quinta-feira, 14 de outubro de 2021

Por Que Bancos se Preocupam com Mudança Climática? Gostam de Dívida Pública.


Excelente artigo de Tyler Durden no Zero Hedge sobre os "climatologistas" banqueiros "preocupados" com aquecimento global. Ele consegue mostrar o que está por trás disso: bancos adoram endividamento público. 

Em tempos normais, quando o estado está endividado,  o mercado cobra juros altos para financiar os governos. Para evitar isso, o governo precisa reduzir as despesas. Mas se o governo se vê diante de uma crise gigantesca que supostamente depende de seus gastos para evitar a crise,  o endividamento continua e o governo continua dependendo do financiamento do mercado privado, que cobra juros altos. Bancos se dizem preocupados com o futuro enquanto exploram as gerações futuras cobrando juros altos para uma dívida pública cada vez maior. 

Claro, isso é um processo que deixa os ricos mais ricos e os pobres mais ricos, pois é uma combinação de inflação e juros altos (Brasil conhece muito bem isso)

Os bancos alimentam a histeria climática, desprezando qualquer análise científica séria sobre o assunto, não possuem realmente nenhum debate de climatologia dentro da diretoria deles, e especialmente, mesmo com alimentando a histeria,  não falam mal do pior "poluidor", a China. A China é protegida pelos bancos. Os culpados são os países ocidentais, sendo ricos ou pobres, mesmo que eles mesmos já tenham "zerado emissão de carbono". O fim está próximo, mesmo que todas as previsões catastróficas desde 1998 não tenham se cumprido. A Amazônia não virou deserto, o Himalaia não derreteu, os polos da Terra continuam congelados, as ilhas continuam intactas, os furacões e tufões são os mesmos..... Só piorou a própria emissão de carbono, especialmente da China.

Vou traduzir parte do excelente artigo de Durden (perdoem erros de tradução, fiz de forma muito rápida).

Aqui está a agenda oculta de US$ 150 trilhões por trás da "cruzada" contra a mudança climática.

por Tyler Durden

Nós agora vivemos em um mundo, onde manchetes bizarras como os abaixo, se tornaram uma ocorrência diária, se não de hora em hora:

* TESOURO VAI ESTUDAR O IMPACTO DO CLIMA NAS FAMÍLIAS, COMUNIDADES

* TESOURO LANÇA ESFORÇO SOBRE RISCOS FINANCEIROS RELACIONADOS AO CLIMA

* BRAINARD: A ANÁLISE DO CENÁRIO CLIMÁTICO AJUDARÁ A IDENTIFICAR RISCOS

* BRAINARD: AS MUDANÇAS CLIMÁTICAS PODEM TER PROFUNDOS EFEITOS ECONÔMICOS

* MESTER: FED OLHA PARA MUDANÇAS CLIMÁTICAS DO PONTO DE VISTA DOS RISCOS PARA OS BANCOS

* O FED ESTÁ SEGUINDO O CAMINHO CERTO DE MONITORAMENTO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS

* O FED DEVE CONSIDERAR O RISCO DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS PARA O SISTEMA FINANCEIRO

Agora, caso alguém ainda esteja confuso, nenhuma dessas instituições, e nenhum dos funcionários eruditos que as administram, se importam com o clima, com os riscos da mudança climática ou com o destino das futuras gerações de americanos (e certamente não sobre o aumento do nível da água varrendo suas enormes mansões à beira-mar): se o fizessem, a dívida total dos EUA e passivos subfinanciados não seriam de quase US $ 160 trilhões.

Então, o que está acontecendo, e por que praticamente todos os tópicos hoje em dia têm a ver com mudança climática, "zerar emissão", energia verde e ESG?

A razão - como se poderia suspeitar corretamente - é o dinheiro. Cerca de US $ 150 trilhões disso.

Hoje, mais cedo, o Bank of America publicou um de seus enormes tomos de "Pesquisa Temática", desta vez cobrindo o Mundo "Transwarming", e serve como uma cartilha massiva para a realidade Net Zero de hoje. O relatório é realmente uma leitura obrigatória, interessante, repleto de dados e gráficos como estes ...

.. nenhum dos quais por acaso menciona o papel da China na crise da "mudança climática global", é claro (afinal, não podemos ofender Pequim e perder a maior fonte de receita agora podemos) e chega em um momento muito precário para a causa verde , justamente quando o aumento dos preços da energia ao redor do globo como resultado da escalada da crise global de energia, ameaça esmagar qualquer apoio popular para combater o "aquecimento global". Como o autor do relatório Haim Israel escreve:

"Esta é a década da ação climática e a COP26 será o ponto de inflexão da corrida para alcançar as emissões líquidas zero - o equilíbrio entre reduzir e remover as emissões de carbono da atmosfera. Para tanto, seria necessária uma transição para tecnologias limpas em todos os setores em um ritmo sem precedentes, com a orientação dos governos e vontade da sociedade. Esta é a última década para agirmos. A escassez absoluta de água é provável para 1,8 bilhão de pessoas, 100 milhões enfrentam a pobreza e 800 milhões correm o risco de elevar o nível do mar até 2025. A migração climática pode chegar a 143 milhões nos mercados emergentes, impulsionada pelo clima extremo."

Nada disso é novo, é claro - e embora seja útil ter um compêndio centralizado dos dados, uma pesquisa de 5 minutos no Google pode fornecer todas as respostas que são dogmas "aceitos" pelo lobby verde.

Mas embora não nos importemos com os gráficos, com as folhas de cola ou com a propaganda, o que nos interessava era o resultado final - quanto custaria essa utopia verde, porque se a "rede zero", "ESG" (environmental, social, governance)  a narrativa verde "é tão duramente pressionada 24 horas por dia, 7 dias por semana,  você sabe que vai custar muito caro.

Acontece que sim. Muito, muito.

Respondendo retoricamente à pergunta-chave, "quanto vai custar?", O BofA corta o caso e escreve US $ 150 trilhões em 30 anos - cerca de US $ 5 trilhões em investimentos anuais - totalizando o dobro do PIB global atual!

Nesse ponto, o relatório fica bom porque, como deve ser levado a sério, também deve ser, pelo menos, superficialmente objetivo. E aqui, os detalhes por trás dos números, finalmente aprendemos por que o lobby líquido zero está tão empenhado em empurrar essa utopia verde - resposta simples: porque fornece um fluxo interminável de contribuintes e "investimentos" financiados por dívidas que, por sua vez, precisam de um grau igualmente constante de monetização da dívida pelos bancos centrais.

Considere o seguinte: a cobiçada pandemia até agora gerou cerca de US$ 30 trilhões em estímulos fiscais e monetários no mundo desenvolvido. E, no entanto, nem mesmo dois anos depois, o efeito desses US $ 30 trilhões está passando, mas apesar do Biden manter a Crise da Covid sob controle, ameaçando fechar a sociedade a qualquer momento com a ajuda da imprensa cúmplice, a população deixou claro que não mais obedecerá ao que é uma clara tirania da minoria.

E assim, o estabelecimento precisa de uma nova fonte perpétua (e uso) de financiamento, uma espécie de crise, mas envolta em uma fachada virtuosa e nobre. É aqui que entra a cruzada contra as mudanças climáticas.

Muita tinta digital foi derramada sobre a filosofia e o debate por trás do movimento verde, e não os aborreceremos com os detalhes, mas, em vez disso, nos concentraremos nas consequências financeiras muito claras e tangíveis de um mundo onde o sistema concorda, com apoio democrático ou não, para alocar US $ 5 trilhões em novo capital para alguma causa nebulosa de "combate ao aquecimento global". Aqui estão os destaques do Bank of America:

  • Será inflacionário? Sim, espere choque de 1-3% ao ano. Isso é pelos próximos 30 anos ... além de qualquer inflação já presente!
  • Quais são os gargalos? Geopolítica, guerras climáticas e mercados emergentes.
  • Temos os recursos? O níquel e o lítio são apenas dois que podem estar em déficit já em 2024.
  • A tecnologia verde é realmente verde? Na verdade, não.

Analisando os custos absolutamente assombrosos, estimados em US $ 150 trilhões em 30 anos, aumentando as fontes de financiamento para US $ 5 trilhões por ano é equivalente a toda a base tributária dos EUA, ou 3x o estímulo COVID-19 nesta década. Aqui estão os detalhes:

"A transição energética para uma economia líquida de gases de efeito estufa (GEE) até 2050 será um exercício muito caro, estimado pela IEA em US $ 150 trilhões do total de investidores."

Não é alto o suficiente para você? Espere então porque ...

O BNEF tem uma estimativa mais alta de que o investimento total necessário para fornecimento de energia e infraestrutura poderia chegar a US $ 173 trilhões até 2050, ou até US $ 5,8 trilhões por ano, o que é quase três vezes o valor investido anualmente hoje.

Em seguida, segue o arremesso obrigatório do BofA, que é uma reminiscência de uma conversa estimulante kolhoz stalinista dos anos 1950, a saber:

... Mas isso pode ser feito, com a união de tecnologia, economia, mercados e ESG. As reduções exponenciais de custos nas tecnologias eólica, solar e de baterias tornaram as energias renováveis ​​a forma mais barata de energia em áreas que produzem> 90% da eletricidade global. O apetite do mercado também está aumentando. Títulos e empréstimos rotulados saltaram para> $ 3 trilhões este ano, com $ 3 em cada $ 10 de fluxos em ações globais indo para ESG, que apoiará investimentos favoráveis ​​ao clima, bem como o financiamento de novos necessários para descarbonizar ainda mais nosso planeta como a mineração verde, hidrogênio verde ou captura de carbono.

Deixamos o melhor para o final porque no fim das contas sempre se tratou de mais dívidas e mais monetização, um processo que até o engraxate já sabe que deixa os ricos mais ricos e os pobres mais pobres. Só que desta vez o plano mais rico do mundo é roubar o pouco que resta da classe média sob o pretexto de uma nobre cruzada para derrotar o aquecimento global ... uma cruzada que exigirá mais de US $ 500 bilhões em monetização de dívida anual pelos bancos centrais a cada ano , levando à hiperinflação nos ativos de risco ou na economia em geral, ou em ambos.

Então, se parece que "a cruzada contra as mudanças climáticas" é um jogo de trapaça gigante com o objetivo de enriquecer um punhado de cleptocratas aqui e agora, enquanto os benefícios nebulosos - e a dívida e hiperinflação muito certas - dessa revisão revolucionária da economia global são herdados pelas gerações futuras, é porque é exatamente isso que é.

Aqui está a surpreendente admissão do BofA sobre o que foi dito acima, conforme extraído das perguntas e respostas do relatório sobre a Conferência sobre Mudança Climática (COP 26):

P: Qual é o impacto econômico do zero líquido?

R: O impacto da inflação do financiamento líquido zero elevado não será insignificante, mas o impacto parece administrável em 1% a 3% ao ano, dependendo das taxas de monetização do banco central, especialmente se os gastos do governo forem direcionados e contribuírem para acelerar a taxa de crescimento do PIB global . A AIE também tem uma perspectiva produtiva para seu cenário de zero líquido, onde a mudança na taxa de crescimento anual do PIB acelera em algo entre 0,3% e 0,5% em uma base sustentada ao longo dos próximos 10 anos, como resultado de uma mudança para o verde economia.

Muito mais QE pelos próximos 30 anos, confira. E quanto à inflação? Oh, haverá muito disso também. Como o BofA admite, "as compras de títulos verdes podem resultar em um choque de inflação de 1% a 3% a.a."

E só para que os leitores saibam o que para o BofA parece "administrável", aqui está: isso é inflação em cima de qualquer inflação que já esteja na economia. Claro, se os bancos centrais tiverem que financiar o verde 50%, 80% ou mais, bem ... fica muito pior.

E aí está: assim como foi uma cortina de fumaça gigante para "permitir" que os bancos centrais e os títulos do Tesouro se fundissem e nos levassem ao Helicopter Money e ao MMT, criando cerca de US $ 30 trilhões em liquidez no processo, o mito do "Net Zero" é o que irá perpetuar esta impressão de dinheiro sem fim pelos próximos 30 anos, um período durante o qual os únicos benefícios serão concedidos àqueles que se beneficiam do QE e da impressão de dinheiro. Isso é os mais ricos. 

Se isso soa mais assustador e manipulador do que qualquer religião na história da humanidade, é porque é.


10 Questões para Biden: Essa Estupidez Tem Sentido?


Procure ver se tem algum jornalista brasileiro, "especializado em questões internacionais" ou não, fazendo as perguntas do vídeo acima.
 
São 10 Questões para Governo Biden do jornalista Bill O'Reilly. Todas as perguntas possuem o mesmo início: Isso faz sentido?

1) Faz sentido soltar milhões de estrangeiros sem qualquer supervisão nos EUA?

2) Faz sentido sair do Afeganistão completamente deixando o país entregue ao Talibã?

3) Faz sentido fechar a tubulação de petróleo Keystone que abastecia os EUA e depois pedir para Arábia Saudita aumentar a produção de petróleo?

4) Faz sentido apoiar a "teoria de raça crítica" nas escolas, sendo que essa teoria divide as crianças por critério de cor da pele?

5) Faz sentido aumentar tanto os gastos públicos que aumenta a inflação do país? 

6) Faz sentido apoiar lei criminal que libera mais criminosos na rua?

7) Faz sentido os EUA ser um dos 7 países no mundo (entre quase 300 países) cujas leis permitem qualquer tipo de aborto, em qualquer estágio da gravidez, sem nenhuma restrição?

8) Faz sentido ser contra exigir  documento de identidade na hora de votar?

9) Faz sentido dizer que "supremacistas brancos" são maior ameaça aos EUA do que jihadistas?

10) Faz sentido o próprio presidente dos EUA acusar o próprio país de praticar racismo sistêmico?

Não é sem razão que até a França está achando que os EUA estão esquerdista demais.

Qual é o sentido para todas as questões acima? Desejo de destruição dos EUA, e os políticos que apoiam isso sabem exatamente que estão apoiando a destruição do país.

Temos também perguntas desse tipo para o governo Bolsonaro. São bem mais do que 10, eu conseguiria fazer umas 100, perguntado o sentido da atuação de Bolsonaro sobre inúmeros assuntos: educação, saúde, economia, finanças, apoio politico, corrupção, China, aborto, catolicismo, STF, AGU, PGR, meio ambiente...


segunda-feira, 11 de outubro de 2021

"Um Trem para o Inferno" - As Ideias Parasitas Progressistas.


Tucker Carlson e Gad Saad discutem as ideias dos parasitas progressistas, começando pelo primeiro ministro do Canadá, Justin Trudeau, tentando falar que ele se orgulha de defender o que ele não sabe nem pronunciar.

Gad Saad é psicólogo canadense autor do livro abaixo. O livro é recomendado por Jordan Peterson, parece bem interessante.


No vídeo, Saad lembrou que quando o ex-primeiro ministro do Canadá Stephen Harper chamou de bárbaros os muçulmanos que praticavam pedofilia e faziam mutilação das genitálias femininas de bárbaros, Trudeau, como parlamentar, ficou muito exaltado, e atacou a afirmação de Harper por chamar esses muçulmanos de bárbaros, e assim defendendo pedofilia e mutilação feminina.

É o parasita Trudeau, há inúmeros no poder no mundo hoje.

Saad também fala como a ciência está sendo destruída pelas ideias parasitas progressistas, não se julga mais pelo critérios científicos, mas sim com base nas ideias parasitas.

Saad acha que há uma maioria silenciosa que pode destruir essas ideais parasitas  "na ´próxima terça", mas se essa maioria não se mexer será um "trem para o inferno".



quinta-feira, 7 de outubro de 2021

Francisco vs Cardeal Becciu - O Julgamento da Lavagem de Dinheiro do Vaticano

 

Marshall relata fatos sobre aquele que é considerado o maior julgamento da história do Vaticano. Um julgamento sobre lavagem de dinheiro, abuso de poder, apropriação indébita e suborno dentro da Secretaria do Estado do Vaticano. O principal réu é o cardeal Angelo Becciu, que conhece muito bem o Vaticano e era muito próximo de Francisco. Além de Becciu, há mais 9 acusados.

Há gente que acompanha de perto o julgamento e diz que é uma farsa comandada por Francisco para condenar Becciu e sair ileso. Em um processo que é feito em italiano, na confusão do pontificado de Francisco, dentro da justiça do Vaticano que naturalmente já é muito sigilosa, que tem 10 réus, e 30 advogados, com inúmeras testemunhas, é um trabalho hercúleo saber o que se passa.

E uma primeira informação importante: quem escolheu o juiz foi Francisco e este juiz deve explicações a ele. Vaticano não é democracia, pelo bem e pelo mal. Papa tem muito poder. 

O que vou fazer aqui é apenas relatar os fatos descritos por Marshall, não acho que ele esteja acompanhando tão de perto, mas Marshall também suspeita que Francisco escolheu Becciu como bode expiatório. Ele deve cair para proteger o pontificado (algo como coisa de máfia). De outra forma, Marshall também suspeita que Francisco espera que Becciu seja declarado inocente. Outros dizem, que Francisco procura controlar o julgamento para que Becciu seja declarado inocente e assim fica tudo como está;

Vamos aos fatos:

1) Compra pelo Vaticano (Secretaria do Estado) de uma propriedade de luxo em Londres no valor de 350 milhões de euros. Essa compra foi notícia na mídia internacional. Por que a Igreja que faz caridade mundial compraria um prédio de luxo caríssimo em Londres? 

Além disso, teve o investimento do Vaticano no documentário sobre o notório gay, ativista do gayzismo e multimilionário cantor Elton John. Vaticano apoiando tão abertamente à causa gay? Elton John agradeceu ao Vaticano publicamente;

2) Acusações sobre corrupção de Becciu em apoio a sua família. Becciu teria usado grana de corrupção para enviar dinheiro para uma instituição de seu irmão. Há também acusações de que Becciu pagou por dossiês contra pessoas no Vaticano. Essa acusação leva à questão do cardeal George Pell, que foi acusado de abuso sexual na Austrália, chegou a ser preso e depois foi declarado inocente. Alguns analistas suspeitam que foi por meio desses dossiês de Becciu que se basearam as acusações falsas contra Pell. Pell chegou ao Vaticano com a função de limpar as contas do Vaticano da corrupção, depois foi afastado por conta dessas acusações. 

Há outras acusações contra Becciu que Marshall não mencionou que se relacionam com uma instituição em falência chamada Instituto Dermopatico dell'Immacolata e sobre uma petroleira da Angola.

3) Há 10 réus no julgamento, que trazem 30 advogados. Cada réu trará suas próprias testemunhas. Em suma, isso pode levar anos;

4) A posição privilegiada de Becciu dentro do Vaticano foi dada por Bento XVI, em 2011. Francisco o manteve no cargo. Ele era o chefe-substituto da /Secretaria do Estado do Vaticano, um tipo de chefe de gabinete que se reúne diariamente com o papa para questões diplomáticas. O chefe da Secretaria do Estado desde 2013 é o cardeal Piero Parolin. Antes de Parolin, estava o cardeal Bertone

5) Em 2018, arcebispo Carlo Maria Viganò acusou Becciu de proteger o abusador sexual de menores e seminaristas Theodore McCarrick, atualmente afastado da Igreja recebendo julgamento. Viganò disse que Becciu sabia em todos os detalhes o que McCarrick fazia.

6) Becciu se declara inocente. Disse algumas palavras contra Francisco. E Francisco manteve postura dúbia, fazendo acusações veladas contra ele, mas depois parecendo homenageá-lo em celebração e dizendo que quer vê-lo inocente; 

Uma pessoa que atua como chefe de gabinete naturalmente sabe muitos fatos desabonadores sobre o líder da instituição. Assim, Becciu com certeza sabe muita coisa sobre o pontificado de Francisco. Podem ser coisas muito podres que Francisco tem interesse de manter dentro do Vaticano;

7) Marshall suspeita que Francisco está usando Becciu como bode expiatório.

8) Marshall lembra que Francisco além de manter Becciu na nomeação feita por Bento XVI, nomeou Becciu como prefeito da Congregação dos Santos e ainda nomeou Becciu como substituto do cardeal Burke na ordem de Malta (Burke descobriu que a Ordem de Malta está promovendo libertinagem e foi tirado do cargo). Obviamente, Francisco confia plenamente em Becciu (dessa forma, Becciu certamente sabe muito);

9) Francisco espera que Becciu seja declarado inocente e assim tudo fica na mesma. Declaração de inocência pela justiça não é igual a ser inocente. Se for declarado culpado (o que também não quer dizer que seja culpado), Becciu pode começar a atacar o pontificado;

10) Há problemas nos procedimentos do julgamento, documentos faltando e falta de testemunha importante. Isso também é revelado pelo site Stilum Curiae. É importante ter isso em mente, em um caso tão politizado, tão importante para a imagem do pontificado e que envolve milhões e milhões de euros;



terça-feira, 5 de outubro de 2021

A Economia Sem Deus de Francisco

John Horvat II, autor do livro Return of Order, escreveu sobre a chamada "Economia de Francisco", campanha para jovens do Vaticano, para estimular os jovens para uma "nova economia".

Eu comentei o livro de Horvat II no meu livro Ética Católica para Economia e também tratei dos diversos equívocos econômicos ou abordagens vazias de sentido que papas desde o século XX têm defendido, inclusive, a perspectiva de Francisco, que piora todas as abordagens erradas já defendidas pelos papas.

Horvat II faz, no entanto, um ótima análise da "Economia de Francisco", que ele define muito bem como: "mistura de relatório da ONU, manifesto ecológico, ativismo e tribalismo amazônico".

Em especial, Horvat II nota de forma perfeita que a "Economia de Francisco" não tem Deus.

Horvat II diz:

"A Economia de Francisco  é sobre humanidade e nada sobre divindade. Ele está tão disposto a ser inclusivo, mas exclui Deus da solução para os problemas do mundo.

O aspecto materialista é especialmente aparente, uma vez que o único foco do projeto é construir um mundo melhor por meio da economia. O projeto está dividido em doze “aldeias”, que são grupos de trabalho que discutem temas específicos.

Os doze temas das aldeias são gestão e doação, finanças e humanidade, trabalho e cuidado, agricultura e justiça, CO2 da desigualdade, vocação e lucro, negócios e paz, mulheres pela economia, energia e pobreza, negócios em transição, vida e estilo de vida e, finalmente, políticas e felicidade.

Os temas da aldeia destacam algumas áreas legítimas de preocupação. No entanto, a linguagem empregada para expressá-los reflete os esquemas secularistas, ecológicos, socialistas e “woke”. Para descrever o projeto com mais precisão, talvez seja melhor consolidar as doze aldeias em quatro coletivos ou kolkhozes com temas que refletem melhor a realidade igualitária de suas propostas."

Leiam o texto completo de Horvat II publicado na Crisis Magazine, clicando aqui.


segunda-feira, 4 de outubro de 2021

Joseph Pearce sobre Tolkien, C.S. Lewis e G.K Chesterton


Excelente entrevista com escritor Joseph Pearce, que já escreveu fantásticos livros, como a biografia dele de Chesterton e muitos outros livros especialmente sobre literatura católica (Shakespeare, Tolkien, Lewis,...).

Vale muito a pena assistir ao vídeo. Nele Pearce começa contando sua conversão (ele era protestante e supremacista branco que se converteu influenciado pelos livros sobre distributismo de Chesterton). Aliás, a filha de Elizabeth Anscombe (filósofa irlandesa. Pearce também é irlandês) disse que Anscombe se converteu ao catolicismo influenciada pelos livros de Chesterton sobre essa doutrina econômica de Chesterton.

Não vou relatar aqui a entrevista, só alguns pontos.

Pearce responde sobre como C.S. Lewis se posiciona frente a Tolkien e Chesterton. Ele não classifica, mas elogia muito Lewis (eu acho que Lewis é menor que ambos). O entrevistador se revela um admirador exaltado de Lewis, então tentou levar Pearce a exaltar Lewis.

Sobre Tolkien, Pearce discute a questão da alegoria. Tolkien declarou que detestava alaegoria pois aprisionava o leitor na posição do autor. Pearce esclareceu que essa frase é muito usada por aqueles não cristãos que querem afirmar que o Senhor dos Anéis não é uma alegoria. Pearce disse que Tolkien estava falando de alegorias cruas e para exemplificar ele menciona um livro de Lewis no qual Lewis fez uma alegoria crua (que aprisiona o leitor). Mas que o Senhor dos Anéis é para Tolkien uma alegoria. Tolkien mesmo declarou que era uma alegoria católica.

Perguntado sobre a mitologia pagã no Senhor dos Anéis, Pearce explica que os pagãos também procuram o verdadeiro Deus, e Tolkien sabia disso. Existem coisa demoníacas em mitologias pagãs, assim como o cristianismo possui a presença do demônio como inimigo da fé. O importante é saber se a mitologia pagã adora ou não o demônio.

Pearce fez também comentários muito interessantes sobre o clero "envenenado pelo modernismo". Pearce também defende a missa tradicional.

Na pergunta final sobre como pessoas podem aprender sobre os autores e sobre outros autores que todos deveriam conhecer, Pearce recomenda seu artigo Great Books and Great Conversations, cliquem e leiam.

Joseph Pearce ainda divulga o próprio website. Fantástico.



sexta-feira, 1 de outubro de 2021

Prof. Ralph Martin: O Anticristo (Novo Jesus) Está entre Nós e Vaticano o Propaga.

Espetacular entrevista.

Outro dia eu falei das previsões do venerável Fulton Sheen sobre o anticristo, no qual ele descreve, como anticristo, o pensamento predominante da hierarquia católica dos nossos dias. É uma descrição impressionante.

Hoje, vejo que Patrick Coffin entrevistou o teólogo e professor de seminaristas, Dr. Ralph Martin, sobre quem é anticristo. A entrevista realmente é um "must see". Martin é autor do livro "A Church in Crisis", e é brilhante e esclarecedor. 

A entrevista está em vídeo, mas infelizmente o youtube baniu Patrick Coffin e eu não consegui baixar o vídeo para o blog. Mas vou descrever aqui o argumento de Martin.

Há um pequeno trecho escrito sobre a entrevista no site de Coffin, que basicamente traz as passagens bíblicas sobre anticristo.

Vou primeiro resumir aqui o que Dr. Marin disse, depois mostro as passagens bíblicas:

Resumo:

1. Dr. Martin começa falando que "coça sua cabeça" para entender por que Francisco colocou um quadro em que Cristo cuida, como que perdoando, Judas, em sua sala. 

O quadro foi mostrado pelo jornal do Vaticano L'Osservartore Romano, aqui vai a imagem do quadro:

2. Martin diz que o quadro coloca em dúvida vários dogmas da Igreja. Coloca em dúvida o sacrifício de Cristo, coloca em dúvida o projeto de salvação de Cristo, coloca em dúvida que exista Céu e Inferno, destrói a mensagem de Cristo. 

3. Martin diz que o quadro anuncia um "Novo Jesus", que perdoaria e aceitaria tudo, como casamento gays;

4. Martin diz que o "Novo Jesus propagado hoje em dia pelo Vaticano" (vejam que Martin diz textualmente que Vaticano propaga um "Novo Jesus") defende universalismo (político e religioso) e homossexualismo;

5. A boa notícia (por enquanto) é que a Congregação para Fé negou que a Igreja defenda o casamento gay;

6. Mas Martin diz que essa declaração da Congregação vai no sentido contrário do que Francisco diz e parece acreditar. Francisco fez muitos leigos passarem a pensar que a Igreja iria aceitar casamento gay. Vejam que Martin reconhece a função herética de Francisco;

7. Diz que as ações de Francisco e de muitos cardeais inibem os católicos de chamarem casamento gay de pecaminoso, chamam agora de "relacionamento irregular";

8. Assim teólogos passam a ter dificuldade de ensinar o que é pecado. É a destruição da mensagem de Cristo;

9. Coffin cita um leigo que é abertamente gay praticante, que foi abusado por um padre quando era criança. Coffin lembra que Francisco nomeou esse leigo gay como membro do "Pontifício Proteção de Menores"!

10. Martin cita vários nomeados por Francisco com enormes problemas com abusos sexuais e corrupção financeira;

11. Martin disse que Vaticano vive extrema confusão, um caos.

12. Martin cita a eleição de Biden, um "católico" pró-aborto e pró-gay. Martin denuncia a posição dos bispos dos EUA que só condenaram essas posições de Biden após as eleições;

13. Martin cita que os bispos dos EUA tiveram apoio de Roma para continuarem dando comunhão para políticos abertamente pró-aborto. Daí, Coffin lembra que o próprio Francisco faz isso, inclusive Biden ressalta que Francisco deu comunhão para ele (eu digo: Francisco, aliás, já disse que o que importa é a "consciência" de cada um para receber comunhão. Uma heresia);

14. Martin diz que todos os católicos devem saber quem pode receber a Eucaristia. E se comportar de acordo com o que diz o Catecismo da Igreja;

15. Martin diz que se ele fosse demônio o que ele faria é justamente o que o Vaticano propaga: "hei, relaxe, não se preocupe com seus pecados, não existe esse negócio de inferno, todos serão salvos". A mensagem que temos hoje do Vaticano faz todos se perguntarem: Se Judas é salvo, quem não é? Para que se tornar santo? Para que ser mártir? 

16. Martin ressalta que na Bíblia há descrição da vinda de "muitos anticristos" e "do Anticristo". A principal passagem bíblica para ele está em 2 Tessalonicenses 2:3-4, em que São Paulo  diz: ""Não vos deixeis enganar de modo algum por pessoa alguma; porque deve vir primeiro a apostasia, e aparecer o homem ímpio, o filho da perdição, o adversário, que se levanta contra tudo que se chama Deus, ou recebe um culto, chegando a sentar- se pessoalmente no templo de Deus, e querendo passar por Deus"

17. Martin já vê traços dessa grande apostasia quando países católicos, como a Irlanda, celebram a aprovação do aborto e do casamento gay;

18. Martin depois cita a remoção da ideia do pecado, como sinal do anticristo, que está em 2 Tessalonicenses 2:6-10: "Agora também sabeis o que é que ainda o retém, para aparecer só a seu tempo. Pois o mistério da impiedade já está agindo, só é necessário que seja afastado aquele que ainda o retém! Então, aparecerá o ímpio, aquele que o Senhor" destruirá com o sopro de sua boca, e o suprimirá pela manifestação de sua Vinda. Ora, a vinda do anticristo será assinalada pela atividade de Satanás, com toda a sorte de portentos, milagres e prodígios mentirosos, e por todas as seduções da injustiça, para aqueles que se perdem, porque não acolheram o amor de verdade, a fim de serem salvos. É por isso que Deus lhes manda o poder da sedução, para acreditarem na mentira e serem condenados, todos os que não creram na verdade, mas antes consentiram na injustiça. "

19. Martin já vê esses "prodígios mentirosos" na vida atual, com as benesses do mundo. Prodígios que abandonam e desprezam Cristo, e fazem as pessoas desprezarem a Verdade. O próprio Deus manda o poder de sedução para que acreditem na mentira e sejam condenados os que não creem na Verdade. Bom, digo eu, Deus não é de brincadeira, não tem coração molinho.

20. Martin disse que isso já acontece na nossa vida;

21. Martin exalta que católicos se agarrem com afinco na fé e no rosário e conheçam o magistério da Igreja;

22. Martin ressalta que Cristo disse que a porta do céu é muito estreita, que muitos tentarão entrar e não poderão. Cristo dirá para muitos "Eu não conheço você";

23.  Pessoas verdadeiramente seguidoras de Cristo já estão sendo "canceladas", "deplatafomizadas", "suprimidas", pelo mundo;

24. Martin disse que ficou muito perturbado quando o bispo Sorondo, que nomeou para a ciência pontifícia, elogiou China como promovendo a doutrina social da Igreja. Martin disse que há sim muitos comunistas dentro do Vaticano;

25. Coffin diz que mesmo não se considerando que Francisco seja anticristo, quando se lê o documento de Abu Dhabi assinado por Francisco no qual ele diz que "Deus deseja diversidade religiosa" , pregando universalismo religioso, quando se lê os rodapés do documento de Amoris Laetitia que apoia o divórcio, quando Francisco promove gays, quando Francisco diz que o demônio é  apenas "conceito teólogico" , quando se vê Francisco agindo como instrumento de apoio para globalistas que querem a redução da população mundial, vemos que o anticristo não é uma figura absurda vestida de vermelho segurando um tridente. É um cara crível entre nós;

26. Martin concorda com Coffin e cita muitos gays e ricos globalistas pagãos, que detestam a Igreja sendo honrados pelo Vaticano de Francisco. "Vaticano parece endoidecido".

27. Coffin diz que o que se propaga é "uma variação do "non serviam" (não servirei) de Lúcifer", no qual o demônio se declara oposição aberta a Deus. Martin concorda, a ideia corrente propagada pelos globalistas e pelo Vaticano é de que os homens podem ser Deus e definir o mal e o bem, uma mentira diabólica;

28. Martin ressalta que não há nada a temer se mantivermos a fé em Cristo e agimos com temor a Deus;

29. Coffin então cita Fulton Sheen que considerou Nossa Senhora como co-redentora. No entanto, Francisco discordou e disse que Nossa Senhora não é "co-redentora";

30. Martin reconhece que Francisco se apresentou como devoto de Nossa Senhora e diz que existe um debate teológico sobre o assunto. Mas Coffin disse que Francisco errou ao condenar de cara definição a "co-redentora", uma vez que há ampla aceitação de Maria participando na salvação. Martin concorda e diz que Maria terá ainda participação extremamente importante nos último dias;

31. Martin comenta sobre a corrupção da ciência e da mídia dos nossos dias.

32. Coffin comenta que pessoas fora da Igreja (até ateus) parecem defender mais a Igreja que bispos, contra a irracionalidade e burrice do mundo. 

