quinta-feira, 26 de novembro de 2020

O "Católico" Biden Não Sabe Nem Falar a Palavra Salmos . Oh, Deus.

O "católico" Joe Biden foi querer oferecer sua mensagem de ação de graças e quis mencionar um passagem da Bíblia. Escolheu uma passagem nos Salmos.

A palavra salmos em inglês é psalms. Só que o "p" é mudo, pronuncia-se como se fosse salms. Biden no entanto não tem ideia disso e falou "palms". 

Nunca vi ninguém achar que em "ps" fosse o s mudo e não o p.  Só um tresloucado. 

Vejam no vídeo acima, a partir do minuto 16:34 quando ele passa a querer citar os salmos, ou o "palmos" na versão de Biden.

Muita gente notou isso, vejam aqui alguns twitters dedicados a esta estupidez. Nos twitters vocês vão direto para a parte dos "palmos" de Biden.

Oh, Deus, o cara tem realmente uma completa ignorância com a Bíblia 

Um senil perturbado.


quarta-feira, 25 de novembro de 2020

O Pesadelo de Francisco


Francisco escreveu um livro chamado "Vamos Sonhar" (Let us Dream) que é um verdadeiro pesadelo, dos mais terríveis. Francisco fundamentalmente se imagina ou quer que as pessoas imaginem que ele defende os pobres  quando ele defende aqueles poderosos que estão ganhando dinheiro como nunca com a pandemia chinesa. No livro, Francisco também mostrou apoio a Eucaristia para divorciados e em segundo casamento, dizendo que a Igreja não podia usar regra de sim ou não, deve ser mais complacente (hummmm...)

Sobre os poderosos do coração de Francisco, como mostra a imagem acima, houve uma gigantesca transferência de renda para aqueles que já eram os homens mais ricos do mundo durante a pandemia.

Se você olhar quais são as empresas que determinam o que as pessoas chamam de "mercado", por conta do resultado nas bolsas de valores, essas empresas são basicamente Facebook, Google (Alphabet), Microsoft, e setor bancário. Fora isso, é peixe pequeno no mundo dos negócios hoje.

As empresas e homens mais ricos do mundo não precisam que você saia de casa para que elas ganhem dinheiro: Facebook, Google, Twitter, Amazon, Microsoft, Bloomberg (informação financeira), ou o setor bancário trabalham pela internet. Os pequenos e médios negócios precisam que você esteja na rua consumindo. Os poderosos não precisam.

Os poderosos também não precisam de fronteiras. Elas estão no mundo todo. Desprezam bandeiras nacionais e culturas e religiões que impeçam o avanço do globalismo.

Os poderosos de hoje são vistos como não poluidores do clima, eles não produzem gasolina ou trabalham no ramo agrícola. Eles são vistos como limpinhos. Então, podem defender com raiva  e muito dinheiro a hipótese de mudança climática e exigir que o mundo reduzam suas produções agrícolas e mudem sua produção de energia, em nome da "Irmã Terra", como diz Francisco.

Quais são as empresas que mais apoiam políticas abortistas e de controle populacional nos EUA  e no mundo? Aquelas mais poderosas também.

Quais são as empresas que mais apoiam o gayzismo no mundo? Aquelas mais poderosas também.

Quais são as empresas que mais desejam o silêncio do mundo em apoio a China? Aquelas mais poderosas também.

Quem apoiou Biden e seus lockdowns e "green deal"? Justamente os homens mais ricos do mundo, que mandam naquelas empresas.

Quem teve mais dinheiro para campanha política e não precisou nem sair de casa para fazer comício? Biden. Vejam a diferença de dinheiro abaixo entre os democratas (Biden, azul) e republicanos (Trump, vermelho), quem é o pobrezinho?


Francisco quer que as pessoas fiquem em casa, apoia os lockdowns, e apoia até manifestações que agem supostamente contra o racismo (na verdade são anarquistas que destroem igrejas e odeiam a Cristo), para o aplauso dos poderosos.

Francisco ainda comparou o que chamou de "líderes populistas" (leia-se Trump) com Hitler.

Trump é o maior defensor pró-vida da história entre os presidentes dos EUA, o presidente que fez políticas econômicas que mais empregaram latinos e negros nos EUA, Trump é praticamente o único líder mundial que se levantou para desafiar a China.

Trump é justamente o maior inimigos dos poderosos.

Francisco recebeu recentemente outros poderosos, jogadores da NBA, milionários, que se dizem perseguidos.

E Francisco não usou máscara em reunião com eles, devem ser pessoas sem pecado e sem vírus.

Francisco prega um pesadelo para o cristianismo, para a liberdade humana e para a vida humana. 

O pesadelo de Francisco é uma gigantesca heresia.

No livro, ele responde ao Dubia dos cardeais e se mostra aberto à mudar Eucaristia. Burke e companhia farão alguma coisa? Reagirão publicamente? Estamos cansados de esperar.

Rezemos pela conversão de Francisco, como diz o site Life Site News.

Rezemos pela Igreja.

Rezemos por nossa fé.



terça-feira, 24 de novembro de 2020

Os Termômetros da Fraude na Eleição dos EUA


 A tradução para bellwether é que significa uma pessoa ou coisa que indica o futuro. No passado era um sino colocado no líder dos carneiros para indicar o caminho. Em suma, é algo que indica o futuro.

Na imagem abaixo temos os condados que são "bellwether" da eleição dos Estados Unidos, isto é, a vitória neles indica quem será o vencedor. Vejam o que aconteceu na eleição deste ano. Trump ganhou em quase todos os bellwethers e dizem que ele perdeu a eleição. Vejam na eleição de 2016, os bellwether acertaram, todos votaram em Trump, e ele venceu. Na reeleição de Obama de 2016, todos votaram em Obama, e ele venceu. Da mesma forma, com Bush e Clinton. No passado, são pouquíssimos os bellwethers que erraram o vencedor. Este ano, quase todos erraram.

Nos Estados Unidos, se sabe há algum tempo em que estado a batalha eleitoral acontece. Não adianta se gastar muito dinheiro para tentar vencer seja no Estado de Nova York ou na Califórnia. Nem os democratas, nem os republicanos gastam muito com isso. Pois lá vai vencer um democrata, mesmo que seja um completo tresloucado que quer acabar com os Estados Unidos (acho que esse ganharia até mais votos hoje em dia, os eleitores lá estão tresloucados).

A batalha ocorre em estados como Flórida e Pensilvânia, que costumam mudar de votos têm muitos votos do colégio eleitoral.

Foi justamente lá, que os democratas de Biden, muito mais ricos que os republicanos de Trump, gastaram muito dinheiro. 

Os ricaços que apoiam Biden gastaram uma enorme fortuna na Flórida e na Pensilvânia:

- Bloomberg gastou 100 milhões de dólares na Florida em apoio a Biden. Não deu certo, Trump ganhou lá.

- Zuckerberg gastou 18 milhões em condados da Pensilvânia em apoio a um projeto chamado "Eleições Seguras" e foi desses condados que Biden (supostamente) ganhou de Trump.

Muita grana, como nunca , foi gasta em apoio a Biden. A ideia é que Trump deveria ser expulso custe o que custar. 

E Trump ainda luta.

O site The American Catholic trouxe outros bellwethers que sinalizam que as eleições nos Estados Unidos sofreram fraude gigantesca.

Vejamos:

