segunda-feira, 6 de dezembro de 2021

Pfizer: "A Minha Vacina Não Mata. As Outras Matam"



O "CMO" (Chief Marketing Offcer") da Pfizer disse no vídeo acima em entrevista na sexta:
 "Permita-me deixar claro que no que se refere a vacina Pfizer-BionTech não há nenhuma morte relacionada diretamente à vacina e à vacina apenas. Nós temos vistos mortes relacionadas a outras vacinas e eles estão olhando as razões para que essas mortes tenham ocorrido. Isso precisa ficar claro"

Hummm...Isso é mais sério do que se pode imaginar. 

A Vacina mata, segundo a Pfizer, e isso não possui explicações ainda.

A Pfizer se posiciona como a única solução, mas até que ponto isso é questão comercial e é questão científica?

Se qualquer vacina melhora muito a chance de vida, até que grau de mortes provocadas por elas podemos aceitar?

Está claro que as vacinas não fizeram testes adequados antes de serem lançadas no mercado (há acusações mostrando isso inclusive contra Pfizer). Trazer algumas sequelas em poucas pessoas é uma coisa, matar por conta da vacina é outra.

A narrativa da mídia - "vacine, salve sua vida" - precisa ser qualificada, até por orientação da própria fornecedora de uma vacina. É a "ciência" que diz.

 Se não podemos aceitar a opinião da Pfizer, dizendo: "ele está dizendo isso para se venda mais vacinas", por que aceitamos a opinião das empresas farmacêuticas de que todos devem se vacinar? Afinal, os provedores de vacinas se beneficiam enormemente com a narrativa sem critério das vacinas.



6 comentários:

Anônimo disse...

Olá amigo!
Isso acontece com qualquer vacina. O filho de uma amiga minha teve tuberculose após se vacinar com a bcg.. uma vacina com décadas de uso!

E em se tratando de milhões de doses de vacinas aplicadas, isso inevitavelmente vai acontecer, infelizmente.
Existe sim algum exagero, por exemplo, exigir os tais passaportes de vacinação, mas a melhora que observamos nos últimos meses só tem explicação pelo efeito das vacinas.
A alternativa seria a imunidade natural, mas as consequências dessa política foram desastrosas em todos os países que tentaram adota-la.
Segue o debate...
Abraço,
Gustavo.

Horácio Ramalho disse...

Saudações Professor! Essa pandemia realmente escancarou a hipocrisia de muitos, revelando o potencial tirânico em seus corações. Enquanto as pessoas esquecem cada vez mais de Deus, outras coisas foram alçadas a um patamar de divindade e portanto, não podem sequer serem postas em dúvida. A democracia, que para ser protegida demanda que seus críticos sejam calados o jogados na prisão; a eficácia das vacinas salvadoras, que parecem não proteger o suficiente, pois a maioria dos vacinados não se sentem seguros perto dos não-vacinados. E um detalhe: parece que uma pessoa não-vacinada que NÃO, REPITO, NÃO ESTÁ CONTAMINADA pelo vírus do PCC, é tão perigosa quanto alguém que está.

Então me vem a pergunta: se as vacinas são eficazes e um determinado ambiente é frequentado por pessoas vacinadas e por pessoas não-vacinadas, mas que não tem o vírus, como um grupo poderá infectar o outro?

Fora a questão das "mudanças climáticas", anteriormente vendida sob o rótulo de "aquecimento global".

Temos hoje um sistema político que não pode ser criticado e uma "ciência" que não aceita questionamentos. Em tempo, seria interessante se os iluminados de nossos tempos explicassem este caso:
https://www.google.com/amp/s/sports.yahoo.com/amphtml/ten-covid-19-cases-were-151343158.html
Todos vacinados em um cruzeiro, mas ainda aparecem casos. Curioso.

Só nos resta guardar a fé e esperar em Deus, nosso Salvador!

Isac disse...

