sexta-feira, 18 de junho de 2021

9 Padres Perseguidos por Seus Bispos.


Esse realmente é um vídeo histórico. Merece ser traduzido para o português. Vejam o que contam 9 padres sobre a perseguição que sofrem de seus bispos por conta de suas posições conservadoras.

Tenho certeza que há padres brasileiros que possuem histórias semelhante às desses padres.





 

11 comentários:

Anônimo disse...

Essa postagem requer reflexão: os velhos problemas internos. Isso dá uma baita dor de cabeça. Sobre tudo isso tenho seguido o seguinte raciocínio:

Creio que os conservadores do passado tem boa parte da culpa nisso tudo: eles optaram por abandonar seus lugares e entregaram de mão beijada aos progressistas. Não resistiram. Não ficaram pra lutar. Amaram mais o orgulho próprio e, por não querer sofrer, optaram por fugir, se isolar. Procuraram um lugar seguro pra, de lá, jogar quantas pedras pudessem. Só até hoje as pedras nunca fizeram efeito. Podem escrever mil livros, mil artigos, fazer mil debates, mil encontros, montar mil sociedades religiosas, que não vai atingi-los. Por que? Porque é com modelos e exemplos bem presentes que se transforma o ambiente social da Igreja: se os jovens de hoje não veem modelos próximos como imitarão o que não está presente?

Já há uma divisão, e grande, na Igreja Católica (no caso do Brasil), onde de um lado temos um clero progressistas + vários movimentos + a massa em geral de católicos dependentes espiritual e socialmente das dioceses, paróquias e arquidioceses.

De outro lado, temos diversos movimentos tradicionalista cada qual que se digladiam entre si e se bofeteiam. Todavia, nenhum desses grupos (e sociedades religiosas estrangeiras, Montfort e cia.) NÃO desejam ir às periferias, às favelas pesadas, aonde vivem o horror, os miseráveis. Esses lugares não podem bancar/financiar as tais sociedades religiosas "tradicionalistas", portanto NÃO podem recebê-las. O negócio são as classes médias.

Enquanto isso, vemos jovens dos Arautos do Evangelho, do Instituto do Verbo Encarnado, RCC, etc indo às periferias. Os tradicionalistas não querem, mas aquela religiosa tocando violão e até dançando indo nos lugares sombrios, colocando as crianças catarrentas no colo, entrando nos casebres para levar o Amor de Nosso Senhor e o Auxílio de Nossa Senhora no coração da pobreza. Aliás, foi por esses lugares estarem vazios da Presença da Igreja Católica que permitiu a multiplicação dos evangélicos.

Até aqui em Brasilia, tudo foi dominado.

E então? De que lado ficarmos? Do orgulho dos tradicionalistas ou do jeito popular dos progressistas da Missa Nova? Serão estes os culpados de tudo isso? Como culpá-los, se assim foram formados? Ora, não havia isso de Novus Ordus, quando o veneno do iluminismo entrou dentro da igreja e encantou parte do clero de tal sorte que apoiaram muito do ódio revolucionário! Não havia missa Nova quando parte do clero optavam por se deleitar nas óperas de Wagner e com os ensaios iluministas, em vez de se sacrificarem pelas almas.

3- Hoje há uma multidão incontável de leigos e do clero ditos conservadores tradicionalistas indignados contra tudo o que vem acontecendo desde até antes do inicio do pontificado de papa Francisco. Infelizmente, não há unidade neles, pois se houvesse já teriam feito algo. Só sabem reclamar, trazer a público e causar mais escândalos. Não sabem sequer pesar ou comparar os problemas. Já na época de são papa João Paulo II o atacavam e sequer valorizavam, e ainda não valorizam, a luta deste pontífice contra o comunismo, a ponto de enfrentar Moscou para visitar o povo polonês para confortá-lo.

Comparo são papa João Paulo II aos atuais católicos das periferias: mesmo abandonados pelos movimentos tradicionalistas paraquedistas (rsrs), eles estão lá nas periferias, favelas e lugares a fins. Eles estão lá porque sabem que aquelas pessoas SÓ TÊM a eles. Lá não tem padres tradicionalistas que rezem o rito romano tridentino; lá também não tem padres que cumpram o Ordo Liturgico do ano, incluindo as missas votivas. Todavia, esses católicos estão lá para levar a caridade e fazer a Igreja Católica presente.