  1. Os chamados bellwethers presidenciais - De todos os condados que previram corretamente os resultados das eleições presidenciais desde 1980, apenas um permanece. Todos os outros achavam essa eleição “errada”. Isso é impressionante e sem precedentes.
  2. Eleições da Câmara - até a eleição de novembro, 26 membros republicanos da Câmara se aposentaram. Normalmente você só vê essa onda de aposentadorias quando um partido acredita que vai ser bombardeado, e o partido de Trump pensou que seria bombardeado na Câmara. Como resultado, faltou recrutamento republicano para candidatos à Câmara. Os democratas estavam cheios de dinheiro. Os especialistas previram que os democratas ganhariam de 5 a 20 cadeiras. (Fox previu 5-15 na noite da eleição.) Em vez disso, são os republicanos que estão ganhando cerca de 13 cadeiras. Das 27 corridas classificadas como tossups por especialistas que vão para a eleição, 27 de 27 foram vencidas por republicanos. Isso foi quase tudo devido a Donald Trump e os 74 milhões de eleitores republicanos que ele trouxe às urnas.
  3. O Senado - quase todos os especialistas achavam provável que o Senado passaria ao controle democrata por causa do mapa muito ruim que os republicanos estavam defendendo. Duas cadeiras enfrentam segundo turno na Geórgia, mas os republicanos são os favoritos para aguentar. Várias corridas importantes foram decididas com de Donald Trump.
  4. Corridas legislativas estaduais- Este foi um ano importante, já que as novas legislaturas eleitas este ano controlarão o redistritamento na maioria dos estados. Os democratas investiram dinheiro sem fim na reviravolta nas câmaras legislativas. Em vez disso, foi o Partido Republicano que ganhou cerca de 160 assentos legislativos, e a única legislatura que mudou foi New Hampshire, que passou do controle democrata para o republicano.
  5. Eleições para governador - Os republicanos ganharam mais um estado dos que já tinham, aumentaram o poder.
  6. Sucesso nas urnas - é muito estranho que um partido em uma eleição presidencial seja vitorioso em todos os outros níveis, mas perca a Casa Branca.
  7. Ohio e Flórida-Ohio foram os sinos presidenciais desde 1970. A Flórida foi os sinos presidenciais desde 1992. Trump ganhou os dois, mas ainda assim perdeu a eleição. O último candidato republicano a que isso acontecesse com ele foi Nixon em 1960, sessenta anos atrás, em uma eleição obscurecida por suspeitas de fraude.
  8. Notas presidenciais - alguns eleitores votarão apenas para presidente. Biden recebeu um número incomumente grande, especialmente em comparação com os de Trump, em estados-chave. Se alguém vai preparar cédulas fraudulentas, votar apenas para presidente economiza tempo, e não votar em disputas eleitorais reduz a chance de descoberta, uma vez que os totais das disputas presidenciais em um estado quase nunca foram contestados historicamente, enquanto os desafios legais ocorrem com muito mais frequência nas disputas legislativas e locais.
  9. Aumento do voto de trunfo - um caminho certo para a vitória de um presidente é aumentar o total de votos a partir do momento em que foi eleito. Alguns presidentes conseguem a reeleição, mesmo obtendo menos votos. A instância mais recente foi Obama em 2012, que ganhou 3,5 milhões de votos a menos do que em 2008. Felizmente, ele estava concorrendo contra Romney, que conseguiu a façanha de aumentar o total patético de McCain em menos de um milhão. Os votos ainda estão sendo tabulados, mas parece que Trump aumentou seu total de votos em 2016 em quase 12 milhões de cédulas, enquanto Biden, um candidato que quase não fez campanha, supostamente aumentou o total de Clinton em 2016 em quatorze milhões de votos.
  10. Entusiasmo - em todos os aspectos, os eleitores de Trump tendiam a ficar muito entusiasmados com ele, enquanto os eleitores de Biden tinham pouco entusiasmo por ele, a maioria sendo motivada pela oposição a Trump. Em disputas presidenciais, geralmente o lado mais entusiasmado vence.
  11. Observadores - nos centros urbanos democratas em estados importantes, os observadores republicanos foram perseguidos e, às vezes, bloqueados. Eles foram mantidos a uma distância tão grande, aparentemente fora das preocupações da Covid, que não puderam observar as cédulas reais sendo tabuladas. Como já perguntei muitas vezes em minha carreira jurídica: se você não tem nada a esconder, por que está agindo como se tivesse muito a esconder?
  12. Diminua a velocidade e pare na contagem de votos - Depois que Trump assumiu a liderança na noite da eleição, Michigan, Wisconsin e Pensilvânia, ou melhor, seus condados controlados pelo azul, de repente começaram a desacelerar e interromper a contagem de votos, que não foi retomada até as primeiras horas de a manhã. Não é preciso muito cinismo para perceber que os poderes democratas existentes nesses condados estavam determinando quantos votos precisavam para prevalecer. A preparação para isso foi feita na Pensilvânia, com o prefeito da Filadélfia anunciando, antes do dia da eleição, que a Filadélfia não começaria a contar as correspondências nas cédulas até o dia seguinte à eleição.


segunda-feira, 23 de novembro de 2020

A Economia do Francisco e do Leão

Lendo o discurso final de Francisco para os participantes do encontro "Economia de Francisco", a conclusão é que ele disse: "ei, nós precisamos e desejamos mudar a economia global, mas não sabemos nem como, nem que mudança desejamos.". Ele disse quase textualmente isso, várias vezes.

Quem não sabe onde vai está claramente perdido. É realmente andar em círculos, como mostra o logo do encontro, até cair no nada.

Pior, Francisco acha que a falta de rumo não pode se encaixar em "um única mentalidade dominante". Assim, nem mesmo o catolicismo serve de guia para a mudança.

Melhor seria que Francisco, deixasse a economia para o Leão, o Leão XIII da encíclica Rerum Novarum, ele já explicou isso em 1891. Tudo que veio depois, mesmo as encíclicas que vieram exaltando a encíclica Rerum Novarum, pioram a encíclica, quando trouxeram argumentos novos. Detalho isso em um seção especial do meu livro Ética Católica para Economia.

Como a coisa é bem infantilizada no encontro Economia de Francisco, eu sugeriria outro leão, o Leão dos Contos de Nárnia, ele lembra mais Cristo, e defende a fé na natureza, no clima (o Leão de Nárnia lutou contra o esfriamento e trouxe aquecimento, que gera vida) e na guerra.

