quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Mais 4 anos para Obama. E agora?

-

Este blog está de luto. O presidente do aborto até de crianças nascidas vivas, o defensor do fim do casamento tradicional, aquele que ataca a liberdade religiosa da Igreja Católica, o que se rebaixa para países muçulmanos venceu as eleições.

Quando as primárias do Partido Republicano decidiram que Mitt Romney seria o adversário de Obama, eu disse que ele perderia para Obama, pois, apesar de ser economista, eu acho que basear a eleição em questões econômicas é bastante frágil, pois qualquer mudança nos números altera o vencedor. Recentemente eu observei várias pesquisas dizendo que o entusiasmo estava do lado de Romney e que os eleitores independentes também, comecei a achar que Romney poderia vencer. Ontem mesmo, durante a apuração dos votos, teve um momento em que quase todo mundo achava que ia dar Romney, mas aí veio o resultado do estado Wisconsin e os números apertados na Flórida, o clima virou.

Além da vitória de Obama, tivemos ontem pela primeira vez a aprovação do casamento gay nos Estados Unidos, com os votos nos estados de Maine e Maryland.

Muitos notícias ruins hoje, como as derrotas de Allen West e Mia Love para o congresso americano.

Mas pelo menos os católicos (brancos) votaram por Romney (59 contra 40 para Obama).

E o cardeal Timothy Dolan, presidente da USCCB (a CNBB de lá) soube muito bem expressar as congratulações a Obama lembrando que a Igreja continuará sua defesa da vida e pela liberdade religiosa. O que ele disse, nas entrelinhas, é que continuará processando a administração Obama por atentar contra os princípios da Igreja.

E agora?

Os conservadores sempre foram e sempre serão minoria. O próprio Cristo falou isso (a porta do céu é estreita).

A luta pela vida continua.

Um comentário:

FireHead disse...

Era o que já todos esperávamos.