O PROBLEMA NÃO É A COVID-19, MAS A FRAUDEMIA PARA ATERRORIZAR O POVO VIA MIDIA GLOBALISTA PELAS PICADAS DE DIVERSAS MARCAS PARA FRAGILIZAR, FACILITAR E ENCURRALAR A TODOS OS EX CIDADÃOS!
Quer ver as diabruras que apenas a PFIZER cometeu? Vá ao site americano VAERS, confira o que é mais perigoso: se se uma forte gripe ou a vacina PFIZER com seu turbilhão de efeitos colaterais, como a miocardite & Cia, e mais graves sintomas relatados por pacientes que se submeteram a essa "vacina", por ora ideal, adequada a hamsters!
Isso sem contar o imenso número de arrependidos de terem se vacinado; curaram-se(?), porém sofrem incômodos dolorosos somáticos posteriores, jamais sentidos nas vidas e, que após receberem a picada da "vacina", incomoda-os bastante, sem retrocesso algum, tão logo após a inoculação da "picada da abelha"!
Isso sem contarem os incapacitados pelo resto da vida - casos jamais relatados na grande mídia; os incautos supõem em geral de tudo, menos haver sido os malefícios provenientes das vacinas que seria destinadas à despopulação mundial!
Confiram em apenas 6,61' o que afirmou nosso santo Atanásio, versão século XXI, abaixo, D Viganò:
ARCEBISPO D CARLO VIGANÒ: A VACINAÇÃO É O "BATISMO SATÂNICO", MARCA QUEM A RECEBE O “SINAL DA BESTA”, EM APENAS 6,61', NO VÍDEO ACUSANDO "BERGOGLIO" DE COMPATILHAR DESSE CONLUIO!
https://www.rainhamaria.com.br/Pagina/27106/Arcebispo-Carlo-Vigan-A-A-vacina-C-eo-o-o-batismo-sat-onico-marca-quem-a-recebe-com-o-sinal-da-besta
Também, do Revmo Pe Lodi, o mega pró-vida do Brasil: A MARCA DA BESTA.
https://www.youtube.com/watch?v=wZYfNOkmZmU&t=1811s
NOSSA SENHORA DO BOM SUCESSO APROFUNDA A DESCRIÇÃO PROFÉTICA:
“O pequeno número de almas em que se conservará o culto da Fé e da virtude, sofrerá um cruel e indizível padecimento, ao par de um prolongado martírio.
“Muitas delas descerão ao sepulcro por violência e sofrimento e serão consideradas como mártires por terem se sacrificado pela Igreja e pela pátria”.
https://aparicaodelasalette.blogspot.com/p/nossa-senhora-do-bom-sucesso.html
Apenas de essa vacina vir a ser compulsória - péssimo sinal - possui o putrefato odor da NOM!
CUIDEMOS, COM AS GRAÇAS DE DEUS E A IMPRESCINDÍVEL ASSISTÊNCIA DE N SENHORA ACURADAMENTE DO ESTADO DE NOSSA ALMAS - PREPARANDO-NOS PARA O MARTÍRIO CRUENTO OU NÃO!


Pedro Erik disse...

Não com a vacina, Pfizer, hehehe, meu amigo Gustavo


Mas entendo sua posição.
Eu diria que a princípio parece que a bom nível as vacinas protegem de mortes, enquanto há muito a ser revelado sobre proteção quanto a infecção e mortes e sequelas por conta delas.

E não é que "segue o debate", é que o debate está escondido.

Abraço

Anônimo disse...

Está escondido mesmo. Segue o debate entre a gente e seus leitores.
Seria muito bom discutir sobre isso, mas penso que a questão é a seguinte: se houvesse um conluio para criar vacinas feitas para "matar", aí sim teríamos um grande crime.
Mas acho isso muito improvável. Com a pandemia correndo, não seria razoável levar 10 anos para aprovar uma vacina. Aí é custo-benefício: "menos tempo de desenvolvimento/mais efeitos colaterais" versus "anos de desenvolvimento/menos efeitos colaterais" mas essa última com milhares e milhares de mortos...
Eu ainda prefiro a primeira opção. Mas é apenas uma opinião.
Grande abraço,
Gustavo.

Pedro Erik disse...

Sim, Gustavo.

Grande abraço