terça-feira, 18 de maio de 2021

Turquia pede que Francisco lance Campanha contra Israel

Presidente da Turquia, Recep Erdogan, ligou para Francisco e disse que ele deveria mobilizar os cristãos do mundo contra Israel pelos ataques (melhor seria dizer contra-ataques) de Israel contra terroristas do Hamas.

O texto da reportagem não diz qual foi a resposta de Francisco, apenas aponta que Francisco declarou que  a violência na região era "terrível e inaceitável".

Bom, praticamente todos os paises europeus, deve suas fronteiras aos Cruzados, que eram convocados pelos papas para combater muçulmanos. 

Francisco marcaria a história se  exaltasse cristãos a combater os judeus em apoio a muçulmanos. O contrário do que fizeram dezenas de papas antes.

Outra coisa, Erdogan é um ditador.  O cara pedir ação moral de qualquer um é uma afronta moral per se.

De que lado cristãos devem estar no conflito?.  Ora, Cristo era (é) judeu. Foi o Deus judeu que encarnou entre nós.  Nós, cristãos, temos que respeitar Cristo em todos os seus aspectos.  

Isso não quer dizer que o Estado de Israel, mesmo se declarando um estado judeu, respeite o próprio judaísmo. Muitas vezes não respeita.  Basta ver a parada gay por lá. Nem muito menos dizer que Israel respeite o cristianismo. 

E também não quer dizer que cristãos devem apoiar cegamente os judeus. Cristãos apoiam cegamente só a Cristo. 

No estanto, no caso do conflito, a história mostra que o Estado de Israel é muito mais pela convivência com muçulmanos do que o contrário.  Os muçulmanos de Hamas querem a destruição completa de Israel. Basta ver as negociações de paz na história.

Além disso, o judaísmo, assim como o cristianismo, respeitam muito mais a vida do que o Islã. Claramente o comportamento do Hamas é terrorista e não o de Israel. 

No caso do conflito atual, não analisei de perto para poder tecer maiores considerações. 


segunda-feira, 17 de maio de 2021

Tem Salvação para Todos? Paraíso é Porta Larga?


Muitas vezes qualquer morto vira santo no dia do velório, especialmente se for celebridade. Logo pintam o cara chegando na porta do céu e falando com São Pedro. Mas a porta do céu é larga? Não foi isso que Cristo ensinou.

Bispo Barron é muito conhecido nos Estados Unidos, usa muito bem as mídias sociais para se comunicar com jovens. Eu o conheci há muito tempo, quando ele lançou a série Catholicism. Mas naquele tempo, era tempo de pontificado de Bento XVI, e Barron era conservador. 

O pontificado de Francisco fez muito mal para Barron, ele foi elevado a bispo por Francisco, e isso, ao que parece, o fez aceitar qualquer ataque à Doutrina vindo do Vaticano.

Uma das coisas que Barron tem tentando defender é que todos podem ter esperança de alcançar o paraíso, mesmo aqueles que explicitamente não seguem Cristo nem a sua Igreja. Recentemente, ele fez uma homilia no qual defende de novo isso.

Como diz muito bem, Ralph Martin no vídeo acima, pelas palavras de Barron, parece que o paraíso é a porta larga e o inferno é a porta estreita, o contrário do que Cristo falou.

No vídeo, Ralph Martin, que é professor de teologia para seminaristas, vai explicar em detalhes por que Barron está errado.

Martin escreveu tese de doutorado sobre o assunto, que publicou em livro, e concentra sua resposta a Barron na constituição dogmática Lumen Gentium do Concíio Vaticano II.

Eu tenho dificuldades com fundamentações dogmáticas com base no Vaticano II, pois foi um concílio que se propôs a não estabelecer dogmas explicitamente.

E eu também não gosto dessa parte da Lumen Gentium (parágrafo 16), vejo muitos problemas nela.

Mas, em todo caso, Martin tem razão em alertar sobre as condições para que alguém não católico seja salvo:

1) Não têm culpa por não conhecer Cristo e sua Igreja.
     Eu acho que quem mora em país ocidental, não se pode declarar sem culpa por não conhecer Cristo. Martin não diz isso;
2) Procuram Deus com coração sincero.
     Procurar Deus não é tão simples, nem sem cruz. Martin também não diz isso;
3) Se esforçam com apoio da graça para cumprir seus desígnios.
    Fazer isso sem conhecer a teologia e a doutrina da Igreja, só com base na consciência, creio ser impossível, dado o pecado original. Martin também não diz isso.

Martin, no entanto, fez muito bem em ressaltar muito a parte final do parágrafo 16, que é sempre esquecida por padres esquerdistas, que diz: 

"Mas, muitas vezes, os homens, enganados pelo demônio, desorientam-se em seus pensamentos e trocam a verdade de Deus pela mentira, servindo a criatura de preferência ao Criador (cfr. Rom. 1,21 e 25), ou então, vivendo e morrendo sem Deus neste mundo, se expõem à desespero final.

Em todo caso, vale muito a aula de Martin, apesar de não mencionar nada além de Lumen Gentium.

Aqui vai o parágrafo 16 da Lumen Gentium:

16. Finalmente, aqueles que ainda não receberam o Evangelho, estão de uma forma ou outra orientados para o Povo de Deus (32). Em primeiro lugar, aquele povo que recebeu a aliança e as promessas, e do qual nasceu Cristo segundo a carne (cfr. Rom. 9, 4-5), povo que segundo a eleição é muito amado, por causa dos Patriarcas, já que os dons e o chamamento de Deus são irrevogáveis (cfr. Rom. 11, 28-29). Mas o desígnio da salvação estende-se também àqueles que reconhecem o Criador, entre os quais vêm em primeiro lugar os muçulmanos, que professam seguir a fé de Abraão, e connosco adoram o Deus único e misericordioso, que há-de julgar os homens no último dia. E o mesmo Senhor nem sequer está longe daqueles que buscam, na sombra e em imagens, o Deus que ainda desconhecem; já que é Ele quem a todos dá vida, respiração e tudo o mais (cfr. Act. 17, 25-28) e, como Salvador, quer que todos os homens se salvem (cfr. 1 Tim. 2,4). Com efeito, aqueles que, ignorando sem culpa o Evangelho de Cristo, e a Sua Igreja, procuram, contudo, a Deus com coração sincero, e se esforçam, sob o influxo da graça, por cumprir a Sua vontade, manifestada pelo ditame da consciência, também eles podem alcançar a salvação eterna (33). Nem a divina Providência nega os auxílios necessários à salvação àqueles que, sem culpa, não chegaram ainda ao conhecimento explícito de Deus e se esforçam, não sem o auxílio da graça, por levar uma vida recta. Tudo o que de bom e verdadeiro neles há, é considerado pela Igreja como preparação para receberem o Evangelho (34), dado por Aquele que ilumina todos os homens, para que possuam finalmente a vida. Mas, muitas vezes, os homens, enganados pelo demónio, desorientam-se em seus pensamentos e trocam a verdade de Deus pela mentira, servindo a criatura de preferência ao Criador (cfr. Rom. 1,21 e 25), ou então, vivendo e morrendo sem Deus neste mundo, se expõem à desesperação final. Por isso, para promover a glória de Deus e a salvação de todos estes, a Igreja, lembrada do mandato do Senhor: «pregai o Evangelho a toda a criatura» (Mc. 16,16), procura zelosamente impulsionar as missões.


sexta-feira, 14 de maio de 2021

Um Apelo à Nossa Senhora de Fátima pelo Arcebispo Viganò.

 


Hoje, o site The Remnant publicou um apelo do arcebispo Viganò a Nossa Senhora de Fátima.

Traduzo abaixo:

Há mais de um ano, o mundo inteiro é refém de uma elite que, sob o pretexto da pandemia, pretende criar as condições para o Grande Reset e o estabelecimento da Nova Ordem Mundial. Esta última revolução, planejada pelos inimigos de Deus e da raça humana, é certamente uma obra infernal e, como tal, deve ser combatida recorrendo às armas espirituais da oração, do jejum e da penitência. Exorto os fiéis católicos a recitarem diariamente o Santo Rosário durante este mês dedicado à Santíssima Virgem, acrescentando esta súplica. Que a Medianeira de Todas as Graças, Rainha das Vitórias, nos ajude com seu patrocínio nestes momentos de apostasia e nos conceda a virtude da Fortitude para resistir ao mal e obter a conversão dos pecadores.