--

Aqui vão as passagens bíblicas sobre anticristo:

1 João 2:22: "Quem é mentiroso senão aquele que nega que Jesus é o Cristo? Esse é o Anticristo, que nega o Pai e o Filho."

1 João 4:3: "todo espírito que não proclama Jesus esse não é de Deus, mas é o espírito do Anticristo de cuja vinda tendes ouvido, e já está agora no mundo.*"

1 João 2;18: "Filhinhos, esta é a última hora. Vós ouvis­tes dizer que o Anticristo vem. Eis que já há muitos anticristos, por isso conhecemos que é a última hora."

1 João 4:3: "todo espírito que não proclama Jesus esse não é de Deus, mas é o espírito do Anticristo de cuja vinda tendes ouvido, e já está agora no mundo."

2 João 1:7: "Muitos sedutores têm saído pelo mundo afora, os quais não proclamam Jesus Cristo que se encarnou. Quem assim proclama é o sedutor e o Anticristo."

Daniel 7:7-8: "Finalmente, como eu contemplasse essas visões noturnas, vi um quarto animal, medonho, pavoroso e de uma força excepcional. Possuía enormes dentes de ferro; devorava, depois triturava e pisava aos pés o que sobrava. Ao contrário dos animais precedentes, ostentava dez chifres. Como estivesse ocupado em observar esses chifres, eis que surgiu, entre eles outro chifre menor, e três dos primeiros foram arrancados para dar-lhe lugar. Este chifre tinha olhos idênticos aos olhos humanos e uma boca que proferia palavras arrogantes."

Mateus 24:24: ""Porque se levantarão falsos cristos e falsos profetas, que farão milagres a ponto de seduzir, se isso fosse possível, até mesmo os escolhidos."

2 Tessaloniceses 3-4: "Não vos deixeis enganar de modo algum por pessoa alguma; porque deve vir primeiro a apostasia, e aparecer o homem ímpio, o filho da perdição, o adversário, que se levanta contra tudo que se chama Deus, ou recebe um culto, chegando a sentar- se pessoalmente no templo de Deus, e querendo passar por Deus"

Apocalipse 13:1-10: "Vi, então, levantar-se do mar uma Fera que tinha dez chifres e sete cabeças; sobre os chifres, dez diademas; e nas suas cabeças, nomes blasfematórios. A Fera que eu vi era semelhante a uma pantera: os pés como de urso, e as fauces como de leão. Deu-lhe o Dragão o seu poder, o seu trono e grande autoridade. Uma das suas cabeças estava como que ferida de morte, mas essa ferida de morte fora curada. E todos, pasmados de admiração, seguiram a Fera e prostraram-se diante do Dragão, porque dera seu prestígio à Fera, e prostraram-se igualmente dian­te da Fera, dizendo: “Quem é semelhante à Fera e quem poderá lutar com ela?”. Foi-lhe dada a faculdade de proferir arrogân­cias e blasfêmias, e foi-lhe dado o poder de agir por quarenta e dois meses. Abriu, pois, a boca em blasfêmias contra Deus, para blasfemar o seu nome, o seu tabernáculo e os habitantes do céu. Foi-lhe dado, também, fazer guerra aos santos e vencê-los. Recebeu autoridade sobre toda tribo, povo, língua e nação, e hão de adorá-la todos os habitantes da terra, cujos nomes não estão escritos desde a origem do mundo no livro da vida do Cordeiro imolado."

2 Tessalonicenses 2:6-10: "Agora também sabeis o que é que ainda o retém, para aparecer só a seu tempo. Pois o mistério da impiedade já está agindo, só é necessário que seja afastado aquele que ainda o retém! Então, aparecerá o ímpio, aquele que o Senhor" destruirá com o sopro de sua boca, e o suprimirá pela manifestação de sua Vinda. Ora, a vinda do anticristo será assinalada pela atividade de Satanás, com toda a sorte de portentos, milagres e prodígios mentirosos, e por todas as seduções da injustiça, para aqueles que se perdem, porque não acolheram o amor de verdade, a fim de serem salvos. É por isso que Deus lhes manda o poder da sedução, para acreditarem na mentira e serem condenados, todos os que não creram na verdade, mas antes consentiram na injustiça."

quinta-feira, 30 de setembro de 2021

É Melhor que Papas sejam Líderes Políticos com Territórios Consideráveis?

John Zmirak traz um bom debate sobre se foi bom ou ruim os papas perderem os Estados Papais em 1870 para a Itália. A Igreja hoje em dia, graças ao Tratado de Latrão de 1929, possui um pequeníssimo território (Vaticano), mas os papas já foram donos de  vasto território na Itália, por mais de mil anos (de 756 a 1870), como mostra o mapa acima de 1796.

A ideia básica que é comumente ouvida é que o fim dos Estados Papais foi bom, pois assim os papas se dedicaram exclusivamente para questões espirituais.

Zmirak confirma esse lado benéfico, mas adiciona que também teve um lado muito ruim que apareceu muito claramente no século XX, os papas a se comportarem como se fossem professores acadêmicos de Harvard, distantes da realidade da vida, traçando políticas utópicas, muitas vezes antireligiosas e até anti-católicas. 

Começamos a ver muitos papas defendendo poder global, sendo contra a pena de morte, sendo contra guerras em geral, sendo a favor de doação maciça de dinheiro a ditadores no mundo. Se eles fossem donos de territórios consideráveis, com cidadãos pagando impostos e exigindo serviços e proteção, não teriam tantas ideias estúpidas.

Hoje em dia, nós temos um papa que pensa e fala sempre politicamente, a política é a alma dele, e não questões doutrinárias, assunto  ele sempre demonstra pouquíssimo conhecimento e apreço ao ponto de promover claras heresias.

Imagino um estado sendo comandado por Francisco. O site The American Catholic diz que ele não seria capaz de comandar uma barraquinha que vende sucos. Hehehe. Em todo caso, de incompetência explícita no poder, o mundo não está carente.

No meu livro Ética Católica para Economia, eu mostrei como os papas se perderam no século XX no momento que passaram a defender instituições internacionais como a Liga das Nações e a ONU, depois daí, foi ladeira abaixo em matéria de sugestão gerenciamento político das pessoas e dos países. Sem falar que, como mostro no meu outro livro sobre Teoria da Guerra Justa, os papas se perderam no momento em que passaram a ser contra guerras de forma indiscriminada, coisa esdrúxula e estranha para o ponto de vista de qualquer doutor da Igreja, como Santo Agostinho e São Tomás de Aquino.

Zmirak toca em alguns pontos que eu analisei nos meus livros, sendo que meus livros são bem mais completo sobre esse assunto, hehehe. Comprem os livros e comprovem.

Abaixo, tradução da parte final do texto de Zmirak:

Como o Vaticano se transformou em uma ONG Woke

Este movimento começou com o Papa Paulo pontificando no Popolorum Progressio que a solução certa para a pobreza global era ... ajuda externa maciça, de contribuintes ocidentais a governos do terceiro mundo. (Isso acabou sendo um desastre, como os leigos conservadores previram rapidamente, fazendo pouco além de inundar as contas bancárias suíças de ditadores africanos com chapéus de pele de leopardo.)

Em seguida, veio a especulação infundada de João Paulo II de que a pena de morte não era mais necessária, graças aos nossos avanços na criminologia. Em suas reflexões em evolução sobre uma doutrina estabelecida desde o Pacto de Noé, João Paulo simplesmente deixou de fora a razão principal para a pena de morte. Ele abandonou qualquer menção de impor justiça aos piores malfeitores. (Como os criminosos de guerra de Nuremberg, a quem Pio XII havia instado a serem enforcados rapidamente.) Em vez disso, João Paulo manteve apenas o argumento utilitarista sobre a autodefesa social. Assim, o argumento central da justiça saiu da maioria dos debates cristãos sobre o assunto, no buraco da memória. Ficamos parecendo hedonistas utilitários.

Pior ainda foi a afirmação confusa do Papa Bento XVI de que nosso planeta precisa de um governo planetário - a fim de conter os abusos financeiros e pôr fim às guerras. Ninguém dentro do Vaticano aparentemente pensou em lembrar ao papa que a competição entre governos em todo o mundo ajuda a frear a tirania. Nem que o regime global mais provável que surgisse seria uma ditadura da qual não haveria exílio, não haveria escapatória. Exceto no espaço sideral. (“Ajude-me, Obi-Wan, você é minha única esperança!”)

