terça-feira, 20 de novembro de 2012

A Estupidez de Terapeutas: Incentive a Pedofilia para coibir a Pedofilia

-

Eu só consigo pensar que os dois terapeutas usam drogas pesadas ou são adoradores do demônio, ou ambos. Vejam que estupidez.

O jornal Daily Mail divulgou ontem que dois sexólogos holandeses, Rik van Lunsen e Erik van Bee, defenderam que para combater a pedofilia o melhor seria o governo liberar a pedofilia na internet para que os pedófilos liberem seus desejos.  Isto é, eles defendem que o governo incentive a pornografia infantil na internet para os que pedófilos não ataquem as crianças, pois para eles "reprimir a pornografia infantil alimentaria frustrações". Pode haver algo mais imbecil? Desde quando a pornografia na internet controlou atos pornográficos fora da internet?

Isto é mais um exemplo do que eu chamo de geração "Não se Reprima". Hoje, a repressão a desejos destruidores não é permitido porque a pessoa poderia ficar frustrada.  

Por exemplo:

1) Se você engravidou, mas acha que a criança irá prejudicar sua liberdade, não se reprima, mate a criança (no útero ou fora dele);

2) Se a criança está incomodando seu relacionamento, não se reprima, mate-a (como fez o casal Nardoni);

2) Se você se casou, mas acha atraentes outras mulheres, não se reprima, saia por aí vadeando;

3) Se você tem atração pelo outro sexo, não se reprima, pratique atos homossexuais;

4) Se você tem atração por uma cabra, não se reprima, faça sexo com o bicho;

5) Se você acha que seus filhos atrapalham seus planos profissionais, não se reprima, abandonde seus filhos;

6) Se você não se casou, mas quer ter filhos, não se reprima, vá a uma clínica e escolha um esperma;
 
7) Se você quer fazer sexo com crianças, não se reprima, pratique a pedofilia;

8) As escolas também não devem reprimir os alunos, deve aprovar todos;

9) Se você quer ter um carro de luxo, não se reprima, roube um;

10) Se você quer o cargo de alguém, não se reprima, trapaceie;

11) Se você quer se manter no poder, não se reprima, roube e mate para se manter no poder.

A suposta frustração virou um deus que não pode ser incomodado, por causa dela se mata e estupra. Como se a liberação de todas as frustrações não prejudicasse ninguém. No caso dos pedófilos, as crianças seriam apenas como máquinas servindo a uma pessoa que não pode ser frustrada.

O que nos faz humanos é justamente a capacidade de coibir desejos animais. Então, em suma, o que os dois terapeutas e muitos outros pregam é justamente a destruição do humano.



(Agradeço a indicação desta estupidez ao site Creative Minority Report)
 

5 comentários:

avmss disse...

Pqp! Tinha que ser da Holanda esses dois, mas o maior problema é que assim como os ativistas gays, os pedófilos que não querem se reprimir, alegam que eles não tem problema nenhum e é de direito eles procurarem ter relações com crianças. Isso é um absurdo, se hoje nós do Ocidente temos a noção do que é pedofilia, é graças a Igreja Católica que desde sempre tentava aumentar a idade mínima para o matrimônio, pois era para se preservar ao máximo a inocência da criança. Gostei do nome geração "Não se Reprima", tem muito haver mesmo. Uma pergunta, a Holanda era de maioria protestante até os anos 60, não? Porque vendo o site da CIA, o número de católicos já é maior, parece que o protestantismo não tem muito futuro, ainda mais que alguns deles já tiveram até casamento gay. Outra coisa também é o fato de pessoas sem religião acreditarem em Deus, eu tenho um amigo assim, e nas pesquisas que tenho visto na Europa, o número de pessoas não religiosas e crentes ao mesmo tempo, também é grande.

Abraço

Pedro Erik disse...

Caro avmss,

Eu não costumo confiar em pesquisas sobre denominações religiosas, pelo simples fato que para ser católico, a pessoa tem de crer em Cristo e na Igreja Católica, há até padres que não crêem nestas duas coisas. No Brasil, quantos brasileiros conhecem os ensinamentos de Cristo? E para ser protestante, não basta apenas atacar a Igreja Católica ou gostar do pastor, dever-se-ia saber por que se é protestante.

O protestantismo está perdendo adeptos há muitos anos, especialmente por estar perdido em várias denominações. Aliás, o grande Alexis de Tocqueville já havia previsto isso. A Igreja Anglicana está em seríssima crise, por exemplo.