Augusta Senhora e Rainha do Céu, volte o seu olhar para nós, Seus filhos, nesta hora de escuridão e aflição. Não desdenheis de ouvir e responder à nossa humilde e confiante oração, num momento em que as forças do Inimigo estão se multiplicando em seu ataque infernal contra Deus, Sua Igreja e a família humana.

Vós que és modelo e exemplo de humildade e obediência à vontade de Deus, ilumina os nossos governantes, para que se lembrem que a autoridade que exercem vem do Senhor, e que terão que responder a Ele, o Justo Juiz, tanto pelo bem que não fizeram quanto pelo mal que cometeram. Vós, que sois a Virgem Fiel, ensinai os que administram os negócios públicos a honrar as obrigações morais do cargo, recusando qualquer conivência com o vício e o erro.

Você que por sua intercessão perante o Trono de Deus cura os males da alma e do corpo e é justamente invocado como Saúde do Doente, orienta os médicos e os profissionais de saúde em sua profissão. Ajude-os a cuidar dos enfermos e dar assistência aos mais fracos entre nós. Dê-lhes coragem para se opor àqueles que os forçariam a causar morte ou doença com tratamentos inadequados ou drogas prejudiciais. Invoque o Divino Médico de nossas almas, Nosso Senhor Jesus Cristo, pedindo-Lhe que desperte em suas consciências a consciência de seu papel e de seu dever de promover a vida e a saúde do corpo.

Tu que durante a Fuga para o Egito salvaste o Teu Filho Divino do massacre de Herodes, livras os nossos filhos das ameaças morais e espirituais que se avolumam sobre eles. Protege os nossos pequeninos da verdadeira peste do pecado e do vício e dos delinquentes planos da ditadura ideológica que os quer golpear no corpo e no espírito. Fortalecer pais e educadores para que se oponham ao uso experimental de uma droga perigosa e moralmente ilícita em nossos filhos. Frustrar os ataques daqueles que atacam sua inocência, tentando pervertê-los desde tenra idade, corrompendo sua moral e distorcendo seu intelecto.

Vós que consolastes a presença do Teu Filho na passagem para a vida eterna, estais perto dos enfermos, dos idosos e dos moribundos, principalmente daqueles que, por regras desumanas, enfrentam a morte só num leito de hospital, privados do Sacramentos. Traga-lhes conforto. Inspira neles o arrependimento pelos pecados que cometeram e o desejo de oferecer os seus sofrimentos em reparação por esses pecados, para que fechem os olhos com a consolação da amizade de Deus.

Você que é chamada de Mãe do Sacerdócio, ilumine nossos Pastores. Abra seus olhos para ver a ameaça presente. Faça-os testemunhas consistentes de Cristo, Seu Filho, corajosos defensores do rebanho que o Senhor lhes confiou e valentes oponentes do erro e do vício. Retira deles, Virgem Santíssima, toda conivência com o pecado. Inflama-os com amor a Deus e ao próximo, ilumina suas mentes e fortalece sua vontade.

Diante de quem todos os demônios do Inferno voam, derrota os planos diabólicos desta odiosa tirania, o engano da pandemia, a mentira dos operários da iniqüidade. Faça a luz da verdade brilhar sobre a mentira, assim como a verdadeira luz de Cristo brilha sobre as trevas do erro e do pecado. Confunda Seus inimigos e humilhe sob Seus pés a cabeça orgulhosa daqueles que ousam desafiar o Céu e querem estabelecer o Reino do Anticristo.

Vós que por decreto divino és Medianeira de Todas as Graças e Nossa Corredentora, obtém para nós a graça de ver o triunfo de Vosso Imaculado Coração, ao qual nos consagramos, nossas famílias, nossas comunidades, a Santa Igreja, nossa Pátria, e o mundo inteiro.

Assim seja. 

+ Carlo Maria Viganò, Archbishop

13 Maio 2021
In Ascensione Domini
In Apparitione B.M.V. Immacculatae

Vaticano de Francisco Adotou Linguagem dos Abortistas

Pela primeira vez, o Vaticano adotou linguagem dos abortistas.  Ao invés de chamá-los de pessoas pró-aborto usou o termo "pro-choice" (pro-escolha).

Nossa Senhora de Fátima nos acuda. Está muito pesado o fardo deste pontificado.

Vou traduzir aqui parte da  explicação do site Life Site News.

Vaticano usa a terminologia  "pró-escolha" pela primeira vez em "abdicação da autoridade moral"

No que se mostra como ser a primeira vez, o Vaticano sucumbiu a uma prática comum entre os defensores do aborto e mencionou repetidamente o termo pró-aborto “pró-escolha” em uma carta recente descrevendo políticos que apóiam o aborto.

 O cardeal Luis F. Ladaria, prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé (CDF), usou a terminologia em uma carta de 7 de maio ao arcebispo José H. Gomez, presidente da Conferência dos Bispos Católicos dos Estados Unidos (USCCB).  O cardeal Ladaria estava escrevendo em resposta à carta do arcebispo Gomez à CDF informando à congregação que os bispos dos EUA estavam elaborando uma política sobre a distribuição da Sagrada Comunhão aos políticos que apóiam o aborto.

Destes, Joe Biden é o mais proeminente e conhecido dos católicos na vida pública que apóia o aborto.  Qualquer política da USCCB sobre a distribuição da Sagrada Comunhão seria uma resposta aos problemas que a Igreja enfrentaria de Biden, como o Arcebispo Gomez descreveu em sua carta após a posse de Biden em janeiro.

 Em sua carta admoestando Gomez por tal plano, o Cardeal Ladaria empregou o termo “pró-escolha” quatro vezes.  Ele se referiu a "políticos pró-escolha" duas vezes, bem como a "legislação pró-escolha" e uma "posição pró-escolha".

Um exemplo do uso desse termo pelo CDF é dado ao observar como os bispos locais devem "estender a mão e dialogar com políticos católicos dentro de suas jurisdições que adotam uma posição pró-escolha em relação à legislação de aborto, eutanásia ou outros males morais,  como um meio de compreender a natureza de suas posições e sua compreensão do ensino católico. ”

A Igreja Católica ensina que o aborto é sempre errado porque mata um ser humano inocente, violando assim a proibição da Igreja ao assassinato, e que os atos homossexuais são “intrinsecamente desordenados” e “em nenhuma circunstância podem ser aprovados” (CCC 2270-2272;  CCC 2357).

 Além disso, papas e membros da hierarquia têm se referido consistentemente aos defensores do aborto em termos precisos, não ao ambíguo “pró-escolha” como defendido pelos defensores do aborto.

Na encíclica Evangelium Vitae do Papa João Paulo II de 1995, ele se referiu aos apoiadores do aborto como "pró-aborto" e usou o amplamente difundido "pró-vida" ao se referir àqueles que buscavam defender o direito à vida do nascituro.

Enquanto os defensores do aborto, como Biden, promovem o direito das mães de "escolher" se querem fazer um aborto ou não, João Paulo II rejeitou firmemente a noção de que um católico poderia ter esta posição: "Estamos enfrentando um choque enorme e dramático entre o bem e o  mal, morte e vida, a 'cultura da morte' e a 'cultura da vida'. Encontramo-nos não apenas 'confrontados com', mas necessariamente 'no meio' deste conflito: estamos todos envolvidos e todos partilhamos dele  , com a responsabilidade inescapável de escolher ser incondicionalmente pró-vida. ”

 “O aborto e a eutanásia são, portanto, crimes que nenhuma lei humana pode reivindicar para legitimar”, continuou o Papa.  “Não há obrigação de consciência de obedecer a tais leis;  em vez disso, existe uma obrigação grave e clara de se opor a eles por meio da objeção de consciência. ”


quarta-feira, 12 de maio de 2021

Depois de Morto, Cardeal Newman Respondeu sobre Vaticano II.

