quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Sarah Palin - Um Vento Frio do Alasca com Princípios


Eu gosto de Sarah Palin. Respeito-a muito.

Os adversários dela dentro do seu próprio partido dizem que falta "gravitas" (aparência de seriedade) a ela. Se for aquela aparência que esconde mentiras, subterfúgios, corrupcão ou maquinações políticas, eu diria que está ótimo que seja assim. Os inimigos do partido democrata e a imprensa esquerdista chamam-na de estúpida, de burra.

Sarah Palin escreveu um livro que foi best seller (atualmente está com outro entre os primeiros), é comentarista de política para a Fox News, faz discursos quase diariamente, fez um programa na televisão que procurava incentivar o turismo no Alasca que foi um sucesso de audiência, sem falar que muitos candidatos só se elegeram com o apoio dela. Ronald Reagan, talvez o melhor presidente americano de todos os tempos, também era chamado de estúpido diariamente e ele expulsou o comunismo da história humana. George W. Bush até hoje é chamado de estúpido. Obama viria para acabar com as burrices de Bush, como o uso de Guatanamo para terroristas e as guerras do Iraque e do Afeganistão. Até agora, depois de metade do mandato, não fez nada disso. E maioria do povo americano já descobriu que foi estupidez eleger Obama.

Os esquerdistas ofendem Sarah Palin em qualquer ocasião. Recentemente, um louco matou seis pessoas e a culpa era dela por defender princípios conservadores. Ela ficou ofendida, obviamente, e se defendeu publicamente. Na defesa, usou a expressão "blood libel" (acusação sangrenta) que tem um significado histórico. O termo refere-se a um acusação contra os judeus, de que eles matavam crianças para usar em rituais. Os esquerdistas pegaram no pé dela por isso.  Mas acusar alguém de incentivar o assassinato de seis pessoas, incluindo uma criança, é um acusação sangrenta. Ou não é? Como o povo americano não é burro, não ouve mais esses esquerdistas.

Sarah Palin é simples, tem fala simples, não parece político profissional. Reagan também não parecia.

Ela divide opiniões nos Estados Unidos, e isso dificulta ganhar eleições para presidente. Pode não ser viável sua candidatura em 2012, mas qualquer candidato republicano terá que conseguir o apoio dela e seguir seus princípios: liberdade, cristianismo, defesa dos valores americanos, não intervenção governamental, baixos impostos. O partido republicano sabe disso. Está nas mãos dela. Ela pode não convencer ainda a maioria do povo americano, mas está entre os principais candidatos, e, sem ela, ninguém ganha dos democratas. Ela divide com o Tea Party, a maior força eleitoral americana hoje, os mesmo princípios, por isso lidera informalmente o grupo.

Reagan também demorou a dominar os corações da maioria americana, desejo que Sarah Palin tenha o mesmo caminho.

O povo gosta dela, vejam esse vídeo simplíssimo abaixo. A música é conhecida para quem frequenta igrejas no Brasil e a letra também é simples. Vejam a letra depois do vídeo:

video

She’s a cold blast from Alaska
Ingrained with common sense
She’s not a Harvard lawyer, but she knew what the Founders meant

A cold blast from the North
That freezes Congress in their tracks
With God and the Tea party, she’s gonna take it back

Sarah Palin, she won’t listen to their bunk
Sarah Palin’s comin’ south to hunt some skunk
Sarah Palin, she’ll throw ‘em all in jail
And when she gets to Washington, it’ll be cold as hell

Sarah has the wisdom to walk through an open door
She’s stomping out the wretches where the evil lies in store
She will scrub the floors and sweep the riff-raff into cracks
With God and the Tea party, she’s gonna take it back

Sarah Palin, she won’t listen to their bunk
Sarah Palin’s comin’ south to hunt some skunk
Sarah Palin, she’ll throw ‘em all in jail
And when she gets to Washington, it’ll be cold as hell

Nenhum comentário: