segunda-feira, 18 de março de 2013

10 Santos Sul-Americanos para o Mundo - por Jason Liske


O blog Ascending Mount Carmel do grande Jason Liske fez uma homenagem diferente ao primeiro papa da América do Sul (de fato, é o primeiro papa das Américas). Liske listou 10 santos sul-americanos. O critério que ele usou é que o santo tenha nascido na América do Sul, neste sentido ele errou um pouco na lista pois a primeira santa brasileira, Santa Paulina, na verdade nasceu na Itália (na época eram terras do império austro-húngaro). Mas tudo bem, gostei bastante da homenagem, pois ajuda a nós sul-americanos a olhar para os nossos santos, agradecer, admirar e discutir a vida deles, exaltar a ajuda que eles fizeram aos pobres da região e a fé que trouxeram para a América do Sul.

O Equador se destaca na lista com três santos. Chile e Brasil têm dois.Interessante também é que uma da lista vai ser canonizada pelo próprio Papa Francisco em maio deste ano (Beata Laura da Colômbia)

Aqui vão os 10 santos sul-americanos, com links para pequena biografia

  1. Santa Narcisa de Jesus (Equador);
  2. São Alberto Hurtado (Chile);
  3. Santa Mariana de Jesus Paredes (Equador);
  4. Beata Mercedes de Jesus (Equador);
  5. Santa Rosa de Lima (Peru);
  6. São Frei Galvão (Brasil);
  7. Beata Laura Montoya (Colômbia);
  8. Santa Teresa dos Andes (Chile);
  9. Beato Zeferino Namuncurá (Argentina);
  10. Santa Paulina (Brasil).

Viva os santos da América do Sul, que eles nos inspirem santidade também.


2 comentários:

Rodrigo Adem disse...

Não conhecia todos esses santos, Pedro Erik. O Leonardo Boff andou falando por esses dias, a favor do papa. O Reinaldo Azevedo também andou falando, a favor. Mas o Boff tem esta expectativa: http://noticias.terra.com.br/mundo/europa/renuncia-do-papa/papa-surpreendera-com-reviravolta-na-igreja-diz-leonardo-boff,326bd29cae47d310VgnCLD2000000dc6eb0aRCRD.html

Pedro Erik disse...

Por vezes tenho impressão que Leonardo Boff tem tanto ódio da Igreja que deve adorar o demônio.

Pelo amor de Deus.

Sera bom se a imprensa ouvisse mais Clodovis Boff do que o Leonardo.

Abraço,
Pedro Erik