Mas, em todo caso, eu não sei se a Holanda é católica, desconfio que não.

Bom, pessoas sem religião que acreditam em Deus há muitas e de diversos tipos. Deve-se ver que deus é este. Ele tem alguma ética, alguma moral? Se é apenas um ser supremo ser qualquer moral, está longe de ser o Deus cristão ou até Alá. Os espíritas dizem que acreditam em Cristo, mas certamente não é o Cristo da Bíblia. Os hindus podem até acreditar no Deus cristão, como uma trajetória para o nirvana, ou coisa que o valha.

Bom, a verdade é Cristo e a Igreja deve defender e ensinar isto.

Abraço,
Pedro Erik

Eduardo Araújo disse...

Frei Betto, por exemplo, eu duvido que ele seja verdadeiramente católico.

Sobre a Holanda, li em algum lugar que naquele país tem até um partido político com a plataforma de aprovação da pedofilia.

A eutanásia, liberada naquele país, está fazendo os velhinhos fugirem apavorados para a vizinha Alemanha.

Eis aí o resultado do extremismo liberacionista. Uma sociedade sofisticada na aparência, mas profundamente podre, sem norte moral definido, ultrarrelativista, ultraniilista, ultra-toda porcaria que se imaginar.

Especificamente sobre o tema da postagem, esse é o "argumento" de ouro dos muderninhos. Não é justamente a alegação para se legalizar as drogas: como se a motivação para o consumo adviesse pura e simplesmente do desejo reprimido? Sei, não, Pedro, de repente é, até, uma tática calculada. Pode parecer teoria da conspiração, mas muita coisa bate. Olha só, mudando (não tanto) um pouco de assunto: estou um livro incrível que tive que encomendar dos Estados Unidos, chamado "Hollywood Party". O autor examinou fontes, depoimentos de muitos envolvidos (ainda vivos) e até os arquivos abertos da antiga URSS, para mostrar o plano comunista de apropriação da indústria cinematográfica americana, nos anos 30 e 40. Posteriormente a isso, tivemos Marcuse e o "faça amor, não faça guerra" e toda a carga do marxismo cultural frankfurtiano, desconstruindo princípios e valores da sociedade ocidental cristã. Não parece haver uma estratégia aí?

A considerar assim, esse caso da pedofilia, em sequência ao gayzismo ostensivo, já estava/está "engatilhado", assim como o incesto, até destruirem totalmente a família tradicional firmada sobre bases cristãs.

Abraços

avmss disse...

Na pesquisa da CIA: 30% são católicos, 20% são protestantes, 6% são muçulmanos, 2% outros e 42% sem religião. Mas pra mim ela era pra ter mais protestantes que católicos, pois o protestantismo nos países nórdicos foi mais aceito e um dos problemas da invasão holandesa no Brasil, era que eles eram protestantes, sem falar também que uma das rivalidades que eles tinham com a Bélgica era essa, pois esta última é de maioria católica. A Alemanha também que era de maioria protestante, já está 34% a 34% com os católicos. Isso que me deixou surpreso. Quanto ao que você disse dessas pesquisas, de fato é verdade, a pessoa pode falar que é católica ou protestante, mas não tem nenhuma fé ou tem de forma bem errada, porém em casos como esses a pesquisa mostrou algo bem significativo. O que eu tenho reparado também é que países do Leste Europeu como Polônia, Hungria e Lituânia, que sofreram bastante com o comunismo, têm aparentemente resgatado a sua Fé. A primeira na pesquisa da CIA de 2002, mostra-a com 90% de católicos e destes, 75% disseram ser praticantes, a Hungria com a nova Constituição que defende a vida desde a concepção e o casamento tradicional, sem falar na citação "Deus Abençoe os Húngaros", que tem no hino e agora no preâmbulo da nova Constituição. Sobre o Alexis de Tocqueville você recomenda alguma leitura sobre ele ou livros de autoria dele?

Abraço

Pedro Erik disse...

Valeu pelos comentários, Eduardo e avmss.

Sobre o Hollywood party, eu costumo desconfiar de teoria da conspiração, mas é reconhecido a infiltração da KGB dentro da Igreja Católica. Então, o livro pode ter razão.

Acho que o ser humano tende para a queda (pecado natural) e o ambiente de Hollywwod com exaltação do poder e da beleza é fonte inesgotável para idéias destruidoras (diabólicas).

Avmss, sobre Tocqueville, nada melhor do que o clássico "Democracia na América".

Grande abraço aos dois,
Pedro Erik