quinta-feira, 2 de junho de 2022

Homem Vestido de Concubina com Cobra no Pescoço. Onde? Na Igreja Católica de BH na Semana Santa!

 



Desolação da abominação.  Saiu no exterior. Na festa de semana santa na Igreja de São José em BH, homem vestido de concubina desfilou e dançou  a dança do ventre com uma cobra no pescoço enquanto outros no altar soltavam fogos. 

Tem vídeo da dançarino com cobra aparecendo na Igreja que pode ser visto clicando aqui.

Certamente, isso vai atrair a adoração a Deus e ao sacrifício da missa em lembrança do calvário de Cristo, né???? Oh Deus, quanta desgraça!!!

Vejam a tradução do texto do Gloria TV sobre o assunto:

Homem vestido de concubina feminina faz dança de cobra na igreja

Durante a Semana Santa, em 11 de abril, um estranho show foi realizado na Igreja São José, em Belo Horizonte, Brasil, diante de um público idoso.

Um homem vestido como uma odalisca (= concubina feminina em um harém) e carregando uma grande cobra executou uma dança do ventre provocante, relatou TraditionInAction.org (8 de maio).

Ele fazia parte de uma trupe de dança que se apresentava sob o pretexto de reproduzir “a cultura de Jerusalém na época de Cristo”.

Na realidade, apenas refletia a decadência do grupo Novus Ordo.

Os Redentoristas que dirigem a igreja, emitiram um pedido de desculpas, dizendo que não estavam “cientes” dessa performance.



5 comentários:

Marcelo Matteussi disse...

E a CNBB, presidida pelo arcebispo de Belo Horizonte, pronunciou-se? Realmente, é a abominação da desolação!

Anônimo disse...

Meu Jesus, misericórdia.

Em 2019, estava numa missa em uma Igreja e lá mataram uma filhote de cobra. Desde esse tempo fiquei com mal pressentimento, e essa daí e de pedir clemência e se vestir de saco e cinza.

Que tempos difíceis.

Sagrado Coração de Jesus, misericórdia.

Adilson disse...

Olá, Dr Pedro.

Parte I

Faz tempos que não comento. Mas sempre estou por aqui, quase que diariamente. Hoje decidi comentar, pois quero compartilhar a maior e mais esperada graça de toda minha vida:
Ontem, primeiro de junho de 2022, RECEBI minha PRIMEIRA COMUNHÃO. Graça que fazia 9 anos pedia a Nossa Senhora, mas que só a partir do ano passado me joguei aos pés de Nossa Senhora do Carmo para Lhe implorar. Ela me socorreu em meu sofrimento angustiante.

Nove anos? Sim. E aqui entra justamente a relação da postagem de hoje com esse acontecimento da minha vida

Ou seja: a maldita confusão (,seja entre liberais ou tradicionalistas, me prejudicou: ninguém, especialmente leigos ditos tradicionalistas de moda, e até padres) de está causando muitos danos.

Eu fui vítima dessa confusão. Sim: creio que a coisa é bem maior que aquilo que vemos na superfície, como isso que o vídeo mostra.

Pra se ter uma ideia, um padre tradicionalista me negou até confissão geral. Mas encontrei um outro que me socorreu e aliviou minha dor.

Falta-nos muitos e muitos e muitos padres
e leigos que queiram realmente dominar o essencial. E isso vale inclusive pra tradicionalistas, o que me inclui: queremos sempre demonstrar ou buscar altos conhecimentos, que quase ou nenhuma utilidade tem para os fiéis. Quando, o mais essencial é dominar aquilo que diz respeito a quando, como e onde buscarmos os Sacramentos. Claro, mas aprender isso, não nos livros profundos mas nas melhores claras e simples fontes.

Abraço.

Pedro Erik disse...

Fantástico, meu amigo Adilson. Que Graça!!!

Sim, receber o Cristo Vivo é o que mais importa!!! Sempre

Anônimo disse...

Alguém sabe dizer se na história da Igreja existiu santo sedevacantista ou se essa postura moral realmente trouxe algum benefício à espiritualidade da Igreja? Ou: surtiu algum efeito a curto ou longo prazo? É capaz de produzir alguma clareza nas massas de tal sorte que reanime a fé e motive milhares de pessoas a buscar a santidade, tal como ocorre com as aparições ou surgimento de um santo como São Francisco, Santo Antônio e São Padre Pio de Pieltrrcina?

Qual a relação da pergunta com a postagem?

Simples: como estamos sem santos para mover milhares de pessoas, então tenho pensado se o sedevacantistismo seria um movimento significativo para mover massas e assim combater todas essas confusões.

Por enquanto só o vejo como uma mera posição teológica de pessoas e de grupos, que não está alinhada com a Providência Divina, coisa de que muito carecemos. E eu até tenho vontade de tomar tal postura, mas só o faria se fosse de uma utilidade de produzir efeitos, mas não apenas em mim.

O que é uma pena, pois até que esse pessoal argumentam bem.

Mas... se inteligência e grandes argumentos fossem material de trabalho dos Céus, católicos humildes, pobres, crianças, adolescentes, católicos analfabetos, e até ricos que abriram mão de suas riquezas e sabedorias, não seriam os mais escolhidos pela Divina Providencia.