O utopismo clerical imprudente explodiu como uma piñata em câmera lenta com a eleição do Papa Francisco, cujo alinhamento ideológico com as elites globalistas e a esquerda radical que examinarei na próxima vez, em contraste com a sábia liderança cristã do líder húngaro Viktor Orban.


terça-feira, 28 de setembro de 2021

Paul Joseph Watson: "Francisco Faz Trabalho do Demônio"


Depois que Francisco disse que uma rede de televisão conservadora católica fazia o "trabalho do demônio", Paul Joseph Watson resolveu provar que quem faz o trabalho do demônio é Francisco.

Bom, é muito fácil contrastar Francisco com o catolicismo e ver que são duas coisas diferentes.

Watson responde à pergunta: O Papa é Católico? Ele responde: Não.

Watson relatou:
  •  a posição de apoio de Francisco frente ao casamento gay;
  •  a promoção de Francisco à imigração em massa na Europa de culturas contrárias ao cristianismo;
  •  a posição de Francisco de apoio ao passaporte sanitário até para entrar nas igrejas católicas;
  •  a posição de rebaixamento de Francisco frente ao Islã; 
  •  o desprezo que Francisco apresenta frente a mortes de cristãos por terroristas islâmicos; 
  •  o desprezo que Francisco apresenta frente a destruição de igrejas católicas e imagens santas na Europa; 
  •  a exaltação que Francisco faz à "mãe natureza"; e 
  •  o apoio que Francisco dá a ideia de "governança global".


30 países no Mundo Aprovam Casamento Gay. 29 São Ocidentais.

É o ocidente destruindo a sua força: a família, desprezando o seu Deus, desprezando seu livro sagrado, desprezando a ciência que identifica claramente as diferenças entre homens e mulheres e desprezando a formação de seus filhos. 

O resultado também não deixa de ser uma amostra do enorme fracasso das igrejas cristãs em reagir a isso, hoje em dia não há uma simples denominação cristã de tamanho considerável que se levante contra essa aberração da caridade, no máximo temos alguns padres, bispos e pastores que se levantam contra, no resto, a partir da mais alta hierarquia, o que temos é o silêncio cúmplice ou algo como "quem sou eu para julgar os gays".

Já se conta 30 países que aprovaram o casamento gay, de uma forma ou de outra, por vezes sem observar se seu povo aceita (como no Brasil) e por vezes com a aprovação popular, como foi o último caso, na Suíça, em que 64% da população aprovou o casamento gay, com apoio de "associações católicas". Em todos os casos, no entanto, nenhum povo se levantou contra essa aberração da caridade.

Tudo começou com a aprovação de uniões civis entre gays. Coisa que Francisco aprova. Claro que ele sabe onde essa união civil vai parar.

Vejamos os 30 países. segundo lista do RTE  News:

  1. Dinamarca, que aprovou a união civil em 1989 e casamento gay em 2012;
  2. Holanda
  3. Bélgica;
  4. Grã-Bretanha;
  5. Finlândia;
  6. França;
  7. Alemanha;
  8. Islândia; 
  9. Irlanda;
  10. Luxemburgo;
  11. Malta; 
  12. Noruega;
  13. Portugal; 
  14. Espanha;
  15. Suécia;
  16. Áustria
  17. Estônia;
  18. Canadá;
  19. Estados Unidos;
  20. Argentina
  21. Brasil
  22. Colômbia
  23. Equador
  24. Uruguai
  25. Costa Rica
  26. Austrália
  27. Nova Zelândia
  28. África do Sul;
  29. Taiwan (único não ocidental)
  30. Suíça
Há ainda muitos outros que aprovam a união civil gay, como Croácia, Chipre, República Tcheca, Grécia, Itália, Chile. E temos ainda Israel, que aprova casamentos gays feitos no exterior.


segunda-feira, 27 de setembro de 2021

Cardeal Sarah: "Nunca ataquei Francisco". Mas Atacou Sim e Muito, sobre Várias Questões.

Interessante e corretas respostas do cardeal Sarah em uma entrevista publicada por um site católico suíço, em francês. Mas na entrevista, Sarah diz que não tem nenhuma palavra dele (escrita ou falada) contra Francisco, que nunca atacou Francisco. Eu digo que ele está errado ou quer se iludir ou quer iludir os outros, infelizmente. Ele sabe muito bem que muito do que ele diz é diretamente contrário ao que Francisco diz e faz, seja sobre liturgia, sobre gays, sobre Vaticano II, sobre latim, sobre tradição da fé e até sobre modo de dirigir a Igreja. 

A gente precisa de mais, precisamos que clero e leigos sejam luz do mundo a todos, especialmente contra ofensas a fé feitas por qualquer um, inclusive pelo papa. Precisamos de clero e leigos que não tenham vergonha de ser "tradicionalistas" ou "conservadores", que diga aos ventos "Viva Cristo Rei!"

Aqui vai a tradução feita pelo Google da entrevista de Sarah, comprovem o que digo, que ele atacou sim muito do que Francisco diz e faz.

Cardeal Sarah, nem tradicionalista, nem progressista, intransigente

“Não sou tradicionalista nem progressista. Eu ensino o que os missionários me ensinaram. Quero ser fiel, só isso. ” O cardeal Robert Sarah não gosta de rótulos. Mas admite ser intransigente "porque Deus exige, porque o amor exige".   

O ex-prefeito da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos estava visitando a abadia de St-Maurice para presidir a celebração dos mártires de Agaune. Em 21 de setembro de 2021, ele entregou com exclusividade a cath.ch sua análise da crise atual no mundo e na Igreja.

Algumas pessoas o chamam de intransigente. Você aceita este qualificador?
Deus exige, porque o amor exige. Se intransigente é entendido nesse sentido, sim, concordo. Amar de verdade é morrer pelos outros. É Cristo quem diz isso. A religião cristã é exigente. Não é fácil. Se quisermos entrar no mistério da morte e ressurreição de Cristo, não podemos viver nossa fé levianamente. Uma fé que recusa a cruz não é cristã. Quando Pedro diz a Jesus: “Não, a cruz não é para ti”, Jesus responde “atrás de Satanás”. Outra passagem diz: "Se sua mão direita o ofende, corte-a." Se o teu olho te leva ao pecado, arranca-o ”. É intransigente.

Você deixou a Congregação para o culto divino no início de 2021. Como você vive sua missão hoje?
Hoje, muitos cristãos buscam apoio nesta confusão, para crescer na fé, para apoiar suas convicções. Minha tarefa é confirmá-los na fé, tanto quanto possível, para que o que eles sempre acreditaram não mude. O evangelho ainda é válido como foi para os apóstolos, os pais da Igreja e os santos ao longo da história. Como cantamos todos os sábados santos: "Cristo é o mesmo ontem, hoje e sempre."

Em um livro publicado na semana passada na Itália, o Papa Emérito Bento XVI vê uma causa antropológica para a crise atual.
A crise é múltipla: da fé, do sacerdócio, da Igreja, mas sobretudo antropológica, agravada pela ideologia do gênero. O homem se acredita capaz de se moldar, de se criar. Ele não quer depender de Deus ou de ninguém, exceto de si mesmo. Eu compartilho totalmente a análise de Bento XVI. Essa crise é mais acentuada no Ocidente do que em outros lugares, devido ao envelhecimento da população, à evolução da taxa de natalidade e ao progresso tecnológico. Queremos melhorar, aumentar o homem, torná-lo imortal. Mas essas são ilusões. A perfeição pertence apenas a Deus.

Essas ilusões esbarram no enigma da morte.
Certo. Muitas pessoas têm tanto medo da morte hoje. Eles não pensam mais na alma, mas apenas para se protegerem fisicamente. Todas as providências de saúde diante da pandemia vão nessa direção, mas ninguém lida com a morte da alma, enquanto ela é essencial para a vida humana.

Como a tradição pode ajudar o homem neste sentido?
O homem é um herdeiro. Recebe vida, um nome, uma família, um país, uma língua, uma cultura, uma tradição. Mas ele nega, ele quer criar tudo. O que só aumenta a crise e a desorientação. Uma árvore sem raízes morre. Um rio tão vasto, porém majestoso, que seca e desaparece, se for cortado de sua nascente. O Ocidente se esqueceu disso.

A tradição é, no entanto, um processo dinâmico .
Quando você toca em uma herança, não é para enterrá-la, nem para esbanjá-la, mas para fazê-la dar fruto. A tradição não é algo fixo. Ele evolui, mas sem ser arrancado. Como um homem que nasce com pequenos membros que irão crescer e se desenvolver. Se todos agirem como pensam, independentemente de sua história e tradição, estamos caminhando para a anarquia.

