domingo, 15 de maio de 2011

Greenpeace Não é Caridade



O mundo, por vezes, é realmente muito lento. Só agora uma pequena parte dele, Nova Zelândia, descobriu que aquilo que o Greenpeace faz não é caridade, nem busca educar as pessoas, o que ele faz é atividade política, por isso não se credencia para receber dinheiro público.

A Alta Corte de Justiça da Nova Zelândia considerou que defender o desarmamento  e ser contra diversos tipos de geração de energia caracterizavam o Greenpace não como uma ONG que buscava ajudar ou educar as pessoas, mas como ativista político.

No Brasil, há discussão atualmente sobre o Código Florestal, a WWF fez uma campanha em Brasília contra diversos pontos do Código (foto abaixo). O que seria isso: campanha educativa ou campanha política?



Eu acho que é atividade política e como tal deve ser financiada. Assim, como a campanha de diversos entidades de agricultores em defesa do Código. Não é caridade, é defesa de um ponto de vista político, social e econômico.

Todos que têm interesse político ou econômico devem ser financiados por aqueles que compartilham de seus ideiais e não pelo Estado, que recebe recursos, por vezes, de pessoas e empresas, que são totalmente contra o comportamento de certos grupos.

Caridade, assim como a verdade, não tem interesses monetários ou políticos.

2 comentários:

André disse...

Pedro, acabei de ligar o computador e não acredito no que estou lendo agora. Mike Huckabee e Donald Trump desistiram de suas candidaturas e, pelo jeito, Gingrich parece também estar dando adeus à disputa. O que está acontecendo? Estou tendo dificuldades com a tradução mas pelo que eu entendi, Gingrich jogou sua candidatura pelos ares ao criticar o plano de cortes orçamentários de Paul Ryan. Como isso pôde acontecer? O que está havendo no Partido Republicano?

Abraços, André.

Pedro Erik disse...

Grande André,

Estou pensando em escrever sobre isso amanhã. Mas ainda não me decidi.

Huckabee tem um grande peso por não ter agido de forma conservadora na contenção de despesas quando foi governador. Além disso, o Glenn Beck caiu em cima dele por ele ter apoiado a primeira-dama com suas campanhas contra alguns alimentos.

Trump tem um histórico de ajuda financeira ao partido democrata maior do que aos republicanos, não tem histórico de ser moralmente conservador, e seu discurso é frágil (além de usar palavrão).

Gingrich desde que anunciou a campanha tem sido um desastre. Resolveu atacar logo Paul Ryan que tem o melhor plano para conter o déficit e é do mesmo partido dele. Além disso, Gingrich tem dificuldade de atacar o Obamacare (pois apoiou a idéia no passado), além de ter feito uma campanha para mudança climática junto com a Nancy Pelosi.

Eu não estou tão triste com os últimos acontecimentos. Não gostava muito de nenhum dos três. Espero agora que Mitt Romney saia. Prefiro primárias sem ele.

Resolvi torcer por Rick Santorum, por enquanto. Apesar de achar que ele ainda não tem cacife.

Bom, acho que falei quase tudo. Não precisa mais de post.

Grande abraço,
Pedro Erik