Precisamos de modelos que nos aponte como devemos agir como católico. Bom, o video do link é melhor exemplo do que é ser um católico https://www.youtube.com/watch?v=dZA9frtMmb8

Pedro Erik disse...

Ótimo comentário. Muito bom mesmo. Obrigado. Sim, escrever mil livros pode ser importante, mas deve-se viver Cristo nas periferias. Lutar contra as heresias na vida real.

Abraço

Anônimo disse...

1)

Caro Dr. Pedro, espanta-me considerares o primeiro comentário como "ótimo". O espanto é porque, até onde você já colocou em outros posts, você entende um pouco de lógica. E lógica é algo que passou muito longe no primeiro comentário.

Primeiramente, o comentarista comete um erro grave ao dizer (inclusive em caixa alta, duas vezes) que os "tradicionalistas" NÃO querem saber da periferia.

Baseado em quê? Simplesmente num subjetivismo.
Ou então, porque conheceu um grupo ou outro (imagino que da internet por citar os "Montfort") e assim reduziu os "tradicionalistas" como um todo que só buscam a Classe Média pois esses os podem financiar.

Aqui por caridade advirto: imputa-se um pecado contra o IV Mandamento ao fazer esse tipo de comentário. É um comentário que não é verdadeiro e ainda por cima malicioso.

E faz esse comentário para então fazer uma defesa sobre RCC e cia.

Ora, então podemos em nome do auxílio aos pobres propagar o erro?

A Teologia da Libertação muito provavelmente teria muito mais méritos se a questão é estar na periferia. Basta reescrever o comentário acima trocando RCC por TL.

Anônimo disse...

2)

Por questões básicas de lógica (que o Dr. Pedro ignorou) percebe-se um mecanismo do argumento que é o que foi criticado dias atrás por conta do COVID.

1) Criam um problema com o COVID, destróem economias e implantam o "novo normal".
2) Os mesmos que criaram o problema, agora aparecem com as soluções (mas que não resolvem o problema).

Aí vamos para a Igreja Católica:

1) Progressistas destróem os pilares da Igreja Católica;
2) Progressistas agora são os que vivem realmente a Igreja Católica. Glória!

O comentarista coloca a culpa inicialmente na destruição inclusive nos "tradicionalistas" pois eles que não resistiram (???)

Louva então ao Papa João Paulo II.
Mas esquece que o próprio foi um dos que perseguiram aqueles que resistiram. Inclusive com excomunhões, detalhe que o comentarista esquece.

Papa que foi um dos responsáveis por destruir os fundamentos da Igreja Católica com suas heterodoxias e seus chamegos panteístas que ajudaram a tornar a Igreja Católica uma serviçal da ONU-Maçonaria. Detalhe também esquecido.

Mas a culpa de tudo? Dos "tradicionalistas", óbvio. Queimem todos.

Fala como se as obras de caridade da Igreja tivessem sido inventadas nos últimos 60 anos. E gravemente mente ao dizer que os "tradicionalistas" nada fazem e que só se interessam por dinheiro.

Percebe-se que você, caro comentarista, não faz idéia e não convive no meio tradicional. Essa visão deturpada de "católico bom é católico na periferia" é uma idéia tão comunista que você sequer percebe. Porque para você o que importa são apenas as obras de caridade, luta contra o comunismo, mas esquece que a Salvação não é somente por obras.

Do contrário os participantes dos Rotary/Lions/Espíritas seriam todos salvos.

E aqui falo como um "ex-RCC" que convivi anos suficientes no meio para afirmar que a teologia da RCC é extremamente danosa. E se esses são os seus "exemplos", você mesmo não sabe verdadeiramente o que é ser Católico.

Moro numa cidade chegando aos 1 milhão de habitantes.
Grupos da RCC: devem existir mais de 150.

Na RCC vi constantemente difusão de erros em pregações, conversões em sua maioria que não se sustentavam, "servos" indo ao ateísmo, outras "religiões". Sacrilégios na Santa Missa. Não uma ou outra pessoa. Em muitos anos vi isso ocorrendo de maneira muito intensa. Ao ponto de um dia eu refletir se isso era mesmo obra de Deus.

