sexta-feira, 21 de maio de 2021

Francisco, Defender Cristo não é Defender seus Dogmas? Ele Parece Espírita.


Francisco contradisse Cristo, Bíblia e santos, ao dizer que "Defender a verdade, não é defender ideias, ou sendo guardiãs de um sistema de doutrinas e dogmas, significa permanecer ligado a Cristo e ser devoto de seu evangelho. Verdade é o próprio Cristo".

A frase acima não tem nem lógica, pois o evangelho de Cristo é a Bíblia inteira, pois assim Ele falou. A Bíblia com todos os seus dogmas, doutrinas, ensinamentos. E até quando ele falou contra os fariseus, Ele defendeu a "Lei", pois disse que eles eram hipócritas ao não seguirem a Lei que pregavam. Cristo é a Verdade, e a Verdade é encontrada em Seus dogmas.

Assim, em poucas palavras, Francisco comete um erro de lógica, e um erro crasso em termos de teologia cristã. Algo que se pode encontrar entre os espíritas do Brasil, que afastam Cristo de Seus ensinamentos, de Sua Lei, de Seus dogmas.

Como lembra Marshall, acima, Francisco diferenciou Cristo da Bíblia. Repito, como os espíritas fazem no Brasil.

Marshall mostra que o próprio Cristo mandou seus discípulos ao mundo para ensinar seus ensinamentos, sua Fé, sua Lei, seus dogmas.  Francisco contradiz também São Paulo (1 Tim 6:20), que disse que os cristãos devem ser guardiãs da fé.

Sem a Doutrina, com seus dogmas, sobra o quê de Cristo?

Resposta: espiritismo, ateísmo, gnosticismo, ou agnosticismo.

Sem ser o guardiã da fé e dos dogmas da Igreja, sobre o quê para Francisco fazer?

Resposta: política.

Marshall quer que Francisco se retrate dessa frase.

Só rindo ou tristemente chorando, Francisco não se retratou nem do documento de Abu Dhabi, no qual assinou uma heresia (e foi alertado disso ao vivo pelo arcebispo Schneider), nem se retratou do Amoris Laetitia, depois de 4 cardeais pedirem para ele explicar partes claramente heréticas desse documento.


10 comentários:

Anônimo disse...

Não a toa os últimos Papas Conciliares não realizaram mais o Juramento Papal:

"Eu prometo não diminuir ou mudar nada daquilo que encontrei conservado pelos meus probatíssimos antecessores e de não admitir qualquer novidade, mas de conservar e de venerar com fervor, como seu verdadeiro discípulo e sucessor, com todas as minhas forças e com todo empenho, tudo aquilo que me foi transmitido.

De emendar tudo quanto esteja em contradição com a disciplina canônica e de guardar os sagrados cânones e os decretos dos nossos Pontífices, os quais são mandamentos divinos e celestes, (estando eu) consciente de que deverei prestar contas diante do (Teu) juízo divino de tudo aquilo que eu professo ; Eu que ocupo o teu lugar por divina designação e o exerço como teu Vigário, assistido pela tua intercessão. Se pretendesse agir diversamente, ou de permitir que outros o façam, Tu não me será propício naquele dia tremendo do divino juízo.

Portanto, nós submetemos ao rigoroso interdito do anátema, se porventura qualquer um, ou nós mesmos, ou um outro, tiver a presunção de introduzir qualquer novidade em oposição à Tradição Evangélica, ou à integridade da Fé e da Religião, tentando mudar qualquer coisa concernente à integridade da nossa Fé, ou consentindo a quem quer que seja que pretendesse fazê-lo com ardil sacrílego."

-------

Eles esperam (e esperavam) que ao não fazer o juramento escaparão do juízo divino?

Obviamente, muitos que vivem no Papolatrismo poderão usar o "veja bem, o que ele quis dizer é que (...)"

Emanoel Truta disse...

Prezado Pedro, boa tarde!

Como bem falou a irmã Lúcia ao Padre Fuentes:"a desorientação é diabólica". Infelizmente é o que vemos hoje.

Aliada a essa nova do Papa me vem a mente aquela outra: "Não há um Deus Católico". E tantas outras que tem nos deixado angustiados e sem norte.

Valei-nos Virgem Santíssima, auxílio dos cristãos.

Viva Cristo Rei!

Marat da Silva disse...

SEM DÚVIDA, Cristo é a VERDADE! Mas quem criou DOGMAS? Não foi ELE.
DOGMAS são bretes que mantem o rebanho apascentado. Atribuí-los ao MESTRE, é isentar a humanidade de suas deficiências.

Marat da Silva disse...

Ahhh! faltou dizer, não defendo esse papito castelhano, para mim é um usurpador.

Isac disse...

