quinta-feira, 22 de abril de 2021

O Que é "Sustainable Inclusiveness", Francisco?

Tenho certeza que Francisco, junto com seus amigos padres argentinos, escreveria uma encíclica maior que Laudato Dí para explicar "sustainable inclusiveness" (inclusividade sustentável).

Francisco defendeu isso hoje em vídeo para a conferência da mudança climática do governo Biden.

Mas não é nada difícil explicar o que essa joça eufemística significa. Eu explico em uma palavra.

Sustainable inclusiveness = aborto.

Só isso que significa. Nada mais.

A palavra "sustentável" sozinha é igual a pobreza. Inclusividade quer dizer deixar entrar quem eu quero.

Juntas, elas são = aborto.

Podem colocar no dicionário.

E ele ainda falou aquela frase feita por marketeiros do globalismo e da campanha de Biden: "build back, better", que significa nova ordem global.

Ele precisa ser mais explícito?


4 comentários:

Adilson disse...

Não, não precisa ser mais explícito, dr Pedro.
E se o senhor, que não é padre, nem bispo e nem clérigo da Igreja, percebeu e compreendeu, certamente os que cuidam diretamente da Igreja devem saber. Só estou observando até quando eles vão ficar quietos e se auto censurando, ou mesmo submisso a uma obediência estranha.

Aliás, eu já tinha optado por não mais comentar em seu blog, embora permanecendo na leitura: esses últimos 30 dias não estão me fazendo bem, e por isso estou decidindo me recolher. Além do mais, estou com incontáveis problemas particulares.

Se por acaso eu não voltar mais a comentar, pode ficar tranquilo: estarei rezando pelo senhor e seu apostolado (acho que já chegou a Era dos Apostolados dos leigos)

Pedro Erik disse...

Obrigado, caríssimo amigo Adilson.

Rezarei por você e sua família hoje.

Que Nossa Senhora lhe proteja.

Abraço,
Pedro Erik

Isac disse...

O PROPAGADO "INCLUSIVISMO" do sustainable inclusiveness NÃO TEM FRONTEIRAS, TEM AS PORTAS ABERTAS A TUDO, A QUALQUER COISA OU SITUAÇÃO - PARECERIA ALGO DE RELATIVISTAS!
Só de o papa Francisco se juntar a certas pessoas, as quais nenhum papa anterior ao V II daria a mínima confiança, senão os combatia à exaustão, recorda as palavras de S Vicente de Lérins:
"quod semper quod ubique quod ab omnibus" - assim procede o papa Francisco, caso dos GLBTQ+, abortistas, ideólogos marxistas, adúlteros etc - confundindo muitíssimos fiéis católicos na Igreja?

Anônimo disse...

Boa tarde, Pedro!


Para mim o Papa propôs que se produzam as riquezas com responsabilidade ambiental e social. E que a riqueza seja distribuída com mais razoabilidade, de modo a permitir que todas as pessoas tenham possibilidade de se desenvolver integralmente: material, intelectual e espiritualmente.

Por que falar de inclusão remeteria ao aborto?

Não compreendo a inferência. Me parece muito forçada.



Grande abraço,

Jonas