Cardeal Newman faleceu em 1892. Viveu durante o Concílio Vaticano I, mas se recusou a participar desse concílio como teólogo, alegando que não era capaz de emitir opinião sobre o debate da infalibilidade papal. Ele tinha problemas de consciência com o assunto e sofreu desconfiança de alguns clérigos, como o cardeal Manning, por isso e por outras.

Newman escreveu livros teologicamente muito profundos.  Um dos mais conhecidos é o "Ensaio sobre o Desenvolvimento da Doutrina".  Especialmente por causa desse livro alguns dizem que Newman é uma espécie de patrono do Vaticano II, o que de cara me parece um equívoco porque Newman era muito apegado aos dogmas. Foram basicamente os dogmas que fizeram Newman se converter. 

Newman foi canonizado em 2010. Neste momento, o site NCR resolveu perguntar a especialistas em Newman o que ele responderia sobre questões contemporâneas.

Um deles, o padre Ian Ker, por muitos considerados o maior especialista em Newman, uma verdadeira autoridade sobre a vida e o pensamento de Newman, autor da melhor biografia de Newman, resolveu responder como se fosse o próprio Newman respondendo.  

Ker respondeu em primeira pessoa, como se fosse o próprio Newman. Uma atitude corajosa que só ele poderia fazer e todo mundo levar a sério. 

E a pergunta que Ker (Newman) respondeu foi justamente sobre o Vaticano II.

Vou traduzir a responda de Ker (Newman):

Pergunta: O que Newman teria a dizer à Igreja do Século 21?

 Professor Ian Ker (falando pela voz de Newman): Como alguém que muitas vezes foi chamado de “O Pai do Concílio Vaticano II”, acho que a Igreja deste período pós-conciliar encontraria as muitas cartas particulares que escrevi antes, durante  , e depois do Concílio Vaticano I de interesse e relevância.  Lá eu fiz várias considerações.

 Primeiro, os Concílios geram grande controvérsia e desunião.  É provável que haja aqueles que exageram grosseiramente os ensinamentos do Concílio (como aconteceu em meu país depois do Vaticano I, quando o Cardeal Manning exagerou o escopo da definição de infalibilidade papal) e aqueles do outro lado que resistem a esses ensinamentos (como com Dollinger e os  Velhos católicos).  Existe um paralelo depois do Vaticano II?

Em segundo lugar, os concílios têm consequências não intencionais, como era praticamente inevitável quando a infalibilidade papal era definida isoladamente e sem o contexto mais amplo de um ensino mais geral sobre a Igreja.  A Igreja pós-Vaticano II tornou-se excessivamente preocupada com o ecumenismo, a justiça e a paz, etc. às custas do Evangelho?

 Terceiro, meu estudo da história primitiva da Igreja mostrou-me como a Igreja 'avançou para a verdade perfeita por meio de várias declarações sucessivas, alternadamente em direções opostas, e assim aperfeiçoando, completando, fornecendo-se mutuamente'.  Os textos conciliares precisam ser completados - não aumentando ou fortalecendo o que foi ensinado, mas fornecendo outros aspectos da verdade.  A história sugere que o Vaticano III com que alguns sonharam é improvável.

Finalmente, sugiro que você olhe para o início do meu Ensaio sobre o Desenvolvimento da Doutrina Cristã, onde argumento que, embora às vezes se diga que 'o riacho é mais claro perto da nascente', pelo contrário 'uma filosofia ou crença ..  .é mais uniforme, mais puro e mais forte, quando seu leito se torna profundo, amplo e completo.  Ele surge necessariamente de um estado de coisas existente e, por um tempo, tem sabor de solo.  Seu elemento vital precisa ser desvinculado do que é estranho e temporário. '  Será que o vosso Vaticano II não preferiu saborear o solo dos anos sessenta e o seu «elemento vital» não necessita de ser desvinculado desse solo um tanto vulcânico?

---


Genial, não é? 

Newman (Ker) tem toda razão. 

Rezemos pela intercessão de Newman na Igreja Católica. 


terça-feira, 11 de maio de 2021

Francisco e o Cisma Alemão. É Culpa de Francisco?





A riquíssima Igreja Católica da Alemanha está em cisma com a Igreja Católica. Os bispos alemães resolveram abençoar casais homossexuais. Isso é culpa de Francisco?

No mínimo, ele é parte do problema, afinal ele começou seu pontificado dizendo "quem sou eu para julgar os gays", depois se deixou fotografar aos sorrisos com casais homossexuais (foto acima)  e com o padre James Martin (foto acima), que advoga a aceitação completa do homossexualismo (um padre que deveria ter sido excomungado há muito tempo). Além disso, sua exortação apostólica  Amoris Laetitia reduz a importância do sacramento da Eucaristia e que, se não fosse a interferência de bispos, teria declarado apoio a homossexuais (sem falar que até hoje Francisco não respondeu a Dubia dos cardeais sobre esses pontos de Amoris Laetitia). Ah, e tem também a exaltação a Lutero, que Francisco costuma fazer.

Dr. Taylor Marshall fez live sobre esse cisma da Igreja Católica na Alemanha que desafia Deus (ver post anterior do blog), a Bíblia (Genesis, Levíticos, São Paulo, Jesus Cristo), São Pedro Damião,  e a orientação do próprio Vaticano (que depois Francisco pareceu reduzir a importância ao discursar contra o legalismo da Igreja em evento posterior à declaração do Vaticano).

É a guerra contra família que nos alertou a Irmã Lúcia que seria a última guerra do demônio contra Igreja.  

Rezemos. Vejam live de Marshall abaio: 



segunda-feira, 10 de maio de 2021

Santa Catarina - O Que Deus Disse dos Atos Homossexuais

Em tempos de exaltação de casal homossexual que adota crianças na TV, vamos lembrar o que Deus disse a Santa Catarina de Siena sobre atos homossexuais.

Santa Catarina de Sena (1347-80) é doutora da Igreja. 

Já contei aqui que certa vez eu fui a Oxford apresentar um artigo e durante a conferência um palestrante americano, apenas com base em um livro de um ex-padre, chegou a dizer que Cristo tinha tendências gays. Eu o questionei muito, então o líder da conferência interrompeu a discussão entre nós  usando erroneamente doutrina do Cardeal Newman. 

No meio da discussão, eu mencionei Santa Catarina de Siena, que, em conversa com Deus, lhe foi revelado que os atos homossexuais (chamados de atos contra a natureza) eram tão nojentos que nem o demônio aguentava presenciá-los. 

Deus ressaltou que o Demônio, apesar de instigar o pecado homossexual, originalmente tinha espírito angelical, por isso não conseguia presenciar atos tão nojentos contra a natureza.

Deus também ressaltou que esse pecado terrível de sodomia atingia velhos, jovens, leigos e religiosos. 

Esta informação está no livro "O Diálogo" de Santa Catarina. Mais especificamente no capítulo 124 do livro. Padre Z ressaltou essa passagem em seu blog, recentemente. 

O Diálogo foi composto como uma narrativa contínua com Deus, mais tarde dividido em capítulos.

O livro de Santa Catarina está disponível no site Clerus.org, em italiano. Mas Padre Z nos traz a tradução do Capítulo 124 em inglês. 

Vou mostrar aqui a versão em inglês, depois mostro a tradução para o português, com base no texto disponibilizado pelo padre. 

Primeiro a versão em inglês.

“I wish thee to know, dearest daughter, that I require in this Sacrament from you and from them as great purity as it is possible for man to have in this life. On your side you ought to endeavour to acquire it continually. You should think that were it possible that the angelic nature should be purified, such purification would be necessary with regard to this mystery, but this is not possible, for angels need no purification, since the poison of sin cannot infect them. I say this to thee in order that thou mayest see how great a purity I require from you and from them in this Sacrament, and particularly from them. But they act in a contrary way, for they come full of impurity to this mystery, and not only of that impurity to which, through the fragility of your weak nature, you are all naturally inclined (although reason when free-will permits, can quiet the rebellion of nature), but these wretches not only do not bridle this fragility, but do worse, committing that accursed sin against nature, and as blind and fools with the light of their intellect darkened, they do not know the stench and misery in which they are. It is not only that this sin stinks before Me, Who am the Supreme and Eternal Truth, it does indeed displease Me so much and I hold it in such abomination that for it alone I buried five cities by a Divine judgment, My Divine justice being no longer able to endure it. This sin not only displeases Me as I have said, but also the devils whom these wretches have made their masters. Not that the evil displeases them because they like anything good, but because their nature was originally angelic, and their angelic nature causes them to loathe the sight of the actual commission of this enormous sin. They truly enough hurl the arrow poisoned with the venom of concupiscence, but when their victim proceeds to the actual commission of the sin, they depart for the reason and in the manner that I have said. Thou rememberest that I manifested to thee before the plague how displeasing this sin was to Me, and how deeply the world was corrupted by it; so I lifted thee with holy desire and elevation of mind above thyself, and showed thee the whole world and, as it were, the nations thereof, and thou sawest this terrible sin and the devils fleeing as I have told thee, and thou rememberest that so great was the pain that thou didst receive, and the stench of this sin, that thou didst seem to thyself to see no refuge on this side of death, in which thou and My other servants could hide so as not to be attacked by this leprosy. Thou didst see that thou couldest not remain among men, for neither small nor great, nor old nor young, nor clerics nor religious, nor prelates, nor lords, nor subjects, were uncontaminated in body or mind by this curse.


Agora a versão em português.

Desejo que saiba, querida filha, que neste Sacramento exijo de você e deles a maior pureza que o homem pode ter nesta vida.  Do seu lado, você deve se esforçar para adquiri-lo continuamente.  Você deveria pensar que se fosse possível que a natureza angélica fosse purificada, tal purificação seria necessária em relação a este mistério, mas isso não é possível, pois os anjos não precisam de purificação, visto que o veneno do pecado não pode infectá-los.  Digo isso para que você possa ver quão grande pureza eu exijo de você e deles neste Sacramento, e particularmente deles.  Mas eles agem de forma contrária, pois chegam cheios de impurezas a este mistério, e não apenas daquela impureza a que, pela fragilidade de sua natureza débil, todos vocês estão naturalmente inclinados (embora a razão quando o livre arbítrio o permite, pode  acalmar a rebelião da natureza), mas esses desgraçados não só não refreiam essa fragilidade, mas fazem pior, cometendo aquele maldito pecado contra a natureza, e como cegos e tolos com a luz de seu intelecto escurecido, eles não conhecem o fedor e a miséria  em que eles estão.  Não é apenas que este pecado cheira mal diante de Mim, que sou a Verdade Suprema e Eterna, ele realmente me desagrada tanto e eu o considero tão abominável que só por ele eu enterrei cinco cidades por um julgamento Divino, sendo Minha Justiça Divina  não é mais capaz de suportá-lo.  Este pecado não só me desagrada, como eu disse, mas também os demônios que esses miseráveis ​​transformaram em seus senhores.  Não que o mal os desagrade porque gostem de qualquer coisa boa, mas porque sua natureza era originalmente angelical, e sua natureza angelical os faz detestar a visão da prática real desse enorme pecado.  Eles realmente lançam a flecha envenenada com o veneno da concupiscência, mas quando sua vítima prossegue para cometer o pecado, eles vão embora  pela razão e da maneira que eu disse.  Lembra-te de que te manifestei antes da praga como este pecado foi desagradável para Mim, e quão profundamente o mundo foi corrompido por ele;  então eu te levantei com santo desejo e elevação de mente acima de ti mesmo, e te mostrei o mundo inteiro e, por assim dizer, suas nações, e tu viste este terrível pecado e os demônios fugindo como eu te disse, e tu te lembras disso  tão grande foi a dor que você recebeu, e o fedor deste pecado, que você não parecia ver nenhum refúgio deste lado da morte, no qual você e Meus outros servos poderiam se esconder para não serem atacados por este  lepra.  Tu viste que não podes permanecer entre os homens, pois nem pequenos nem grandes, nem velhos nem jovens, nem clérigos nem religiosos, nem prelados, nem senhores, nem súditos, deixaram de ser contaminados no corpo ou mente por esta maldição.


sexta-feira, 7 de maio de 2021

Apresentação - Economia Escolástica e Mercado Financeiro Atual

Caros, ontem, eu fiz apresentação sobre economia escolástica e mercado financeiro contemporâneo. Para aqueles que não conseguiram assistir aqui vão as imagens do Power Point da Apresentação.


















quinta-feira, 6 de maio de 2021

O "Catolicismo" sem Deus de Biden e Asceclas

Dia nacional de oração nos Estados Unidos.  Biden falou de justiça racial e de mudança climática, mas não mencionou Deus nenhuma vez. 

É a diversidade, né? Tem muito ateu no país, né? Tem até gente rezando para o capeta, né?

Um "católico devoto" presidente do país mais rico do mundo abandonando Deus, o que pode dar errado, né?  

Afinal, o próprio Papa o apoiou muito politicamente e em seus discursos costuma deixar Cristo de fora também, né? Além disso Francisco já assinou documento declarando que Deus "quer" diversidade religiosa, né?

É o "catolicismo sem Deus" em apoio aos ateus, muçulmanos e satânicos em geral.

Rezemos. Muito. 


terça-feira, 4 de maio de 2021

Partido Comunista Chinês Zomba das Mortes por Covid na Índia

Pois é, os caras espalham a praga chinesa do Covid pelo mundo e ainda zomba das milhões de mortes que provocam nos países. 

Diz o texto do Breibart:

Uma conta de mídia social administrada pelo Partido Comunista Chinês (PCC) zombou da crise mortal do coronavírus na Índia no sábado, com uma postagem excluída após a indignação pública na China e na Índia.

A postagem agora excluída, descrita abaixo, emanou da Comissão de Assuntos Políticos e Jurídicos (CPLA) do PCCh - um dos órgãos mais poderosos do Partido, pois supervisiona o sistema legal e as agências de aplicação da lei. A conta da comissão no Weibo, a versão chinesa rigidamente controlada do Twitter, tem 15 milhões de seguidores. A postagem foi compartilhada por várias outras contas de mídia social do governo e de aplicação da lei antes de ser excluída.

O post do CPLA forneceu uma comparação lado a lado entre o lançamento do primeiro módulo de sua estação espacial pela China em órbita e os indianos acendendo uma pira funerária para cremar seus coronavírus mortos.

 “China acendendo fogo versus Índia acendendo fogo”.


domingo, 2 de maio de 2021

A Carta dos Generais a Macron e a População Francesa

Certa vez, fui a São Paulo para dar uma palestra para o Instituto Plínio Correa de Oliveira. O tema era Guerra Justa, com base no meu livro sobre o assunto. Depois da palestra, alguém me perguntou o que eu achava que ia acontecer na Europa. Eu respondi com duas palavras: guerra civil. 

No dia 21 de abril, 25 Generais franceses resolveram escrever para o presidente da França, Emmanuel Macron, alertando que o multiculturalismo em favor dos muçulmanos falhou e que a França está na beira de uma guerra civil.

Diz a carta:

“A hora é grave, a França está em perigo”, a omissão de ação contra as “hordas suburbanas” - uma referência aos residentes das áreas predominantemente de imigrantes que circundam as cidades francesas - e outros grupos não identificados que “desprezam nosso país ”levará à“ guerra civil ”e mortes“ aos milhares ”.

Macron prometeu punir os generais com medidas disciplinares. E Marine Le Pen deu seu apoio aos signatários da carta.

Hoje, leio que a maioria dos franceses concorda com os generais: uma guerra civil se avizinha.

Vou traduzir o texto sobre esse apoio da população disponível no site Zero Hedge:

A maioria dos franceses concorda com generais militares que a nação está se aproximando da "Guerra Civil", revela nova pesquisa

Cerca de 1.000 militares assinaram a carta, incluindo 20 (li que foram 25) generais aposentados, alertando o presidente Emmanuel Macron sobre "vários perigos mortais" que ameaçam a França, incluindo "islamismo e as hordas de banlieue", uma referência aos subúrbios fragmentados em torno de grandes cidades com alto índice de criminalidade e imigrantes populações.

Os signatários também culpam o movimento “anti-racista” por tentar criar uma “guerra racial” atacando símbolos da coesão e identidade cultural francesa, incluindo estátuas.

A carta culpa os “partidários fanáticos” por buscarem criar divisões dentro das comunidades que criaram um vácuo para que os islâmicos afirmem seu controle.

“A hora é grave, a França está em perigo”, afirma a carta, publicada em 21 de abril - o 60º aniversário de um golpe de Estado fracassado.

Os militares alertam que o tratamento dado aos “gilets jaunes” ou manifestantes de colete amarelo exemplifica como o governo tem usado a polícia “como bode expiatório” para opressão brutal.

“Não é mais hora de procrastinar, senão amanhã a guerra civil acabará com esse caos e mortes crescentes - pelas quais você será responsável - com números na casa dos milhares”, conclui a carta.

Apesar de a carta ter sido condenada pelo governo e pela mídia, uma nova pesquisa concluiu que a maioria do povo francês concorda com seu conteúdo.

Uma pesquisa da Harris Interactive descobriu que 58% dos entrevistados “apóiam as palavras dos soldados”, relata Valeurs.

Uma clara maioria - 84% - disse que a violência está aumentando na sociedade e 73% acham que o país está se desintegrando.

Quase três quartos acham que o movimento “anti-racismo” está tendo o impacto oposto e piorando as relações raciais.

Quase metade (49%) também pensa que os militares deveriam ser enviados para ocupar áreas problemáticas, “que agiriam por conta própria para restaurar a ordem”.

Apenas um em cada três entrevistados disse que os signatários deveriam ser punidos, apesar da ministra encarregada das Forças Armadas, Florence Parly, indicar que os membros da ativa enfrentariam sanções.

“Dois princípios imutáveis ​​orientam a ação dos militares em relação à política: neutralidade e lealdade”, tuitou Parly.



quarta-feira, 28 de abril de 2021

Conferência dos Bispos da Alemanha Aprova Eucaristia para Protestantes

 


Eu vi essa frase do escritor britânico Evelyn Waugh no site The American Catholic. Realmente, Waugh tem razão, inclusive para propagar o paganismo e o ateísmo (comunista). Traduzindo, a frase nos diz: "Eu acho que há uma grande vontade dos alemães de tentar e ensinar o resto do mundo sobre religião. Eles deveriam estar dentro de um saco de forma perpétua e em cinzas por todas as perversões propagadas de Lutero a Hitler" . 

Já contei aqui que certa vez eu fui debater sobre corrupção em uma universidade e meu oponente no debate começou a elogiar os alemães. Eu o assustei a contar todas as perversões históricas que os alemães nos deram, como suas ações e seus pensadores. Não era um debate sobre religião, e eu não queria levantar um tópico que não era o tópico em questão, por isso não falei de Lutero, mas lembrei de Marx, da Primeira Guerra e de Hitler. Não lembrei de Weber, nem de Kant, nem de Hegel porque a plateia não era formada por alunos de filosofia. Nem meu oponente, que disse no momento que nunca leu Marx, entenderia. 

Só o impacto gigantesco de Marx no mundo já exigira imensa cautela aos alemães, e eles ainda têm Lutero e Hitler.

Agora, vivemos mais um daqueles momentos em que os alemães querem subverter a Igreja Católica, e agora naquilo que ela tem de mais sagrado: a Eucaristia. 

Eles "não esperam uma objeção de Roma", pois Francisco não desejar controlar a Igreja de Roma, e Francisco se recusou a corrigir o bispo alemão anteriormente.

O atual Papa estudou na Alemanha (apesar de não ter completado os estudos), além de ser jesuíta e argentino. Isso pode explicar muita coisa.

Vejamos texto do National Catholic Register.

Bispo Bätzing abre caminho para protestantes que recebem a comunhão católica na Alemanha

Em sua última tentativa para desafiar a autoridade de Roma, o presidente da conferência episcopal alemã disse que qualquer protestante alemão que deseje receber a Sagrada Comunhão em uma Igreja Católica em Ökumenischen Kirchentag - um dia de unidade cristã em maio - pode fazê-lo.

“Qualquer pessoa que seja protestante e participe da comunhão pode receber a comunhão”, disse o bispo Georg Bätzing em uma discussão online em Frankfurt na quinta-feira sobre o evento de 15 de maio que geralmente traz milhares de cristãos à cidade para eventos eclesiais.

“Queremos dar passos em direção à unidade”, disse ele, acrescentando que “quem acredita em consciência o que é celebrado na outra denominação também poderá se aproximar [do altar] e não será rejeitado”.

De acordo com o site de notícias dos bispos alemães Katholisch.de, o bispo de Limburg disse que a prática "foi mantida em todo o país" e na verdade não é "nenhuma novidade" Talvez a novidade é que isso está sendo discutido, continuou ele, acrescentando que não espera "uma objeção de Roma".

...

O Papa Francisco, acrescentou, disse repetidamente que “a Igreja não pode ser controlada centralmente” e que as decisões descentralizadas devem ser tomadas dentro da estrutura da doutrina católica e do direito canônico. “Esta é a maneira que estamos tentando”, disse o Bispo Bätzing.

O bispo fazia alusão a uma passagem da exortação apostólica do Papa Evangelii Gaudium de 2013, na qual o Papa escreveu que o Concílio Vaticano II apelou a uma “realização concreta do espírito colegial” e que lamentou que este desejo “não tenha sido totalmente realizado , visto que o status jurídico das conferências episcopais que as considerariam como sujeitos de atribuições específicas, incluindo autoridade doutrinária genuína, ainda não foi suficientemente elaborado. ”

O Register também informou que tanto o cardeal Koch quanto o prefeito da CDF, cardeal Luis Ladaria, queriam convocar o bispo Bätzing a Roma em janeiro para corrigi-lo sobre uma entrevista à mídia na qual ele expressou sua discordância do ensino da Igreja em várias áreas, mas seu desejo foi rejeitado pelo Papa Francisco.

O Register entrou em contato com o cardeal Koch para comentar na sexta-feira e para perguntar se o Vaticano estaria tomando alguma medida após as observações do bispo Bätzing. O cardeal não havia respondido na época em que este artigo foi publicado.

--


Rezemos e lutemos por nossa fé, nós, leigos católicos, estamos praticamente sozinhos. 



segunda-feira, 26 de abril de 2021

Um Matemático, um Filósofo e um Apostador em um Bar. Quem é Falacioso?

Como disse aquele que é considerado por alguns (não por mim, hehehe) como  maior filósofo do século XX, Ludwig Wittgenstein, uma boa filosofia pode ser feita inteiramente com piadas.

Li uma piada que deu um debate matemático e filosófico no site de William Biggs. Eu acrescentaria que o que fala também serve de crítica a alguns pensadores da ética filosófica. 

O argumento de Briggs é muito interessante.

É interessante porque o ponto dele é a reificação (também chamado de coisificação das coisas). Em geral, quando se fala de coisificação se lembra da sociologia que por vezes afirma que o capitalismo coisifica as pessoas. Mas aqui é a coisificação dos objetos, como se os objetos tivessem memória, agissem conforme uma lei intrínseca a eles, como eles tivessem razão.

O ponto de Briggs se relaciona ao teste estatístico de jogar dados. Briggs mostra que o matemático e o filósofo também são falaciosos.

Mas eu adicionaria que existem filósofos éticos que por vezes coisificam a ética, quando dizem algo como "a Justiça não vai permitir isso", "a Verdade da ação vai prevalecer"...coisas que por vezes leio, por exemplo, em artigos da filósofa Philippa Foot, que foge do ser humano ou do ser humano supremo (Deus) para coisificar os valores éticos.

Vou traduzir a piada e argumentação dele, que é bastante profunda.

Traduzo abaixo texto de Briggs

A piada é: Um matemático, um filósofo e um jogador entram em um bar. Enquanto o barman puxa uma cerveja para cada um deles, ele decide criar um pouco de confusão. Ele puxa um dado do bolso e o rola ostensivamente no balcão do bar: o dado dá o número 1.

O matemático diz: "A probabilidade de que 1 apareça é 1/6, e no próximo lance será a mesma. Se lançarmos o dado infinitamente muitas vezes, a frequência relativa do número 1 convergirá para 1/6, ou seja, para uma ocorrência a cada seis lances. '

O filósofo coça o queixo dela e comenta: "Bem, isso não significa que não conseguiremos o número no próximo lançamento. Na verdade, é fisicamente possível ter o mesmo número nos próximos 1.000 arremessos, embora isso seja altamente improvável.