Qualquer algo estranho à fé e acaso mesmo herético provindo do papa Francisco me será normal!
Estranho seria se fosse ao inverso, nem mais me assusto com o "prato do dia", venha com que excêntrico "cardápio" for!

Anônimo disse...

Olá, Pedro!


A interpretação de Marshall é equivocada e de má-fé. O que o Papa Francisco quis dizer é que o Catolicismo não se resume a um sistema de doutrina, leis e dogmas humano, mas que, antes de tudo, é a religião de uma pessoa: Cristo.

A fala do Papa é um chamado aos católicos que tratam o catolicismo como uma religião humana, como mero sistema de regras. Na sua vida religiosa, esses irmãos esquecem que a força vivificante de todo o sistema católico é Cristo, que vive e reina sobre nós. Sem Cristo e seu Amor não há Igreja. E é partir de Cristo que a doutrina, as normas e os Dogmas recebem sua validade.

Se guardamos a Verdade, guardamos, antes de mais nada, a Cristo; pois ele mesmo diz que é "o Caminho, a Verdade e a Vida". E se vivemos segundo as normas da Igreja é porque, antes de mais nada, vivemos segundo o Amor de Cristo. E se temos fé na Igreja, é porque, antes de mais nada, temos fé em Cristo.

Aqui a fala do Papa e o link da homilia, para leres, contextualizares o trecho e interpretares corretamente:

"Por fim, terceira coisa, guardar a verdade. Jesus pede ao Pai para consagrar na verdade os seus discípulos, que são enviados por todo o mundo a fim de continuar a sua missão. Guardar a verdade não significa defender ideias, tornar-se guardiões dum sistema de doutrinas e dogmas, mas permanecer ligados a Cristo e consagrados ao seu Evangelho. A verdade – no dizer do apóstolo João – é o próprio Cristo, revelação do amor do Pai. Jesus reza para que os discípulos, vivendo no mundo, não sigam os critérios deste mundo. Que não se deixem fascinar pelos ídolos, mas guardem a amizade com Ele; que não dobrem o Evangelho às lógicas humanas e mundanas, mas guardem íntegra a sua mensagem. Guardar a verdade significa ser profeta em todas as situações da vida, isto é, consagrar-se ao Evangelho e tornar-se sua testemunha mesmo quando o preço a pagar seja o de ir contra corrente. Às vezes nós, cristãos, procuramos transigir, mas o Evangelho pede-nos que estejamos na verdade e sejamos pela verdade, dando a vida pelos outros. E ser fiéis ao Evangelho e artesãos de paz onde há guerra, violência, ódio significa comprometer-se, mesmo através das opções sociais e políticas, arriscando a vida. Só assim podem mudar as coisas. O Senhor não precisa de gente tíbia: quer-nos consagrados na verdade e na beleza do Evangelho, para podermos testemunhar a alegria do Reino de Deus mesmo na noite escura da tribulação e quando o mal parece mais forte."

https://www.vatican.va/content/francesco/pt/homilies/2021/documents/papa-francesco_20210516_omelia-fedeli-myanmar.html



Grande abraço e que o Espírito Santo sempre habite em teu coração e sempre aja a partir dos teus atos,

Jonas

Pedro Erik disse...

Essa não é a fonte de Marshall, Jonas.

Anônimo disse...

Olá, Pedro!


É esta a fonte, sim.

Logo no início do vídeo ele cita, literalmente, este trecho:

"Guardar a verdade não significa defender ideias, tornar-se guardiões dum sistema de doutrinas e dogmas, mas permanecer ligados a Cristo e consagrados ao seu Evangelho."

Podes conferir.



Grande abraço,

Jonas

Pedro Erik disse...

Jonas,

Há sempre diferenças entre um texto escrito (que é corrigido) e o texto que é dito, Jonas. Muitas vezes se corrige os textos depois de ditos. Marshall pegou o que ele disse.

Por isso que digo que essa não é a fonte.

Mas mesmo considerando esta sua fonte, fica ainda pior do que o Marshall falou. Ainda mais ilógico.

Porque há outras dicotomias erradas.
1) Cristo x sistema de doutrina (dicotomia absurda);
2) Evangelho x sistema de doutrina e dogmas (Evangelho é um sistema de dogmas)
2) sistema de doutrina "humana e mundana" x sistema teológico (não existe isso)
3) "lógica humana e mundana" x lógica divina (Deus e os homens para os cristãos seguem a mesma lógica, como o princípio da não-contradição);

Em suma, Marshall está mais certo ainda. O texto tem erros primários.

A interpretação que você fez, tentando salvar Francisco dele mesmo, não está nem no que Marshall destacou nem no texto que enviou.

Att,

Luiz disse...

Jonas, eu nunca você dar o braço a torcer em nenhum dos seus posts. Na sua cabeça você e o papa sempre estão corretos, independente se os fatos demonstram ao contrário, e os outros sempre estão errados. Lhe falta humildade.