sexta-feira, 18 de maio de 2018

Vaticano sobre Finanças e Meu Livro


Eu estou escrevendo um livro sobre ética católica para economia. Estou quase no final. Para minha surpresa, ontem vi um documento, feito em conjunto pela Congregação para Doutrina da Fé e do Dicastério da Promoção Integral Humana do Vaticano, sobre mercado financeiro.

Sem falar do estímulo do meu livro, para gente como eu que é católico e trabalha com mercado financeiro é muito interessante ver um documento do Vaticano com as palavras "derivativos" e "credit default swap". E ver que até a Bloomberg, agência de análise financeira, comentou o documento comparando o Papa Francisco com o multimilionário Warren Buffett.

O documento se chama "Oeconomicae et pecuniariae quaestiones"(questões econômicas e financeiras) 

O documento defende basicamente duas coisas: ética nas finanças e mais regulação financeira.

O documento, no geral, é muito bom, lembra que o mercado deve ser guiado pela desenvolvimento integral do homem. Além de corretamente atacar a jogatina do mercado financeiro.

Mas sendo uma pessoa que estuda e trabalha com as duas coisas: ética e mercado financeiro, o documento é um pouco frustrante.

Primeiro porque apenas faz uma leve defesa da ética católica, e muito defesa de uma "ética do mercado", coisa que sempre me incomoda pois não acho que nem o mercado financeiro, nem muito menos a Igreja, devem  tratar a ética como se tivesse setores. Essa separação da ética por profissão só traz prejuízo à ética adotada e ao emburrecimento do debate moral.

Vou a debates sobre ética no mercado e é sempre muito rasteiro quando não é estúpido mesmo.

Outra coisa, o documento não reconhece os perigos da regulação financeira exagerada. 

O mundo financeiro já é muito regulado e muitas vezes mal regulado.

Quem analisa os Acordos de Basileia, acordos para capital regulatório de bancos, logo se pergunta se eles não pioram a concentração bancária.

Além disso, vivemos em tempos de "fintech", instituição financeira simples com uso de tecnologia ou moeda virtual, que sofre pouca regulação mas pode diminuir juros, spreads bancarios e a concentração bancária. Apesar de trazer riscos de fraudes, fraudes que estão presentes em grandes conglomerados financeiros altamente regulados também.

Quem discute regulação tem de tratar dos riscos da baixa e também da elevada regulação.

Outra frustração é não ver menção à Bíblia nem a tantos teólogos que trataram de economia na história, coisa que faço no meu livro.

Em todo caso, parabéns pelo documento.


quinta-feira, 17 de maio de 2018

Hamas Devolve Ajuda Humanitária de Israel


Chesterton disse que um bom soldado não luta pelo que o está na frente, mas pelo o que está atrás dele. Os grupos terroristas da Palestina são piores, eles desprezam tanto o que está na frente (Israel), como o que está atrás (casas, famílias, filhos).

Poucas charges refletem tanto a realidade com a que vai acima. Os palestinos liderados por grupos terroristas usam seu próprio povo, especialmente crianças, para objetivos políticos e de guerra.

Hoje leio que o Hamas devolveu dois grandes caminhões de ajuda humanitária doados por Israel com remédios e artigos para cuidados com saúde.

HAMAS TURNS AWAY TRUCKLOADS OF ISRAELI HUMANITARIAN AID DESTINED FOR GAZA

Hospitals in the Gaza Strip were reported to have struggled to treat Palestinians wounded in clashes with the IDF on the Israel-Gaza border.

BY 

 MAY 16, 2018 10:48

Hamas turned away two large truckloads of Israeli humanitarian aid intended to relieve medical shortages in the Gaza Strip on Tuesday.

The IDF said it coordinated the transfer of eight truckloads of vital medical equipment through the Kerem Shalom crossing due to severe humanitarian conditions in the Hamas-controlled enclave, with hospitals struggling to treat Palestinians wounded in clashes on the Israel-Gaza border on Monday and Tuesday.

Hamas accepted four trucks of aid supplied by the Palestinian Authority and two trucks supplied by UNICEF. But two truckloads of medical aid provided by the IDF were turned away when the origin of the equipment became apparent.

In addition to 53 tons of medical equipment set to be transported into Gaza this week via the crossing, the increased Israeli aid included more than 14,000 units of intravenous infusions, 40 medical basins, 20 medical examination couches, 25 infusion stands, 85,000 disinfectant pads and 12,500 bandages.

The transfer was facilitated by the IDF in coordination with the Coordinator of Government Activities in the Territories (COGAT) and the Gaza District Coordination and Liaison office.


quarta-feira, 16 de maio de 2018

Turquia quer Liderar Muçulmanos contra Israel


Os muçulmanos não têm bom histórico de união em torno de um líder para derrotar os "infiéis". Depois de Maomé, pode-se dizer que eles nunca conseguiram.

A Turquia, assim como a Rússia, sonha em reviver seu império otomano.

Agora temos um ditador na Turquia que despreza os princípios do fundador do país, Mustafa Ataturk.

Vendo que Trump reconheceu Jerusalém como capital de Israel, e montou a embaixada americana lá, Erdogan quer aproveitar a revolta muçulmana para se posicionar como califa e atacar Israel.

Bom, vai ter de lidar com Arábia Saudita, Jordânia e Indonésia antes, que de uma forma ou de outra apoiam Trump.

Se quer defender o grupo terrorista Hamas da Palestina, a Turquia també deverá lidar com Irã que é mais próximo do Hamas.

Sem falar que a Turquia já sofre com as relações com a Europa. Atacar Israel colocará a Europa em check.

Vejam artigo abaixo da PressTv que fala da vontade da Turquia de juntar os muçulmanos contra Israel.

Turkey has urged Islamic countries to review their ties with Israel after dozens of Palestinians were killed by Israeli fire on the Gaza border.
Turkish Prime Minister Binali Yildirim told his ruling party in parliament that Ankara would call an extraordinary summit of the Organization of Islamic Cooperation (OIC).
"Islamic countries should without fail review their relations with Israel," Premier Yildirim said, adding, “The Islamic world should move as one, with one voice, against this massacre."
Yildirim said that Turkish President Recep Tayyip Erdogan, who currently holds the rotating chairmanship of the body, called the OIC summit on Friday.
Yildirim said that after the summit at 3:00 pm a giant rally would be held at the vast Yenikapi meeting area in Istanbul under the slogan of "Stop the Oppression" to express solidarity with the Palestinians.
"This has nothing to do with party politics. This is to show solidarity, brotherhood and togetherness," he said.
"The Islamic world should move as one, with one voice, against this massacre," Yildirim added.
Ankara has reacted with fury to the killing Monday of 60 Palestinians in clashes and protests, on the same day as the United States formally moved its embassy in Israel to Jerusalem al-Quds from Tel Aviv in defiance of international outrage.
Ankara said it was recalling its ambassadors to the United States and Israel for consultations in the wake of the events.

terça-feira, 15 de maio de 2018

Convite para Palestra sobre Guerra Justa em São Paulo dia 28/05


Caros, acima vejam o convite para a minha apresentação em São Paulo no dia 28 de maio. Tratarei sobre a teoria e a tradição da Guerra Justa desde o Império Romano até hoje, assunto que escrevi no meu livro. Para assistir cliquem no site do Instituo Plínio Correa de Oliveira e façam suas reservas. É uma grande honra e um desafio apresentar meu livro para uma audiência que conhece tanto a história das guerras e da Igreja Católica.



segunda-feira, 14 de maio de 2018

Vídeo: Método Hamas de Combater Israel



Vale muito à pena ver esse vídeo antes de considerar as notícias sobre o conflito de hoje na região por conta da inauguração da embaixada americana em Jerusalém.

Método Hamas:

- Uso de crianças como escudo humano (por vezes com apoio das mães delas!!!);
- Uso de feridos ou falso feridos para propaganda política, sem se preocupar com a vida dos feridos;
- Uso da mídia esquerdista internacional e da ONU para defender suas demandas contra Israel;
- Uso de queima de pneus para a entrada de terroristas em Israel.


(Agradeço o vídeo ao site Gatestone Institute)


quarta-feira, 9 de maio de 2018

França quer Rasgar Parte do Alcorão, Turquia Reage.


Há um movimento na França, estimulado por Sarkozy e Macron, de tirar as partes violentas do Alcorão e assim tornar o Islã menos agressivo.

Eu, que já escrevi artigos e um livro em que trato do Alcorão, diria primeiro que a qualidade que mais se destaca no Alcorão é sua simplicidade, apesar de usar linguagem rebuscada. Alcorão é materialista, não é espiritual. E o Alcorão é um livro pequeno e extremamente repetitivo.