Vou aqui mostrar aqui o discurso de Francisco, que mostra claramente, que ele não faz ideia de onde ir em questões econômicas, mas está preocupado com a "Irmã Terra" que anda "espoliada"

Putz, que canseira, é uma monotonia da estupidez. Mas vamos lá:

Ele disse por exemplo:

  • Você reconhece a necessidade urgente de uma narrativa econômica diferente, de uma compreensão responsável de que "o sistema mundial atual é certamente insustentável de vários pontos de vista" e está prejudicando nossa irmã terra, tão gravemente maltratada e espoliada, juntamente com os pobres e os excluídos em nosso meio. Essas duas coisas andam juntas: se você prejudicar a terra, o número de pobres e excluídos aumenta. Eles são os primeiros a serem feridos ... e os primeiros a serem esquecidos. Porém, tenha cuidado para não ser convencido a acreditar que esse é apenas mais um problema banal. Sua voz é muito mais do que um clamor vazio e passageiro que pode ser abafado com o passar do tempo. Em vez disso, você é chamado a ter um impacto concreto nas cidades e universidades, locais de trabalho e sindicatos, empresas e movimentos, escritórios públicos e privados, e a trabalhar com inteligência, compromisso e convicção para alcançar os centros onde as ideias e paradigmas são desenvolvidos e decididos.
  • Precisamos de mudança; queremos mudança e buscamos mudança. Mas o problema surge quando percebemos que não temos respostas adequadas e inclusivas para muitos dos nossos problemas atuais. De fato, vivenciamos uma certa fragmentação em nossas análises e diagnósticos que acaba bloqueando todas as soluções possíveis. No fundo, carecemos da cultura necessária para inspirar e encorajar diferentes visões marcadas por abordagens teóricas, políticas, programas educacionais e, de fato, espiritualidade, que não podem se encaixar em uma única mentalidade dominante.  Dada a urgência de encontrar respostas, é imprescindível promover e apoiar grupos de liderança capazes de moldar cultura, desencadear processos - lembre-se dessa palavra: processos - abrir caminhos, ampliar horizontes e construir laços comuns ... Todo esforço de organização, de cuidado e melhorar a nossa casa comum, se quiser ter sentido, exigirá também uma mudança no “estilo de vida, nos modelos de produção e consumo e nas estruturas de poder estabelecidas que hoje governam as sociedades”. Sem isso, você não realizará nada.
  • Os sistemas de empréstimo, por si só, levam à pobreza e à dependência. É legítimo clamar pelo desenvolvimento de um modelo de solidariedade internacional capaz de reconhecer e respeitar a interdependência entre as nações e favorecer mecanismos de controle que impeçam qualquer tipo de sujeição. E trabalhar pela promoção dos países mais desfavorecidos e em desenvolvimento, porque cada povo é chamado a tornar-se artesão do seu próprio destino e do mundo inteiro.


sábado, 21 de novembro de 2020

Austin Ruse sobre Governo Trump e as "Hienas" que o Atacam - A Guerra Não Acabou

Austin Ruse é o mais renomado guerreiro católico em defesa de políticas pró-vida dentro da ONU.

Recentemente, ele escreveu um texto contra aqueles de difamam Trump desde que Trump chegou ao poder.

Ele destaca um tal de Senhor Linker que compara Trump ao demônio.

No fim Austin Ruse diz:

Donald Trump foi o presidente mais pró-vida da história e de maneiras que a maioria das pessoas nem conhece. Você sabia que existe um escritório ativo de proteção da consciência no Departamento de Saúde e Serviços Humanos que está recebendo reclamações de estudantes de medicina sendo forçados a aprender sobre o aborto? Alguém além dos especialistas sabe que Trump traçou uma linha vermelha em torno do termo “saúde e direitos reprodutivos” em documentos da ONU (contra a defesa do aborto nestes documentos)? Ele fez isso em um estado profundo hostil lutando contra ele a cada passo do caminho.

O Sr. Linker quer que esqueçamos os crimes cometidos contra Donald Trump e que esqueçamos as realizações extraordinárias de Trump.

É de se perguntar o que Trump poderia ter realizado se as hienas o tivessem deixado fazer o trabalho para o qual foi eleito. E aqui está algo que você deve entender, Sr. Linker. Você quer que esqueçamos tudo isso. Mas não vamos. Você e os seus declararam guerra a Trump, e você a cumpriu todos os dias. Essa guerra não acabou. Não nos rendemos. Bem-vindo ao redemoinho.

Leiam todo o excelente texto de Ruse, clicando aqui.



quinta-feira, 19 de novembro de 2020

Ode a Verdadeiros e Corajosos Católicos. Um Mártir e uma Filósofa Para Eles

Pintura acima de Piero della Francesca, de Cristo ressuscitado, como a nos lembrar que ICXC NIKA (Cristo vence!)

Recentemente, George Weigel escreveu um artigo em homenagem a corajosos católicos, especialmente àqueles que estão na China defendendo a sua fé, àqueles que tem atração ao mesmo sexo mas ficam celibatários pois entendem do pecado tenebroso de atos homossexuais (pessoas agrupadas em um grupo apostolado católico chamado Courage), e àqueles que estão estupefatos com todas as ações e palavras de Francisco, mas mantém a fé porque olham para a Cristo e reconhecem a verdadeira doutrina da Igreja.