Missas Tradicionais na cidade: 0 (zero).
Tenho que acordar às 05h no domingo, pegar a estrada e ir à Missa as 10h. (e depois voltar).

Não sei qual sua história, caro comentarista. Mas em todos os lugares que eu fui só vi grandes exemplos. Famílias numerosas (e não com 2 filhos no máximo). Filhos muito bem educados. Famílias que rezam o rosário juntas. Famílias que catequizam seus filhos. Filhos que se aprofundam na vida dos santos. Que defendem a verdadeira a fé católica (sem erros conciliares). Que vivem a Santa Missa verdadeiramente sem sacrilégios ou reduções a Nosso Senhor Jesus Cristo.

Um Padre que viaja 16h de ônibus para rezar a Missa. E não, não somos ricos. Nem somos de classe-média. Acordamos cedo todo dia para trabalhar como qualquer outra pessoa. E na medida do possível auxiliamos os mais necessitados.

Se esse não é o exemplo que o mundo precisa, então estamos errados há séculos e as portas do inferno prevaleceram. Nossa religião seria então uma farsa.

Por lógica, que lhe faltou acima no anseio de criar o "nós contra eles", respondo que não, não estamos errados. Esse é o verdadeiro exemplo que o mundo precisa pois é espelho daquilo que é a Sagrada Família.

Adilson disse...

Vídeo é muito importante, dr Pedro. Infelizmente, tem esse lado triste de perseguição. Bem, de minha parte só posso rezar por esses sacerdotes para sejam fortes e se alegrem. Que se lembrem do desprezo que até mesmo os santos receberam do próprio clero e até de leigos, e numa época em que não havia esse progressismo que tomou não apenas o seio da Igreja, mas também toda a sociedade. Pois quando a Igreja vai mal, certamente a sociedade já está bem pior. Por progressismo pretendo dizer: a entrada de ideias e ideais que descaracterizam estranhos à Religião Católica, especialmente na doutrina social da Igreja, e na relação dos católicos influentes na História, como o caso de D. Pedro II.

Rezemos, rezemos e rezemos. Principalmente para novos missionarios sejam enviados aos lugares distantes e esquecidos (como fez são Damião de Molokay) e que intelectuais e homens de letras continuem escrevendo, como o senhor tem feito, dr Pedro, para nos manter informados.

Deus o abençoe.

Anônimo disse...

respondendo ao anômimo bolsonarista:

Devido às contradições, desonestidades e outras misturas eu não iria responder os dois comentários do anônimo bolsonarista, mas como ele agiu desrepeitosa, injusta e ingrata para com o memorável são papa João Paulo II, deixo o seguinte comentário:

Anônimo diz: "Papa que foi um dos responsáveis por destruir os fundamentos da Igreja Católica com suas heterodoxias e seus chamegos panteístas que ajudaram a tornar a Igreja Católica uma serviçal da ONU-Maçonaria. Detalhe também esquecido."

Colega, teu coração está infestado de ódio, rancor e ingratidão por um dos maiores Pontífice da Santa Igreja. Este santo papa enfrentou a URSS numa epoca PERIGOSÍSSIMA para estar com seu povo e animar-lhe o coração. Para dizer-lhe "NÃO TENHAS MEDO". Foi duro e firme contra os avanços do comunismo no Ocidente. E graças a sua luta por décadas ficamos livres da ação violenta e dogmática dos vermelhos.

TE pergunto: quem é você? O que você pelo mundo? Que grande feito você realizou a ponto de ajudar a salvar e preservar milhares de pessoas, inclusive até os inimigos da Igreja?

Bom, sei que você não significância histórica, como teve são papa João Paulo II, mas pelas tuas fica claro o tipo de caráter que habita em você: mesmo sem conhecer a fundo os trabalhos e dedicações deste papa você o acusa e até mesmo sente rancor contra ele. Fica, pois, evidente, que você é alguém despreza a gratidão por aquilo que recebeu do teu Pontífice, pois prefere condená-lo e acusá-lo por algum fracasso (que nem sabe direito). Você é SUPER corajoso para condenar e acusar, mesmo de forma vazia, mas é covarde para perceber o quanto são papa João Paulo II fez pela humanidade.

Nem são padre Pio de Pieltrecina ousou atacar os papas dessa forma que você ousa atacar, mesmo vivendo sob a proteção deles.

