quarta-feira, 20 de abril de 2022

História do Cisma da Igreja Anglicana Mostra o Caminho da Destruição para Igreja Católica.

 


O convertido ao catolicismo Shane Schaetzel vem da Igreja Anglicana. Ele acompanhou de perto cada passo do cisma que ocorreu na Igreja Anglicana para torna-la hoje apenas um enfeite dito cristão. 

Quando morei na Inglaterra no final dos anos 2000, em plena finalização do cisma, eu não cansava de me assustar com o abandono generalizado das igrejas anglicanas, reduzidas a poeira ou creche infantil ou a bazar.

Vale muito a pena ler a história do cisma anglicano descrito por Shane. Nele temos todos os personagens que quase podemos nomear na Igreja Católica. Vejamos:

1. Lider fraco e desprezado;

2. Ação cismática herética repentina de parte da Igreja que não é  combatida nem pelo lider local, nem pelo líder global; 

3. Aceitação da heresia cismática depois de algum tempo porque ninguém fez nada contra;

4. Parte do clero deseja restauração que não ocorre e só lhe resta fundar nova Igreja;

5. Parte fica na antiga Igreja achando que a heresia cismática é só uma modinha que irá passar. Mas não passa;

6. Igreja fica sem lider;

7. Ninguém mais se entende nem nas questões mais simples.

8. Doutrina e liturgia são abandonadas.

9. O vazio e o caos se tornam a norma. 

Eu costumo pensar que a Igreja Católica está na beira deste processo. As igrejas protestantes já estão no final disso ou já finalizaram. 

Leiam o relato de Shane. 

Rezemos e lutemos.  Sejamos a luz de Cristo até contra papas. 


4 comentários:

Adilson disse...

Observando tudo isso que a postagem nos diz (inclusive o texto indicado) é difícil não encontrar os reflexos disso na própria civilização. Pode até parecer tolice, mas suspeito que todo cisma praticado contra Igreja também traz à humanidade uma espécie comportamento cismático. Hoje é praticamente impossível não ver duas civilizações ocidentais: uma que ainda detém um pouco de sanidade racional, e outra que aos poucos vai se degradando. A primeira é hostilizada e falsamente acusada de retrógrada e obscurantista pelo intelectualismo estúpido contemporâneo e pela política.

Já a segunda é literalmente paparicada, gozando inclusive de grandes somas de investimentos de liberais cuja única moral é se entupir de bens e ostentá-los como que sinalizando grandeza e poder.
Essa é a única moralidade que possuem. Basta olhar para o quase infinito número de youtubers jovens que na ânsia do lucro fácil e vazio do trabalho longo, mentem e seduzem de forma tenebrosamente perversa e seguros de que estão falando a verdade. E isso é só mísero reflexo.

Certa vez um amigo meu me disse: se a Igreja vai mal, então o mundo só piora.

E os chineses estão chegando.

Pedro Erik disse...

Muito boa análise, Adilson
Obrigado

Abraço

Anônimo disse...

Olá, amigos.

Tenho observado que apenas este blog e alguns twitteiros internacionais têm noticiado e comentado sobre essa questão tão interessante. Assim, faço questão de observar algo que há muito tem sambado diante de meus olhos e sobre o qual pergunto: não deveria o atual momento exigir empenho dos principais influenciadores das redes sociais (dos auto denominados "conservadores" e "de direita") em discutir esse problema?

Dessa observação, extrai a seguinte estranheza comportamental: ou essa gente tem medo de tocar no assunto ou são intelectualmente fracos para discutir, e assim optam por manter-se distantes. Bom, quando tocam no assunto, raramente o fazem de forma técnica ou racionalmente coerente: não largam o maldito carrinho de teorias conspiratórias. Por outro lado, creio que se estão com medo suspeito que não é por alguma preocupação moral, mas por medo de perder seguidores: acho mesmo que a moral dessa gente é caolha, se assemelhando aos liberais espertalhões referido no comentário a esta postagem. Essas pessoas gostam é de amarrar seus cavalinhos onde há lucros!

Isso me fez lembrar do finado AGITADOR Olavo de Carvalho. É sério: observei que desde a eleição da farsa Bolsonaro ("conservador" do laboratório olavista) o velhinho da Virgínia praticamente silenciou sobre o papa Francisco nas polemicas mais escandalosas. Ele nunca se manifestou (ao menos nas redes sociais ou em artigos). Bem, desconfio que ele temia "desunir" a tal "direita", e assim não chamar a hostilidade dos católicos liberais contra o próprio Bolsonaro.

Os bons observadores sabem perfeitamente que depois que Olavo jogou a isca de que os brasileiros são em sua maioria conservadores, a massa seguidora de modinhas foi fisgada: então tudo que era evangélico, católicos anti-Catolicismo, políticos sem senso de moralidade civilizatória, comerciantes e empresários vigaristas de todo tipo passaram a se considerar "conservadores". Coisa realmente macabra!!! É sério. Conseguem imaginar uma massa incalculável de pessoas que vinham contribuindo para destruir (conscientes ou inconscientes) a sociedade brasileira e até a própria Religião Católica se auto proclamando "conservadores"? Ora, essa massa, sabemos, tem como fim apenas a moralidade do ter.

Aliás, isso também acontecia entre os pupilos do próprio Olavo: Allan dos Santos e cia, Bernardo Kürst e outros. Puxa vida! Tantas coisas realmente sérias acontecendo e o caras literalmente calados. O Terça Livre se tornou um túmulo, enquanto só o caso McCarrick e as picaretagens dele com o Vaticano e a China eram discutidas por jornalistas famosos do Churchil Militant, Crisis Magazine, The Remnant Newspaper, etc. O Allan, sabemos, é o mais radical dos olavistas: até as ofensas gratuitas contra a família do alvo não são economizadas. E não é preciso que o alvo seja uma pessoa perversa.

Enfim, hoje vemos que o projetinho pessoal do conservador de laboratório não deu muito certo: chamar Bolsonaro conservador gerou outro resultado. Tudo o que se produziu foram: uma massa de eleitores raivosos, uma bando de evangélicos ambiciosos por poder cercando Bolsonaro e pedindo cargos públicos, um grupo de twitteiros e youtubers recebendo pagando de conservadores e recebendo recursos, e chamando os críticos de traidores traidores. Uma espécie de religião fanática. Aliás, pelos resultados, a sociedade evangélica têm obtido grandes lucros do bolsonarismo: mesmo repudiando a religião do Bolsonaro, sacrílego, já conseguiram um ministro para o STF. Aliás, um evangélico amante da revolução assassina de católicos.

Pedro Erik disse...

Obrigado, pelo comentário, caro(a) "Anônimo(a)".

Eu basicamente concordo com tudo que você disse.

Abraço,
Pedro Erik