terça-feira, 28 de junho de 2011

Casamento Gay - Consequências

-

Li vários artigos sobre casamento gay, mas certamente o mais interessante e o que lembra em muitos aspectos o caso brasileiro é um sobre Massachussetts. Parece cópia do caso do Brasil.  O texto é de Brian Camenker. Ele mostra que, no Estado de Massachussetts, casamento gay é ilegal pela constituição do Estado, mas a justiça estadual decidiu que não era (alô, STF), mesmo sendo inconstitucional a  ação da justiça, não foi aprovada nem pelo legislativo, nem pelo executivo. 

Em todo caso, essa ação da justiça deflagrou várias consequências. 

Por exemplo, nas escolas, as crianças desde o maternal são obrigadas a receberem lições que falam sobre a "beleza " do casamento gay. A Igreja Católica deixou de manter organização de adoção para não ser obrigada a liberar crianças para casais gays. Aumentou o número de casos de AIDS e também os casos de agressão no lar. As empresas têm de proporcionar benefícios para casais gays e são testadas sobre isso. Os jornais são obrigados a tratar casamentos homossexuais como naturais e normais, mantendo páginas de fotos de casamentos gays. Nos cartórios, agora há a definição de Parte A e Parte B e não mais marido e mulher.

A conclusão de Camenker é bem interessante (abaixo em azul, traduzo em seguida):

Homosexual “marriage” hangs over society like a hammer with the force of law. And it’s only just begun. It’s pretty clear that the homosexual movement’s obsession with marriage is not because large numbers of them actually want to marry each other. Research shows that homosexual relationships are fundamentally dysfunctional on many levels, and “marriage” as we know it isn’t something they can achieve, or even desire. (In fact, over the last three months, the Sunday Boston Globe’s marriage section hasn’t had any photos of homosexual marriages. In the beginning it was full of them.) This is about putting the legal stamp of approval on homosexuality and imposing it with force throughout the various social and political institutions of a society that would never accept it otherwise.

(Casamento homossexual atingiu a sociedade como um martelo com força de lei. E é apenas o começo. Está bastante claro que a obsessão do movimento homossexual pelo casamento não é porque grande número deles querem se casar. Pesquisas mostram que relacionamentos homossexuais são basicamente disfuncionais em muitos aspectos, e casamento como nós conhecemos não é algo que eles conseguem ou mesmo desejam. (De fato, nos últimos três meses, a seção do jornal Sunday Biston Globe não tem tido fotos de casamentos gays. No começo estava cheio delas). Isto é apenas para colocar um selo legal de aprovação da homossexualidade e impor isso por meio de várias instituições sociais e políticas que nunca aceitariam casamentos gays.)
 
Outro texto bem interessante é a entrevista de Mary Gallagher, da Organização Nacional do Casamento dos Estados Unidos (símbolo abaixo):


Nesta entrevista, Gallagher disse porque ocorreu a provação do casamento gay em Nova Iorque: basicamente os republicanos (partido opositor do casamento gay) permitiu que membros do partido defendessem a proposta. Leiam a entrevista dela que é muito boa. Por exemplo, quando pergutada sobre com deve ser decidido sobre o acasmento, Gallagher responde de maneira brilhante (traduzo em seguida):

We have to decide whether or not we are, as a culture and a nation, seriously committed to marriage not just as an expression of romantic love, but as a social institution necessary to the common good. That is, are we interested in making sure we have a next generation that is raised by their mothers and fathers — united, and committed to raising their children together? As my husband says, “It’s not just about you and your feelings. 

(Nós temos de decidir se nós, como cultura e nação, estamos seriamente empenhados com o casamento não apenas como uma expressão de amor romântico, mas como uma instituição necessária para o bem comum. Isto é, nós estamos interessados em fazer com que a próxima geração seja criada por mães e pais - unidos e comprometidos em cuidar de suas crianças juntos? É como meu marido diz: "Isto não é apenas relacionado a você ou a seus sentimentos")

Gabriel Torreta do First Thing inclui a Igreja Católica entre os culpados. A Igreja não se mobilizou o suficiente para conter a aprovação da lei em Nova Iorque. Eu Falei aqui da reação da Igreja pós aprovação da lei, mas ao que parece a Igreja vacilou muito no combate durante o processo.

O governador de Nova Iorque, Andrew Cuomo se diz Católico, mas deveria ser expulso da Igreja,  como diz o teólogo Edward Peters. Cuomo defende o aborto, vive com uma amante e defendeu e buscou com veemência a aprovação do casamento gay. Se ele não receber excomunhão da Igreja, ninguém deve receber.