O jogador diz: 'Eu sei que vocês dois estão certos, mas eu não apostaria nesse número para o próximo lance.'

‘Por que não?’ Pergunta o matemático.

"Porque eu confio na matemática, então espero que esse número ocorra uma vez a cada seis arremessos. Ter o mesmo número duas vezes consecutivas é um evento raro. Por que isso aconteceria agora? '

A piada tenta condenar o jogador porque o argumento dele "é uma mistura de inadequação conceitual, má interpretação, aplicação irrelevante da matemática e uso enganoso da linguagem". 

Há outros pecados dos apostadores, como a falácia que acredita que uma série de jogadas ruins será seguida por um resultado vencedor, para que a aleatoriedade seja 'restaurada'”. 

Será que explicar matemática ao apostador resolve? Não resolveu para o matemático, nem para o filósofo que continuam o seu debate.

Os modelos estatísticos estão fundamentados na teoria das probabilidades, um dos campos da matemática mais abertos ao debate filosófico.

Eu não concordo com ninguém, realmente, mas minhas simpatias estão mais próximas das do jogador. O matemático e o filósofo cometeram o pecado mortal da reificação. O jogador sozinho procurou entender a causa do problema, de forma vaga, com sua ideia de uma força restauradora, uma causa. O jogador era o único cientista entre os três (onde uso essa palavra em seu sentido antiquado).

O dado não tinha nenhuma probabilidade de dar em nada. O dado foi feito para surgir 1. Dizer que tem uma probabilidade é reificar um modelo do dado e dizer que o modelo é a própria realidade. Este é, como disse, um pecado mortal.

Aqui está um modelo possível de dado, de (até onde eu sei) um número infinito deles: "Um objeto tem seis lados diferentes, marcados de 1 a 6, que quando jogado tem um lado para cima." Dado esse modelo, a probabilidade de 1 é, como dizem o matemático e o filósofo, 1/6.

Esse modelo se aplica, na vida real, a lances reais ou dados reais de bartenders em bares encharcados de vinho?

Quem sabe? Ninguém. O único guia é experimentar e ver. O modelo tem muitas semelhanças com os dados reais, mas os dados reais são grosseiros e reais; o modelo é infinitamente mais suave. Dados reais são lançados em superfícies estranhas com diferentes quantidades de força e rotação. Os dados reais nunca são simétricos, exceto grosseiramente. Eles se desgastam com o uso. As condições de lançamento não são uniformes. As pessoas sabem como manipular arremessos. E assim por diante. Dados existem. Lances existem. O modelo não.

Existem outros modelos melhores do que o nosso simples, como pensava o jogador?

Sim, existem.

O melhor modelo é aquele que delineia todas as causas de cada lance particular, um modelo que dá "probabilidade extrema", ou seja, 0 ou 1, para cada resultado. Uma vez que as causas dependem do meio, que está sempre mudando, esse modelo da Realidade também deve mudar a cada lance. Pode ser feito. Acontece que os dados reais são sensíveis às condições iniciais, o que torna difícil medir todas as causas. É por isso que dados reais são úteis no jogo. Não saber as causas torna os lances imprevisíveis até certo ponto.

Os cassinos tentam forçar a imprevisibilidade da causa e a simetria das forças que operam nos dados de maneiras que todos nós conhecemos. Essa imposição aproxima o modelo simples acima da realidade em alguns aspectos, embora nunca a corresponda. A experiência com arremessos reais é o que nos dá a noção de que o modelo simples faz um trabalho adequado abstraindo a realidade em condições controladas.

O matemático faz com que o barman jogue o dado um número infinito de vezes, o que é uma impossibilidade. Também não é leve, já que qualquer número finito de lances está infinitamente longe do infinito. Devíamos ter sido capazes de deduzir, falando do infinito, qualquer coisa que estamos lidando com um modelo e não com a realidade. Nenhum número de lances finitos corresponderá ao modelo, exceto por coincidência, e a menos que o número real de lances seja divisível por 6, o casamento é impossível. O filósofo confunde a realidade do "fisicamente possível" com as probabilidades do modelo simples.

Agora você ouvirá alguns dizerem "os dados não têm memória" ao discutir a chamada falácia do jogador. O jogador parece pensar que sim; ou, se não forem os dados, então quaisquer causas estão operando nos dados, materiais ou espirituais, daí sua ideia de uma força restauradora. Não podemos provar que ele está errado. Especialmente quando os agrupamentos finitos de jogadas que ele testemunha fornecem evidências confirmatórias de que ele está certo. Esses agrupamentos terão distribuições com grandes desvios do limite teórico do modelo.

O filósofo e o matemático também acreditam que certas forças espirituais operam nos dados, que eles chamam de aleatoriedade. Essa força imbui os dados com um tipo diferente de força direcionadora, o que garante que a frequência relativa dos lançamentos reais seja confirmada pelo modelo, que você lembra que eles pensam ser real.

A força da aleatoriedade é real para eles, e é por isso que falam em jogar dados “justos”. O que no mundo poderia ser, exceto um dado que corresponde exatamente ao modelo simples imaginado, uma impossibilidade na realidade. No entanto, eles dizem que a justiça é (ou pode ser) uma propriedade dos dados, como seu peso ou cor pontual da tinta. A justiça é real, mas, estranhamente, não pode ser medida. Está lá em algum lugar, ninguém sabe onde. Ou como. Ou talvez esteja em algum lugar do meio de jogar dados. Novamente, ninguém sabe onde. Ou como.

Se isso não convencê-lo de que todos têm problemas com a reificação, responda a esta pergunta: "Um dado injusto foi lançado. Qual é a probabilidade de resultar em 1? ” Deixo a resposta para o dever de casa.


domingo, 25 de abril de 2021

A "Igreja Falsa" - Padre Pio, Fulton Sheen, La Salette, Arcebispo Viganò



O livro acima traz uma entrevista do autor Zavala ao padre exorcista Gabriele Amorth (falecido em 2016). Vou traduzir essa parte do livro que foi publicada no site One Peter Five e que se menciona uma previsão dita pelo Padre Pio a Amorth nos anos 60.

Vejamos, vou traduzir:

"Uma peça do quebra-cabeça de Fátima veio na forma de uma entrevista com o muito famoso (e já falecido) exorcista romano, Pe. Gabriele Amorth, também dirigido por José María Zavala.  Amorth conheceu pessoalmente Santo (Padre) Pio durante 26 anos, e é desta figura elevada da santidade católica do século XX que ele afirma ter aprendido o conteúdo do Terceiro Segredo de Fátima.

Amorth foi entrevistado por Zavala em 2011, que manteve a entrevista em segredo até depois da morte do exorcista, publicando-a pela primeira vez no seu livro sobre Fátima. Na entrevista, pe. Amorth relata - como fez em outro lugar - que não acredita que a consagração do mundo pelo Papa João Paulo II em 1984 foi suficiente para satisfazer os requisitos estabelecidos por Nossa Senhora.

“Não houve tal consagração naquela época”, diz ele [Padre Amorth]. “Eu testemunhei o ato. Eu estava na Praça de São Pedro naquela tarde de domingo, muito perto do Papa; tão perto que quase podia tocá-lo. "

Pressionado por Zavala para saber por que ele acredita tão veementemente que a consagração não foi feita, pe. Amorth respondeu: “Muito simples: João Paulo II queria mencionar a Rússia expressamente, mas no final não o fez”.

Zavala pressionou o assunto com o padre Amorth, dizendo que a própria Irmã Lúcia havia dito que o Céu havia aceitado a consagração. Ele descreve uma reação incrédula de pe. Amorth. "Lúcia disse que ...?" Ele perguntou. Zavala continua:

“Pois bem, o Cardeal Tarcisio Bertone disse isso, no ano 2000, escondido atrás de uma carta de Lúcia, de novembro de 1989, na qual ela afirmava que o Céu havia admitido a consagração apesar de uma das condições mais importantes.

"Você viu aquela carta?" Ele pergunta, como se conduzisse um interrogatório policial em busca de provas.

“Nunca,” eu digo categoricamente.