No Brasil, estes católicos estão sem pai, nem mãe. O clero é majoritariamente contra eles (há ainda alguns no clero, mas eles são tão poucs e se escondem demasiadamente), e não há qualquer político que os defenda ou defenda a Doutrina católica (eles nem sabem o que isso significa). Bolsonaro é uma fraude.

Nos Estados Unidos, o clero é também majoritariamente contra eles, mas pelo menos o Partido Republicano se posiciona firme contra o aborto sob qualquer circunstância, e Trump é o presidente que mais vez pelo movimento pró-vida da história dos EUA, e também é o presidente que mais defendeu a liberdade religiosa contra os avanços do politicamente correto gay, abortista e anticristão.

Eu queria sugerir um mártir e uma filósofa para inspirar estes católicos.

O mártir é Franz Jagerstatter. Ele foi declarado mártir por Bento XVI em 2007.

Jagerstatter não teve ninguém para lhe proteger, seus maiores adversários teológicos, eram justamente os padres. Debateu com eles nas ruas de sua cidade (St. Radegund) e até na prisão. Eles queriam que Jagersttaer negasse sua fé e jurasse lealdade a Hitler. 

Jagersttaer não tinha o apoio do Papa de sua época de martírio. Tinha que se apoiar nas encíclicas contra o nazismo e o comunismo do papa anterior. Algo bem semelhante com a nossa época, na qual os verdadeiros católicos se afastam das palavras e textos de Francisco como o a cruz foge do diabo (para usar a expressão ao contrário, pois fica mais apropriada). Apesar de que Pio XII que silenciou em textos contra o nazismo, agiu secretamente contra o nazismo e até contra a pessoa de Hitler (explico no meu livro sobre Guerra Justa) e era bem mais católico que Francisco.

Jagersttaer sofreu sozinho, como diz o título do livro de 1964 que levou ao mundo ao conhecimento dele. Aliás, Jagerstttaer foi morto pelo nazismo em 1943, mas o mundo só tomou conhecimento dele mais de 20 anos depois (o tempo de Deus é diferente).

Jagersttaer apesar de ser um objetor de consciência, pois não queria ser um soldado de Hitler, defendeu a teoria da guerra justa nos seus escritos. Sabia que a culpada da Segunda Guerra era a Alemanha, a guerra justa era contra a Alemanha. Em suma, ele era um grande guerreiro de Cristo.

Melhor que ler o livro que levou muita gente a conhecer Jagersttater, leiam o livro de cartas e textos de Jagerstatter, que só estudou até os catorze anos. Os artigos dele são muito profundos e brilhantes.

Erna Putz publicou o livro de cartas e textos de Jagerstatter. Cliquem aqui.

Além disso, temos o belíssimo filme do diretor Terrence Malick: Uma Vida Oculta, sobre Jagerstatter. Este filme é demais. Já falei do filme aqui no blog.

Sugiro também uma filósofa: Gertrude Elizabeth Margaret Anscombe (conhecida como G.E.M.Ascombe), que alguns consideram como a  maior filósofa de todos os tempos. Especialista em Wittgenstein, e autora do artigo seminal para as teorias de virtude ética (Modern Moral Philosphy). Ela era aristotélica e tomista.

Ela se converteu ao catolicismo quando jovem, se casou com um filósofo renomado também, e teve sete filhos. Faleceu em 2001.

Anscombe defendia sua fé nos seus escritos e em atos.

Defendeu a teoria da guerra justa, mas se opôs visceralmente aos ataques nucleares contra Hiroshima e Nagasaki.

Nas fotos abaixo (disponibilizadas pela filha dela), Anscombe aparece sendo retirada da porta de uma clínica de aborto pois estava impedindo que mulheres fossem lá matar seus filhos.



Se inspirem em Jagerstatter e Anscombe. E saibam ICXC NIKA (Cristo vence!)


quarta-feira, 18 de novembro de 2020

O Rodapé 127 no Relatório McCarrick: Sexo Gay, KGB e FBI

O Pontificado Francisco parece realmente que gosta de colocar bombas em rodapés. Já temos o famoso rodapé 351 em que Francisco considera o sacramento da Eucaristia para adúlteros ou casados civilmente pela segunda vez, que foi motivo de questionamento de 4 cardeais que Francisco nunca respondeu.

Agora no Relatório McCarrick, Elizabeth Yore chama atenção para o rodapé 127.

Interessante para começar sobre este rodapé é que ele tem link no nome de um cardeal (Cardeal Bernardin), mas o assunto do rodapé não tem nada a ver com o cardeal, nem o nome dele é mencionado. Um jeito de não chamar atenção para o rodapé. 

