quarta-feira, 22 de junho de 2011

Geo-Engenharia: Complexo de Superman

-

Quando eu era criança adorava os filmes do Superman. E fiquei muito impressionado no Superman I, quando Louis Lane morreu em um acidente de carro e o Superman ficou tão triste que voou até a estratosfera e girou o planeta Terra ao contrário, fazendo com que o passado voltasse e ele tivesse tempo de salvar a amada.

Perguntei-me, ainda criança: o que é isso? Então, girando a Terra ao contrário o passado volta? E o resto da população mundial, qual teria sido o efeito da volta ao passado? Ah, não pode ser, isso é bobagem.

E era. Mas Superman fez assim uma geo-engenharia para salvar a amada.

Atualmente, está ocorrendo um congresso de ambientalitas sobre geo-engenharia em Lima, patrocinado pela ONU. Tecnicamente geo-engenharia é a manipulação em grande escala das condições ambientais do planeta Terra. Mas quando perguntaram-me o que era, eu respondi dizendo: "Um bando de loucos que quer mudar a estrutura do Planeta, achando, na melhor das hipóteses, que podem salvá-lo. Eles têm Complexo de Superman".

Não é que muitas organizações ambientais e científicas concordam comigo. 125 entidades ambientais e científicas mandaram uma carta ao IPCC,  órgão da ONU que cuida da pesquisa científica sobre mudança climática, dizendo basicamente que a ONU foi longe demais em matéria de querer mudar o clima. Cliquem no link e vejam que entidades brasileiras, como Amigos da Terra e Rede Brasileira de Nanotecnologia, também assinaram a carta.

Deus nos salve desses deuses do planeta!

Vade retro satanás da geo-engenharia. Para vocês, minha medalhinha de São Bento.

2 comentários:

Eduardo R. V. disse...

Mantendo o Superman, Kripton explodiu, se não estou enganado, num desastre ambiental...

E lá vai a humanidade, com seus mal empregados anos de civilização, querendo mudar milhões de anos de sintonia fina na natureza. Não vai dar certo.

E, sendo louco, penso num anúncio de jornal, um governo oferecendo dias de Sol ou outro, neve, frente fria...

Pedro Erik disse...

Legal, Eduardo. Seu comentário lembrou-me 1984 (George Orwell).

Sobre Kripton, acho que foi uma guerra. Mas não lembro bem.

Abraço,
Pedro Erik