“Acho que você nunca verá, porque estou convencido de que Lúcia não o escreveu.”

"Como você tem tanta certeza disso?"

Porque é que o Bertone não o mostrou quando devia, quando anunciou o Terceiro Segredo de Fátima? Uma simples fotocópia do manuscrito, incluída no dossiê oficial do Vaticano, teria sido suficiente para dissipar qualquer dúvida. Se o Vaticano sempre foi escrupuloso em fornecer a prova documental que autenticava as informações de Lúcia em questões menores, que razão teriam para economizar na única prova documental que, segundo Bertone, validou um fato que sem dúvida foi tão importante importância quanto a consagração realizada por João Paulo II?

"Sim, é estranho", eu admito.

Você realmente acha que Lúcia levou cinco anos para escrever que a consagração havia sido realmente aceita? E que Bertone esperou nada menos que dezesseis anos para anunciar a validade de algo tão crucial como a consagração da Rússia ao Imaculado Coração de Maria?” A voz do padre Amorth soa como folhas secas.

“É tudo muito estranho, na verdade.” Eu [Zavala] aceno novamente.

“Além disso,” ele acrescenta, “se a consagração do mundo ao Imaculado Coração de Maria feita por Pio XII em 1942 foi apenas parcialmente aceita [porque ele não mencionou especificamente a Rússia - ed], pois Jesus disse que em vista disso a guerra seria apenas abreviada em vez de terminada imediatamente, por que Ele agora mudaria de ideia com João Paulo II, se a Rússia não fosse mencionada nesta ocasião? ”

"Seria uma incongruência, sim."

"Em vez de."

"Então…?"

“Não tenho dúvidas de que a consagração não ocorreu nos termos exigidos pela Virgem. Mas não devemos perder de vista o que ela mesma queria nos dizer por meio de Lúcia: "No final, Meu Coração Imaculado triunfará. O Santo Padre consagrará a Rússia a mim e ela se tornará [a ser], [assim] concedendo-se ao mundo um tempo de paz '... ”

A entrevista divaga aqui do tópico de Fátima, mas Zavala volta a ele novamente mais tarde:

“Perdoe-me por insistir no Terceiro Segredo de Fátima: o Padre Pio o relacionou, então, com a perda da fé dentro da Igreja?”

Gabriele franze a testa e levanta o queixo. Ele parece muito afetado.

Na verdade”, afirma, “um dia o Padre Pio disse-me com muita tristeza:‘ Sabe, Gabriele? É Satanás que foi introduzido no seio da Igreja e dentro de muito pouco tempo virá a governar uma falsa Igreja. '”

"Oh meu Deus! Algum tipo de Anticristo! Quando ele profetizou isso para você? " Eu [Zavala] pergunto.

“Deve ter sido por volta de 1960, pois eu já era padre na época”.

“Foi por isso que João XXIII teve tanto pânico em publicar o Terceiro Segredo de Fátima, para que as pessoas não pensassem que ele era o antipapa ou o que quer que fosse ...?”

Um leve, mas conhecedor sorriso, surge nos lábios do padre Amorth.

“O Padre Pio disse mais alguma coisa sobre as catástrofes futuras: terremotos, inundações, guerras, epidemias, fome…? Ele aludiu às mesmas pragas profetizadas nas Sagradas Escrituras? ” [pergunta o Sr. Zavala]

“Nada disso importava para ele, por mais terríveis que fossem, exceto pela grande apostasia dentro da Igreja. Era este o problema que o atormentava realmente e pelo qual orou e ofereceu grande parte do seu sofrimento, crucificado por amor ”. [diz Amorth]

“O Terceiro Segredo de Fátima?”

"Exatamente."

“Existe alguma maneira de evitar algo tão terrível, padre. Gabriele? "

“Há esperança, mas de nada serve se não for acompanhada de obras. Comecemos consagrando a Rússia ao Imaculado Coração de Maria, recitemos o Santo Rosário, façamos todos orações e penitências ... ”

No vídeo abaixo, Taylor Marshall fala sobre essas palavras de Pio:



Em outro vídeo, Dr. Taylor Marshall comentou o artigo do arcebispo Viganò sobre a conferência de saúde do Vaticano, que vai ter 114 palestrantes, sendo a imensa maioria anticatólica. Eu falei aqui no blog desse artigo e dessa conferência.

Marshall ressalta e debate a seguinte frase de Viganò no artigo (traduzo):

"Os mesmos Dicastérios Romanos, ocupados por pessoas ideologicamente alinhadas com Jorge Mario Bergoglio e protegidas e promovidas por ele, agora continuam incontidas em seu trabalho implacável de demolir a Fé, a Moral, a disciplina eclesiástica e a vida monástica e religiosa, num esforço tão vão quanto ele. é sem precedentes para transformar a Noiva de Cristo em uma associação filantrópica escravizada aos Poderes Fortes. O resultado é a sobreposição sobre a verdadeira Igreja de uma seita de Modernistas heréticos e depravados que pretendem legitimar o adultério, a sodomia, o aborto, a eutanásia, a idolatria e qualquer perversão do intelecto e da vontade. A verdadeira Igreja agora está eclipsada, negada e desacreditada por seus próprios Pastores, traída até mesmo por aquele que ocupa o trono mais alto."

No artigo, Viganò lembrou a previsão de Nossa Senhora de La Salette: "Roma perderá a fé e se tornará a sede do Anticristo."

No vídeo, Marshall lembra que a previsão de um surgimento de uma falsa igreja está presente em um livro do arcebispo Fultpon Sheen de 1948.

Fulton Sheen disse:

"Satã vai estabelecer uma contra-Igreja que será o macaco da Igreja porque, ele o diabo, é o macaco de Deus. Terá todas as notas e características da Igreja, mas ao contrário e esvaziada de seu conteúdo divino. Será um corpo místico do anticristo que em todos os aspectos externos se assemelhará ao corpo místico de Cristo. Na necessidade desesperada de Deus, a quem ele, no entanto, se recusa a adorar, o homem moderno em sua solidão e frustração terá cada vez mais fome de pertencer a uma comunidade que lhe dará mais propósitos, mas ao custo de se perder em alguma coletividade vaga. ”

Vejam esse outro vídeo de Marshall abaixo:



---

Concluindo:

Todas essas previsões têm muito em comum, uma Falsa Igreja se levanta de dentro da própria Igreja, eliminando o sagrado. A Verdadeira Igreja fica eclipsada por essa Falsa Igreja. 

Como argumenta, Marshall, a Verdadeira Igreja, Noiva de Igreja, não morre, não é derrotada pelo exército infernal, fica apenas eclipsada, por essa sobreposição diabólica.

Claro está que essas previsões estão sendo cumpridas diante de nossos olhos. Sheen, em particular, pareceu descrever fielmente o atual estado da Igreja.

Rezemos pela Verdadeira Igreja e lutemos por Ela.


quinta-feira, 22 de abril de 2021

O Que é "Sustainable Inclusiveness", Francisco?

Tenho certeza que Francisco, junto com seus amigos padres argentinos, escreveria uma encíclica maior que Laudato Dí para explicar "sustainable inclusiveness" (inclusividade sustentável).

Francisco defendeu isso hoje em vídeo para a conferência da mudança climática do governo Biden.

Mas não é nada difícil explicar o que essa joça eufemística significa. Eu explico em uma palavra.

Sustainable inclusiveness = aborto.

Só isso que significa. Nada mais.

A palavra "sustentável" sozinha é igual a pobreza. Inclusividade quer dizer deixar entrar quem eu quero.

Juntas, elas são = aborto.

Podem colocar no dicionário.

E ele ainda falou aquela frase feita por marketeiros do globalismo e da campanha de Biden: "build back, better", que significa nova ordem global.

Ele precisa ser mais explícito?


Bispos Católicos Franceses Financiam Mesquita Muçulmana em Tours (logo em Tours)


Fato inegável, estamos em tempos de apostasia generalizada do clero. Bispos franceses, com dinheiro dos fiéis, financiam a construção de uma mesquita em Tours.

Logo em Tours. Lembram da Batalha de Tours (também conhecida como Batalha de Poitiers)? 

Foi lá que Charles Martel (Carlos, o Martelo) evitou a islamização da França em 732. Eu tenho facilidade de lembrar dessa batalha pois ocorreu no dia do meu aniversário.

