sexta-feira, 1 de fevereiro de 2019

Wikileaks Revela Traição do Papa Francisco contra Cardeal Burke


Que o Papa Francisco trata de forma terrível, sem qualquer misericórdia, os cardeais e clérigos que
ele considera seus inimigos "políticos" está mais do que claro. Já chamou muitos de "satanás". Dentre os reconhecidos inimigos do Papa Francisco está certamente o cardeal Burke.

Ontem saiu no jornal National Catholic Register um vazamento de informação feito pelo Wikileaks que mostra a traição que o Papa cometeu contra o cardeal Burke.

É como aquela história do chefe falso. Você aponta um problema sério na repartição para o chefe, ele se mostra indignado, pede que você faça rápidas providências para corrigir. Você faz, mas depois o chefe tira o corpo fora e desmonta tudo que você fez.  Eu já vi muitas vezes isso. É triste ver isso em um Papa.

Em resumo do ocorrido:

1) O cardeal Burke foi nomeado patrão da Ordem de Malta pelo Papa Francisco (uma nomeação considerada muito estranha na época). Burke encontrou uma situação terrível na ordem, sacrilégios, distribuição de contraceptivos, corrupção e maçonaria. Tudo isso feito sob as de Albrecht von Boeselager, o "grã hospitalar". Burke denunciou pessoalmente a distribuição de camisinhas e contraceptivos e a maçonaria ao Papa Francisco.

2) O Papa Francisco escreveu ao cardeal Burke dando-lhe total apoio para que limpasse a Ordem de Malta.  Foi essa carta do Papa ao cardeal Burke que o Wikileaks vazou ontem, pode-se ler a carta clicando aqui. Na carta, o Papa disse que estava muito decepcionado com a distribuição de contraceptivos e fala inclusive que a Ordem de Malta deve se afastar de associações não-católicas (leia-se maçonaria).

3) Com a resposta do Papa, o cardeal Burke ordenou que Boeselager saísse;

4) Boeselager não cumpriu a ordem e foi demitido por insubordinação;

5) O Vaticano não gostou da demissão;

6) Após a demissão de Boeselager, ele apelou ao Papa Francisco, levando o cardeal Parolin a formar uma comissão de inquérito composta por cinco membros. Mas três dos membros estavam ligados a um misterioso fundo de US $ 118 milhões em Genebra (assim como Boeselager), e um era um maçom conhecido - de acordo com outro documento separado publicado pela Wikileaks.

7) Posteriormente, todos os decretos anteriores datados de 6 de dezembro foram anulados e Boeselager foi reintegrado como grande chanceler em 28 de janeiro. O papa posteriormente nomeou o cardeal Angelo Becciu como delegado especial para representar a Santa Sé à Ordem, suplantando o papel do cardeal Burke.

8) Assim, salvou-se a maçonaria e os contraceptivos.

Cliquem aqui para ler o relato do jornal The National Catholic Register.


3 comentários:

Emanoel Truta disse...

Bom dia,
Caro Pedro, eis aí quem "sufoca" a Santa Igreja Católica, os seus inimigos estão dentro, ocupando-a e a destruinfo-a. São Pio Xi, rogai por nós.

Viva Cristo Rei!

Adilson disse...

Eu não imaginava que a Ordem de Malta, tão famosa, estava apodrecida. Fazer o quê? Se a ordem dos jesuítas sucumbiram aos ambiciosos por fama e poder! A parte mais dolorosa nisso tudo é vermos que todo esse mal só possível por causa de homens fracos que fecharam os olhos no passado e se permitiram ludibriar. Não tiveram nem força nem caráter para resistir. Mas acho que isso foi crescendo à medida que os santos foram desaparecendo desses lugares. Rezemos o Terço.

Pedro Erik disse...

Viva Cristo Rei!