terça-feira, 7 de junho de 2016

Padre Richard Simon: Martinho Lutero disse que Cristo era Adúltero, que os 10 Mandamentos foi um Erro, que Ele é Maior que Santo Agostinho, que Judeus Merecem Morrer...



O jornalista católico Damian Thompson, diante de tanta confusão do Papa Francisco, pergunta se o Papa Francisco é católico,

Thompson está especialmente encucado com a ida do Papa Francisco para as comemorações dos 500 anos da Reforma Protestante. Thompson é inglês, então ele conhece muito bem as histórias daqueles que morreram por conta dessa Reforma. Quem anda pelas ruas da Inglaterra vê nas igrejas católicas celebrações para os mártires que morreram e também vê nas igrejas protestantes e anglicanas celebrações pelos seus mártires.

Thompson duvida que Bento XVI iria se meter em celebrar a Reforma Protestante que trouxe tanta desgraça.

Cheguei ao texto de Thompson através do site do Padre Zuhlsdorf. Nos comentários do site do Padre Zuhldorf, uma pessoa chamada Charles Flynn recomendou o que disse o padre Richard Simon.

Gostei muito do blog do padre Simon, já me tornei seu seguidor. Padre Simon tem um blog chamado Reverend Know-It-All, no qual responde a perguntas.

Perguntaram ao Padre Simon se ele iria celebrar os 500 anos da Reforma Protestante.

Padre Simon respondeu como um padre deve responder. Ele mostrou quem foi o homem que criou a Reforma Protestante e quais eram suas ideias.

Até a ideia de que Martinho Lutero pregou suas 95 teses na Igreja da Universidade de Wittenberg deve ter sido inventada, pois só apareceu depois que Lutero morreu, criada por uma pessoa que não estava em Wittenberg quando do suposto fato.

Padre Simon responde a pergunta em três posts: Parte 1, Parte 2, Parte 3.

Na Parte 1, usando os relatos de um discípulo de Lutero chamado Johannes Mathesius, descritos no que se chamada Tischereden (traduzido por Conversas a Mesa com Lutero), padre Simon mostra que:

1) Lutero disse que ele é maior que todos os doutores da Igreja, como Santo Agostinho e Santo Ambrósio;

2) É fato notório, inclusive aceito pelo próprio Lutero, que ele alterou a passagem da Bíblia em Romanos 3:28 para inclui a palavra "apenas". Para dizer que a fé cristã era justificada "apenas" pela fé. Os bons atos não significavam nada para Lutero, o cristão estava salvo não importa seus atos. Ele disse que mudou mesmo a passagem 3:28 da Bíblia e que se algum Católico reclamasse seus discípulos podiam dizer que Lutero mudou sim e que ele é o maior doutor de todos.

3) Lutero disse que os boas obras não importa para a salvação;

4) Lutero disse que Cristo cometeu adultério e fornicação com diversas mulheres antes de morrer;

5) Lutero disse que os 10 mandamentos levam ao pecado, não devem ser considerados.

Na Parte 2, Padre Simon mostra como o "não-violento" Lutero se transformou no violento Lutero e pediu que os nobres esmagassem os camponeses que se revoltaram. Para Lutero, era época de ódio e espada, a misericórdia era coisa do passado. Era melhor para os nobres derramar sangue dos camponeses do que rezar.

Também na Parte 2, é relatado como Lutero ajudou a tirar 12 freiras do convento e casou com uma delas que era 15 anos mais nova que ele, chamada Katharina van Bora. Ele teve seis filhos com ela.

Lutero disse que o casamento não era um sacramento, era apenas uma maneira de fazer sexo e que mulheres são feitas para ser esposas ou prostitutas. e que os homens podem ter mais de uma esposa.

A Parte 3 conta como Lutero passou a aceitar que o homem podia ter mais de uma esposa. Fez isso para agradar o nobre Filipe I, duque de Hesse. Quando foi descoberto suas artimanhas para ajudar Filipe I, Lutero negou, mas já era tarde. Ele acabou perdendo a liderança do protestantismo para Calvino.

Na Parte 3 também é dito que Lutero chamava o Papa de Anti-Cristo e os judeus de "diabos incarnados".

Ele disse que se tivesse que batizar um judeu, ele preferia colocar uma pedra no pescoço do judeu e jogá-lo no Rio Elba. Os judeus, para ele, merecem ser mortos sete vezes mais do que os ladrões comuns.

Foi da terra de Lutero que saiu o nazismo, Hitler fez com os judeus o que Lutero recomendou.

Padre Simon conclui a Parte 3 dizendo que a Europa começou a morrer com Lutero.

Ao contrário do Papa Francisco, o padre Simon não irá celebrar os 500 anos da Reforma Protestante. Ele disse que o que fará é rezar seu rosário.


4 comentários:

Anônimo disse...

Os males que o relativista protestantismo causou e prossegue impingindo à sociedade são inúmeros, incontáveis, e suas alianças com liberais mostra o quanto essa heresia é danosa!
Entre si, suas seitas se batem, cada qual querendo ser mais verdadeira que a outra, além de a absoluta maioria de hoje, pentecostalista, em pouco ou nada se diferem de cultos de terreiros e centros espíritas!
Veja o que acham D Gerhard Müller e outros similares de se confraternizar com os alienados "irmãos separados"...

Anônimo disse...

Meu amigo,
É um desabafo: com tanta desgraça acontecendo no nosso Brasil, eu sempre vi a Igreja como um porto seguro, principalmente com Bento XVI (me lembro pouco do pontificado de JP II, pois na época não tinha acesso à internet). Mas depois do Papa Chico, confesso que muitas vezes me sinto angustiado com a "igreja" que o nosso pontífice está construindo. Ele está arruinando todos ensinamentos mais importantes que eu usarei para conduzir meus filhos ao Catolicismo. Essa comemoração da reforma é uma tragédia ecumênica, tanto para os católicos quanto para os protestantes.
Obrigado pelo post e que Deus nos ajude a perseverar na verdadeira Fé.
Abraço,
Gustavo.

Pedro Erik disse...

Sua angústia com o Papa Francisco é muito comum hoje em dia, Gustavo.
Eu tenho vontade de xinga-lo muitas vezes, meu professor de teologia nos EUA revela também muita angústia, todos que amam a Igreja estão assim.
Só quem não ama e por isso não segue o que ocorre na Igreja se diz satisfeito.
Mas vamos transformar nossa angústia em força e pedir apoio do Espírito Santo.
Nosso amor pela Igreja vencerá, pois Cristo sempre vence (ICXC Nika).
Abraço,
Pedro

Anônimo disse...

Obrigado pelas palavras de consolo.
Abraço,
Gustavo.