O assunto é: Na década de 80, McCarrick ficou amigo de um agente da KGB que trabalhava na ONU, e o FBI descobriu isso. Daí, o FBI pediu para que McCarrick agisse como agente duplo, informando ao FBI os passos do agente da KGB. Não se sabe se McCarrick se tornu agente do FBI ou da KGB. Vaticano foge da conclusão, como a dizer: não me perguntem mais sobre isso. Durante a vida ficou muito próximo de países comunistas, como União Soviética, China e Cuba.

Francisco, inclusive, chegou a nomeá-lo para trabalhar no acordo da China com o Vaticano. Mesmo depois de McCarrick sofrer represália por seu comportamento homossexual de Bento XVI.

Aqui vai a tradução do rodapé:

O perfil ascendente de McCarrick na Igreja atraiu o atenção do Federal Bureau of Investigation (FBI) e até mesmo da KGB. No início da década de 1980, um agente da KGB que desfrutou de cobertura diplomática como Vice-Chefe da Missão para as Nações Unidas para a União Soviética abordou McCarrick, aparentemente para tentar fazer amizade com ele. McCarrick, que inicialmente não sabia que o diplomata também era um agente da KGB, foi contactado por agentes do FBI, que o solicitaram para servir como agente de contra-espionagem no que diz respeito às atividades do KGB. Embora McCarrick acreditasse era melhor recusar tal envolvimento (principalmente porque ele estava imerso noorganização da nova Diocese de Metuchen), o FBI persistiu, contatando McCarrick novamente e encorajando-o a permitir que um relacionamento com o agente da KGB se desenvolvesse. Dado a natureza delicada da situação, McCarrick relatou em detalhes o pedido do FBI para o núncio Laghi em janeiro de 1985, buscando o conselho de Laghi sobre como proceder. Laghi achava que McCarrick "não deveria ser negativo" sobre a possibilidade de servir como uma fonte do FBI e descreveu McCarrick em uma nota interna como alguém que "sabe como lidar com essas pessoas e ser cauteloso ”e quem era“ sábio o suficiente para entender e não ser capturado." Não está claro, no entanto, se McCarrick acabou aceitando a prooposta do FBI e nenhum registro reflete contato posterior com o agente da KGB. Em uma entrevista, o ex-diretor do FBI Louis Freeh, embora não esteja pessoalmente familiarizado com o incidente, afirmou que McCarrick teria sido "uma meta de valor muito alto para qualquer um dosserviços [de inteligência], mas particularmente os russos da época ”. 

O texto de Elizabeth Yore é muito bom, para mostrar o relacionamento entre sexo gay dentro da Igreja e espionagem comunista. Se um padre é abusador sexual de seminaristas e um órgão de espionagem descobre isso, ele se torna potencial agente de espionagem, porque  a agência de espionagem pode chantageá-lo. Além do mais, quem faz sexo gay e é padre está acostumado a viver na mentira. E mentira é o alimento da espionagem.

Eu sou fã do historiador militar católico John Keegan, certa vez ele escreveu um livro sobre espiões. No começo do livro, Keegan diz que tentou se aproximar de espiões para entender melhor o trabalho deles, mas desistiu logo, era impossível navegar no meio de mentiras, palavras entrecortadas, falsidades.

Outra coisa, muito é conhecido da infiltração da KGB dentro da Igreja Católica, por isso que Elizabeth Yore se pergunta se McCarrick não era mais um agente da KGB.

Vejam abaixo tradução de parte do excelente texto de Yore. Para quem nao sabe, McCarrick também é conhecido como Tio Ted (seu primeiro nome Theodore), assim eram chamado pelos seminaristas que dividiam a cama para relacionamento gay com ele.


O tio Ted era um espião russo?

ELIZABETH YORE


Predadores sexuais, como espiões, são mestres da mentira e do engano. Ambos operam em segredo, perpetuam uma história de cobertura, manipulam suas vítimas por meio de mentiras e mantêm uma fachada de respeitabilidade. Freqüentemente, predadores sexuais tornam-se alvos principais e fáceis de espionagem, uma vez que são muito vulneráveis à chantagem. Predadores sexuais proeminentes podem se tornar espiões proeminentes. Espiões negociam informações secretas e tráfico de influência - quanto mais proeminente o ativo, mais valiosa a informação.

...

Entre 449 páginas, 157.000 palavras e 1.375 notas de rodapé, o Relatório McCarrick do Vaticano vomita um torturante tratado de contos de transferência de culpa, falhas institucionais, sobre um predador sexual magistral com um alcance global.

Enterrada nessa monstruosidade espalhafatosa está uma nota de rodapé reveladora e sinistra, elaborada habilmente para parecer imperceptível. No entanto, a nota de rodapé 127 é tudo menos normal; em vez disso, deve ser visto como um ponto crítico e explosivo apontando para uma afiliação política sinistra e papel desempenhado pelo cardeal McCarrick.

...

