quinta-feira, 23 de maio de 2019

A "Consagração" de Bolsonaro Bem Explicada ao Mundo.


Ontem, eu passei um tempo do meu dia explicando em inglês no Glória.TV que Bolsonaro não consagrou o país a Nossa Senhora, apenas participou da cerimônia. Nem Bolsonaro assinou nenhum documento, apesar de colocar na Agenda presidencial.

A pessoa, possivelmente americano, não confiou em mim. Pediu que eu provasse e eu mandei uns links e o próprio testemunho do bispo que participou da cerimônia.

Hoje vejo que um brasileiro fez o favor de explicar isso em inglês ao site One Peter Five. Acrescentando que Bolsonaro saiu de forma rápida e estranha da cerimônia e que não assinou nada por medo de perder apoio dos evangélicos às suas reformas. Além de dizer que Bolsonaro não segue a religião que diz que é fiel.

Parabéns a Vitor Sousa de apenas 18 anos. Explicou ao mundo a "consagração" de Bolsonaro.

Bem, pelo pouco que sei de Nossa Senhora, eu diria que ela detesta coisas "meia boca".

Será que Bolsonaro atacará o STF por conta da legislação que os ministros de lá fazem em favor das causas gays ou ao ponto de criminalizar religiões. Ou as reformas são mais importantes?

Vejam o texto do One Peter Five, no qual Vitor explica tudo.



6 comentários:

Antonio M disse...

Mesmo assim continuo apoiando o Bolsonaro, pelo menos não cedeu à teologia da libertação, globalismo, ecumenismo fake e coisas do tipo. Não está sendo nada fácil. Um governante tem de governar para todos e a oposição sistemática (partidos, organizações e extrema imprensa) contra ele não está dando trégua, cobrando e "prevendo" coisas em 5 meses de governo que não cobraram nos 15 dos governos anteriores aos quais eram simpáticos e hoje são militantes. Até mesmo quem se elegeu graças ao seu rastro de Olavo de Carvalho agora lhe viram as costas e até apunhalam. E assim é a humanidade infelizmente mesmo que Jesus tenha morrido por nós, os "Judas" são muitos e atuantes.

Pedro Erik disse...

Verdade, meu caro. Obrigado, pelo comentário.

Abraço,
Pedro Erik

Adilson disse...

Eu, particularmente, acredito e quase tenho certeza de que Bolsonaro recuou por pressão dos protestantes e por sua própria estrutura interna. Por que eu penso assim? Explico: já falei aqui no Blog que fui protestante (da seita dos pentecostais) durante quase toda parte da minha vida, só me voltando para o Catolicismo após os quarenta anos. Eu lembro que sempre houve a balbúrdia enlouquecida entre os evangélicos de que o Brasil era um atraso por caso de Nossa Senhora Aparecida, por causa da vinda do Papa Joao Paulo II, e muitas outras loucuras. Claro, que a maioria das pessoa ali, como eu mesmo, sempre foram iludidos por picaretas e ladrões de consciências; isso se deve tambem ao grau de ignorância e ausência de uma formação moral e espiritual consistentes que só uma boa Religião pode oferecer: pessoas vazias disso sofrem do que chamo de "fragmentação da consciência", o que faz com que elas não consigam ver coisas óbvias e claras. Esse comportamento, por exemplo, é o que faz que os evangélicos interpretem devoção e veneração aos santos como idolatria.
CONCLUSÃO: Bolsonaro também padece disso. Dessa forma, é uma conclusão lógica de que se sente desconfortável. Claro, some-se a isso o impacto das loucuras que as loucuras da CNBB e da disseminação do progressismo entre os católicos, na mente do Presidente e da maioria dos parlamentares a ele associados.

Pedro Erik disse...

Ótimo, comentário, grande Adilson.
Muito obrigado,
Abraço,
Pedro

Kauê disse...

Pode o Bolsonaro ter assinado nada,porém li que "o ato de consagração foi assinado pelo ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Floriano Peixoto"[1]. Não se pode contar este como intermediário do Planalto? Também tenho que discordar que não houve consagração, pois creio que Dom Rifan o fez sim. Poderia ter sido melhor, mas nada que anule tal fato. Se foi mesmo uma consagração oficial ou, no que creio ser,uma consagração particular com ares de oficialidade é outra história.

[1]Cf. https://pt.aleteia.org/2019/05/21/presidente-da-republica-assinou-hoje-consagracao-do-brasil-ao-imaculado-coracao-de-maria/

Pedro Erik disse...

Kauê, acho que Floriano Peixoto assinou uma "moção" de apoio a consagração e não a consagração.

Para que se consagre um país é preciso a presença do chefe de Estado e que ele assine o documento. Dom Rifan fez uma tentativa de salvar o evento já sem a presença de Bolsonaro.

Em todo caso, é melhor que nada, mas foi "meia boca", foi triste, meio ridículo.

Abraço