sábado, 2 de julho de 2011

90 Anos do Partido Comunista Chinês

-


Fundado no dia 1 de julho de 1921, o Partido Comunista Chinês (PCC) fez 90 anos ontem. A China planeja várias comemorações. O partido tem mais de 80 milhões de filiados, sendo o maior partido político do mundo, e é virtualmente o único partido permitido na China. O PCC domina o ambiente cultural, político e financeiro do país.

Em 1949, o PCC chegou ao poder, depois da Revolução Chinesa. Em 1958, o governo de Mao Tse Tung estabeleceu o Grande Salto para a Frente que pretendia industrializar na marra o campo e que acabou levando à morte dezenas de milhões de pessoas. As estimativas variam de 20 a 30 milhões de pessoas. Em 1966, já se via o desastre da política econômica há muito tempo, mas  Mao ainda estabeleceu a Revolução Cultural, que pretendia eliminar os traços do capitalismo na China, aprofundando o comunismo. A perseguição política se espalhou para aqueles que eram críticos a Mao. Muitos foram mortos e expurgados do PCC. Depois da morte de Mao, em 1976, alguns perseguidos pela Revolução Cultural chegaram ao poder, como Deng Xiaoping, que havia sido preso por Mao, e que estabeleceu a abertura ao capitalismo na China, com foco em ganhos com o comércio internacional.

Mas o País continua sem liberdade política ou cultural. Em 1989, ocorreu o massacre da Praça Celestial, onde centenas  (alguns dizem milhares) foram mortos com a tentativa de abertura política empreendida por estudantes e ativistas.

Hoje, o PCC serve apenas para distribuir benesses e postos para seus filiados. Por isso, a corrupção é mais uma filiada do partido há muito tempo. O PCC é uma porta para ascendência social e não uma filosofia política.

Apesar dos desastres em termos econômicos, políticos e culturais, que provocaram dezenas de milhões de mortes, é principalmente Mao Tse Tung que será saudado nas comemorações de 90 anos do PCC.

Teríamos que incluir na conta dele ainda outras mortes ao redor do mundo, pelo exemplo que ele representou para todas as guerrilhas comunistas espalhadas no planeta, como todas aquelas que usaram as teorias dele de revolução para se alcançar o poder: uso de um foco revolucionário em área rural e ataques em várias frentes e constantes.



A revista Foreign Policy fez uma excelente reportagem com fotos para mostrar os 90 anos do PCC.
Aqui vão três fotos da Foreign Policy. A primeira exibe populares lendo o "livrinho vermelho de Mao", uma coleção de textos sobre diversos assuntos do comunismo. A segunda é a cerimônia do funeral de Mao e a terceira mostra soldados cercando estudantes na Praça Celestial em 1989.



Mas minha homenagem para os 90 anos do PCC vai com a reportagem de hoje da Rome Reports, que mostra que a China está desafiando o Vaticano de novo e nomeando bispos ao seu bel prazer sem o consentimento da Santa Sé.  A China quer que os padres de lá sejam membros de uma Igreja Católica que eles chamam de Igreja Católica Patriótica. Querem controlar a fé das pessoas.

Isso mostra até onde vai o domínio do PCC na vida das pessoas. Traduzo abaixo o vídeo em azul.


video

Novamente, o Vaticano está em conflito com a Igreja Católica que ação o governo chinês quer implantar na China. É a chamada Igreja Católica Patriótica, que recentemente ordenou um bispo sem a aprovação do Vaticano. Padre Paul Lei Shiyin foi ordenado bispo de Leshan pelo chefe da Igreja do governo no último dia 29 (dia da festa de São Pedro e São Paulo).

Alguns dizem que a escolha do dia 29 foi feita apenas para mostrar a desconsideração da Igreja oficial chinesa com as demandas do Vaticano. O governo não apenas ignorou os avisos do Vaticano, mas diz que tem planos de ordenar mais 40 bispos com ou sem a aprovação da Santa Sé.

De acordo com reportagens, o bispo que foi ordenado agora pediu aprovação do Vaticano. Mas, segundo ele disse em uma entrevista, ele não podia esperar muito tempo pela resposta. Ele também disse que "nós temos que considerar a sobrevivência da Igreja ... e devemos trabalhar de acordo com a realidade." Para acrescentar controvérsia, dizem que Shiyin que tem um caso e é pai de uma criança.

Mais ou menos 1 mil pessoas assistiram a ordenação de Shiyin, mas não está claro se elas estavam lá voluntariamente. No passado, clérigos que eram leais ao Vaticano foram ameaçados se eles se recusassem a assistir este tipo de cerimônia patrocinada pelo governo.


Esse negócio de que a Igreja deve se adaptar à realidade, como disse o bispo ordenado ilegalmente é a porta de entrada do inferno, pois é por aí que entra o aborto, a eutanásia, a destruição da família e o comunismo. No Brasil, nós também temos muitos padres dizendo que a Igreja Católica no Brasil precisa se adaptar à realidade, então aceitam a Teologia da Libertação dos comunistas, adoradores de Fidel Castro, Leonardo Boff e frei Betto.

Que o PCC caia o quanto antes, essa é a minha torcida. Quem foi que disse que dinheiro (crescimento econômico) é o que determina o grau de desenvolvimento de uma sociedade?

2 comentários:

Marcelo Ribas disse...

Lembrei daquela coleção de "Cartas Chinesas" que seu tio comuna queria que você distribuisse aos amigos...

Pedro Erik disse...

Não é, meu irmão?
Acho que ele não conhece meu blog. Caso contrário, a reunião familiar vai ser um pouco movimentada.

Grande abraço,
Pedro Erik