terça-feira, 31 de dezembro de 2019

Filme: O Mártir da Guerra Justa Católica




Eu mencionei Franz Jagerstatter no meu livro Teoria e Tradição da Guerra Justa (Editora Vide Editorial), e fiz uma breve explicação no rodapé sobre ele. Por isso, fiquei muito feliz em ver a realização de um filme sobre sua vida. O filme se chama A Hidden Life (em Português: Uma Vida Oculta). Que trailer fantástico, heim?

Aqui vai o que escrevi no rodapé do meu livro:

Rodapé 147 - Quando as tropas alemãs entraram na Áustria em 1938, Jägerstätter foi a única pessoa no seu vilarejo que votou contra o Anschluss (anexação da Áustria pela Alemanha), no plebiscito de 10 de Abril. Ele entrou para a Ordem Terceira de São Francisco em 1940 e trabalhou como sacristão na igreja paroquial local, sendo diferido do serviço militar várias vezes. Em 1940, aos 33 anos, ele foi convocado para o exército alemão e completou o treinamento básico. Voltando para casa em 1941 sob uma isenção como agricultor, ele começou a analisar a moralidade da guerra e discutiu este assunto com seu bispo. Depois de muitos atrasos, Jägerstätter foi finalmente chamado para o serviço ativo em 23 de fevereiro de 1943. Ele manteve sua posição contrária ao Terceiro Reich e declarou sua objeção de consciência. Sua oferta para servir como um paramédico foi ignorada. Um padre de seu vilarejo o visitou na prisão e tentou convencê-lo a servir, mas não teve êxito. Ele foi imediatamente preso e depois de um julgamento militar, condenado à morte em 6 de julho e posteriormente executado na guilhotina em 9 de agosto de 1943, aos 36 anos.

Em suma, Franz se recusou a participar de uma guerra que não tinha sentido na teoria da guerra justa católica e assim entregou sua vida a Deus contra o nazismo.

O site Life Site News fez uma descrição do filme, cliquem aqui para ler.

Para saber mais sobre o meu livro, estou a disposição. O livro está disponível nos diversos sites de livrarias no Brasil, aqui vai o link da Editora.

Tomara que o filme chegue logo ao Brasil.



2 comentários:

Adilson disse...

Estive ausente esses dias porque precisei viajar. No lugar onde fiquei, não tinha computador, e meu celular é velho e não suporta os atuais drives das páginas do google.

Sobre o filme acima: a julgar pelo trailer certamente possui uma boa qualidade, sem falar na música e locações. Quem assina a obra é Terrence Malick, um diretor com grande capacidade de explorar ambientes, paisagens e a angústia humana.

Feliz 2020, dr Pedro.

Pedro Erik disse...

Amém, caríssimo. Que Nossa Senhora cubra você e sua família de bençãos.