rm 12,1-3.
No começo deste capítulo, São Paulo nos exorta em sacrifício e pede para que não nos conformemos com este mundo sob as patas de Satã, repleto de ideologias e das mais perniciosas!
Podemos observar que, hoje em dia, muito, muito raros, ninguém está preocupado com sacrifício, em deixar as coisas consideradas injustificaveis pela ótica cristã; assim, esse mundo está imenso dentre os que preferem o $enhor deu$. - estamos acomodados!
Se existem vazios no nosso coração, somente Jesus Cristo pode nos preencher e curar nossas feridas. Afinal, ninguém seguirá e terá como exemplo as pessoas apáticas, desanimadas; temos de buscar o Espírito Santo para que Ele possa nos conduzir. Assim, possamos contagiar as pessoas, a fim de que elas vejam que existe um Deus, o qual cuida de tudo.
Peçamos ao Senhor Deus de misericordia e justiça a graça de sermos autênticas testemunhas para esse mundo vazio atual na versão século XXI, o de corações petrificados!