terça-feira, 23 de julho de 2013

Por que eu tenho receio de um Papa latino-americano?


O Papa Francisco está no Brasil, um ótima oportunidade para ouvi-lo, mas toda vez que ele vai falar, eu começo rezar pois o medo me ataca. Por que isso?

Vou dar um exemplo que li hoje.

Leio no blog Creative Minority Report que no último Angelus falado pelo Papa Francisco, ele disse.

"Oração que não leva a uma ação concreta em direção aos nossos irmãos não gera frutos, é um oração incompleta. E ao mesmo tempo, quando os padres que fazem obras não reservam um tempo para dialogar com Deus em oração, arriscam servir a si mesmos e não a Deus que está presente nos irmãos".

O que há de errado com esta argumentação do Papa Francisco?

O blog Creative Minority Report responde: "Rezar é fazer ação concreta!!!"

Isto é, quem reza já faz uma ação concreta, e a mais importante, pois se dirige a Deus. O oração não precisa necessariamente ser completada com uma ação concreta. Rezar nunca é sem frutos. Tantos santos passaram a vida orando a Deus. E eu acho que basta orar a Deus para ter uma vida dedicada a Ele, a oração transforma profundamente.

O blog Creative Minority Report também cita Leonardo Boff que sempre diz as mais completas asneiras sobre a Igreja. O mundo está conhecendo agora o que significa um papa latino-americano.

Hoje em dia, tem muita gente que sabe bastante sobre teologia e não é padre. Há muitos blogueiros espetaculares como os filósofos Peter Kreeft e Edward Feser e o especialistra em direito canônico Edward Peters. Milhares de pessoas lêem estes blogs diariamente e aprendem bastante. Assim padres, bispos, cardeais e papas devem ficar espertos, precisam manter o ensinamento de Cristo límpido para passar pelo crivo destas pessoas.

Ontem, eu vi o discurso do Papa Francisco na sede do governo do Rio de Janeiro.

Se alguém me perguntar se eu gostei do discurso, eu responderia: "olha, o Papa não deve se dirigir para mim, ele deve se preocupar mais com as ovelhas perdidas, eu já sei que Cristo é a Verdade e que a Igreja Católica é o único caminho, então para alcançar as ovelhas perdidas talvez ele precise de um discurso mais simples e emotivo".

Eu sempre tive receio de um Papa latino-americano, porque nossos padres, bispos e etc. são em geral bem rasteiros em matéria de teologia. Dificilmente eu consigo assitir a uma missa em que o padre fale algo de valor teológico, que não seja Cristo é amor. E inúmeros padres não lêem em inglês, se fosse não ler em inglês hoje em dia, você não conhece o mundo, pois muitos poucos livros bons são escritos em português. Nesse ambiente de pouco e baixo debate teológico dificilmente sairá um Papa que ilumine o mundo.

Mas quem sou eu para dizer isso? O Espírito Santo é quem sabe e ele tem bastante experiência com papas.

Que Deus ilumine o Papa Francisco.



4 comentários:

avmss disse...

Como o próprio blog "Creative Minority" disse, essa frase tirada de seu contexto é errada. Mas dentro do contexto em que o Papa Francisco falou, no meu ver, está correta. No Ângelus, ele falava de Maria que estava mais atenta ao que Cristo tinha a dizer, enquanto Marta estava em servi-lo, mas sem escutá-lo. Ele comparou isso com o que São Bento dizia, "ora et labora", da contemplação a Deus recebemos a capacidade para levar sua misericórdia e ternura aos outros. Aliás, algo bem parecido em que constava na mensagem do Papa Bento XVI para a quaresma desse ano: "A existência cristã consiste num contínuo subir ao monte do encontro com Deus e depois voltar a descer, trazendo o amor e a força que daí derivam, para servir os nossos irmãos e irmãs com o próprio amor de Deus." Logo em seguinte o próprio Bento XVI, nos faz lembrar dessa passagem do evangelho de Lucas, lembrando que na Igreja devem coexistir e integrar-se a contemplação e ação.

Abraço

Pedro Erik disse...

Caro avmss,

Oremos pelo Papa.

Mas como Chesterton dizia "uma aparente pequena diferença pode ser um enorme diferença".

O blog Creative Minority disse: Even within the full context, I think that the sentence is simply wrong. (Mesmo considerando todo o contexto, eu acho que a sentença está errada).

Dizer que contemplação e ação devem coexistir é bem diferente de dizer que orar precisa de ação para gerar frutos, meu amigo.

O Papa, como qualquer outra pessoa, erra. E acho que dessa vez ele errou enormemente em termos teológicos, mas rezemos.

Grande abraço,
Pedro Erik

avmss disse...

hum... você tem razão e ainda errei na tradução.

abraço

Pedro Erik disse...

Não tem problema, meu amigo.

Você também já me corrigiu aqui no blog.

Abraço,
Pedro Erik