O Papa Francisco nos convida a não ter medo da liberdade, nem da novidade .
Você tem que se abrir, mas permanecendo você mesmo. Se eu me abrir para alguém, não devo desaparecer. Devo manter o que sou. Cristão, continuo sendo um cristão. Abrir-se não é apenas buscar um consenso, mas querer fazer crescer o outro, caminhar juntos na busca da verdade.

Caminhar juntos é a definição da palavra sínodo.
Não. O que importa não é a caminhada, mas a busca pela verdade. A verdade não surge do consenso, ela nos precede. Se dialogamos, se nos encontramos, é porque buscamos juntos a verdade que o torna livre. Todo mundo vem com sua visão, suas ideias. Mas, para ser honesto, devo admitir que minha visão está incompleta e estar preparado para abraçar a visão do outro de forma mais plena e verdadeira.
Se olharmos para o que está acontecendo no caminho sinodal alemão, não sei aonde nos levará. Para uma reinvenção total da Igreja? Vamos aproveitar o que todos dizem para estabelecer um consenso. Mas a verdade da Igreja está à nossa frente. Não pode ser feito por nós.

No entanto, a Igreja está em movimento, evolui, muda com o passar dos anos ...
Não, a Igreja não muda. Ela nasceu do lado perfurado de Cristo na cruz. Somos nós que temos que mudar. Se a Igreja é santa, ela só pode mudar para se tornar ainda mais santa.

Isso não corre o risco de estagnação? O Concílio Vaticano II nos convida a discernir os sinais dos tempos.
O Vaticano II não diz que a Igreja deve mudar. Ela cresce em número e em santidade. Mas não muda o que é, ou seja, a extensão de Jesus Cristo, único e santo. É Jesus quem o constrói e não os homens. Nós somos seus membros.

Daí a importância, aos vossos olhos, do anúncio fiel da fé da Igreja através da liturgia.
O ditado diz lex orandi, lex credendi. Enquanto oramos, é assim que acreditamos. Qualquer que seja minha cultura, meu lugar de nascimento, meu continente, minha fé em Jesus Cristo não muda. A inculturação não é colocar um verniz africano ou asiático em um rito. Inculturação é permitir que Deus penetre em minha natureza humana e em minha cultura. É como a encarnação em que Jesus assume a nossa forma humana, ele não a deixa intacta, ele a deifica. Como diz Santo Irineu: "Deus se fez homem para que o homem se tornasse Deus". Caso contrário, estamos horizontalizando a religião cristã. Podemos falar sobre questões sociais, mas primeiro temos que levar o homem a Deus.

A celebração da Missa é um sacrifício, mas ao mesmo tempo também uma refeição fraterna.
O que comemos e bebemos é o Corpo e Sangue de Jesus que se sacrificou por nós. Portanto, a missa é um sacrifício salvífico e não uma refeição fraterna. É a comemoração da paixão, morte e ressurreição de Cristo. Não é principalmente uma refeição de convívio. Devemos insistir nisso.

É talvez aqui que se situe a divisão entre os tradicionalistas e a Missa resultante da reforma litúrgica promulgada por Paulo VI.
Veja como celebramos a missa hoje. Freqüentemente, estamos apenas conversando entre nós. O padre fala, fala, sem deixar silêncio. Na África temos muitas danças, aplausos, mas podemos dançar na frente de um morto? Jesus nos diz: “fazei isto em memória de mim”. Estamos reunidos, somos felizes, mas é isso. A liturgia não é para o homem, é para Deus. Se perdermos a centralidade, o primado de Deus, a Missa torna-se uma simples refeição fraterna.
Se não entrarmos no mistério, estaremos lutando entre nós e cada um quer impor sua visão. É a Deus que celebramos, que adoramos. É ele quem nos reúne para nos salvar.

A forma de acreditar está mudando.
Eu não sei o que você quer dizer. Quando Jesus diz "acredite em mim", ele o está dizendo aos judeus, aos gentios, aos gregos. Acreditar é confiar em Jesus, é confiar nele.

O respeito pela forma litúrgica é, portanto, central para a fé.
Estou maravilhado com outras religiões. Muçulmanos, budistas, todos rezam da mesma maneira. Não entendo por que nós, cristãos, lutamos por essas questões. A fé é um presente de Deus. Gastamos muita energia em conflitos litúrgicos desnecessários.

Os círculos tradicionalistas fizeram de você seu porta-estandarte .
Não, eu não sou um porta-voz. Afirmo o que a Igreja Católica sempre acreditou e afirmou. Eu afirmo a doutrina e o ensino moral da Igreja. Não sou tradicionalista nem progressista. Eu ensino o que os missionários me ensinaram e alguns morreram muito jovens para me dar Cristo. Não estou inventando nada, não estou criando nada. Quero ser fiel, só isso. Deus fala conosco como falou com Adão e os apóstolos.

Outros o vêem como um adversário do Papa Francisco.
É um rótulo que eles colam em mim. 
Mas ninguém consegue encontrar uma única palavra, uma única frase que eu teria dito ou escrito contra ele.

Na vossa luta pela liturgia, o celibato dos sacerdotes é uma questão essencial. Você vê uma ligação ontológica entre o sacerdócio e o celibato.
Cristo é o noivo da Igreja e o sacerdote como alter Christus ou ipse Christu s (outro Cristo ou o próprio Cristo) deve ser totalmente conformado a Cristo. Portanto, o celibato e o sacerdócio estão ontologicamente relacionados.

As Igrejas Católicas Orientais, entretanto, têm um clero casado.
As razões são políticas e históricas. Isso é tudo. Essas Igrejas também reconhecem a importância do celibato, já que um padre casado nunca será bispo. Todos os últimos papas, Paulo VI, João Paulo II, Bento XVI e até Francisco, todos insistiram no celibato. O Papa Francisco disse, usando as palavras de Paulo VI: "Prefiro morrer a mudar a lei do celibato". Fui acusado de tudo, de ter manipulado Bento XVI, mas o Papa Francisco agradeceu-me pessoalmente pelo meu livro. Eu não me importo com nada disso. Talvez não tenhamos a mesma forma de nos expressar. Mas cada um prestará contas disso a Deus.

Você dedicou um de seus livros ao silêncio necessário .
O silêncio é essencial para nós humanamente falando. Quando você quer descansar, você precisa de silêncio. Quando você quer ler ou escrever, o silêncio é essencial. Em nosso relacionamento com Deus, é o mesmo. Deus vive em silêncio. Em nossas sociedades barulhentas, Deus desapareceu. Ele tem um desinteresse total por Deus, porque somos devorados pelo barulho, pelo telefone, pela internet, pelas notícias. Nossas cerimônias também são tão barulhentas.

Em que direção?
Acrescentamos palavras, inventamos coisas novas, comentamos o tempo todo. Tomemos o início da Missa: “Preparemo-nos para a celebração da Eucaristia, reconhecendo que somos pecadores”. Não precisamos de explicações ou comentários, mas sim de silêncio para que possamos voltar para dentro de nós mesmos.
Eu venho de um país que tem 73% de muçulmanos. Quando um muçulmano se prepara para orar, ele faz sua ablução e fica sozinho em um canto em silêncio e, quando termina, entra na sala para orar. O que os padres fazem? Eles se preparam para a sacristia conversando e continuando a conversa durante a procissão de entrada. Queremos humanizar tanto a nossa liturgia que perdemos o seu sentido.

A manutenção do latim poderia ser útil neste sentido?
O Concílio Vaticano II o recomenda explicitamente. A língua da Igreja, da liturgia, é o latim. Quando nos encontramos entre africanos ou com pessoas de outros continentes, o latim nos une e nos permite celebrar juntos.

Isso não se aplica necessariamente a uma celebração em uma comunidade local.
É errado ter suprimido o latim. Todos os muçulmanos oram em árabe, mesmo que não seja seu idioma. Nós dividimos o que Cristo uniu. Se não há mais latim, por que falar da Igreja latina? O mesmo ocorre com a música com a manutenção do canto gregoriano.

O Conselho também afirma que a tradução para a língua do país pode ser útil.
Isso significa que é preciso traduzir a palavra de Deus para o vernáculo para que as pessoas possam entendê-la. Mas, novamente, ele não disse para remover o latim.

Os países de língua francesa apresentarão a nova tradução do missal para o início do Advento 2021.  
É bom que o missal em francês possa aparecer. A tradução melhorou muito, embora ainda haja coisas que poderiam ter sido melhores.