Aparentemente, o perfil proeminente de McCarrick e os pecadilhos lascivos chamaram a atenção da KGB. Como mestres da chantagem, a KGB recrutou habilmente políticos, funcionários do governo e clérigos comprometidos. A Missão Soviética da ONU foi historicamente um covil de víbora de agentes espiões soviéticos, cuja tarefa é recrutar bens valiosos, vigiar alvos altamente colocados e roubar documentos ultrassecretos e inteligência. A KGB pagava muito bem sua rede de espiões por informações secretas.

Em 1969, o chefe da KGB, Yuri Andropov, ordenou uma operação de espionagem em larga escala contra o Vaticano, ordenando que agentes soviéticos cultivassem toupeiras entre os funcionários da Cúria do Vaticano. No final das contas, todos os dicastérios e burocracias do Vaticano foram infiltrados pela KGB. No livro de Christopher Andrew, The Sword and Shield, arquivos secretos dos soviéticos revelam que eles buscavam a expansão global do comunismo e o enfraquecimento de seus inimigos; “A Santa Sé, que foi classificada como um dos principais alvos dos serviços de inteligência soviéticos durante a Guerra Fria”.

...

Quando a KGB abordou McCarrick no “início dos anos 1980”, a Guerra Fria estava no auge. A KGB claramente via o bispo McCarrick como uma pessoa importante que poderia fornecer informações valiosas e influência no Vaticano e nos Estados Unidos.

Theodore McCarrick apresentou-se como o candidato ideal para os agressivos espiões da KGB. Não havia prelado mais comprometido e mais capaz de chantagear do que McCarrick.

Imagine o ativo de valor agregado da KGB do bispo de Metuchen, que passou mais tempo no Vaticano e viajando pelo mundo do que em sua diocese de Nova Jersey. Imagine a facilidade com que a KGB poderia explorar e chantagear McCarrick, sabendo de sua obsessão por jovens e dinheiro. A KGB tinha evidências, como fotos de McCarrick em posições comprometidas?

Infelizmente para McCarrick, o FBI estava ocupado vigiando o Vice-Chefe da Missão Soviética nas Nações Unidas enquanto o espião da KGB perseguia e preparava o Bispo McCarrick. Você pode imaginar o choque quando tropeçou em McCarrick com a KGB? Que enigma desconfortável para McCarrick saber que o FBI estava vigiando suas reuniões com o Vice-Chefe da Missão Soviética da ONU. Como referência na nota de rodapé 127, embora vagamente, o FBI procurou a ajuda de McCarrick para servir como um agente duplo para os Estados Unidos. Embora McCarrick tenha finalmente discutido esse pedido do FBI, com o Núncio Papal, embora anos depois, o Relatório do Vaticano afirma que “não está claro, entretanto, se McCarrick acabou aceitando a proposta do FBI e nenhum registro reflete contato posterior com o agente da KGB. ”

Essa é uma daquelas declarações legais que oferece uma cláusula de escape para o Vaticano. Nada mais nos Arquivos Secretos sobre esse assunto, pessoal. Nada mais para ver aqui. A informação está oficialmente morta. Está?

O virulento inimigo dos Estados Unidos e da Santa Sé era amigo de Ted McCarrick. Os mestres da espionagem da KGB sabem que as falhas morais fornecem a base para a chantagem. Ted McCarrick, um predador sexual em série era leal a apenas uma pessoa, ele mesmo. McCarrick ansiava por poder e dinheiro e os exercia com maestria para seus fins egoístas. Ele também teve acesso ilimitado a líderes mundiais, prelados e políticos americanos.

Onde estavam as simpatias de McCarrick? Com o FBI ou o KGB?

Talvez a resposta esteja enterrada no Relatório McCarrick.  Depois que McCarrick finalmente contou ao Núncio Papal em 1985 sobre as intervenções da KGB / FBI, McCarrick viajou para a URSS em 1987 e novamente em 1988. Além disso, McCarrick viajou para Cuba em 1988 para visitar o brutal regime comunista cubano de Fidel Castro.  Ao longo dos anos, McCarrick viajou à China comunista mais de uma dúzia de vezes e até visitou o líder comunista Jiang Zemin.  McCarrick conhecia bem os países e líderes comunistas.

 McCarrick estava se reunindo com seus espiões mestres e compartilhando inteligência enquanto visitava esses países comunistas?

A KGB estava fornecendo a McCarrick meninos e rapazes como pagamento por sua cooperação com os soviéticos?

 Foi a fonte da vasta riqueza de McCarrick de pagamentos por seus supervisores comunistas?

 Por que o vice-chefe da Missão Soviética da ONU contatou McCarrick em primeiro lugar?  O vice-chefe em Nova York foi instruído pela sede da KGB em Moscou a entrar em contato com McCarrick porque ele era um conhecido simpatizante do comunismo?  Parece altamente provável que o bispo McCarrick tenha aparecido no radar da KGB como um dos principais candidatos para o trabalho de espionagem.

