segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Presidente do Irã Confessa que Engana o Ocidente (com sorriso no rosto)


Apesar de repetir para redes de televisão dos Estados Unidos que o Irã nunca iria desenvolver armas nucleares, o presidente do Irã, Hassan Rouhani, confessou para a televisão iraniana que está usando os ocidentais há muito tempo para ganhar tempo e desenvolver armas nucleares. Mostra o jornal inglês Daily Caller. Vídeo abaixo.

Isto não é novidade, todo mundo que estuda o tema (e é honesto intelectualmente) sabe que o Irã está só empurrando com a barriga os pleitos do ocidente para ganhar tempo e forçar o mundo a encarar um Irã nuclear.

Rouhani, que é de confiança de Ayatollah Ali Khamenei, o líder supremo do Irã , tem servido a República Islâmica nos níveis mais altos desde a revolução de 1979. Ele foi o vice-presidente do Parlamento, o chefe do Comitê Executivo do Conselho Superior de Apoio à Guerra durante a Guerra Irã-Iraque, o vice para o segundo-em-comando de chefes do Estado Maior do Irã, um ex-negociador nuclear e, mais importante ainda, o representante do líder supremo no Conselho Supremo de Segurança Nacional desde 1989.

O texto do Daily Caller lembra que Apesar de várias resoluções e sanções da ONU por parte da ONU, dos Estados Unidos e da União Europeia exigindo a suspensão do programa nuclear ilícito do Irã, o regime islâmico expandiu significativamente o programa e, atualmente, tem mais de 10.000 centrífugas em funcionamento, com urânio enriquecido suficiente para mais de seis bombas nucleares, enquanto que ao mesmo tempo está pronto para concluir sua fábrica de água pesada, o que daria ao regime um segundo caminho para armas nucleares através da aquisição de plutônio para armas. 

O vídeo é de junho, anterior às eleições, em que Rouhani foi eleito presidente do Irã, substituindo Ahmadinejad. Observem a satisfação no rosto de Rouhani ao falar que enganou os europeus.

video


No vídeo, Rouhani diz que quando três ministros europeus visitaram as usinas nucleares iranianas apeans 10 centrífugas apareceram para os europeus, mas o país tinha 150.

Ele argumenta que o país precisava de tempo para ter o controle de todo o processo nuclear, e conseguiu convencer os europeus dos fins pacíficos do programa nuclear iraniano. Convencidos, os europeus disseram que não deixariam os Estados Unidos, sob administração Bush, atacar o Irã.

Rouhani relata que com este tempo, e apoio obtido da Europa, muitas fases poderam ser completadas até 2005. Existiram hoje 1700 centrífugas.


(Agradeço informação do Daily Caller ao site Weasel Zippers)

Nenhum comentário: