terça-feira, 15 de março de 2011

Argumentos para Aborto



video


Já mostrei aqui a disputa entre amarelos e laranjas (pró-vida e abortistas). O site Catholic Vote resolveu perguntar àqueles que estavam entre os laranjas por que eles defendem clínicas de aborto, como a Planned Parenthood, a instituição que mais realiza abortos nos Estados Unidos. Vejam o vídeo acima, traduzi as respostas de cada um, abaixo:

1) Primeira Mulher no Microfone: "As pessoas dizem que devemos baixar o tom, dizem que devemos encontrar pontos em comum com pessoas que querem tirar nossos direitos, dizem que devemos ser bons e proativos (aí solta um palavrão);

2) Voz enquanto passa imagens da passeata: "Eles querem falar de moralidade? Olhem o que nós defendemos agora: Aborto quando quisermos, sem qualquer desculpas!!

3) Mulher de branco e cabelos pretos:"Eu estou tão feliz de ser uma futura médica, eu farei abortos e ficarei orgulhosa disso!"

4) Mulher de branco no microfone: "Não se deve ter vergonha de fazer aborto, estou planejando fazer uma clínica de aborto, eu fiz um aborto poucas semanas atrás, meu seguro de saúde cobriu".

5) Mulher no ônibus: "Nosso corpo, nossa escolha, eu concordo, vamos nessa!"

6) Moça com piercing no nariz: "Aborto é cuidar da saúde!"

7) Moça com gorro vermelho: "Se não se começar a adotar, todas essa crianças nascerão, não sei o que poderemos fazer, nós não temos a solução"

8) Velho de gorro verde: "Seguro saúde do governo para aborto, sim"

9) Pessoas gritando: "Nem a igreja, nem o estado, mulheres decidem seus próprios destinos!"

10) Mulher ao microfone de laranja: solta vários palavrões e diz "eu já tive o bastante".


11) Moça de cabelo ruivo segurando um cartaz: "Eu queria que eles parassem de decidir sobre o meu corpo com suas bíblias!. Mantenha seus rosários longe dos meus ovários"

12)  Moça de verde segurando um cartaz: "Feto não é uma criança, uma criança é criança apenas quando nasce."

13) Moça de azul com gorro marrom: "Uma criança atrapalhará o emprego e eu não quero pagar por isso".

14) Moça e cabelo rosa: "Porque nós não podemos pagar pelo amanhã, se eu ficar grávida amanhã eu vou querer abortar, se eu ficar grávida hoje, eu abortarei, e eu não me sinto mal dizendo isso"

15) Rapaz de gorro laranja: "Eu quero que clínicas de aborto sejam como o Starbucks, eu quero clínicas de aborto em toda esquina".

16) Rapaz de óculos: "Eles (os pró-vida) estão preocupados com os fetos mas não em criar as crianças, se eles defendessem mais os direitos da crianças, você sabe, hah, isso não faz sentido para mim".

Observando todas as respostas, vejo que 1) eles esquecem que o feto é a criança, todos nós fomos feto um dia; 2) Esquecem os direitos de viver desses fetos; 3) Esquecem que as mulheres não têm poder sobre a vida de outros, nem sobre as crianças em seus ventres; 4) Esquecem que a política econômica deles para crise financeira é matar pessoas. Eles pensam que se mais pessoas nascessem então iriam destruir a economia, então melhor matá-las, fazendo aborto; 5) Não impõem nenhum limite no aborto, criança só existe quando nasce; 6) Querem clínicas de aborto em cada esquina (eu pergunto por que tanto ódio com os fetos); 7) Confundem matar uma criança com cuidar da saúde, como se só a saúde da mãe importasse, e 8) Qualquer assassino, psicopata, ladrão, genocida, pode usar o slogan "nem Igreja, nem estado" para dizer que quer ser livre de questões morais e legais para praticar seus crimes.

É difícil escolher a resposta mais assustadora, mas a última me fez rir, porque o próprio cara viu a bobagem que estava dizendo, enrolou-se no seu raciocínio falho. Quer dizer que as pessoas que são pró-vida deveriam ser chamadas apenas de pró-fetos? Porque eles só pensam no fetos, quando a criança nasce, eles devem matá-las, não é? Só se for isso, ai meu Deus.

2 comentários:

Marcelo Ribas disse...

Tem que avisar às moças que elas têm sim controle do próprio corpo, basta escolher o momento e a forma apropriada de ter relações sexuais. Se não quer ter filho, não faça sexo ou faça usando contraceptivos, baratíssimos hoje em dia.
Simples, não?

Pedro Erik disse...

Grande Marcelo,

Acho que as moças já usam vários métodos contraceptivos, mas querem mais.

A solução da Igreja é impensável (abstinência), os contraceptivos falham ou são esquecidos na hora H, então elas querem poder matar.

A Igreja estava certa quando criticou o uso de contraceptivos, dizia que eles gerariam mais abortos. Não deu outra.

Abraço,
Pedro Erik