Vejam parte do relato do Church Militant:

BISPOS FRANCESES FINANCIAM NOVA MESQUITA

PARIS (ChurchMilitant.com) - O debate surgiu na França devido às notícias sobre a diocese de Tours ajudando a financiar um novo centro de culto muçulmano.

De acordo com o La Nouvelle République, Salah Merabti, presidente da comunidade muçulmana de Indre-et-Loire - que fica a cerca de 150 milhas a sudoeste de Paris - agradeceu recentemente à diocese católica local por sua contribuição para a mesquita, que é parte de um novo centro comunitário.

Após a revelação, Bispo Vincent Jordy justificou a contribuição dizendo que se tratava apenas de um gesto simbólico de gratidão por uma contribuição que os muçulmanos supostamente deram para a visita de São João Paulo II em 1996. Em uma declaração assinada no site da arquidiocese, Abp. Jordy se esquivou de parte da culpa. Ele declarou:

"Um artigo publicado em 13 de abril na La Nouvelle République, intitulado "A mesquita de Tours aguarda seu telhado, sua cúpula e suas doações", evoca a situação financeira deste local. A este respeito, é enfatizado que vários colaboradores estão participando deste projeto, incluindo a diocese de Tours. As perguntas que chegaram até nós sobre este artigo nos levam a fornecer os seguintes esclarecimentos.

Em 1996, durante a visita a Tours do Santo Papa João Paulo II, sendo os subsídios quase inexistentes, a diocese lançou um apelo a donativos para garantir o financiamento desta recepção. Nesta ocasião, a comunidade muçulmana de Tours quis fazer uma doação simbólica. Em troca, a diocese de Tours quis fazer uma doação semelhante e simbólica por ocasião do lançamento do projeto da Mesquita de Tours, há mais de 15 anos."

Como as comunidades cristãs vivem à luz das férias da Páscoa e as comunidades muçulmanas entraram no período do Ramadã, esse lembrete nos permite viver à altura de nossa vida de crentes."

Outros católicos opinaram com surpresa e descontentamento, segundo o Boulevard Voltaire. O site cita Dominique, um leigo local, que disse: "Se eu quisesse financiar a construção de uma mesquita, o teria feito diretamente!"

A justificativa do bispo não foi adequada para os fiéis locais, que disseram ao canal que uma visita ocasional de um papa como chefe de estado não justifica a ajuda para a construção de um local de culto enorme e permanente. "João Paulo II foi embora, a mesquita permanecerá", disse um paroquiano.

Igreja Francesa: Perdendo dinheiro, frequentadores de missas

A notícia da doação católica para a mesquita de Tours chega enquanto a Igreja Católica na França luta com as finanças. De acordo com o L'Express, as restrições do COVID fizeram com que os crentes fiquem longe da liturgia, enquanto as visitas dos turistas às igrejas e monumentos históricos diminuem, causando uma grande redução nas contribuições. Em 2020, por exemplo, as peregrinações organizadas a Lourdes, onde normalmente milhões vêm anualmente na esperança de cura espiritual e física, foram reduzidas em 95% em 2020 e, portanto, reduzidas em doações.

O jornal citou pe. Jean Chausse, tesoureiro da arquidiocese de Paris, disse que as doações e vendas anuais na histórica Basílica de Sacré-Cœur, construída no final do século 18 enquanto o secularismo francês diminuía, caíram de 7,5 milhões de euros para 3,5 milhões no ano passado. O Estado francês é proprietário de todas as igrejas construídas antes de 1905, o que significa que os contribuintes contribuem para sua manutenção. No entanto, as igrejas construídas após essa data são mantidas às custas da Igreja e de seus colaboradores. O L'Express divulgou temores de que igrejas possam ser fechadas e alguns dos 8.000 funcionários da Igreja despedidos se a tendência atual continuar.

A freqüência à igreja caiu vertiginosamente ao longo dos séculos 20 e 21. Enquanto cerca de 60% dos franceses se identificam como católicos, apenas 15% estão "praticando" sua fé, de acordo com o Europe Now, mas apenas 4,5% vão à missa semanalmente.

O terrorismo muçulmano na França e em outros lugares deixou o Estado francês em alerta. Houve vários incidentes violentos recentes perpetrados por muçulmanos em nome de sua religião (como o assassinato de judeus e soldados fora de serviço em 2012, o ataque ao trem Thalys em 2014, o ataque fatal ao escritório do Charlie Hebdo em Paris em 2015 , o assassinato do Pe. Jacques Hamel em 2016 e a decapitação do professor Samuel Paty por um estudante do ensino médio em 2020).

Embora grande parte da esquerda tenha se alinhado com as aspirações islâmicas na França, alguns estão tendo uma visão diferente. Por exemplo, o ateu esquerdista Didier Lemaire está enfrentando ameaças de morte depois de escrever um artigo no Le Nouvel Observateur após o assassinato de Paty questionando se o Islã pode ser assimilado. Ele disse a Valeurs Actuelles que tem estado sob constante guarda policial e deixou o cargo de professor universitário. Esquerdistas, incluindo o prefeito de Trappes e o prefeito de Yvelines, o criticaram por se desviar da posição esquerdista. "Na realidade, eles me censuram por ter aberto seus olhos para o que eles se recusam a ver", disse ele ao jornal, acrescentando: "Quero que nosso país tome conhecimento do perigo que está sobre ele, em vez de aceitar o lixo na negação."


quarta-feira, 21 de abril de 2021

Viganò Reage a Conferência da "Mente e Corpo" do Vaticano.

 


Já mostrei aqui quem são os 114 palestrantes da conferência sobre "mente, corpo e alma" do Vaticano. Tem de tudo, milionários da indústria farmacêutica, muçulmano, mórmon, ativista climático, defensores de LGBT, cantor de rock, atriz, tudo, menos católicos.

Viganò argumentou sobre esse movimento do Vaticano de Francisco que se alinha aos abertamente anticristãos, seguidores de uma tal de nova ordem mundial.

Como é costume, Viganò foi no ponto. Não tenho tempo para traduzir o texto, mas além do que ele disse dessa horrorosa conferência sob diversos aspectos, ele lembrou que Nossa Senhora de La Salettedisse que "Roma perderá a fé e será a sede do Anticristo". Ele realçou que ela falou "Roma" e não a Igreja. Roma é sede do poder da Igreja, mas não a Igreja.

Interessante.

 

terça-feira, 20 de abril de 2021

Chinês Torturado pelo Governo Chinês Detona Jeffrey Sachs (e Vaticano) ao Vivo


Hitler poderia ter dito: "ei, não falem que eu cometo ataque aos direitos humanos dos judeus, vocês, Inglaterra, Rússia, Espanha, Portugal, França também fizeram isso".

Stálin poderia ter dito: "ei não falem, que eu ofendo os direitos humanos de vocês ocidentais, vocês, Inglaterra, Estados Unidos, Espanha, Portugal, Japão fizeram muito isso contra os asiáticos"

Esse tipo de discurso criminoso, que é também uma falácia lógica chamada "tu quoque", foi usado por todos os ditadores e assassinos na história.

E é o atual discurso da  China: "ei, não critiquem a China, olhem para seus próprios problemas de direitos humanos, no passado e no presente"

E assim, a China se iguala a todos e continua matando, torturando até seu próprio povo.

Que ditadores tenham esse discurso não é novidade nenhuma. 

A novidade é que o discurso saia até do Vaticano, como é demonstrado pelas palavras de Jeffrey Sachs, economista que costuma liderar a posição do Vaticano sobre mudanças climáticas e outras questões sociais escrita em tantos documentos e nas palavras do próprio Francisco.

Agora, Sachs foi confrontado por um chinês ao vivo.

Teng Giao disse na cara de Sachs que ele estava fazendo o mesmo discurso do governo comunista, que torturou ele e tantos amigos dele.

Sachs ficou descontrolado e tentou mudar de assunto, igual aos diplomatas chineses também fazem quando são confrontados nos debates.

Ah, Giao também disse outras coisas óbvias, como a China não está nem aí para essa história de mudança climática.

Vejam no vídeo acima a partir do início 9:40