domingo, 28 de agosto de 2011

O Moderado Extremo

-

Eu não sou fã de argumentos que dizem que a verdade está no meio. São Tomás de Aquino usou muito essa argumentação, mas acho que ele escolheu os casos em que cabem a frase, como na afirmação de que a há harmonia entre fé e razão, as duas coisas não são contraditórias, como querem os extremistas.

Mas acho que a verdade não está no meio, a verdade pode estar em qualquer lugar, inclusive nos extremos, a busca pela moderação muitas vezes só faz propagar os erros

Temos que ser moderados com:

1) Corruptos, pois caso contrário haverá crise institucional; 

2) Padres pedófilos para não atingir muito a Igreja;

3) O Islã, é apenas uma religião;

4) A má educação para não demitirmos muitos professores que precisam do emprego;

5) A China que mata milhões de crianças todos os anos para não perdermos os investimentos chineses;

6) Os líderes corruptos africanos que embolsam dinheiro de ajuda internacional, pois eles controlam a população;

7) Nossos filhos quando nos ofendem, para não traumatizá-los,...

Além disso, vocês sabem que existem os moderados extremos?

Benjamin Franklin disse durante a guerra de independência americana:

I am an extreme moderate, I believe anybody not in favor of moderation and compromise ought to be castrated. (Eu sou um moderado extremo. Eu acredito que qualquer um que não seja a favor de moderação e compromisso deveria ser castrado).

E um moderado pode ser um completo idiota. É o caso de Ron Paul (foto abaixo), candidato a candidato a presidência dos Estados Unidos.

Ele disse:

I don’t see Islam as our enemy. I see that motivation is occupation and those who hate us and would like to kill us, they are motivated by our invasion of their land, the support of their dictators that they hate.” (Eu não vejo o Islã como nosso inimigo. Eu vejo que a motivação é a ocupação e aqueles que nos odeiam e desejam nos matar, eles são motivados pela invasão das terras deles, e pelo apoio que damos aos ditadores que eles odeiam).

Em resumo, o culpado pelos ataques de 11 de setembro são o próprio Estados Unidos.

Isto é de uma idiotice sem tamanho. Primeiro, porque muitos ditadores não são apoiados pelos Estados Unidos (vejam Líbia, Síria, Irã, Iraque, Somália, Zimbábue, Venezuela, Cuba, Bolívia, Equador, etc.). Segundo, sabe-se muito bem que o povo de muitos países adora os ditadores, depois de muitos anos é que passam a odiá-los, quando vêem uma chance de derrubá-los, contando com o apoio do próprio Estados Unidos. Terceiro, e mais importante, Ron Paul deveria ler o Corão e a Lei Sharia para entender o que é o islã. O Islã não apenas uma religião é uma ideologia de domínio político e social.

Ron Paul é estúpido, que despreza religião, ele só observa as questões econômicas, como pensam os membros da escola austríaca de economia, liderados pelo pensamento de Ludwig von Mises. Por isso, ele quer reduzir os custos militares dos Estados Unidos completamente, retirando o país de qualquer conflito armado deixando os ditadores do mundo livres. Ele é o que eu chamaria de um moderado pacifista extremo. Como o Irã ou a Coréia do Norte agiriam sem a promessa de contra-ataque norte-americano? Deveríamos esperar por uma decisão da ONU, com a Rússia no Conselho de Segurança (órgão da ONU que decide questões militares) vendendo usinas nucleares para o Irã?


2 comentários:

Eduardo R. V. disse...

Mais uma vezes eu não sei o meu lado, mas não estou no meio e me vi intolerante:

1) Corruptos, pois caso contrário haverá crise institucional; (Então, que venha uma crise institucional, pois vejo a corrupção como origem de muitas outras crises).

4) A má educação para não demitirmos muitos professores que precisam do emprego; (Esse aqui é um exemplo de crise pela corrupção. No caso, ao invés de demissão investir na capacitação profissional e melhora estrutural do ensino, para um ensino de criatividade e raciocínio)

6) Os líderes corruptos africanos que embolsam dinheiro de ajuda internacional, pois eles controlam a população; (Aqui um problema ao capitalismo. Se essas pessoas corruptas emperram a Africa e a Africa não se torna um mercado consumidor forte, a escolha pela moderação é ilógica ao capitalismo... E o termo população controlada é uma coisa que assusta em qualquer sociedade em que seja aplicado)

Pedro Erik disse...

Muito obrigado, pelo comentário. grande Eduardo.

Gera boa discussão seu ponto sobre se ver intolerante. O que é a tolerância?

Veja o caso da Europa, o que ela está se transformando com o medo de ser chamada de intolerante.

Ed West (blogueiro do jornal The Telegraph) tem uma ótima definição para diversidade.

Diversity – Lots of middle-class people of various ethnic backgrounds who all went to the same schools, the same universities, watch the same programmes, read the same books and vote the same way.

Em suma, nós temos que defender nossos princípios, isto não é ser intolerante, é não ser otário.

Grande abraço,
Pedro Erik