Há muitos versos (suras) violentos. Por vezes, os versos violentos estão dentro de suras consideradas pacíficas. Para mais detalhes, eu sugiro meu artigo Trying to Catch the Deluge: Shari'ah, Terrorism and Religious Freedom, que publiquei no Reino Unido. Quem quiser o artigo é só enviar email na seção de comentário que eu envio, sem disponibilizar publicamente o email.

O que sobraria se tirassem os versos violentos? Eu diria que sobrariam principalmente versos de elogios a Alá, e a Maomé , versos que falam de personagens bíblicos de forma errada (como Jesus Cristo, Maria, Moisés, Noé, Abraão) e versos sobre comportamentos sexuais e materialistas (como casamento com quatro esposa, divisão de bens e escravas, etc). Mas o Alcorão iria ficar mas sem nexo do que já é, pois o Alcorão não usa cronologia, nem contexto em seus versos.

A Turquia reagiu ao movimento da França, comparando a França ao Estado Islâmico. Dizendo que seria um ato de barbarismo da França.

Eu acho que todo o Alcorão deve ser rasgado em praça pública e dito que essa religião/ideologia totalitarista não deve ter lugar na sociedade. O que sobra não presta.

Vejam a reação da Turquia do site Hurriyet Daily News:

Turkey slams French figures demanding change in Quran

Turkey’s EU Affairs Minister Ömer Çelik on May 6 slammed a French manifesto proposing the removal of some verses from the Quran, saying those 300 prominent French figures demanding the changes were as “bigoted” as members of the Islamic State of Iraq and the Levant (ISIL) who infer violence from the holy book, state-run Anadolu Agency reported.
“This is the most striking example of intellectual violence and barbarism. Whoever these people are and whatever they have been doing up till now, they will be written at the beginning of the history of bigotry,” Çelik said on Twitter.
“Barbarism is intellectually and politically centered in the modern world,” he added. 
Çelik drew parallel between the “barbaric and immoral” proposal and the ideology of ISIL.
“They could not tell in a better way that they are the closest ideological relatives of Daesh. But this approach, which will be the subject of political psychiatry, reveals how barbarism has risen in the midst of Europe, and how this mentality, at least as dangerous as Daesh, keeps itself behind certain concepts,” he said, using the Arabic name for ISIL.
“These are the most dangerous ones; those who conceal themselves behind an intellectual and political image. This is the mentality of those who are so-called anti-violence, but in fact they worship the bigotry and violence. These 300 French figures are the same as Daesh which infers violence from the humanity’s guide Quran,” Çelik added.
On April 21, 300 prominent French figures, including former President Nicolas Sarkozy and former Prime Minister Manuel Valls signed a manifesto published in the French daily Le Parisien and demanded some parts of the Quran, which they claimed have included violence and anti-Semitic references, be removed

Moeda de Game Vale Mais que Moeda da Venezuela


Fundo do Poço? Como um modelo comunista regularmente gera mortes humanas por fome ou por assassinatos mesmo, o pior é sempre isso. Mas esses fatos econômicos são sempre relavadores do modelo comunista que julga, desde Marx, ter as melhores respostas para questões econômicas.

A moeda do jogo World of Warcraft vale mais que o bolívar venezuelano, a moeda da Venezuela.

Não conheço o jogo, nem gosto de games, mas a moeda do jogo não vale muito. Um dólar vale quasse 70 mil bolívars, a moeda do game não precisa valer muito.

Vejam o texto do site SHFT Plan.

Online Game’s Currency Is Now Worth 7 Times More Than Venezuela’s Bolivar

Mac Slavo

The currency in the online role-playing game World of Warcraft is now worth more than Venezuela’s bolivar. File this one under: “Things that happen when socialists take over.”

Although it’s probably not very funny for those who use money as toilet paper in the socialist dystopia of Venezuela, it’s nonetheless, a teachable moment for delusional leftists in the United States who are chomping at the bit for a master like
Bernie Sanders Nicholas Maduro. Because of anti-capitalist ideals, the fake gold of Azeroth in the World of Warcraft is now worth seven times what the bolivar is worth.

