quarta-feira, 18 de maio de 2011

Vote Contra o Aborto na ONU


Acho que nós, brasileiros, não podemos votar. Cabe aos cidadãos americanos decidir qual programa financiado pelo governo dos Estados Unidos deve ser eliminado. A história é que os deputados do Partido Republicano, preocupados com a déficit público do país, criaram o site YouCut. Neste site, toda semana três programas são indicados para sofrerem corte de gastos. As pessoas entram no site e escolhem entre os três qual deles deve receber apoio do YouCut para que seu custo seja eliminado.


Essa semana as opções são: 1) Programa para Preservação do Patrimônio Cultural em Outros Países (custo de 60 milhões de dólares em 10 anos) ; 2) Contribuição para Fundo de Desenvolvimento da Ásia (custo de  356 milhões em 10 anos); e 3) Contribuição para o Fundo das Nações Unidas para a População (UNFPA) (Custo de 400 milhões de dólares em 10 anos) .


Eu apoio que se corte  o apoio o UNFPA. O presidente Reagan e o presidente Bush não apoiavam o programa da ONU por ele contribuir para política de apenas um filho da China. Obama voltou a apoiar o Programa.

O UNFPA se define como:

UNFPA, the United Nations Population Fund, is an international development agency that promotes the right of every woman, man and child to enjoy a life of health and equal opportunity. UNFPA supports countries in using population data for policies and programmes to reduce poverty and to ensure that every pregnancy is wanted, every birth is safe, every young person is free of HIV, and every girl and woman is treated with dignity and respect. 

(UNFPA, Fundo das Nações Unidas para População é uma agência de desenvolvimento internacional que promove o direito a que cada mulher, homen e criança tenham uam vida saudável e com oportunidades iguais. UNFPA apóia países que usam os dados populacionais para políticas e programas que reduzem a pobreza e para assegurar uma gravidez desejada, nascimento seguro das crianças, que cada pessoa esteja livre da AIDS e que toda mulher e garota seja tratada com dignidade e respeito).

Esse negócio de "gravidez desejada" e "toda mulher seja tratada com dignidade e respeito" são apenas sinônimos para liberdade para abortar. Uma vez que qualquer gravidez pode ser considerada indesejada em qualquer momento dela, e qualquer mulher pode pedir respeito a seu corpo para matar um feto. A China, país que mais realiza abortos no mundo, é o exemplo mais gritante disso.

Há vários sites pró-vida pedindo que as pessoas votem contra o UNFPA. Como eu disse, eu apoio a idéia, mas ressalto que cabe aos americanos decidir, apesar do aborto ser um problema universal.

Lembro também que os republicanos têm o controle da Câmara dos Deputados, mas o Senado é dominado pelo partido do Obama que apóia o UNFPA. Então, a luta contra o aborto é árdua para que seja aprovado um corte de gastos em programas que apóiem a morte de crianças.

Finalmente, que tal criarmos um YouCut brasileiro? O que você cortaria no Orçamento do Brasil?

Muita gente no Brasil, grande parte da população brasileira vive do dinheiro público, tanto os ricos como os pobres, há muito o que cortar. Há MST, empresários de toda espécie (agricultura, mineração, ramo de comunicação, petróleo,...),  sindicatos, 40 ministérios, inúmeras agências governamentais...

2 comentários:

Vânia Cavalcanti disse...

Olá, Pedro Erik!

Há tanto que se poderia incluir em um YouCut brasileiro... penso logo nas mordomias de que os políticos brasileiros, tratados como verdadeiras celebridades,desfrutam. É um deboche com o contribuinte que pena sob uma escorchante carga tributária e recebe em troca serviços públicos indigentes. Mas também penso em cortar a mania do jeitinho, a descortesia, o coitadismo, o populismo, a demagogia de gênero que brotou entre nós desde a fabricação da candidatura da Dilma à presidência, o antiamericanismo jeca... também penso nos números da violência, das mortes nas estradas, das agressões contra as crianças... Vê? Tendo mesmo que escolher, acho que optaria pelo absurdo de se descontar, para os sindicatos, um dia de trabalho de cada trabalhador brasileiro e das empresas, mesmo dos não sindicalizados. Bolada sobre a qual o Lula insentou os sindicatos de prestarem conta que, claro, entregam-se à mais gozoza (para eles) degenerescência de caráter. Este nosso país - suponho que você seja brasileiro - é ou não uma delícia para os que não carregam o peso dos escrúpulos?
Pedro, o blog está ótimo, amanhã comento em outros posts, ok?

Um grande abraço

Pedro Erik disse...

Caríssima Vânia,

Muito obrigado.

Sou brasileiro, sim, Vânia, muitas vezes não tenho muito orgulho disso, mas sou.

Concordo com você sobre os sindicatos. Talvez eu começaria cortando por aí, mas vejo também muita gente no meio empresarial enriquecendo com dinheiro público também.

Na doutrina distributivista se diz que o "big government" vem sempre junto do "big business". E isso é verdade qualquer seja o regime de governo. No nazismo, várias empresas (volks, Simmens, por exemplo) enriqueceram. Nos regimes comunistas, a corrupção empresarial é a norma (ver China, Cuba, qualquer um).

Nos Estados Unidos, o Wall Street adora o esquerdista Partido Democrata. A GE está enriquecendo com o governo Obama, com lucros altíssimos e sem pagar impostos!

Um amigo me disse o que o cara da Gerdau tem uma sala do lado da Dilma.

Abraço,
Pedro Erik