quarta-feira, 20 de novembro de 2019

João Paulo II Também Idolatrou Ídolos Pagãos?


Em setembro deste ano, Francisco disse que tudo que ele faz é "copiar" o que fez João Paulo II, querendo dizer que os conservadores que gostam tanto de João Paulo II deviam gostar dele também.

Será?

Bom, não se pode negar que João Paulo II exaltou o ecumenismo (como Francisco), não se pode negar que João Paulo II se aproximou do Islã (chegando até a beijar o Alcorão), não se pode negar que João Paulo II foi fraco com os abusadores sexuais (Francisco além de ser fraco protegeu alguns) e não se pode negar que João Paulo II liberou de forma exagerada a beatificação de santos (ação mantida por Francisco).

Por outro lado, João Paulo II respeitou a Doutrina milenar da Igreja com respeito a todos os sacramentos, em especial aos sacramentos da Eucaristia e do casamento (que Francisco está em vias de destruir. Inclusive Francisco está tentando destruir a base doutrinária para a família do Instituto João Paulo II de Roma), atacou o comunismo e a teologia da libertação (que Francisco tanto exalta), defendeu o capitalismo (sobretudo depois da queda do muro de Berlim), era amigo dos Estados Unidos (que Francisco tanto detesta), não fez acordos com países comunistas (que Francisco adora fazer).

Em suma, a fala de Francisco de que copia João Paulo II é bisonha.

Hoje li no site do Marco Tosatti, que como os conservadores querem reconsagrar o Vaticano depois das celebrações a ídolos pagãos que ocorreram durante o Sínodo da Amazônia, alguns defensores de Francisco dizem que João Paulo II também fez isso quando visitou o México na Igreja de Nossa Senhora de Guadalupe.

Será?

Não, claro que não. João Paulo II não fez celebração a ídolos pagãos no México, ele recebeu oferendas indígenas durante o ofertório da missa. Ofertas feitas a Cristo, Nosso Senhor, não foram oferendas a nenhuma "mãe terra".

Francisco se rebaixou aos ídolos pagãos em celebrações, homenageou a tal "mãe terra Pachamama", permitiu igrejas serem profanadas com ídolos pagãos e colocou oferendas no altar, onde só cabe pão, vinho e o Evangelho.

Tosatti traz fotos para mostrar as diferenças, vejamos:

 1) João Paulo II


2) Francisco





João Paulo II é um santo da Igreja Católica, nenhum santo jamais foi perfeito, pois nenhum homem é perfeito como Cristo, todos são pecadores, deve-se copiar o que eles acertaram e não o que eles erraram. Temos santos que erraram em algum momento da vida em inúmeros pecados.

A santificação de uma pessoa na Igreja significa que foi santificado no céu? Eu já li sobre isso, mas foi só um artigo. Há teólogos que dizem que sim e há teólogos que dizem que não. Como dizem os americanos, "it is above my paygrade" (está acima da minha capacidade) opinar sobre isso.

Rezemos pela intercessão de São João Paulo II.


3 comentários:

Adilson disse...

Ufa!!! Postagem pesada e que dói na alma.

Então, pode se dizer papa Francisco é o agravamento das falhas do papa João Paulo II? Não sei dizer. É certo que as grandes figuras públicas com tendências ao erro sentem-se fortalecidas e impelidas aos erros por causa justamente dos erros e equívocos daqueles que lhes são próximos, especialmente de seus superiores. Mas no caso do papa Francisco creio que não foram apenas os erros do papa João Paulo II: coso de Francisco é de ordem dogmaticamente ideológica: ele serve TL e serve com tanto prazer que está disposto a tudo. Ele é obstinado e só vai sossegar quando derrubar a última pedra da Tradição da Igreja. O sínodo mostrou isso; os documentos que ele produziu mostrou isso; e o tal pecado do "ecocídio" inventado por ele definitivamente mostrou isso.

Bem, não sou estudioso da História da Igreja e muito menos especialista sobre Magistério da Igreja. Mas de um coisa é certa e sua evidência é tão perfeita que nos impede de cometer equívocos e mergulhar em confusões; é esta: há papas (com São Pio V, Leão XIII São Pio X) cuja formação, espiritualidade e devoção produz dois grandes efeitos:
1) ENRIQUECE a Igreja e fomenta o amor à Tradição e a grandeza da Liturgia, diferenciando o Catolicismo das outras heresias; e

2) Assombra e aterroriza os progressistas de plantão, loucos para introduzir suas loucuras e confusões.

Creio que o papa João Paulo II poderia sido um desses papas, se tivesse ao menos seguido os passos de papa Pio XII; mas creio igualmente que papa Francisco não é deseja ser um desses papas e ainda trabalha contra a memória desses papas.

Nosso Senhor proteja sua Igreja

Pedro Erik disse...

Amém, meu amigo. Ótimo comentário. Muito obrigado.

Abraço,
Pedro Erik

Unknown disse...

A fonte de toda abominação que hoje ocorre na Santa Igreja tem por começo o CVII.
Quem defende esse "concílio" herético modernista defende essas aberrações!