quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Popularidade como Medida da Verdade.

-


Caros, já falei e recomendei aqui o Satan's Blog. Não deixo de ler nenhum post dele. Ele assume o ponto de vista de Satã, para mostrar o pensamento demoníaco nas mais pequenas coisas e defender o Cristianismo. Hoje, ele postou um dos seus melhores textos. Então, resolvi repassar aqui para vocês, acrescentando alguns argumentos.

Satan discute uma reportagem da BBC, que mostra que alguns pastores protestantes na Holanda, mesmo sendo líderes cristãos, estão dizendo que talvez não exista esse negócio de vida após a morte e que Jesus Cristo foi apenas um homem que pregava o amor. Mesmo indo de encontro ao que pensa a própria igreja a que pertecem, eles não são expulsos pois conseguiram arregimentar várias pessoas para a igreja  e a igreja não quer perder fiéis. Então, classifica-os como "cristãos não-tradicionais", mas cristãos.

Depois de relatar o caso, Satan satiriza quatro idéias demoníacas:

1) Deus deixa de existir simplesmente porque uma grande parte de pessoas deixa de acreditar Nele;
2) Algo passa a ser verdade se se torna mais popular;
3) Nós somos apenas um conglomerado de matéria, sem nenhuma alma;
4) A verdade está naquilo que você "sente" que é verdade.

Satan definiu esse pensamento como "ortodoxia (cristã) definida pela popularidade". Sensacional.

Acho que podemos fazer um claro relacionamento entre o que discute Satan com a idéia de "ditadura do relativismo" do Papa Bento XVI que falei ontem aqui (ver post abaixo).

Um coisa que me perturba muito hoje em dia é a busca por popularidade. Isto está presente em tudo. A Igreja Católica no Brasil, por exemplo, procurou seguir o movimento protestante porque viu que estava perdendo fiéis, muitas vezes deixou de lado a doutrina católica para fazer isso.

De forma mais popular, todos do twitter, facebook, e blogueiros discutem quantos "seguidores" e quantos acessos têm por dia.

Mas quantos "seguidores" teria o blogueiro Jesus Cristo? Certamente não seria popular na Holanda, nem em Hollywood, nem na Ásia, nem mesmo no Ocidente. O mundo gosta é da MTV.

Aqui vão algumas mensagens do blogueiro Jesus Cristo sobre o mundo:


(São João 7,7)
O mundo não tem motivo para vos odiar. Mas o mundo odeia-Me, porque Eu dou testemunho de que as suas ações são más.

(São Marcos 4,18-19)
Outros recebem a semente entre os espinhos: são aqueles que ouvem a Palavra, mas surgem as preocupações do mundo, a ilusão da riqueza e todos os outros desejos, que sufocam a Palavra, e ela fica sem dar fruto.

(São João 6,51)
E Jesus continuou: «Eu sou o pão vivo que desceu do Céu. Quem come deste pão viverá para sempre. E o pão que Eu vou dar é a minha própria carne, para que o mundo tenha a vida».

(São João 12,25)
Quem tem apego à sua vida vai perdê-la; quem despreza a sua vida neste mundo vai conservá-la para a vida eterna.

(São João 14,27)
«Deixo-vos a paz, dou-vos a minha paz. A paz que vos dou não é a paz que o mundo dá. Não fiqueis perturbados nem tenhais medo.

(São João 14,30)
Já não tenho muito tempo para falar convosco, pois o príncipe deste mundo vai chegar. Ele não tem poder sobre Mim.

(São Mateus 13,22)
A semente que caiu no meio dos espinhos é aquele que ouve a Palavra, mas a preocupação do mundo e a ilusão da riqueza sufocam a Palavra e ela fica sem dar fruto.

(São João 15,19)
Se fôsseis do mundo, o mundo amaria o que é dele. Mas o mundo odiar-vos-á, porque não sois do mundo, pois Eu escolhi-vos e tirei-vos do mundo.

(São João 16,20)
Eu garanto-vos: ides gemer e lamentar-vos, enquanto o mundo vai alegrar-se. Ficareis angustiados, mas a vossa angústia transformar-se-á em alegria.

(São Lucas 9,25)
De fato, que adianta um homem ganhar o mundo inteiro, perdendo-se e destruindo-se a si mesmo?

(São João 18,36)
Jesus respondeu: «O meu reino não é deste mundo. Se o meu reino fosse deste mundo, os meus guardas lutariam para que Eu não fosse entregue às autoridades dos judeus. Mas agora o meu reino não é daqui».

2 comentários:

Vânia Cavalcanti disse...

Olá, Pedro Erik!

Definitivamente, vivemos numa época de trescalante mediocridade. Popularidade é sinônimo de verdade porque esta se multiplicou, diversificou-se para atender nichos de diferentes gostos, diversos estratos socioeconômicos, tribos disso ou daquilo; pulverizando também a moral. Com cada um tendo sua própria moral ou verdade, aquela que aglutine o maior número de clientes em torno de si terá sua legitimidade chancelada pela popularidade. Jesus, como blogueiro, seria "acusado" de conservador, retrógado, ultradireitista e até, veja só, de cristão e/ou judeu! Quero lhe contar que hoje tive um comentário publicado na coluna de Caio Blinder, no site da revista Veja, no qual faço publicidade do Thyself. Um abraço

Pedro Erik disse...

Ótimo, Vânia.

Muito obrigado.

Certa vez tive uma discussão com o Caio Blinder no blog dele que rendeu várias réplicas, tréplicas. No final, ele apelou para uma certa ignorância e eu disse pera lá e ele pediu desculpas. Tudo bem, ele parece que é gente boa, mas discordo muito do que ele escreve, então nem abro o blog dele.

Abraço,
Pedro Erik