Isac disse...

O ANÔNIMO PRIMEIRO OU O SEGUNDO TERIA SIDO SEQUENCIA, OU OUTRO, esqueceu-se de algo que não constou, foi e é fundamental: o Brasil esteve sob as patas dos subversores e incentivadores das divisoras lutas de classes, especialmente, a maioria quase total, de pobres contra os melhor aquinhoados, sem restrições aos que não amealharam recursos dos cofres públicos, por ex., e foram inteligentes e pouparam seus lícitos recursos auferidos invejando a quem não entendeu da porfia.
O por que de muitos padres mais antigos e tradicionais não irem às favelas, é pelo fato de os social-comunistas, desde FHC até Dilma mudarem-lhes as mentes para o revolucionarismo violento, arruaceiro e composto de vândalos ou assassinos, de onde arregimentavam, por ora, os finados ou sumidos Black Blocs!
As favelas são os ideais refúgios de bandidos, depósitos de drogas e armas leves e pesadas e muitos que se danaram na vida, torrando seus recursos, como conheci, hoje povoam-nas e, àqueles tempos dos marxistas, ainda estavam sob a mira da mídia toda comprada, enquanto eles sofriam recorrentes lavagens cerebrais, particularmente anti Igreja católica, caso da pestífera e hedionda Rede Globo, comparsa do PT e doutros PCs, portanto, apoiadores dos favelados insurgentes por idem governos bandidos, fornecedores de armas para criarem o caos e manterem as pessoas aprisionadas - trabalho, direto para o lar!
Só mesmo os profissionais treinados de como capturar prosélitos, os falsos profetas pastores das seitas protestantes são mestres na arte da sedução, de perversão para aderirem às suas sectárias hostes e capturarem-lhes seus minguados recursos, mesmo assim, são doutrinados sendo dizimistas - senão irão para o "inferno"!
Aqueles sim, entendem de chantagens, de falsas interpretações bíblicas por intere$$e$ e, para eles - viva nosso deus todo poderoso Mamon!

Anônimo disse...

Acho que nem precisarei fundamentar minha resposta.

Primeiro devido ao argumento ad hominem de me chamar de Bolsonarista. Aqui você já mostra a que veio e que é mais uma peça da luta de classes. O que é algo ridículo sendo que em nenhum momento eu falo de política, segundo porque não gosto do Bolsonaro. Infelizmente você cai novamente em pecados ao imputar inverdades aos outros, por caridade vá se confessar.

Sobre o resto, pode me acusar do que quiser. Sei onde fundamento minhas respostas, e não são baseadas em papolatria ou paixões desenfradas.

Fiquem paz.

Anônimo disse...

"Deus não é um ser histórico que colabora com o homem – e o homem não colabora com Deus, mas age somente em colaboração com os outros homens. A religião não tem a sua origem na revelação divina, mas é simplesmente fruto da imaginação humana. A religião católica não difere dos outros cultos."

Karol Wojtyla no Livro "Pessoa e Ação".

Talvez isso justifique o Encontro de Assis? Talvez...

"Cristo foi morto por todos os homens e, portanto, todo o homem é salvo saiba-o ou não, aceite-o ou não mediante a fé."

Karol Wojtyla no Livro "Sinal de Contradição".

Dois pequenos exemplo a quem diz que não conheço JPII.

Essa filosofia/teologia já havia sido condenada. Ele era conhecidíssimo por ser extremamente Progressita.

Excomungou a Lefebvre (que defendia a tradição), enquanto o pessoal da nouvelle theologie inclusive chegavam a ser enaltecidos como cardeais.

Modernistas promovendo Modernistas.

JPII ajudou sim a destruir os pilares da Igreja Católica.

E não é porque lutou contra o comunismo (sim, algo elogiável) que faz dele alguém infalível.

Posso não ser ninguém. Posso não salvar milhares de vidas. Mas dou minha vida para defender a Igreja Católica. Que a morta venha antes de eu ousar mudar uma vírgula daquilo que é a verdade católica.

JPII infelizmente não seguiu aquilo que era a sua missão de guardar a fé intacta. Mesmo sendo Papa ele jamais poderia ter realizado as mudanças que fez. Assim como seus antecessores (João XXIII, Paulo VI) e seus sucessores Bento XVI e Francisco I).

