terça-feira, 24 de julho de 2018

As Acusações de Padres Marxistas contra Papa Francisco


O Papa Francisco vive sendo acusado de ser marxista, seja porque se coloca politicamente muito mais próximo de líderes políticos de tendência marxista (Morales, Raul Castro, Kirchner, Maduro, etc) ou porque ataca líderes políticos de direita como Trump ou Salvini ou seja nporque continuamente defenda casa, trabalho,yerras para todos enquanto ataca os "capitalistas poderosos" (ver Laudato Si).

Mas hoje eu li no site One Peter Five acusações de padres marxistas contra o Papa Francisco quando ele era líder provincial jesuíta na Argentina, durante o governo militar do país (1976-1983).

Os padres acusam o Papa de mentir reiteradamente para eles e de entregá-los para os militares. Os padres foram presos e torturados.

Parece uma contradição e isso provaria que o Papa não é marxista? Não, basta lembrar de Dom Hélder Câmara, que foi integralista e depois quis substituir São Tomás de Aquino por Marx.

As denuncias foram feitas em 2010 quando Bergoglio não era Papa ainda.

As denúncias devem ser tratadas com muita desconfiança. Mas creio que a imagem que tenho do Papa Francisco como uma pessoa que não merece confiança, em termos do que diz, está refletida. Infelizmente. É muito comum o Papa falar pelas costas contra quem não gosta, vide os cardeais da Dúbia.

Podem ler as denuncias em espanhol clicando aqui. Abaixo vai uma parte.

MENTIRAS Y CALUMNIAS”. ACUSACIONES DE YORIO Y JALICS CONTRA EL CARDENAL BERGOGLIO‏


Un libro de Jalics, una carta de Yorio a la Compañía de Jesús, una entrevista de Jalics con Emilio Mignone, el testimonio de una monja y una entrevista con los hermanos de Yorio describen en forma elocuente los procedimientos de Bergoglio, antes y después del secuestro de los dos jesuitas.
En su libro de 1986 Iglesia y dictadura, Emilio Mignone mencionó a Bergoglio como uno de “los pastores que entregaron sus ovejas al enemigo sin defenderlas ni rescatarlas”.
En 1995, el jesuita Francisco Jalics publicó un libro, Ejercicios de meditación.
Al narrar su secuestro dice que “mucha gente que sostenía convicciones políticas de extrema derecha veía con malos ojos nuestra presencia en las villas miseria. Interpretaban el hecho de que viviéramos allí como un apoyo a la guerrilla y se propusieron denunciarnos como terroristas. Nosotros sabíamos de dónde soplaba el viento y quién era responsable por estas calumnias. De modo que fui a hablar con la persona en cuestión y le expliqué que estaba jugando con nuestras vidas. El hombre me prometió que haría saber a los militares que no éramos terroristas. Por declaraciones posteriores de un oficial y treinta documentos a los que pude acceder más tarde pudimos comprobar sin lugar a dudas que este hombre no había cumplido su promesa sino que, por el contrario, había presentado una falsa denuncia ante los militares”.
En otra parte del libro agrega que esa persona hizo “creíble la calumnia valiéndose de su autoridad” y “testificó ante los oficiales que nos secuestraron que habíamos trabajado en la escena de la acción terrorista.
Poco antes yo le había manifestado a dicha persona que estaba jugando con nuestras vidas. Debió tener conciencia de que nos mandaba a una muerte segura con sus declaraciones”.
La identidad de esa persona se revela en una carta que Orlando Yorio escribió en Roma en noviembre de 1977, dirigida al asistente general de la Compañía de Jesús, padre Moura. Ese texto permite conocer el resto de la historia, por testimonio directo de una de las víctimas. En esa recapitulación escrita 18 años antes que el libro de Jalics, Yorio cuenta lo mismo, pero en vez de “una persona” dice Jorge Mario Bergoglio.
Cuenta que Jalics habló dos veces con el provincial, quien “se comprometió a frenar los rumores dentro de la Compañía y a adelantarse a hablar con gente de las Fuerzas Armadas para testimoniar nuestra inocencia”.

..

4 comentários:

Isac disse...

Endosso o que relatou, parece que D Bergoglio àquela época era peronista e agia desse modo, o que saiba, a diferença está aí nos seus comentarios!
O mesmo teria sucedido com D Hélder, talvez L Boff preferindo montar um paraíso aqui mesmo na terra, como disse o deus Lula, sedizente o mais honesto do Brasil a 27/07/2011 aos trabalhadores rurais na Bahia:
“Bobagem, essa coisa que inventaram que os pobres vão ganhar o reino dos céus. Nós queremos o reino agora, aqui na Terra. Para nós inventaram um slogan que tudo tá no futuro (…). Queremos que todo mundo vá pro céu, agora. Queremos ir pro céu vivo. Não venha pedir para a gente morrer para ir pro céu que a gente quer ficar aqui mesmo” - muito aplaudido ao final...
Tudo que um comunista afirmar, excelentes atores de novelas-circo-teatro-picadeiro, para v acertar com a verdade, inverta a noticia e terá a verdadeira.
Exs: os visitantes, especialmente os comunistas, dizem que Lula está satisfeito, animado, ou quem tocar nele terá de passar em cima de nós, que muito sangue correrá se ousarem tocá-lo, o sitio de Atibaia não é dele, nunca roubou, acha-se preso político, se voltasse ao poder consertaria o Brasil, é o mais honesto de todos...
Ler, inverter e saberá a verdade!

Cassio disse...

Qual é a linha Eclesiológica que segue o Papa francisco? Qual a direção que ele está conduzindo a Igreja?

Pedro Erik disse...

Essas perguntas são fonte de extenso debate. Mas uma coisa é clara para todos os teólogos e pensadores, mesmo os que apoiam o Papa Francisco.

Ele trouxe muita confusão teologica. Isso não é um bom sinal, para a Tradição e magistério da igreja.

Ao ponto de usar um rodapé (351, da Amoris laettitia) para reduzir valor dos sacramentos da eucaristia e do casamento.

O pontificado dele é marcado pela confusão doutrinária.

Abraço,
Pedro

Adilson disse...

Na série produzida pela Netflix sobre a vida desse papa, fica evidente que ele é marxista e que realmente entregou vários padres, embora a própria série procure sempre favorecer o papa. Ou seja, na ânsia de defender o papa e torná-lo um "defensor" dos fracos e próximo do povo, evidencia-se seu distanciamento da Tradição Católica. Em favor do papa Francisco, e até de Dom Elder e, por extensão, em favor até de Lutero, pergunto: o que permitiu tais agentes da confusão conseguir realizar tão grande estragos??? E só há uma única resposta: outros bispos e padres fracos que se acovardaram de serem duros quando deveriam. Até hoje isso continua acontecendo e vai acontecer: basta assistir as tais TVs "católicas 'Evangelizar', 'Aparecida', Canção Nova, e outras, que logo se percebe o exército de gente sem a mínima veneração pela Tradição Católica ou disposta a denunciar o avanço do mal sobre a Igreja.