quarta-feira, 8 de junho de 2016

Itália: Para Não Ofender Muçulmanos, Católicos Devem Rezar em Silêncio mesmo na Igreja. Na Alemanha, 69 mil crimes cometidos por Refugiados.


Imagine que você como católico recebe na sua casa uma visita que é protestante. Você retiraria todas as imagens de santos da sua casa, deixaria de ir à missa, e pararia de rezar o rosário, para não ofender sua visita? Se a visita fosse um muçulmano, você obrigaria a sua esposa e a sua filha a se vestirem com burca, aceitava ele rezar em voz alta virado para Meca no tapete da sua casa, além de fazer tudo o que faria no caso do protestante?

Seria certo abandonar Cristo e Nossa Senhora em nome da visita?

Ou é a visita que teria que se adequar àquele que lhe hospeda?

Pois é, o instituto Caritas resolveu abrigar uns muçulmanos dentro da Igreja de Santo Antonio, na Itália. Daí, umas pessoas chegaram para rezar seus rosários na Igreja. Parece que os muçulmanos não gostaram e as pessoas foram obrigadas a rezar em silêncio e ate retiradas pelo Padre para rezar em outro lugar.

Enquanto isso na Alemanha, li ontem na Reuters que os refugiados que chegaram no país foram responsáveis por 69 mil crimes nos primeiros três meses em 2016.

Hoje, ainda na Alemanha, leio que os refugiados incendiaram o abrigo que os acolhe porque uns muçulmanos não avisaram os outros da hora de acordar para o Ramadã.

Também leio que as igrejas cristãs da França e da Bélgica estão sendo continuamente atacadas.


3 comentários:

Vic disse...

QUE SACERDOTES POLITICAMENTE CORRETOS, HEM?
Quer dizer então que os filhos da deusa da lua Alah têm preferencia aos de N Senhor Jesus Cristo, hem seus Judas Iscariots, versão sec XXI?
Dessa forma, passaram também para o lado dos muçulmas, né; então, doravante, têm de botar trouxa de pano na cabeça como fazem os Imãs e passarem aos exteriorismos dessa congregação de Baal, indo inclusive a Meca e participarem daquele ritual de jogarem pedras no diabo - funciona...
Há muitos movimentos na Europa que começam a se insurgirem; notaram que o Islã de religião só tem aparecias - é o comunonazifascismo travestido de religião!

RICARDO LIMA disse...

Bem, quanto à Alemanha, Inglaterra, e outros países protestantes, quando estes traíram o Catolicismo, deixaram de ser cristãos.

E quanto à estes padres, não passam de covardes, simples assim. E traidores da fé, ainda por cima.

Nossa Senhora de Fátima, rogai e intercedei por nós, pois a covardia e a apostasia só fazem aumentar, dia a dia.

Adilson disse...

Boa tarde, nobre Pedro. Aqui estou de volta, após longos dias distantes.

Triste, triste, triste. Quatro coisas: 1) Alguém sabe dizer se o papa Francisco reagiu a isso? (2) bem, acho que os católicos sempre foram de rezar em voz baixa e me estranha essa exigência; 3) eu não tenho mais dúvidas de que o povo da Europa foi realmente seduzido por uma loucura patológica tão grande que é impossível não reconhecer: como, mas como, as populações dessas nações não reagem a isso? 4) Se na Itália há pentecostais, só lamento por eles... aquele povo ora alto pra caramba, e como ora! Não que eu os despreze, pois já fui um pentecostal. Há uns 10 atrás era muito comum os pentecostais irem de casa em casa, e rua em rua, pregando o cristianismo entendido por eles às pessoas que encontravam. Até em bares e prostíbulos eles faziam isso. Havia casos de muitos jovens pentecostais levarem os bêbados até à casa deles e deixá-los lá. E no outro dia o visitarem para terminar o serviço da pregação (eu já fiz isso). Acho que foi assim que os pentecostais (e infelizmente muitas outras seitas) converteram muitos católicos. Parece que em muitas cidades do Nordeste esse comportamento dos pentecostais ainda existe. Aí me vem duas perguntas: 1) será esse comportamento dos pentecostais seria uma boa reação lá na Europa? (2) será que não está na hora dos católicos da Europa saírem do conforto e enfrentarem os políticos?