Por ventura conheces o juramento papal?

Não se esqueça que JPII não atendeu aos pedidos de Fátima.
E muito provavelmente milhões de almas foram e serão mortas por conta de sua desobediência.

Detalhe que Padre Pio morreu em 1968, e se negou a rezar a Missa Nova (devidamente documentado). Quando soube das mudanças pediu que parassem com aquilo.

Acha mesmo que Padre Pio apoiaria o Progressismo de JPII?

Ele que disse: "Não sabeis que o protestantismo também possui um fundador sobrenatural? Sabeis agora, trata-se de um anjo, e seu nome é Lúcifer."

Isso que os protestantes se dizem cristãos.

Imagine a alegria de Padre Pio ao ver o Encontro de Assis tendo um buda em cima de um Sacrário.

Não irei responder mas... achei que por caridade seria melhor ir aos fatos do que te deixar com esse sentimento de que eu não sei do que estou falando, que não conheço JPII, que o acuso "de forma vazia".

Não falo essas coisas com alegria, não sou levado a simples "rancores".

Atenho-me a fatos, não crio fatos, não imputo falsas verdades a outros. Ache você o que quiser.

Anônimo disse...

No mais, espero ter respondido sobre as supostas desonestidades com fatos.

Quanto a "contradições" ficarei grato se você expor, estando correto irei retificar.

Anônimo disse...

Tentei achar algo que fosse uma síntese do Papado de JPII.

Achei esse artigo que resume bem os principais pontos:

https://www.traditioninaction.org/HotTopics/a031htPerplexing_Remi.htm

(Quem usa Chrome consegue aplicar o plugin de tradução caso tenha alguma dificuldade com o inglês)

O artigo trata exclusivamente de fatos, os quais muitos ou desconhecem ou fingem desconhecer, ou então minimizam. ​

Nosso Senhor Jesus Cristo é claro na passagem:

“Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus"

O ​comentarista inicial acerta ao dizer que JPII foi um dos grandes nomes da humanidade. JPII provavelmente foi o Papa mais popular dos temos modernos, catapultado pelo advento dos meios de comunicação.

Porém ser um grande nome na humanidade não significa atestado de aprovação divina.
Muito pelo contrário, Nosso Senhor Jesus Cristo nos ensinou que seríamos odiados pelo mundo, e não amados.

Os Papas não são chamados a serem "pop-stars", mas a guardarem a fé, a pastorearem seu rebanho, confirmarem eles na verdadeira fé, a manterem de forma ilibada aquilo que receberam através do magistério e tradição da Igreja.

O que os Papas conciliares fizeram foram de introduzir uma ruptura visível, criando assim uma "nova Igreja". E aqui é onde cito em comentário anterior a atuação de JPII. Sua atuação contra o comunismo não era indulgenciável dando carta branca a agir contra a própria Igreja, reduzindo-a a "mais uma Igreja" e não como a única Igreja.

Quem se aprofunda na filosofia e teologia de JPII sabe que ele bebeu de fontes condenadas. E assim também disseminou através de encíclicas viciadas no ecumenismo, humanismo, naturalismo, fenomenologia e antropocentrismo. Todos condenados.

Infelizmente muitos por preguiça se apegam a belas imagens que rodaram o mundo sobre JPII, como um slogan de refrigerante "imagem é tudo". E hoje criticam a Francisco I como se o que ele faz fosse alguma novidade.

Criticam a Pachamama, mas esquecem que JPII recebeu bençãos panteístas e estimulou as piores seitas existentes no mundo.
Criticam a Fratelli Tutti, mas esquecem o Encontro de Assis de JPII.
Criticam a Homenagem a Lutero nos 500 anos, mas esquecem que JPII enalteceu Lutero inúmeras vezes.
Criticam que Francisco I é contra o Proselitismo, JPII também era contra da mesma forma.
Criticam que Francisco I tenta acabar com a Missa Tradicional, JPII fez a mesma coisa e perseguiu quem lutava pela Tradição.

Enfim, poderia citar inúmeros outros comparativos. A Igreja Conciliar produz as mesmas coisas ao longo dos Papas Conciliares. Quem não percebe isso é cego.

E sim, não sou ninguém. E quanto mais "ninguém" eu for, melhor.