De acordo com a nota de rodapé, este jogo de espionagem de gato e rato durou vários anos.  O FBI continuou a contatar McCarrick para servir como recurso de contra-inteligência.  Aparentemente, McCarrick objetou.  Finalmente, o calor deve ter sido demais para McCarrick e ele contatou o núncio papal.  Não surpreendentemente, McCarrick se recusou a servir como recurso de contra-espionagem para o FBI.

 A nota de rodapé 127 levanta muito mais perguntas do que respostas.

Talvez, esta nota de rodapé 127 aparentemente insignificante explique por que McCarrick foi enviado pelo Papa Francisco para iniciar negociações secretas com a China comunista e viajou para a China pelo menos três vezes em nome do Papa Francisco.  Talvez a nota de rodapé 127 também explique por que Obama e Biden procuraram o cardeal McCarrick para ajudar a negociar um acordo ultrassecreto com Cuba comunista em nome do governo Obama.  Os acordos secretos com os comunistas estão seguros com McCarrick.  O sigilo é a marca registrada de um predador sexual.

 Os comunistas confiam em Ted McCarrick.  Essa é uma queda mortal que deve fazer seu queixo cair.

...

Talvez, esta nota de rodapé 127 aparentemente insignificante explique por que McCarrick foi enviado pelo Papa Francisco para iniciar negociações secretas com a China comunista e viajou para a China pelo menos três vezes em nome do Papa Francisco.  

Talvez a nota de rodapé 127 também explique por que Obama e Biden procuraram o cardeal McCarrick para ajudar a negociar um acordo ultrassecreto com Cuba comunista em nome do governo Obama.  Os acordos secretos com os comunistas estão seguros com McCarrick.  O sigilo é a marca registrada de um predador sexual.

 Os comunistas confiam em Ted McCarrick.  O rodapé realmente tem muita informação para fazee seu queixo cair.



terça-feira, 17 de novembro de 2020

A Fraude do Relatório McCarrick

O relatório do Vaticano sobre McCarrick (na foto sendo abraçado por Francisco) em tese seria para relatar e denunciar McCarrick e todos aqueles da máfia gay que permitiram que ele abusasse sexualmente de tantos jovens seminaristas. Mas o que se viu foi uma fraude que acabou silenciando sobre a máfia gay e ainda atacou os denunciantes, em especial Viganò, sem falar que acabou atacando até João Paulo II e também Bento XVI.

Sobre este último caso, de João Paulo II, é geralmente aceito que João Paulo II foi fraco na defesa da Igreja contra aqueles que praticavam abusos sexuais na Igreja, em especial se lembra do caso Marcial Marciel. Agora com o relatório há muitos dizendo que João Paulo II foi santificado muito rapidamente, que deviam ter levado isso em consideração. Em suma, o Vaticano jogou lama em cima de João Paulo II, para livrar o próprio Francisco que também não é conhecido por defender a Igreja da máfia gay, muito pelo contrário. Francisco é conhecido por proteger a máfia gay, e o relatório é apenas uma parte disso. Inclusive, o próprio McCarrick recebeu apoio de Francisco no início do pontificado.

Sobre Bento XVI, é realmente uma desgraça que o relatório fez isso, uma vez que Bento XVI condenou McCarrick. Francisco reabilitou McCarrick das acusações de Bento XVI. Em suma, Francisco levou um reconhecido abusador sexual para o Vaticano e deu cargos importantes para ele. 

Vi muitas análise sobre o relatório.

Aqui vão alguns textos que li, gostei e merecem ser lidos

1) Ex-seminarista americano que conheceu de perto pessoas envolvidas com McCarrick, que nos diz que no fundo o que se vê com McCarrick e o clero da máfia gay é que eles são ateus, desprezam Cristo. Texto excelente. 

2) Damian Thompson - Relatório McCarrick é uma vergonhosa fraude. Thompson  mostra a ascensão de McCarrick e como João Pualo II, Bento XVI e Francisco agiram. E também lembra casos de abusadores sexuais que foram protegidos por Francisco. Além de mostrar que protegidos de McCarrick foram promovidos por Francisco.Thompson diz que demoraria horas para mostrar os inúmeros erros do relatório. Texto excelente também.

3) Edward Petin - o relatório protege a máfia gay existente entre o clero;

4) George Weigel - Os "sobrinhos" de McCarrick ainda estão no poder na Igreja;

5) O relatório perdeu tempo, muito tempo  defendendo Francisco e atacando o arcebispo Viganò, que disse ter alertado Francisco sobre McCarrick. Viganò defendeu se defendeu.

6) Ed Condon mostra acusação de que McCarrick usou dinheiro de caridade para pagar acordos judiciais;

7) Entrevista de ex-gay, Joseph Sciambra, que conheceu de perto, pertíssimo, padres abusadores sexuais, sobre o McCarrick Report.