Alô escolas, organizações para adoção, empresas, mídia, e principalmente  cristãos no Brasil. Se vocês não reagirem daqui a pouco as pessoas vão clamar pelo islamismo. Os cristãos aceitam a existência de homossexuais, mas para eles, segundo a própria bíblia, a prática de sexo homossexual é pecado grave.  Como os cristão costumam dizer nos Estados Unidos: cristãos podem amar o pecador, mas não o pecado (love the sinner, not the sin). Os muçulmanos não aceitam homossexuais de jeito nenhum, imagina casando com  fotos nos jornais. 

(as fontes na quais peguei os artigos que descrevo aqui são os blogs Creative Minority Report e Pewsitter)

6 comentários:

André disse...

Pedro, eu não tenho palavras para descrever o quanto suas palavras me inspiraram, principalmente depois de ter lido um texto daquele nojento do Azevedo em que ele, com toda a sua retórica de salvador da pátria, joga fora suas crenças católicas.

Para ser franco, até ontem eu não achava que o Reinaldo fosse digno de desprezo, apesar do que você me falou sobre ele. No mínimo, eu o respeitava. O que ele escreveu foi simplesmente horrorizante. Ele praticamente faz uma ode para o direito dos gays. É inacreditável! O que eu achei mais repugnante em todo o "discurso" foi isto:

"Eu chuto o traseiro de todos esses aiatolás, TENTEM ELES ME OPRIMIR COM A SUA VERSÃO DA CRUZ ou com a sua bandeira multicolorida."

Eu nem vou entrar em detalhes no fato de ele ter nos comparado com aiatolás. A parte que eu destaquei representa algo que eu custei a enxergar, mas sobre o qual você já havia me alertado: a arrogância desmedida do Reinaldo. Por acaso ele acha que a interpretação dele das doutrinas católicas é a melhor? Na sagrada religião da qual fazemos parte não há diferentes visões sobre a Bíblia... HÁ APENAS UMA, que é a da Igreja Católica Apostólica Romana. Se este animal não consegue entender isso e acha que o catolicismo é simplesmente uma guerra de versões das Escrituras, então merece ser excomungado.

Devia ter seguido o seu conselho e parado de lê-lo quando tive oportunidade. Se você tiver algum interesse, o link é este: http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/ok-cedo-a-provocacao-entao-vamos-a-algumas-questoes-de-principio/#comments

Abraços, André.

Pedro Erik disse...

Caro André,

As frases que você me enviou do Reinaldo já foram mais do que suficientes para me deixar horrorizado. Como lhe disse, não acesso o blog dele há algum tempo por uma questão de ojeriza ao maior pecado capital (orgulho).

Lembro do dia que Reinaldo Azevedo disse que "discutiria com Cristo em uma sarça ardente". Como alguém que se diz Católico pode "discutir com Cristo" qualquer coisa.

Eu apenas ajoelho e baixo minha cabeça frente ao meu Redentor.

Fico muito feliz que meu texto tenha lhe inspirado, amigo. Ganhei meu dia com suas palavras. Hoje foi uma dia difícil para mim, mas suas palavras me fizeram mais forte.

Grande abraço,
Pedro Erik

Quênio disse...

Pedro, parabéns pelo post.

Realmente, precisamos manter-nos firmes em nossas convicções religiosas. Amemos as pessoas, mas não os atos errados. A ode ao homossexulismo está indo além do respeito às opções sexuais, mas está parecendo uma tentativa de incutir em nós essas novas uniões como legais, modernas e que podem substituir os planos de Deus! Eu desconhecia estudos sobre os lares homofóbicos. Esses dados preliminares são um sinal de alerta. Hoje já temos várias evidências de que a violência, na maioria das vezes, advém de uma família desestruturada. Apesar disso, nenhum governo apóia essa instituição, ao contrário, tentam destruí-la. Mantenhamos firmes e orantes em defesa da família.
Abraço,
Quênio

Pedro Erik disse...

Muito obirgado, Quênio.

Você tem toda razão. Temos de nos levantar contra a cultura da morte que procura destruir a família.

Grande abraço,
Pedro Erik

André disse...

Só uma coisinha que eu achei interessante. Dê uma olhada nisso aqui: http://www.nationalreview.com/corner/270780/fool-comes-down-hill-daniel-foster

Abraços, André.

Pedro Erik disse...

Pois é, André, pensei até em escrever sobre isso hoje. Li dois artigos, um deles no site "the blaze", mas achei que não era muito profundo.

A música Imagine é de uma idiotice completa e Lennon sabia disso. Agora parece que ele era Reagan, mas parece que não teve coragem de ser abertamente. Não gosto desse tipo de dissidente.

Abraço,
Pedro Erik