terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Pesquisa: Pais com Mais de 4 Filhos São Mais Felizes.


A família acima é do meu professor Dr. Taylor Marshall do New Saint Thomas Institute. A família de Marshall sempre me pareceu muito feliz, com seus oito filhos (a foto não mostra a mais nova filha dele). Eu também tenho a felicidade ser amigo de um casal norte-americano, bem católico, que tem seis filhos e a esposa, além dos afazeres domésticos faz "homeschool" para seus filhos. Esses amigos são inspiração para mim e minha esposa.

Eu tenho três filhos, e com esses três filhos, eu e a minha esposa passamos muito sufoco, nessa vida moderna, que não respeita as famílias. É por isso que sou adepto de um modelo econômico que põe em primeiro lugar a família, esse modelo é chamado Distributismo, que costumo tratar no meu outro blog Bloco 11, Cela 18.

Mas ontem eu li sobre uma  pesquisa cujo resultado aponta que casais que tem mais de quatro filhos são mais felizes, e os filhos são mais independentes e sadios socialmente.

A pesquisa foi feita pelo Dr. Browyn Harman, da Universidade Edith Cowan da Austrália. E durou cinco anos para ser concluída. Harman entrevistou 950 pais que possuem famílias de tamanhos diferentes. Antes da pesquisa, Harman achava que pais com menso filhos eram mais felizes. Com a pesquisa, Harman viu que apesar do caos familiar e os gastos serem maiores com mais filhos, isso tudo é compensado pela alegria que os filhos trazem. E os filhos de família grandes ficam independentes mais cedo e têm mais amigos.

Vejam o texto do Daily Signal sobre a pesquisa, abaixo:

The happiest parents are—drumroll, please—parents with four or more kids.
Parents of large families were found to have the most life satisfaction, according to a study by Australia’s Edith Cowan University. Dr. Bronwyn Harman, of the psychology and social science school at the university, spent five years studying what types of families are most content.
“[The parents] usually say they always wanted a large family, it was planned that way, and it was a lifestyle they’d chosen,” Harman told The Sydney Morning Herald.
During her five-year study, Harman interviewed hundreds of parents from different family makeups. Her findings are based on resilience, social support, self-esteem, and life satisfaction.
Her research points out that parental happiness relates to how much effort has been put into growing the family.
“What is important for kids are things like consistency, boundaries and [to] know that they are loved, no matter what,” Harman tells ABC Australia.
Prior to the study, Harman thought parents with more children would be less happy.
Though larger families may have more chaos and expenses than a smaller family, Harman’s research shows that these issues are balanced by the amount of joy received from having more children.
Her findings show that children who grow up in large families learn independende at a young age and always have someone to play with.

7 comentários:

Anônimo disse...

Olá amigo!
Pesquisei (bem por cima hehe) no seu outro blog, mas não encontrei onde entra a família no distributismo. O sr. poderia indicar alguma leitura?
Obrigado.

Gustavo.

Pedro Erik disse...

Caro Gustavo,

Os princípios básicos do Distributismo se assentam na família. Os princípios são: solidariedade (as pessoas são solidárias, ajudam aquelas que precisam), subsidiaridade (o Estado não deve se meter naquilo que a família ou a comunidade é a capaz de resolver), e propriedade privada (o trabalhador tem de ter condições de ter sua própria propriedade).

Por exemplo, no Brasil o homem casado não ganha para sustentar a família, ele ganha para sustentar apenas ele. Isso destrói todos os princípios do Distributismo.

Meu blog, tem uma lista de leitura:

http://bloco11cela18.blogspot.com.br/2013/01/lista-de-leitura-doutina-social-da.html

Abraço,
Pedro Erik

Anônimo disse...

Olá meu amigo,
Interessante o seu comentário. Como vicentino, de certa forma, nós trabalhamos de acordo com esse modelo, principalmente quanto aos dois primeiros princípios. Mas algumas conferências vicentinas também conseguem auxiliar as famílias a conseguirem suas propriedades. Temos uma regra muito bem estabelecida, que talvez o sr. se interesse em conhecer:
http://www.ssvpcmb.org.br/Regra-atualizada_em_02-02-2009-protegida.pdf
Ou procure alguma conferência em sua cidade.
Agradeço-lhe a lista de textos sobre distributismo. Tanto quanto o tempo permitir, quero me aprofundar no assunto.
Tenha um bom dia!
Um abraço,
Gustavo.

Jacyr Augusto disse...

Bom dia Pedro

Diante desta pesquisa, falta pouco para completar o time.
Já tem 3. Falta mais 1.
Também estou no terceiro, mas ainda não consegui convencer minha esposa a continuarmos.
Realmente não é fácil, mas tem horas que somente com a Graça de Deus e com os sorrisos deles é que conseguimos superar alguns obstáculos.

Um abraço e obrigado pela notícia.

Pedro Erik disse...

Muito obrigado, Gustavo.
Muito bom
Vou ver as informações que passeou.
Muita paz.
Abraço,
Pedro

Pedro Erik disse...

Como digo para meus alunos, o capitalismo, assim, como o comunismo, tenta destruir a família.
É bem difícil ter filhos e ainda mais cria-los. Mas é nossa obrigação, como cristãos.
Abraço,
Pedro

Anônimo disse...

Eu tenho 9 irmãos todos do mesmo casal. Só não tem filhos quem não quer, nao venham dizer que é dificil por falta de dinheiro.

;)