Here’s the math behind the currency value:
Per Google, one U.S. dollar is worth 68,915 bolivar.
Compare that to the price of WoW tokens, official in-game credits that can be used to extend a player’s play time or buy in-game items. Tokens can be bought with either $20 real world cash or sold for a fluctuating amount of in-game gold. One tracking service lists the current gold price of a token as 203,035 pieces. That works out to about 10,152 gold gaming pieces per USD.
By those calculations, World of Warcraft virtual gold would be worth 6.8 times as much as the bolivar.
If you factor in the black market rate of the bolivar, though, the difference is even more staggering. Dolar Today, which tracks the black market rate of the bolivar, seems to say the currency’s current value is 636,771.03 per U.S. dollar.
By that figure, WoW gold would be worth nearly 62 times as much as Venezuela’s official currency. –Forbes

A big shoutout to Forbes for doing the heavy lifting on the math. But it doesn’t change the fact Venezuela seems to have dug themselves into a pit that they won’t get out of with more regulations and market controls. Of course, Venezuelan president Nicolas Maduro has shifted his support away from the Bolivar and over to the recently-launched national cryptocurrency, the Petro.

Venezuelan citizens, meanwhile, have taken to bartering in their day to day business dealings. Which is a better deal anyway – no sales tax (extortion fee).


terça-feira, 8 de maio de 2018

O Bispo que Pede Novo Conclave. Para Ele, Bergoglio Não Pode Ser Considerado Papa


O Bispo Rene Henry Gracida, de 95 anos, escreveu recentemente um artigo pedindo novo conclave, pois para ele o cardeal Bergoglio foi eleito de forma ilegal para ser Papa, segundo a Constituição Pastoral Universi Dominic Gregis, de 1996, assinada pelo Papa João Paulo II.

A base de argumentação do Bispo Gracida é o parágrafo 76 e a conclusão deste documento.

O parágrafo 76 diz: : No caso de a eleição ser feita de uma forma diversa daquela prescrita na presente Constituição ou sem terem sido observadas as condições aqui estabelecidas, tal eleição é por isso mesmo nula e inválida, sem necessidade de qualquer declaração, e, portanto, não confere direito algum à pessoa eleita.

E a conclusão diz: declaro completamente destituído de valor tudo aquilo que, por quem quer que seja, com qualquer autoridade, consciente ou inconscientemente, for tentado em sentido contrário a esta Constituição.

O ponto principal da argumentação dele é que houve conluio para eleger Bergoglio, o que é ilegal segundo a Universi Dominic Gregis. Leiam o artigo clicando aqui.

O bispo Rene Gracida deu uma entrevista no dia 6 de maio passado e confirmou que sua intenção é convocar os cardeais a um novo conclave.

Vejam parte da entrevista dele:

Dear Bishop Gracida, Your Excellency,

Thank you for your reply from down there in Texas, to me a blogger up here in Oklahoma, and thanks for considering my request for an online interview.  I would greatly appreciate any response you can give to my questions, and to readers worldwide, which you approve of before I post it.  

Questions:

1.  In a recent article posted to your blog, which has since been read around the world, you supported the case that Pope Francis may not be a valid pope, and that the Cardinals themselves consider electing a new pope.  Was/Is your intention that the article might end up being read by Cardinal Burke, and other Cardinals, with the unique authority to directly confront the problem of the Francis pontificate?



Yes, that was and still is my hope. Since only the validly appointed Cardinals have the power to initiate a solution to the present crisis in the Church, it was and still is my hope that they will be encouraged by what I published to take the necessary steps toward a solution as was proposed in the post.



2.  In your experience these last weeks, how has the response been from the laity, priests, and other bishops - if any - both online and in the flesh?  Do you anticipate backlash from members of the hierarchy, or Rome?  Or even from Cardinal Burke himself?



There has been some response but not from cardinals. I do not really look for response from cardinals, I look for action on their part to initiate the steps that will lead to a special conclave. I do not expect them to publicize those steps, I expect them to move silently and discretely in order to minimize active opposition by the friends of Francis who are now firmly entrenched in the Vatican curia.​



3. Reading the argument, it seems the main basis and bulk of it is the contention the 2013 conclave broke conclave laws, enacted by Pope John Paul II, that would invalidate the election results.  It begins by discussing the issue of heresy and papal infallibility, but seems to not make those issues the main basis. There seems to be strong enough evidence that certain Cardinals of the conspiring "St. Gallican Group" did violate conclave laws, enough to at least now raise the question of the validity of Cardinal Bergoglio's election. Am I correct in understanding this argument?  Is that the focus you are encouraging the Cardinals to take? 



Yes, that is the focus I am encouraging the Cardinals to take.​