quinta-feira, 21 de janeiro de 2021

O Que Move o Mundo? O Amor e o Ódio a Cristo

A imagem acima mostra Biden como se fosse Cristo, é da revista socialista Jacobin.

Sou economista  e sempre achei idiota quando políticos, jornalistas, sociólogos, juristas e cientistas políticos, acham que o que interessa é a economia. Não é verdade. O que interessa é Deus. E é o amor e o ódio a Deus que está na decisão das pessoas, sejam simples ou autoridades. Achar que o que interessa é a economia une comunistas e libertarianos, duas ideologias do anticristo. 

Não foi para salvar as finanças do Vaticano que elegeram Francisco e sim para implantar o liberalismo herético na Igreja. No país de Francisco, não foi para salvar economia que elegeram Fernandez-Kirchner na Argentina (todo mundo sabia que o plano de governo deles era lixo) foi para implantar agenda de ódio a Deus de apoio ao aborto e ao casamento gay. Não foi para salvar a economia ou a política internacional que elegeram (por meio de fraudes) Biden (todo mundo sabe que China e Irã não são amigos dos EUA e Biden não tem nem plano econômico minimamente de destaque) foi para instalar o ódio a Deus nos EUA, com ódio a família tradicional, aprovação de abortos, e ódio ao ser humano nas políticas ambientais. Por vezes, se comete erros crassos. O Brasil elegeu Bolsonaro achando que ele estaria do lado de Cristo e não da mentira. Errou feio. Acertaram com a eleição de Trump, elegeram Trump não para salvar a economia, mas como represália às ações anticristo de Obama, mesmo sendo Trump cheio de defeitos e com risco de ser um grande fiasco.

Logo que elegem representantes do ódio a Cristo, começam a colocá-los no lugar de Cristo, como fez a revista Jacobin, Fizeram muito isso com Obama, que era chamado de "messias" e tinha muito de suas fotos enquadradas para que aparecesse como uma auréola na sua cabeça. E fazem regularmente com Francisco, especialmente quando fala e age contra a doutrina da Igreja.

Como dizia Chesterton, toda ação é uma ação teológica. E ele também dizia que quem não ama a Deus o substitui muitas vezes pelo amor ao Estado (ao político). Gente que idolatra políticos não falta, idolatrar políticos é uma decisão teológica.



3 comentários:

Emanoel Truta disse...

Bom dia Pedro,

Uma análise simples e perfeito.

Ou estamos com Cristo, ou contra Cristo.

Senhor Jesus, ensina-nos a fazer Vossa Santíssima Vontade e sermos fiéis a Vós.

Viva Cristo Rei!

Viva a Imaculada Conceição.

Pedro Erik disse...

Obrigado, meu caro.

Viva Cristo Rei!

Isac disse...

Dentro de apenas 4 anos, com Bidendiabrado, os EUA serão uma nação irreconhecível!