É justo que a responsabilidade pelas traduções tenha sido confiada às conferências episcopais de acordo com a vontade do Papa Francisco?
Um aluno que faz um exame se corrige? Ele ainda precisa de uma correção e de uma opinião externa. Caso contrário, todos correm o risco de traduzir como desejam. Disseram-me que "uma conferência episcopal conhece sua língua e sua cultura", é claro, mas nem todas as conferências episcopais têm os meios, em particular um conhecimento bastante profundo do latim. Mas não quero me expressar mais sobre este assunto.

Você não quer uma Igreja morna.
A Igreja deve falar uma linguagem clara e precisa que fale doutrina e moral. Muitos bispos se calam ou dizem coisas vagas por medo da mídia e de reações negativas. Devemos pedir a graça de Deus para aumentar nossa fé e crescer em seu amor. Não oramos o suficiente.

 

---

Rezemos pelo cardeal Sarah, para que se fortaleça no Espírito Santo.



sábado, 25 de setembro de 2021

Claramente o Anticristo de Fulton Sheen Está entre Nós.


Isso deve ser uma das causas de que a beatificação de Fulton Sheen está atrasada. Excelente vídeo do Instituto Hesed, por meio do irmão Emanuel Maria.

O irmão Emanuel Maria descreve fielmente o anticristo de Fulton Sheen, mas aqui vai o original de Fulton Sheen, há legenda para português. Ele começa a falar do Anticristo a partir do minuto 4:30.




sexta-feira, 24 de setembro de 2021

Exercito da Europa para Defender "Cristianismo Humanista" É Oximoro

 


Diante do fiasco histórico dos EUA no Afeganistão, lideres europeus reanimaram a ideia de um exército europeu não apenas para missões de paz, mas para "defender os interesses da Europa" no mundo.

O cientista político italiano Ernest Galli destruiu a ideia rapidamente em um artigo no Corriere de la Sera.

Ele disse basicamente:

1) União Europeia não existe politicamente, apenas economicamente;

2) Quem será o comandante supremo de 27 países que decidirá guerras?

3) Como 27 estados poderão chegar a uma decisão de vida ou morte como é uma guerra?

Ok. Até ai.

Daí, John Allen Jr. foi querer comentar e disse que a única via seria a criação de um "exército europeu para defender o cristianismo humanista".

Eu ri quando li isso. 

Cristianismo humanista é oximoro, tipo música silenciosa e belo horroroso. São contraditórios. E humanismo não faz guerra, se rebaixa.

E Allen Jr . ainda acha que Francisco seria muito importante para apoiar a ideia.

Deus do céu.  

Não é uma questão de apenas ser Francisco, alguém cuja opinião é sempre a corrente do mundo, nunca é "sal da Terra".

É que há mais de 100 anos a Igreja não tem qualquer relevância no debate político internacional.  A Igreja se absteve.  Tristemente desde o início do século XX. Não teve posição nem na Primeira, nem na Segunda Guerra.

E recentemente a Igreja não reage nem quando crucificam cristãos no Oriente Médio. 


A Eugenia (Seleção Racial) às Claras de Biden


Esse vídeo de Tucker Carlson mostra a crise nas fronteiras do Texas em que milhares de especialmente haitianos se aglomeram para entrar nos EUA. Enquanto, os deputados do partido de Biden dizem que o Texas deve permitir que todos entrem e condenam policiais de fronteira (que tentam fazer o trabalho pelo qual são pagos: evitar imigração ilegal) como agindo piores do que fizeram durante a escravidão.

Mas o mais importante é que Carlson mostra Biden (a partir de 1:30 minuto) declarando abertamente que deseja fazer imigração em massa "implacável" de imigrantes ilegais e assim alterar a distribuição racial dos EUA, para uma na qual brancos sejam minoria.

Biden, se elegeu prometendo abrir fronteiras e legalizar todos os imigrantes ilegais. Os imigrantes ilegais não deixaram nem Biden assumir o poder e já começaram a tentar entrar nos EUA, algumas vezes usando a camisa com os dizeres "Biden, deixe a gente entrar", como mostra a foto abaixo:


Sabe-se que já entraram mais de 500 mil de pessoas desde a chegada de Biden. 

A imigração em massa colocará ainda mais pressão nos serviços sociais dos EUA, na áreas de saúde e educação. Além de alterar completamente a votação eleitoral nos EUA.  Colocará muito mais gente dependente do Estado e assim mais gente que vota em candidatos de esquerda que prometem mais subsídios estatais.

Como Carlson pergunta: qual país deve permitir que isso aconteça? 

Respondo: só aquele que procura a própria destruição. 

Vejam, Biden e os seus estão fazendo isso no país mais rico do mundo e que possui o maior poder militar do mundo. As consequências disso tanto econômicas, como militares, como culturais são e serão mundiais.



quinta-feira, 23 de setembro de 2021

Corrupção Financeira e Política nos Mercados


Professor Ricardo Felício me entrevistou recentemente sobre como a corrupção financeira e política afeta os mercados hoje em dia. Assistam.


quarta-feira, 22 de setembro de 2021

Francisco - Papa do Diálogo que Chama Católicos de Demônios



Francisco, entre jesuítas da Eslováquia, disse que existe um grande canal de TV católico que vivi falando mal dele, e que ele pessoalmente merece porque ele é um pecador, "mas a Igreja não merece. Assim, a TV faz o trabalho do demônio".

Essa TV provavelmente é a EWTN, maior canal de TV católico do mundo, fundado pela freira Madre Angélica, que possui excelentes católicos entre seus apresentadores. 

O que Francisco está fazendo é confundido ele com a Igreja. Se ele acha que merece que a TV fale mal dele, devia parar por aí. Dizer que  pessoas que trabalham em uma TV fazem trabalho do demônio é uma acusação seríssima vinda de um um papa. Por isso o que ele fez foi de uma irresponsabilidade gigantesca. Esse é o "papa do diálogo" que chama católicos de demônio. Ele chamaria o Talibã de filhos de demônio?

Cristo chamou o primeiro papa de Satanás, porque estava no caminho de Cristo. Francisco, um argentino, não lembraria isso para seus pares jesuítas. Ele se posiciona no lugar de Cristo chamando os outros de demônio. Cristo disse a seus apóstolos que o maior deles era aquele que mais servia aos outros, Ele não disse que os representantes Dele podiam se comportar como Deus.

Francisco fez agora pior do que ele fez contra Trump, ao dizer durante as eleições de 2016 que Trump não era cristão, porque Trump advogava construir um muro na fronteira com o México (hoje em dia seu candidato Biden sofre com a maior imigração ilegal da história dos EUA e tenta minimamente se proteger usando o muro que Trump construiu. Não ouvi nenhuma palavra de Francisco diante das imagens terríveis de famílias na fronteira do México. Se o presidente fosse Trump...)

Francisco também disse que tem gente que torce para que ele morra. Bom, sempre tem gente que torce para que ele papa morra. Quantos torceram pela morte de Bento XVI entre os esquerdistas? Bento XVI fez o favor de agradar a eles e renunciou.

Também se soube que o Vaticano de Francisco vai exigir vacinação e teste de Covid para entrar no Vaticano. Será que um católico pode alegar objeção de consciência e entrar? Eles não explicaram, obviamente não sabem o que significa ser católico.

Fico aqui pensando. Se a Argentina, terra de Francisco, sofre até hoje pela praga do peronismo, será que que vai acontecer o mesmo com a Igreja após a morte de Francisco. Oh, Deus, livrai-nos dessa cruz.



  

terça-feira, 21 de setembro de 2021

Denúncia de Project Veritas: "Vacina é Cheia de Merda"


Project Veritas costuma ou gravar ou deixar que dissidentes de companhias, de empresas de mídia ou do governo, falem o que se passa dentro de seus empregos.

Aqui a Parte 1 de denúncias contra as vacinas. No vídeo, temos uma profissional de saúde federal que gravou às escondidas médicos que denunciam vacinas a portas fechadas por provocar problemas cardíacos  e problemas de coagulação no sangue e também gravou pacientes que sofreram consequências das vacinas. A denunciante mostra uma colega de trabalho que faleceu depois de tomar a vacina. Ela também mostra médicos querendo usar hidroxicloroquina, mas são expressamente proibidos.

Uma médica diz que as "vacinas são cheias de merda".

Isso é terrível? Sim, reflete a extrema corrupção de nossos dias. Isso condena todas as vacinas? Não. Isso serve para aprovar a hidroxicloroquina? Não, não tenho formação para saber o que é o que faz a hidroxicloroquina para Covid-19. O que Veritas condena claramente é o silêncio da mídia e mesmo de profissionais da saúde que deveriam ser transparentes sobre as vacinas.

Sim, há alguns casos públicos com problemas na vacina, mas quantos não são reportados?

Project Veritas é realmente fantástico.